BarcelonaEspanhaEuropa

Barcelona: um guia completo para sua viagem!

BARCELONA

Barcelona está para Antoni Gaudí assim como Paris está para a Torre Eiffel. Esta até seria uma boa definição, porém insuficiente para definir uma cidade tão cosmopolita, arquitetônica, histórica, colorida e vibrante, como Barcelona!

Barcelona, localizada na Catalunha, comunidade autônoma da Espanha situada na extremidade leste da Península Ibérica, com bandeira e língua próprias (o catalão é o idioma principal), encanta turistas do mundo inteiro.

Seu clima, cores e sabores fazem de Barcelona a cidade mais alegre da Espanha. Em muitos lugares você se sente realmente diante de um cenário de parque de diversões ou cena de filme infantil com cores vibrantes para capturar a atenção.

Pelo menos foi essa a impressão que tive diante das maravilhosas obras arquitetônicas do movimento modernista, que tem em Antoni Gaudí seu maior expoente.

Arte, arquitetura única, praia, mercados gastronômicos sempre movimentados, bares de tapas, manhãs tranquilas e noites intensas, são alguns exemplos do que você irá encontrar em Barcelona.

Barcelona borbulha no verão, quando suas praias e baladas recebem jovens animados de vários lugares do mundo. Mas não se deixe enganar, pois a cidade é absolutamente eclética, agradando de “gregos a troianos” em qualquer estação do ano.

Por que visitar Barcelona?

Não há um, mas sim vários motivos para conhecer a bela Barcelona. Bora listar alguns?

  • Facilidade da língua: falando devagar, é bem fácil entender a maioria das palavras (e o contexto geral das frases), mesmo que você não fale espanhol. Provavelmente você escutará muito catalão por lá também (e esse não é tão fácil de entender) – gentilmente explique que você é turista e que não compreende o catalão.
  • Destino europeu com custo razoável: a moeda é o euro, mas o custo de uma viagem para Espanha não é dos mais altos. Classifico como “médio custo” (ressalva: o valor global da viagem depende do seu bolso e estilo de viajante, então, impossível informar um valor exato quanto aos gastos).
  • Muitas atrações turísticas a serem visitadas: tratarei melhor dessa parte ao sugerir alguns roteiros na cidade, mas só para lembrar, as obras arquitetônicas mais incríveis do modernismo estão lá (Barcelona tem oito construções modernistas declaradas Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO), sem falar nos museus, praias, parques, gastronomia…
  • Cidade cosmopolita, alegre e vibrante: perfeita para “se perder” entre as sua ruas e bairros mais charmosos, finalizar o dia num típico bar de tapas e degustar uma cava (espumante espanhol).
  • Vida noturna agitada: quem gosta de festas e baladas, apaixona-se por essa característica de Barcelona.
  • Boa culinária: come-se muito bem na Espanha (incluindo Barcelona) – de tapas aos pratos, a ideia é desfrutar!
Barcelona: nenhuma cidade possui tantas obras do modernismo quanto ela

Quando ir a Barcelona

O clima mediterrâneo torna Barcelona uma excelente opção para ser visitada durante todo o ano.

Não possui invernos muito intensos, então se você for da turma que foge do frio, não precisa ficar tão preocupado com isso.

Fomos em meados de março e a temperatura estava bem agradável (em torno de 14 graus celsius), tendo como parâmetro o outono europeu. Lembro de usar blusa todos os dias, mas nada muito pesado. Até arrisquei algumas fotos sem casaco.

Se sua “praia” é, literalmente, praia, então aguarde o verão. Por outro lado, tenha em mente que julho e agosto são meses de alta temporada, com bastante movimento, muito calor (sensação de abafamento) e preços mais altos.

Se tiver liberdade para escolher uma data, indico o mês de junho, quando os dias são longos (anoitece por volta das 22 horas), a temperatura é agradável e ainda não chegou a alta temporada.

Dica: se visitar Barcelona no verão, programe uns dias extras para estender a viagem e conhecer as Ilhas Baleares – Mallorca, Menorca, Ibiza e Formentera. Eu ainda não conheço e quero voltar para fazer esses destinos!

Quanto tempo ficar em Barcelona

Para uma primeira visita, recomendo no mínimo 3 dias. Na verdade, acho 3 dias pouco, mas considerando que uma viagem pela Europa nunca tem no roteiro uma só cidade, crio essa exceção e indico pelo menos 3 dias em Barcelona.

Fiquei 3 dias e meio, fiz muita coisa e deixei muito para trás. O tempo acaba ficando curto se você deseja entrar e conhecer a por dentro os pontos turísticos..

Pense nas suas prioridades e se organize para conseguir fazer o que, para você, é essencial.

