FériasListas

Reabertura: países com fronteiras abertas para brasileiros – para onde ir?

Blog-Mala-de-Viagem

Embora a pandemia ainda seja uma triste realidade, aos poucos estamos observando que aos poucos as fronteiras dos países voltam a abrir para os brasileiros. Diante desse cenário de reabertura, esse post tem como objetivo de auxiliar na escolha do destino para suas férias de 2020/2021, caso seu interesse seja em fazer uma viagem internacional.

Antes de mais nada, é importante ter em mente que viajar ou não, quando ir e para onde ir, são decisões que cabem a cada viajante, considerando as peculiaridades e riscos ainda existentes, bem como as condições pessoais de cada um.

Muitos turistas estão preferindo viajar dentro do Brasil por enquanto, e se você está nesse rol de pessoas, sugiro a leitura dos post:

10 destinos para as suas férias de final de ano no Brasil, Os melhores resorts no Brasil, Destinos nacionais para viajar depois da pandemia, Os melhores destinos nacionais para sua lua de mel no Brasil.

Agora se você já está pensando em programar uma viagem internacional para o final de 2020 ou mesmo para o primeiro semestre de 2021, sugiro que analise e de preferência para destinos que já estão com fronteiras abertas aos brasileiros, pois assim o risco da sua viagem sair dentro do planejado, é maior.

Eu realmente não indico programar uma viagem para um país que ainda esteja com fronteiras fechadas, pois além de não sabermos quando será possível ingressar em seu território, também não temos conhecimento sobre quais serão as regras de ingresso. Isso faz com que sua viagem se torne arriscada demais. 

No momento temos uma lista de de 63 países com fronteiras abertas aos brasileiros, mas tenho que admitir que nem todos facilitaram esse acesso.

Ainda, na lista você verá que nem todos os países com fronteiras abertas são turisticamente interessantes para a maioria das pessoas (ressalvadas as opiniões divergentes). 

Outro ponto a ser considerado é a disponibilidade de voos. Embora tenhamos uma lista com uma quantidade significativa de países com fronteiras abertas ao Brasil, isso não significa que haverá disponibilidade de voos para todos eles nessa fase. As companhias aéreas ainda não estão funcionando tal como antes da pandemia e ainda há voos suspensos, frota reduzida e maior risco de cancelamentos. 

Ainda sobre a questão dos voos, para quem já pensa em destinos internacionais para as próximas férias, é importante observar as regras do país onde será feita a conexão do voo (caso haja conexão), pois não estar totalmente alerta quanto aos requisitos de entrada ou trânsito, pode lhe causar a perda da viagem.

Tendo isso em mente, a dica número 1 é dar preferência aos destinos que possuam voo direto partindo do Brasil, pois assim o fator “conexão” não será um problema.

Lista dos países com fronteiras já abertas ao Brasil 

Por ordem alfabética:

Albânia, Andorra, Antígua e Barbuda, Armênia, Bahamas, Barbados, Belize, Bermudas, Bielorrússia, Bolívia, Bósnia, Camboja, Chade, Colômbia, Comores, Costa do Marfim, Croácia, Cuba, Dominica, Egito, El Salvador, Emirados Árabes Unidos, Equador, Eslovênia, Gâmbia, Gana, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Irã, Irlanda, Jamaica, Kosovo, Líbano, Macedônia do Norte, Malawi, Maldivas, Marrocos, Mauritânia, México, Namíbia, Nigéria, Panamá, Paraguai, Polinésia Francesa, Quênia, Reino Unido, República Centro-Africana, República Dominicana, Ruanda, Saint Martin, São Tomé e Príncipe, São Vicente e Granadinas, Santa Lúcia, Serra Leoa, Sérvia, Tanzânia, Turks e Caicos, Turquia, Ucrânia, Uganda, Zâmbia.

Documentação necessária

Além da documentação tradicional (passaporte, visto, vacina contra febre amarela) exigida para ingressar em outro país, com a pandemia pelo COVID19, novas regras entraram em vigor e são constantemente alteradas.

O teste PCR negativo para COVID19 passou a ser um documento solicitado pela maioria dos países, e cada qual regulamentará o prazo desse teste, contado até o momento do embarque no primeiro voo/primeiro trecho.

Auto-declaração de saúde, formulários e outros documentos semelhantes também entram em cena.

Comprovação de retorno (voo de volta emitido) e de hospedagem, que já costumavam ser exigidos nas imigrações, passam a ser solicitados com maior frequência e rigor.

Ainda, alguns países exigem quarentena de 14 dias, o que torna uma viagem de férias totalmente sem propósito. 

Considerando as peculiaridades de cada destino, bem como a mudança constante dessas regras, certifique-se de ter em mãos toda a documentação necessária para a sua viagem, caso contrário você não poderá embarcar.

Para se manter atualizado(a) quanto aos documentos exigidos no destino escolhido, recomendo consultar o site da companhia aérea com a qual você adquiriu a sua passagem (ou seu agente de viagens, se for o caso).

E agora vamos passar para a minha lista de sugestões: selecionei destinos que eu já visitei ou que pretendo visitar em breve, pois assim compartilho com você todas as minhas razões de escolha.

Reabertura dos países: para onde viajar?

Como dito, temos até o momento uma lista significativa de destinos com fronteiras abertas aos brasileiros.

Todavia, precisamos ter em mente que não basta fronteira aberta. As regras de ingresso no País precisam estar de acordo com as nossas possibilidades.

Considerando isso, bem como minha experiência como viajante, apresento agora as minhas sugestões de destinos para quem pretende embarcar numa viagem ao exterior ainda em 2020 ou no primeiro semestre de 2021.

Obs. Prefiro me referir tão somente ao primeiro semestre de 2021 tendo em vista o prazo mínimo necessário para planejar numa viagem internacional. Provavelmente teremos um panorama bem diferente em 2021, de modo que para o segundo semestre do próximo ano, mais destinos podem se tornar viáveis para quem pretende viajar ao exterior.

Salar do Uyuni – Bolívia

Para ingressar na Bolívia é necessário apresentar teste PCR negativo para COVID19, emitido no máximo 7 dias antes da viagem.

O Salar do Uyuni é o destino boliviano mais procurado pelos brasileiros.

Conhecido como o maior deserto de sal do planeta, as paisagens no Salar são singulares. Uma viagem perfeita para quem gosta de aventura e natureza. Prepare-se para se deparar com lagoas coloridas, gêiseres ativos, muitas montanhas e vulcões e pitorescas formações rochosas.

Uyuni (departamento de Potosí) é a cidade que dá nome ao deserto, e serve como cidade base para o início das expedições que partem para o Salar. Todavia, você não precisa ir até essa cidade para contratar uma expedição, sendo possível fechar o seu pacote de diversas outras cidades do país – a expedição para o Salar é um passeio bem tradicional na Bolívia e praticamente todas as cidades grandes possuem agências especializadas nesses tours.

Você pode contratar um pacote na categoria que preferir, mas, em regra, as viagens/excursões pelo Salar não são luxuosas, por isso que é importante estar disposto(a) a encarar uma aventura aqui outra ali.

Todavia, você consegue adequar algumas características da viagem, como o número de viajantes (viagem privativa ou em grupo de até 6 pessoas), as opções de hospedagem (estilo clássico, semi VIP ou VIP) e alimentação.

A travessia completa e tradicional tem duração de 3 dias e 2 noites, e as atividades já são pré-determinadas pelas agência contratada (os passeios são feitos em veículos 4×4, conduzidos por pessoas experientes). Pesquise bastante antes de contratar a agência, pois é uma viagem com riscos (lembre-se que você estará no maior deserto de sal do mundo).