Muitas atrações vendem ingressos com antecedência e horário marcado. Isso poderá te ajudar na hora de organizar o roteiro.

Barcelona também está recheada de excelentes restaurantes. Turismo com foco em boa gastronomia é o que não falta por lá. Restaurantes sofisticados exigem reserva prévia e conhecê-los se torna um grande evento do dia, evento este que, por sua vez, ocupará algumas horas da sua agenda.

Programe-se conforme seu perfil de viajante, mas respeite esse prazo mínimo. Ir a Barcelona com menos tempo do que isso seria triste!

Chegando já com internet

Viajar com internet em tempo integral não é apenas um capricho, mas sim uma questão de necessidade.

Dá pra sobreviver sem internet no celular? Claro que sim. Mas qual seria o sentido desse sacrifício? Nenhum.

Pensando no conforto da minha viagem, na segurança de ter tudo ao meu alcance quando precisar, bem como no meu desejo em compartilhar todos os acontecimentos em tempo real com vocês, é que sempre utilizo em minhas viagens o chip de internet da SimPremium.

A SimPremium me envia o chip ainda no Brasil, recebo-o na minha casa e quando desembarco no destino final, já estou conectada. A empresa é parceria do blog MV e me acompanhou mais uma vez pela Espanha.

Nem preciso tecer mais elogios acerca da qualidade do produto, pois quem acompanhou minha viagem e todos os Stories que fiz no Instagram @maladeviagem viu o como a internet é boa!

Nessa viagem (7 dias) contratei o plano de 5 gigas e foi o suficiente para todos os dias, utilizando a internet desde a hora que acordei até a hora que dormi, gravando Stories e postando conteúdo o dia todo. Sequer cheguei a conectar o WiFi do hotel.

Leitor do blog MV tem 10% na aquisição do chip ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aqui para pedir o seu!

Como sair do aeroporto

Transporte público é a melhor opção! Você pode até usar taxi se quiser (lembrando que não existe Uber em Barcelona), mas a menos que esteja em 3 ou 4 pessoas, não vale a pena financeiramente.

Para ir do aeroporto ao hotel (ou do hotel ao aeroporto) de taxi, o custo será em torno de 35 euros, podendo ser um pouco mais ou um pouco menos dependendo do horário, número de malas, se chamou o taxi via telefone… Tudo isso tem taxa adicional.

Por outro lado, o transporte público funciona lindamente, é prático, rápido e mais mais barato.

O trem R2 sai do Terminal 2 e leva cerca de 25 minutos para chegar no centro da cidade.

Ali mesmo no ponto de partida e chegada do trem, você compra em uma das máquinas o bilhete T10, que te dá direito a 10 viagens no transporte público de Barcelona, incluindo metrô e ônibus (ao custo de 10,20 euros) e este mesmo bilhete poderá ser utilizado no deslocamento do aeroporto ao hotel.

Além disso, um cartão pode ser aproveitado por mais de uma pessoa, já que o uso é por passagem efetivamente utilizada. Se acabar, basta recarregar.

Onde se hospedar em Barcelona

A cidade possui uma rede hoteleira ampla e variada. Do hostel ao padrão luxo, todos ficam felizes, pois encontram em Barcelona a opção perfeita para gosto e bolso.

O Carpe Mundi tem um post excelente com dicas de hospedagem na cidade, divididas por bairro. Indico a leitura para te auxiliar na decisão.

Eu optei por me hospedar no hotel Bcn Urban Hotels Gran Rosellon, de categoria 4 estrelas, novo e bem localizado (próximo à Paseign de Gràcia e à estação de metrô).

Se está buscando um hotel com bom custo benefício, rodeado de bares, restaurantes e padarias, indico o Bcn Urban Hotels Gran Rosellon.

O quarto é espaçoso, cama confortável, TV tela plana, ambiente clean com decoração moderna, banheiro com duas cubas, caixas de som com sistema Bluetooth, WiFi e chaleira à disposição do hóspede no quarto (com várias opções de chá como cortesia).

O hotel também conta com piscina ao ar livre, mas, por ser sazonal, não estava aberta em março/outono.

Não reservamos diária com café da manhã, pois preferimos comer nas pastelarias das redondezas. Caso prefira, pode tomar café no hotel a um custo adicional a ser pago no check-out.

O hotel possui, ainda, uma academia. Embora eu seja adepta dos exercícios físicos durante minhas viagens, em Barcelona, devido ao pouco tempo que tivemos na cidade, optei por não treinar para ganhar mais tempo de passeio.

As diárias no hotel Bcn Urban Hotels Gran Rosellon giram em torno de R$ 300,00, podendo este valor variar conforme antecedência da reserva e/ou época da viagem.