Em regra, essa viagem é considerada uma viagem barata e de curta duração. Para quem quer conhecer o Salar sem perrengue (na verdade com menos riscos de perrengues), sugiro optar pela expedição VIP, pois as hospedagens e opções de alimentações são melhores.

Melhor época para conhecer o Salar do Uyuni: seca ou cheia?

O período de seca se estende de abril a novembro. A paisagem será uma imensidão branca em razão do solo de sal. É e época indicada para quem quer conhecer tudo, pois os acessos ficam mais fáceis.  

O período chuvoso começa em dezembro e se estende até março. Janeiro e fevereiro são os meses com maior probabilidade de chuvas fortes e em março costuma não chover tanto.

No final do período chuvoso é quando há formação de uma fina camada de água sobre a superfície e o Salar vira um imenso espelho. O espelho reflete o céu, e essa é a época mais linda para se visitar o Salar na minha opinião.

Apesar da beleza, ir ao Salar nesse período pode significar ter que abrir mão de algumas paradas, pois alguns pontos não podem ser alcançadas de carro nessa época, como é o caso de Isla Incahuasi (onde ficam os grandes cactos milenares) e das hospedagens de sal.

Tratando-se de deserto, tal como no Atacama, a amplitude térmica também pode ser muito grande, causando maior impactio nos meses mais frios do ano:

Temperatura média no período chuvoso: máxima por volta dos 22 graus celsius e mínima em torno dos 4 graus celsius. 

Temperatura média entre os meses de abril e maio: máxima por volta dos 18 graus celsius e mínima em torno de 1 grau celsius. 

Temperatura média nos meses de junho a agosto: máxima por volta dos 12 graus celsius e mínima em torno de -10 graus celsius. 

Temperatura média nos meses de setembro a novembro: máxima por volta dos 20 graus celsius e mínima em torno de 0 graus celsius. 

Salar do Uyuni – Bolívia

Dica extra: se o Chile abrir suas fronteiras, você pode pensar em combinar Salar do Uyuni + Deserto do Atacama na mesma viagem (nesse caso, você pode começar pelo Chile e estender a viagem até o Salar, na Bolívia).

Sobre o Deserto do Atacama, confira aqui as minhas dicas e roteiro:

Atacama – o deserto mais árido do mundo, O que fazer no Deserto do Atacama.

Cartagena e San Andrés – Colômbia

Além da documentação tradicional, é preciso apresentar teste PCR negativo para COVID19 feito até no máximo 96h antes da viagem. Além disso, entre 24h e 1h antes do voo, o passageiro precisa fazer o cadastro no portal de Imigrações da Colômbia.

Se Colômbia for o país por você escolhido, eu sugiro dois destinos no país: San Andrés e Cartagena.

Ambos são destinos praianos e combinam bem na mesma viagem se o seu tempo/duração de férias permitir.

Cartagena fica no litoral caribenho da Colômbia, a 1 hora de avião da capital Bogotá.

Embora Cartagena fique no continente, há no seu entorno várias ilhas que dão ao destino a fama de destino praiano. Inclusive, as melhores praias ficam mesmo nessas ilhas.

Se nas ilhas estão localizadas as belas praias, por outro lado, grande parte das atrações de Cartagena estão dentro da cidade amuralhada, que é o centro histórico da cidade, onde ela teve origem.

Portanto, Cartagena é perfeita para quem busca unir praia, história, arquitetura e cultura no mesmo lugar.

Cartagena eu ainda não tive o prazer de conhecer, mas minhas pesquisas já me levaram à conclusão de que será um dos meus próximos destinos.

San Andrés, ao contrário, eu já tive oportunidade de visitar e todas as dicas estão aqui no blog MV. Se você se interessou por San Andrés para as suas próximas férias, eis aqui os links dos posts que irão te ajudar na missão:

San Andrés – o Caribe Colombiano, Onde comer em San Andrés, Onde se hospedar em San Andrés, O que fazer em San Andrés.

Se você conseguir unir Cartagena + San Andrés na mesma viagem, a melhor opção é pegar um voo direto até a capital Bogotá e de lá pegar voos domésticos para San Andrés e para Cartagena.

Essas opções costumam ficar mais em conta do que comprar um voo internacional do Brasil a Cartagena, por exemplo. Mas tudo é uma questão de pesquisar, pois passagens aéreas é assunto de depende de muitas variantes, como já sabemos.

Confira também aqui no blog MV:

Passagens aéreas baratas: um tutorial para você gastar pouco.

Duração da viagem: recomendo 5 dias para Cartagena e outros 5 para San Andrés. Se além de San Andrés quiser conhecer a linda ilha de Providência, pode adicionar mais 2 dias extras.

Quando ir: a melhor época para fazer essa viagem é entre os meses de dezembro a abril (março e abril é uma boa época para ainda aproveitar o clima seco, evitando os preços elevados da alta temporada).

A segunda opção é entre os meses de maio e agosto, pois as temperaturas estão não estão mais tão altas e chove um pouco (sem comprometer a viagem).

Porém, é importante lembrar que San Andrés está a 750 quilômetros da parte continental colombiana, então o clima na ilha é diferente do continente.

Em San Andrés a temporada seca vai do final de dezembro até abril, que coincide com o período de alta temporada. O período chuvoso começa em maio e segue até novembro.

Eu estive em San Andrés em maio e as poucas chuvas não atrapalharam em nada a viagem, pois foram todas muito passageiras.

Cartagena – Colômbia

Croácia

Apesar de fazer parte da União Européia, a Croácia está com fronteiras abertas aos turistas brasileiros. Conforme o site do governo, os viajantes devem apresentar uma comprovação de reserva de hotel e resultado negativo para o COVID19 com até 48 horas antes da chegada ao país.

Eis um país europeu quem vem aos poucos ganhando espaço entre as escolhas do turista brasileiro.

E agora, com muito mais razão, a Croácia passa a ser um destino bem cotado para as próximas férias dos turistas que, apesar das adversidades, desejam viajar para o continente europeu.

O país está localizado no Mar Adriático e tem como principais destinos turísticos das cidades de Dubrovinik e Split.

Além da beleza inerente que já lhe rendeu o título de ser sede das mais belas praias da Europa, a Croácia é um típico destino “verão europeu” com preços mais atrativos do que o turista encontrará em Ibiza ou Santorini.

Um passeio que vem ganhando destaque no país é o cruzeiro pela costa do Adriático, que vai desde o arquipélago de Zadar até Dubrovnik (ao sul), passando por Brac, pelas montanhas e casas históricas de Hvar, Vis, Mljet e Jelsa. Há também ferries que ligam cada uma das ilhas.

Quando ir: tendo em vista se tratar de um destino praiano, eu não “queimaria fichas” indo para Croácia nos meses frios.

Julho e agosto são meses de altíssima temporada na Croácia – isso significa preços mais altos e lugares mais cheios. Eu prefiro evitar.

Ainda não conheço o país, mas tenho em mente visitá-lo entre os meses de maio e junho ou setembro, pois o clima é bom e eu consigo fugir dos meses de maior movimento.

Como chegar: considerando que não há voos diretos entre o Brasil e a Croácia, para chegar até lá nesse momento de pandemia, minha sugestão é fazer uma viagem combinando 2 destinos: Turquia + Croácia.

A companhia aérea Turkish tem voos diretos para cidades da Croácia. Sendo assim, uma das opções é fazer uma viagem combinando esses dois países. Assim você pode pegar um voo do Brasil direito para Istambul e depois que conhecer a Turquia, pegar um voo de Istambul para Dubrovnik, por exemplo.

Outra sugestão é estender sua viagem até a Eslovênia, que faz fronteira com a Croácia e também já está com fronteiras abertas ao Brasil.