Para o público mais exigente e focado no turismo de luxo e alto padrão, indico que a hospedagem seja no melhor hotel da cidade: o exclusivo Mandarin Oriental Barcelona.

Fomos convidados pelo MO Barcelona para almoçar no restaurante Blanc e fazer um tour pelo hotel. Toda a experiência foi aqui relatada e já adianto aqui minha conclusão: é a opção perfeita para quem pretender investir em conforto e comodidade na hora da escolha do hotel.

Onde comer em Barcelona

Quem acompanha o blog já sabe: adoro incluir bons restaurantes nos roteiros das minhas trips, pois acho que, assim como uma boa hospedagem, a alimentação é fator determinante para a qualidade da viagem.

Aos amantes da alta gastronomia uma frase verídica: impossível não se apaixonar pela cidade de Barcelona. Só para iniciar os motivos dessa afirmação, já digo que 2 dos restaurantes 50 Best of The World estão lá!

O Disfrutar ocupa (diga-se de passagem: merecidamente) a décima oitava posição. E o Tickets (de tapas) a trigésima segunda.

Não é tão fácil conseguir uma reserva nesses restaurantes, por isso digo que se tiver a intenção de conhece-los, eis uma das primeiras coisas que deve fazer quando decidir que irá a Barcelona. Por sorte conseguimos reserva e pudemos experimentar ambos.

Embora o ambiente do Tickets seja mais cool, com uma bela e sofisticada decoração ao estilo infantil (uma mistura de ambiente circense com festa requintada de criança), sem dúvida minha recomendação é o Disfrutar.

No Disfrutar você terá de fato uma real experiência gastronômica. Culinária de alto nível desde a apresentação. Sabores como este, até então, eu só tinha sentido no The Test Kitchen (que, pelo conjunto da obra, continua sendo meu preferido do mundo até hoje), em Cape Town.

O Disfrutar é o tal do restaurante que serve um “pão” que não é pão, um “macarrão” que não é macarrão, um salgado que é doce e vice-versa… E por aí vai! Tudo surpreende!

Disfrutar: restaurante surpreendente!
Disfrutar: o menu degustação dura 3 horas! Fomos no almoço
Disfrutar: está na lista 50 best of the World!

Um espetáculo de atendimento, sabor, apresentação e detalhes: se você levantar para ir ao banheiro, esteja certo que ao seu retorno, seu guardanapo (outrora deixado bagunçado sobre a mesa) terá sido trocado por um impecavelmente novo.

No banheiro perfume Carolina Herrera para as mulher, 212 para os homens, antisséptico bucal, escova e pasta de dente, para manter a higiene em dia, claro!

Quanto ao menu, há duas opções: a versão de 25 pratos, composta pelos pratos já consagrados e premiados; e a versão de 30 pratos, composta pelos pratos tradicionais da primeira opção, além de mais 5 que são novidade.

Os valores estão informados no próprio site oficial do restaurante (o que achei muito bom, pois de antemão já é possível saber quanto irá gastar): 150 euros o menu de 25 etapas e 190 euros o de 30 etapas (valores em março de 2019).

Mostrei todos os pratos nos stories do meu Instagram – @maladeviagem – e os salvei no destaque “Barcelona”.

Lembrando que esses valores são apenas para o menu degustação. Toda e qualquer bebida tem preço cobrado à parte, conforme valores informados no cardápio.

E se o Disfrutar é tão bom assim, porque eu continuo dizendo que o The Test Kitchen (que atualmente ocupa a última posição da lista dos 50 melhores do mundo) continua sendo meu preferido?

Bom, além de todos os motivos, razões e circunstâncias que já mencionei em post próprio sobre o The Test Kitchen, a verdade é que a África do Sul me deixou “mal acostumada”, pois restaurantes com menu degustação (dentre os quais se inclui o The Test) é muito comum e, por ser algo comum, precisam inovar a todo momento a fim de se destacar.

No The Test eles entregam muito mais do que prometem. É uma surpresa atrás da outra e cortesias que não estavam no cardápio. Você espera por “x”, mas recebe “x”, “y”, “z”, entende? Tem brinde do chef, digestivo na troca dos sabores (salgado/doce), pós sobremesa, petit four, e por aí vai…

O Disfrutar é excelente, mas só entrega o “combinado”, por assim dizer. Nada de surpresinhas ou lembrancinhas. Por isso o título de: meu segundo restaurante preferido da vida até hoje!

Quanto ao outro “50 best” que provamos em Barcelona (Tickets) não deixo de mencionar, pois gosto por restaurante é algo extremamente pessoal, mas não fez nosso estilo, em muito por conta do atendimento (expliquei tudo na avaliação que fiz no TripAdvisor).