Para quem quer mais, nesse momento de pandemia e fronteiras fechadas, pode até pensar na Croácia como porta de entrada para outros países europeus – países que limitam a entrada de quem passou os últimos 14 dias no Brasil, mas não do brasileiro que já está na Europa há mais de 14 dias. Aí é uma questão de avaliar (não compete a mim fazer nenhum juízo de valor sobre sua decisão, apenas estou mostrando possibilidades).

Croácia

Cuba

Somente algumas regiões de Cuba estão abertas para os turistas e é necessário apresentar uma reserva em um dos hotéis aprovados pelo governo. Os turistas passam por avaliação médica na chegada e devem preencher uma declaração de saúde.

Cuba é a maior ilha do Caribe, e também um destino que desperta a curiosidade de grande parcela dos turistas brasileiros.

A ilha foi descoberta por Cristóvão Colombo em 1492, permanecendo sob domínio espanhol até 1898, quando foi negociada com os Estados Unidos. Tornou-se independente 4 anos depois, mas a influência e o domínio norte-americano persistiram até a Revolução Cubana em 1959.

O socialismo de Fidel Castro levou Cuba a sofrer embargo de produtos oriundos dos países capitalista. Como consequência, o turista que visitar Havana em 2020/2021 (e pelos próximos anos) por diversos momentos terá a sensação de ter voltado no tempo, pois os carros antigos, os prédios históricos e a arquitetura da Havana ainda remonta aos anos 50.

Além da sua curiosa história, que desperta a atenção dos turistas apaixonados por culturas diferentes, há ainda suas belas praias, como Cayo Santa Maria, Cayo Coco e Cayo Guillermo.

Por questões de segurança, a maioria dos turistas que visitam Cuba dão preferência às hospedagens em resorts – os mais famosos ficam em Varadero (península a duas horas de carro de Havana).

Na hora de montar seu roteiro em Cuba, é recomendável reservar pelo menos 2 noites para cada destino no litoral. Mas caso você seja rato de praia (e tiver condições financeiras de permanecer mais tempo nestes destinos, que são os mais caros de Cuba) seu roteiro poderá incluir muitas noites mais em cada uma delas.

Apesar de já estar com suas fronteiras abertas, dependendo do roteiro que pretende fazer e do tempo que você deseja ficar em Cuba, talvez esse não seja o melhor momento para visitar o país, visto que nem toda sua extensão está liberada ao turismo.

Por outro lado, tendo em vista a abertura progressiva da ilha ao capital estrangeiro, fica sempre aquele pensamento de “preciso ir a Cuba o quanto antes, pois seu eu demorar demais pode ser tarde, e eu já não terei mais a oportunidade de ver suas peculiaridades”.

Quando ir: a melhor época para visitar Cuba vai de novembro até abril – período da estação seca. Evite os meses de setembro e outubro, pois são os meses com maior risco de furacões.

A alta temporada vai de meados de dezembro até março, bem como entre julho e agosto.

Se você busca economizar, considere conhecer Cuba entre março e maio, pois os preços já baixaram, as temperaturas estão boas e as chuvas ainda não atrapalham a viagem.

Como chegar: como não há voos diretos do Brasil para Cuba, no momento a melhor opção acaba sendo os voos da companhia Copa Airlines, que faz escala na Cidade do Panamá.

Inclusive, Panamá também é mais um país que já abriu suas fronteiras para os brasileiros, então fica como sugestão uma viagem combinada: Panamá + Cuba.

O Panamá reabriu as fronteiras em 14 de outubro. Os turistas devem apresentar resultado negativo para o teste PCR contra COVID19, realizado 2 dias antes da viagem (com laudo em inglês ou espanhol). O laudo precisa estar em inglês ou espanhol.

Havana – Cuba

Egito

O Egito abriu suas fronteiras para voos internacionais no mês de julho, e brasileiros precisam emitir um visto para visitar o país. Além dos documentos tradicionais (passaporte, visto e vacina contra febre amarela), agora é obrigatório preencher o “Cartão de Saúde Pública” na chegada e seguro viagem. O teste negativo para COVID19 feito até 4 dias antes da viagem também está na lista dos documentos obrigatório (exceto para crianças menores de 6 anos).

Não viaje sem seguro!

No site Seguros Promo você pode fazer uma comparação detalhada e fácil dos preços dos seguros ofertados, analisando qual tem o melhor custo benefício para a sua viagem. Contrate AQUI o seu seguro viagem com desconto, utilizando o cupom MALADEVIAGEM5.

O visto já era um documento necessário antes da pandemia, e há duas formas para conseguí-lo: solicitando na embaixada ou no consulado do Egito aqui no Brasil ou no aeroporto do Cairo, quando você chegar lá (mediante pagamento de uma taxa).

Desde quando estudei o Egito antigo pela primeira vez na escola, esse país figura na minha lista dos desejos.

E eu tenho certeza que não sou a única a se sentir fascinada pelos mistérios, lendas, histórias e superstições da civilização que se desenvolveu às margens do rio Nilo.

A cidade do Cairo, além de ser a porta de entrada do Egito, possui um dos mais mais renomados museus do planeta, o Museu do Cairo, cheio de preciosidades.

E pra quem acha que terá que percorrer horas de estrada para chegar aos mais incríveis monumentos do país, muito se engana: bem próximo ao centro da cidade do Cairo está o platô de Gizé, com as pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos e a famosa esfinge.

Descendo o rio Nilo está a cidade de Edfu (onde fica o templo de Hórus), Kom Ombo (e seus edifícios gêmeos) e Luxor (onde fica Karnak, o Vale dos Reis e as tumbas de Ramsés II e Tutancamon).

Ao sul fica Aswan (perto da barragem do lado Nasser), ponto de partida para se explorar as ruínas de Abu Simbel (perto da fronteira com o Sudão) e a Ilha Philae, onde está o templo ptolomaico de Ísis. Nessa região você também poderá visitar os sukhs (mercados de caravanas) e fazer um passeio de felucca (embarcação de velas triangulares).

No oeste do país está oásis de Siwa, onde Alexandre, o Grande, foi reconhecido faraó. No delta do Nilo (mar Mediterrâneo) ele construiu a cidade de Alexandria e a maravilha do mundo antigo: Biblioteca de Alexandria (infelizmente sem praticamente nenhum vestígio material na atualidade).

Quando ir: o verão é marcado por temperaturas bastante elevadas, principalmente no Alto Egito – cidades de Luxor e Aswan. Assim, a melhor época para visitar o Egito é entre os meses de setembro até maio, lembrando que nos meses de novembro e março faz bastante frio.

Como chegar: não existe voo direto do Brasil para o Egito. A principal companhia do país é a EgyptAir, mas a KLM, British Airways, Lufthansa, Air France, Qatar e Emirates também operam no Egito.

Egito

Turquia

As regras de ingresso na Turquia estão bastante maleáveis. Para visitar o país, é preciso somente passar por uma avaliação médica na chegada.

Se você ainda não conhece a Turquia, vários são os motivos para atualizar sua lista:

As regras para ingresso de brasileiros estão menos rígidas do que na maioria dos outros países que já abriram suas fronteiras ao Brasil. Além disso, brasileiro não precisa de visto para ingressar no país.

Outra vantagem é a disponibilidade de voos diretos ligando o Brasil a Istambul, o que evita a burocracia das conexões, tornando a viagem mais tranquila.

A isso de soma as atrações do país. Eu tive a oportunidade de conhecer a Turquia em março/2019 e fiquei apaixonada.

Todas as dicas e os meus roteiros você encontra aqui:

Guia completo da Turquia, roteiro em Istambul, Dicas da Capadócia, O que fazer em Éfeso e Pamukkale.

Tudo sobre a minha viagem da Turquia você encontra nos links que deixei acima. Se esse for o seu próximo destino, confira todos os posts aqui do blog, pois tenho certeza que eles irão te ajudar muito na hora de montar o seu roteiro e programar a sua viagem.