Tickets: restaurante de tapas

Na lista de recomendações gastronômicas em Barcelona, não poderia faltar também o Blanc, comandado pela Chef Carme Ruscalleda, a mulher mais estrelada do mundo, que possui atualmente 7 estrelas Michelin.

O Blanc foi assunto de post aqui no blog, portanto indico a leitura para quem quer conhecer um pouco mais desse elegante restaurante localizado no Mandarin Oriental Barcelona.

Outras 3 indicações que acredito que valha a pena indicar aqui é o restaurante Zed, próximo à Sagrada Família, pois tem um cardápio com opções saudáveis, tudo com ingredientes naturais e pratos preparados na hora.

Zed e seu cardápio cheio de comida de verdade e ingredientes naturais

Outro lugar interessante, principalmente para jantar, é o mercado gastronômico El Nacional, construído nas instalações de uma antiga garagem, em Paseig de Gràcia.

E a última sugestão é uma hamburgueria simples e pequena com lanches artesanais deliciosos (atendimento ótimo também), chamada Foc i Oli, pertinho do hotel Bcn Urban Hotels Gran Rosellon, onde nos hospedamos.

Hamburgueria Foc i Oli (encontramos pelo TripAdvisor)

Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem – aproveita e segue lá também!

Locomoção em Barcelona

Além de andar muito (pode por pelo menos uns 15 quilômetros na conta por dia) e utilizar transporte público (metrô, tram, ônibus), um meio de locomoção que funciona muito bem em Barcelona é o ônibus turístico.

Barcelona tem várias rotas de ônibus turístico que funcionam no sistema “hop on, hop off”.

Fizemos uso do ônibus turístico de Barcelona – Barcelona Bus Turístic – e ele nos levou para todos os pontos turísticos e atrações que desejávamos conhecer.

Barcelona Bus Turístic é o ônibus turístico oficial da cidade, operado pela TMB (consórcio de transportes de Barcelona) e Barcelona Turisme.

Ele opera em 3 rotas diferentes, correspondentes às cores: azul, vermelha e verde – Ruta AzulRuta Roja e Ruta Verde.

Os trajetos são feitos em ônibus de dois andares, sendo a parte inferior fechada e a superior toda aberta, sem teto, possibilitando a vista completa da cidade e da rota.

Os ônibus possuem serviço de audioguia em diversos idiomas, inclusive português. A rota em si já se torna um passeio, pois há narração completa dos lugares por onde o ônibus passa.

Você pode comprar uma passagem geral, que cobre todas as rotas do ônibus turístico, válida por 24 ou 48 horas (1 ou 2 dias consecutivos). Um preço fixo te da o direito de subir e descer dos ônibus quantas vezes desejar.

O uso desse transporte substitui o transporte público para o acesso às atrações turísticas da cidade, mas a frequência não é tão alta quanto um metrô ou ônibus regular, visto que às vezes será necessário aguardar entre 15 a 20 minutos até passar o próximo.

O uso do Barcelona Bus Turístic se torna bastante interessante para quem não tem muitos dias na cidade, pois assim consegue ter uma visão ampla e geral, visto que as rotas (vermelha, azul e verde) já são, de per si, um passeio, com audio-guia e explicações sobre os lugares por onde passa e destinos de parada.

Também nos foi muito útil para visitar os atrativos mais afastados da cidade, como no caso do Parc Güel, Montjuic, Tibidabo e Camp Nou.

Consulte aqui os preços e horários do Barcelona Bus Turístic.

Visit Barcelona Tickets é a loja oficial de turismo de Barcelona, sendo possível comprar com antecedência os ingressos paras as atrações turísticas que deseja visitar, e já chegar em Barcelona com tudo organizado: entradas e horário marcados.

As atrações e pontos turísticos

Barcelona é uma cidade repleta de atrações e pontos turísticos para serem visitados. De início, aceite o fato que não dá para “zerar a cidade” com apenas uma visita, sendo necessário fazer escolhas estratégicas.

Nosso objetivo foi visitar o maior número de atrações possíveis dentro dos 3 dias inteiros que dispúnhamos. Não foi missão simples, pois intercalando com uma visita e outra, tínhamos as reservas nos restaurantes (que mencionei no tópico “onde comer”).

Conseguimos visitar o que classificamos como essencial e ainda foi possível incluir alguns passeios extras!

Seguem aqui breves descrições sobre os principais pontos turísticos e atividades preferidas dos turistas em Barcelona (escolha as suas preferidas):

As obras de Antoni Gaudí

Ninguém nega que o arquiteto Gaudí, nome supremo do movimento modernista, foi o principal responsável por fazer com que Barcelona se tornasse uma das cidades com as mais belas construções arquitetônicas do mundo, certo?

Barcelona “respira” as obras de Antoni Gaudí. Então a dica é clara: visite todas as obras que o arquiteto Catalão criou, inspirou, influenciou…

Ênfase para:

A Sagrada Família

Sagrada Família, é a igreja mais bela que já conheci. Foi a última obra de Gaudí, que trabalhou nela por mais de 40 anos (os últimos 15 anos de sua vida foram dedicados exclusivamente a ela), mas até hoje está inacabada, com previsão de conclusão em 2026.

Frente da mais bela igreja já vista e uma das ruelas charmosas da redondeza

Se queres entrar na Sagrada Família (algo que indico fortemente) ideal é comprar o ingresso com antecedência, pois é mais barato do que o comprado na hora. Além disso, a visita funciona com horário marcado (ingressos online custam a partir de 25 euros).

Fizemos a visita simples, mas fica ao seu critério na hora da compra incluir ou não alguma das opções extras oferecida, inclusive a subida nas torres ou visita ao museu.

Na minha opinião, nada se compara ao exterior da igreja, pois é “irreal”. Estive lá, tirei fotos, cheguei perto, mas até agora tenho dúvidas sobre estar sonhando ou não.

Nunca vi tamanha riqueza de detalhes numa construção, sobretudo daquele tamanho. Ganhou o título de obra prima mais incrível que já vi na vida até hoje.

Sagrada Família: o grande “símbolo” de Barcelona

O interior também é maravilhoso. Embora nada se compare ao seu exterior (na minha opinião), tem que entrar, tem que conhecer, pois seus vitrais, pilares e curvas são um deleite aos olhos.

Além da beleza, visitar o interior de cada uma das obras de Gaudí é aprender mais sobre sua vida, história, inspirações e marcas registradas, o que é absolutamente enriquecedor. Impossível visitar suas obras e não sair de Barcelona se sentindo uma pessoa mais culta!

Casa Battlò

A casa Battlò (o término da restauração está previsto para o próximo verão, isto é, meados de 2019) foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 2005.

Para mim, após a Sagrada Família, é a obra com a mais bela fachada de Gaudí. Uma pena não ter conseguido vê-la em razão da restauração.

As entradas custam a partir de 25 euros (valor em 2019) e podem ser adquiridas na hora ou online.

Interior da bela Casa Battlò
Visita interativa com áudio em português

Obs. Ao lado da Casa Battló está a Casa Amatller, que não é obra de Antoni Gaudí, mas também tem uma fachada linda, projetada por Cadafalch. Fizemos a visita interna para conhecer seus cômodos e aprender um pouco sobre a história da família que lá residiu.

A visita é guiada ou auto-guiada. Você pode comprar o ingresso na hora (19 ou 24 euros, a depender da forma de visita), mas precisará aguardar até o próximo grupo (horários são pré-estabelecidos).

Casa Amatller
A visita é guiada e interativa

Casa Milà ou La Pedrera

A casa Milà ou La Pedrera (a única não-colorida da lista, mas igualmente bela e interessante) foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1984.

As formas onduladas da obra lembram os movimentos do mar (ondas). Destaque também para o terraço, com chaminés de ventilação de formas abstratas que parecem “guerreiros com capacete”.

As entradas custam 25 euros (valor em 2019) e podem ser adquiridas na hora.

La Pedrera
Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 1984.

Parc Güell

O Parc Güell, o mais famoso e reconhecido “mal-sucedido” empreendimento do qual já ouvi falar, que foi inicialmente construído para ser um condomínio residencial de luxo, mas as vendas não tiveram sucesso. Dentro do Parc, que virou uma área de lazer com jardins e cores, está a Casa Museu Gaudí, casa onde Gaudí viveu entre 1906 e 1925 e hoje funciona como museu.

Considerando que o parque fica afastado das outras atrações do chamado “circuito Gaudí”, para não correr o risco de chegar até lá e perder a viagem, recomendo comprar o ingresso de entrada online, pois funciona com hora marcada (o ingresso custa 8,50 euros – valor em 2019).

O ingresso para entrar na Casa Museu Gaudí custa 5,50 euros por pessoa, podendo ser comprado na hora.

Não comprar ingresso para o parque, garante acesso a algumas áreas, mas não à Zona Monumental, que é a parte principal, justamente aquela que aparece de montão nas galerias do Instagram.