Istambul – Turquia

Ilhas Galápagos – Equador

O Equador reabriu suas fronteiras aos brasileiros e está exigindo teste negativo para COVID19 feito até 10 dias antes da chegada ao país e Os turistas também passam por uma avaliação médica logo depois do desembarque e precisam preencher uma declaração de saúde.

Sua capital Quito é a porta de entrada no país. A cidade está localizada em meio à cordilheira dos Andes, a 2.850 metros de altitude, e rodeada por cinco vulcões ativos.

Devido ao seu centro histórico bem conservado, Quito foi reconhecida pela Unesco como o primeiro Patrimônio Cultural da Humanidade, no ano de 1978.

O Equador está dividido em quatro regiões: Ilhas Galápagos, Costa Pacífico, Andes e Amazônia.

Embora existam várias atrações incríveis no Equador, o foco da minha dica hoje são as Ilhas Galápagos.

O Arquipélago de Galápagos é a cereja do bolo desse país ainda pouco explorado pelos brasileiros. O arquipélago está localizado a 1.000 quilômetros da costa, com uma fauna nativa tão exótica que serviu de base para fundamentar a teoria da evolução de Charles Darwin no século XIX.

Mais de 7.200 espécies de animais já foram catalogadas no Arquipélago de Galápagos.

Sem dúvida esse destino está na minha lista de 1.000 lugares para conhecer antes de morrer!

A parte chata da história é que se trata de um destino caro! Conhecer o arquipélago que inspirou Darwin é tão incrível quanto “custoso” (mas há de valer a pena).

Quando ir: entre janeiro até meados de junho a temperatura fica na casa dos 30 graus celsius. Entre julho e dezembro a temperatura fica próxima aos 22 graus.

Como chegar: a companhia Tame possui voos diretos do Brasil ao Equador. Também é possível chegar ao país através dos voos da Avianca, com conexão no Lima e Bogotá.

Galápagos – Equador

Maldivas

As Ilhas Maldivas já abriu suas fronteiras aos brasileiros, exigindo para ingresso no país, além dos documentos tradicionais (passaporte e carteira de vacinação), o comprovante de hospedagem para todo o período da viagem, teste PCR negativo feito no máximo 96 horas antes do embarque e declaração de saúde online (Imuga) 24 horas antes de chegar ao país.

Se o turista ficar em trânsito por mais de 24 horas, será necessário fazer novo teste PCR na chegada ao país.

Maldivas é a viagem dos sonhos de muita gente. Eu sei… é a minha também.

O destino do mar azul turquesa por excelência, do céu cor de rosa e dos hotéis mega luxuosos já está ao alcance dos brasileiros (ao mesmo em potencial).

E se Maldivas já está no seu radar, fica aqui o post que eu já escrevi aqui no blog MV para te ajudar na hora de organizar sua viagem e escolher o seu hotel:

Como planejar sua viagem dos sonhos e escolher seu hotel nas Maldivas.

Quando ir: o clima nas Maldivas é estável, quente e úmido, com temperaturas entre 25 e 29 graus durante todo o ano.

O período de seca começa em novembro (alguns dizem que começa em outubro) e termina em abril (alguns dizem que termina em março).

Quem opta pelo período de seca tem mais chance de não pegar chuva, mas isso não é nenhuma garantia absoluta… Por outro lado, preços obviamente são mais altos nesse período.

Como chegar: para quem sai do Brasil com destino às Maldivas, as opções de voos são as seguintes:

  • Emirates – via Dubai
  • Qatar – via Doha
  • Turkish – via Istambul
  • Etihad – via Abu Dhabi
  • Air Asia (cia low cost) – a partir de algum HUB da Europa (via Roma costuma ter bons preços)

Voos com a Emirates e conexão em Dubai permitem Stopover em Dubai, com necessidade de apresentação de teste PCR negativo para entrada no país.