Parc Güel

Não poderia deixar de entrar, pois tinha desejo real de conhecê-lo desde quando vi pela primeira vez uma foto do Parc Güell no Instagram e fui correndo na legenda para saber onde era aquele lugar que parecia ter saído da história de “João e Maria”.

O lugar, por óbvio, é bem cheio. Se quiser fugir da multidão, melhor ir cedo, logo nos primeiros horários de visitação. O problema é que, pela manhã, a posição do sol atrapalha a qualidade das fotos.

Gaudí, o expoente máximo do modernismo, era um amante da natureza, que buscava nela toda sua inspiração para criar suas obras. Cores, formas, desenhos… Tudo tinha como fonte a própria natureza, do movimento das ondas do mar aos detalhes de uma colmeia de abelhas!

O uso constante das curvas e a ausência de ângulos retos também marcam as obras arquitetônicas de Gaudí. Ao visita-las você será automaticamente transportado ao “mundo mágico de Gaudí” e por minutos se pegará pensando se aquilo tudo diante dos seus olhos é realmente real, tamanha perfeição!

Passear por Las Ramblas

Rambla é o nome que se dá ao “estilo de rua” que tem uma passarela para pedestres no meio (geralmente os restaurantes colocam suas mesas nessa parte central). Assim, não há apenas uma, mas diversas ramblas em Barcelona.

Cafés, pastelarias (que se assemelham às nossas tradicionais padarias ou confeitarias), restaurantes, bares de tapas… Tudo isso você encontra na rambla.

É bem turístico e movimentado, mas não deixa de ser um must go em Barcelona. Eu curti caminhar por ali e parar em um dos bares de tapas para papear com nossos amigos Rodrigo e Isabelle do @eurotripblog.

Os mercados gastronômicos

O mais famoso deles é a Boquería, localizado nas Ramblas.

Outros dois que se destacam são: é Santa Caterina (para comprar produtos frescos – portanto, fará mais sentido se você tiver onde cozinhar) e o Princesa (mercado de tapas).

Mas o que eu visitei e indico para jantar é o mercado gastronômico chiquetozo El Nacional, todo estiloso e com restaurantes e bares mega convidativos.

Passear por Montjuic

Montjuic é a colina localizada na zona sudoeste da cidade, de onde se tem uma linda vista da cidade e para o Monte Tibidabo, além de algumas atrações interessantes. A mais popular delas é o show das águas que acontece nas noites de final de semana (com horários variados conforme a estação do ano).

Bem na frente das fontes – chamada de Fonte Mágica – onde ocorre o show das águas e num palácio bastante imponente, está o Museu Nacional de Arte da Catalunha (MNAC), um museu grande e eclético com um belo acervo de Arte Moderna, focado no trabalho de artistas da Catalunha entre o final do século XIX e início do século XX.

Outro ponto de interesse em Montjuic é a Fundação Joan Miró, constituída por Miró no ano de 1975, onde estão muitas de suas telas e esculturas.

Mais uma atração a ser aqui destacada é o Jardim Botânico de Barcelona. De lá é possível pegar o teleférico para o Castelo de Montjuic, situado no topo da colina.

Passamos também pelo Complexo Olímpico, que sediou os jogos de 1992.

Montjuic

Perder-se no Bairro Gótico

Só para frisar a importância do Bairro Gótico (faz parte da “Cidade Velha” ou “Ciutat Vella”) na história de Barcelona, cerca de 500 construções da área são tombadas. Destaque para a Catedral de Barcelona.

Basta caminhar por entre suas ruelas para notar como o Barri Gòtic se contrasta com o moderno bairro do Eixample.

Trata-se de um delicioso bairro para “se perder”, visto que nele há muitas ruas exclusivas para pedestres.

Neste bairro está também o Museu Picasso.

Uma boa sugestão é finalizar o passeio caminhando um pouco pelo Parc de la Ciutadella, até chegar no o Arc de Triomf, construído em 1888 para a Exposição Mundial em Barcelona.

Arc de Triomf e Parc de la Ciutadella

Barceloneta

Vai visitar Barcelona no verão? Então ir a praia não pode faltar no seu roteiro.

Vai visitar Barcelona no outono (como eu) ou inverno? Então Barceloneta também merece sua visita.

Barceloneta, embora seja a praia mais conhecida de Barcelona, não se limita a isso, pois se trata de um bairro bem gostoso para ser visitado. Claro que, no verão (quando o topless é comum por lá), o agito típico torna o lugar ainda mais convidativo, mas nem por isso deixará de te agradar se estiver friozinho.

Se tiver mais tempo…

Com mais tempo sugiro incluir o Palácio da Música Catalã, do arquiteto modernista Domènech i Montaner.

O Hospital de la Santa Creu i Sant Pau, que concentra um conjunto de edifícios modernistas, declarado Patrimônio Mundial da Humanidade.

Com crianças vale a pena passar no Aquàrium (oceanário de Barcelona – valor da entrada: 20 euros) e no Parc d’Atraccionis del Tibidabo (o parque de diversões localizado na montanha do Tibidabo).

Aquàrium de Barcelona

Por fim, não por questão de tempo, mas sim por questão de prioridade (pois eu sei que para alguns será o primeiro lugar a ser visitado), o Camp Nou, estádio do FC Barcelona.

Sobre o Camp Nou, indico como leitura o post da Fabi do Blog Viagens e Vivências, pois está mega completo.

Sugestões de roteiros

Para se encontrar com facilidade, trace antes a rota usando o Google.maps ou algum aplicativo de sua preferência (a exemplo do maps.me). Com internet no seu celular, mais fácil ainda: pode ir organizando o roteiro na hora.

Passeig de Gràcia + Sagrada Família

Eis a avenida mais famosa de Barcelona, onde o luxo e o modernismo são marca registada. Fica no bairro de Eixample, com início na Plaça Catalunya até o bairro de Gràcia.

No auge do movimento modernista, Eixample foi o bairro da classe alta, que disputavam entre si quem tinha a casa mais bonita.

Hoje, entre as casas espetaculares que caracterizam Barcelona, lojas de grife e hotéis de luxo se fazem presente em Passeig de Gràcia.

  • Casa Fuster: última obra do arquiteto modernista Domènech i Montaner, construída em estilo neogótico com traços modernistas entre 1908 e 1911. A obra foi um presente de Mariano Fuster para sua esposa Consol Fabra. Hoje se trata de um hotel de luxo da cidade: o hotel Casa Fuster.
  • La Pedrera, de Antoni Gaudí (cuja descrição já foi assunto aqui no post, quando falei sobre as expoentes obras de Gaudí).
  • Casa Lléo Morera, de Domènech i Montaner.
  • Casa Amatller, de Puig i Cadafalch.
  • Casa Batlló, de Antoni Gaudí (cuja descrição já foi assunto aqui no post, quando falei sobre as expoentes obras de Gaudí).
  • El Nacional, o mercado gastronômico com mais de 2.500 metros quadrados, composto por 4 restaurantes e 4 bares.

As outras duas grandes obras de Gaudí que não foram contempladas no roteiro são: Sagrada Família e Parc Güel, cujas descrições já foram assunto aqui no post, quando falei sobre as expoentes obras de Gaudí.

A Sagrada Família pode ser incluída no mesmo dia do roteiro de Passeig de Gràcia, dada a proximidade.

Com tempo e disposição, caminhe até o Hospital de Sant Pau, uma incrível “cidade modernista”, com prédios, ruas e jardins, projetada por Domènech. O hospitsal foi declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1997. A visita é paga e os valores podem ser conferidos aqui.

Se você adora as obras do modernismo, eis aqui outros pontos de interesse que podem ser visitados por você no bairro Eixample:

Casa Macaya, Casa Terrades, Casa Comalat, Palau Baró de Quadras, Palau Montaner, Mercat de la Concepció, Esgledia de la Concepció, Fundació Antoni Tapiès, Casa Calvet.

Parc Güel + Gràcia

Nesse roteiro, após visita ao Parc Güel (cuja descrição já foi assunto aqui no post, quando falei sobre as expoentes obras de Gaudí), siga para o bairro de Gràcia e conheça:

  • Cases Ramos, uma construção modernista do arquiteto Jaume Torres i Grau, repleta de detalhes e ferro forjado em sua fachada.
  • Casa Vicens, que foi a primeira obra importante de Gaudí, construída entre 1883 e 1888. A obra é marcada pelos detalhes em azulejo e pedra e a inspiração surgiu das flores que ocupavam o terreno. A Casa Vicens também foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 2005.
  • Plaça del Diamant que aparece num romance escrito por Mercè Rodoreda, sobre a vida de La Colometa (na praça tem uma estátua da personagem).
  • Plaça de la Virreina, onde está a igreja paroquial de Sant Joan de Gràcia, datada de 1884.
  • Plaça de la Revolució, que se refere à Revolução Gloriosa do século XIX.

Bairro Gótico + Las Ramblas

Roteiro destinado a conhecer a Cidade Antiga (coração de Barcelona – onde a cidade surgiu), desde o período em que fazia parte do Império Romano, passando pela Idade Média, ocupação napoleônica, modernismo, guerra civil espanhola até os dias atuais.

O roteiro vai interessar quem curte história e gosta de caminhar. Tem duração de meio período.