Voos com a Qatar e conexão em Doha ainda não permitem Stopover em Doha, que segue com suas fronteiras fechadas e previsão de reabertura em dezembro/2020.

Maldivas

Outro destinos no mesmo estilo das Maldivas e que também já se encontra com fronteiras abertas ao Brasil é a Polinésia Francesa.

Para ingressar na Polinésia Francesa o turista precisa apresentar resultado PCR negativo para COVID19 feito em até 72 horas do embarque + preencher formulário sobre o próprio estado de saúde no site do governo polinésio e declarar que não apresenta nenhum sintoma da doença. O documento deve ser assinado e gera um QR Code que será apresentado. Seguro viagem também está entre os documentos obrigatórios.

México

Considerando sua reabertura, o México é mais uma das minhas sugestões para quem já está pensando em fazer uma viagem internacional no final de 2020 ou primeiro semestre de 2021.

Não temos grandes exigências para entrar no México nesse momento. É preciso apenas preencher o formulário online de saúde, que será apresentado na imigração.

O México é um destino riquíssimo em atrações, história, cultura e belezas naturais. Inclusive, acho que é um país para ser visitado mais de uma vez, pois em apenas uma viagem você não conseguirá conhecer tudo que merece ser conhecido.

Minha sugestão “básica” para quem nunca foi ao país e pensa num roteiro praiano é: Cancún, Playa del Carmen, Cozumel e Tulum.

Na sua viagem acrescente um dia extra para conhecer o Chichén Itzá, uma das sete maravilhas do mundo moderno.

Praia, cenotes, parques, história, resorts… escolha o que mais lhe agrada e monte um roteiro em cima das dicas que eu te dei aqui no post sobre minha viagem ao México:

Cancun e Riviera Maya: o que fazer, dicas de passeios e onde se hospedar.

Chichén Itzá – México

Destinos caribenhos/praianos com fronteiras abertas

Antígua e Barbuda: país com fronteiras abertas – condições de ingresso: turistas passam por avaliação médica + entrega de formulário com informações sobre o estado de saúde + atestado médico com resultado negativo para COVID19 feito no máximo 7 dias antes da chegada ao país. Menores de 12 anos não precisam apresentar o teste negativo.

Barbados: país com fronteiras abertas – condições de ingresso: necessário preencher o formulário disponível no site do governo de Barbados 24 horas antes da chegada ao país + exame negativo para COVID19 feito 72 horas antes do embarque.

Belize: país com fronteiras abertas – condições de ingresso: o país fica na costa leste da América Central, voltado para o Mar do Caribe. Para ingressar em Belize é necessário baixar o aplicativo Belize Health Travel App, que gera um QR Code e um Número de Viagem, que serão apresentados no momento do desembarque. É requisito de ingresso que o turista faça uma reserva em um dos hotéis pré-selecionados. Ainda, é exigido o resultado negativo – teste PCR feito até 72h antes do embarque.

República Dominicana: país com fronteiras abertas – condições de ingresso: não é necessária apresentação de teste PCR. Os turistas precisam preencher um formulário de saúde, que será distribuído no avião ou no aeroporto.

Jamaica: país com fronteiras abertas – condições de ingresso: exige que o turista obtenha uma autorização de viagem no site da Visit Jamaica. Os viajantes precisam apresentar resultado negativo para COVID19 feito em até 10 dias antes da viagem.

Confira aqui como foi fazer um cruzeiro da Royal Caribbean (janeiro/2020), que teve a Jamaica como um dos destinos de parada:

Cruzeiro no Caribe com paradas no Haiti e na Jamaica.

Jamaica

Você gosta das minhas dicas? Siga o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real.

Sempre que você faz alguma reserva ou adquire algum produto/serviço utilizando um link aqui do blog, eu ganho uma pequena comissão do site. Você não paga nada a mais por isso e ainda me ajuda a manter o Mala de Viagem atualizado e sempre cheio de novidades!

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas baratas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!