  • Comece na Plaça Catalunya e pegue a rua à direita do Hard Rock Café, no final da rua vire à esquerda até encontrar a Paróquia de Santa Anna, construída entre os séculos XII e XIII, em estilo gótico.
  • Vá até o Portal de l’Angel, que é um dos principais acessos ao Barri Gòtic, além de ser uma rua cheia de lojas legais e prédios no estilo Beaux Arts.
  • Conheça a Casa Martí, um prédio neogótico do arquiteto modernista Puig i Cadafalch, construído entre os anos 1895 e 1896. Ali funciona um restaurante que mantém a mobília medieval, que no passado foi lugar frequentado por grandes artistas e intelectuais da cidade.
  • Passeie pela Plaça Vila de Madrid, que foi construída pela homenagear a cidade de Madri. Na praça você verá ruínas romanas que remetem à uma estrada que ligava a antiga Barcelona até a região de Sarrià.
  • Antes de chegar até Las Ramblas, passe pela fonte de la Portaferrista, que era uma das portas da muralha que rodeava a cidade antiga e foi derrubada no século XVIII.
  • Prove uma iguaria em uma das granjas do carrer Petrixol – La Pallaresa ou Dulcineia, que se tratam de uma espécie de confeitaria onde são vendidos quitutes derivados de leite. Trata-se de algo bem tradicional para se fazer em termos de experiência gastronômica no bairro (prove os churros com chocolate quente ou os melindros, que são uma variação do pão de ló).
  • Conheça a Plaça del Pi e Sant Maria del Pi, igreja construída entre os séculos XIV e XVI, em estilo gótico (lembra a Notre Dame, em Paris). A entrada na igreja é paga.
  • Passe pela Plaça Nova e vá até a Plaça da Seu, de onde se tem a melhor vista da fachada da Catedral de Barcelona, que pertence ao período neogótico. A entrada na Catedral é gratuita em alguns dias e horários específicos, caso contrário, paga-se ingresso (confira aqui).
  • Visite a Plaça de Sant Felip Neri, onde está a igreja barroca com o mesmo nome. Gaudí assistia missas nessa igreja e no dia de sua morte, quando foi atropelado por um bonde elétrico, estava a caminho da missa.
  • Caminhe até o Templo de Augusto, construído para cultuar César Augusto no século I a.C.
  • Plaça del Rei e Plaça Sant Jaume. Na primeira está o prédio Palau Reial Major, onde moraram os condes da Catalunha até o século XV e a capela real de Santa Ágata, construída no alto da antiga muralha romana. A Plaça Sant Jaume concentra o poder político de Barcelona – representado pelo Ajuntament de Barcelona (prefeitura) e pelo Palau de la Generalitat (palácio do governo).
  • Basílics dels Sants Màrtirs Just i Pastor (construídsa em 1342) e Pati Llimona, com ruínas de parte da antiga muralha romana e dos banhos públicos existente em Barcino (nome de Barcelona durante o Império Romano).
  • Finalize na Plaça Reial, praça mais famosa do Barri Gòtic. Nela encontrará duas luminárias que foram uma das primeiras obras de Gaudí.
  • Se quiser estender: Las Ramblas está do lado.

Estendendo até Las Ramblas:

Las Ramblas se trata da avenida mais popular de Barcelona e tem pouco menos de 1 quilômetro de comprimento. Começa na Plaça de Catalunya e vai até o Port Vell, que é o mais antigo porto de Barcelona.

Pontos de interesse: Font de Canaletes, Reial Acadèmia de Ciències i Arts (prédio modernista construído pelo arquiteto Josep Domènech i Estapà), Granja Viader (a mais antiga granja da cidade), Mercat de la Boqueria (mercado municipal mais antigo de Barcelona – 1840), Casa Figueras (onde hoje funciona a Pastelería Escribà), Pla de l’Os (mosaico no chão projetado por Joan Miró), Casa Bruno Cuadros (obra modernista com toques orientais), Café de l’Ópera (chocolateria em estilo vienense), Gran Teatre del Liceu (onde há apresentação de ópera, música e dança), Palau Güell (um dos principais prédios modernistas de todo o mundo, projetado por Gaudí, antes da fama)

Sugestão de sorveteria em Las Ramblas: Rocambolesc, famosa por seus sabores e toppings inusitados.

Parc de la Ciutadella e El Born

  • Comece pelo Arc de Triomf – monumento modernista construído para ser a porta de entrada da Exposição Universal de 1888, simbolizando a porta de entrada da cidade para a modernidade.
  • Após passar pelo Arc, caminhe por Passeig de Lluís Companys. Atravessando a rua já estará no Parc de la Ciutadella.
  • Ao entrar no Parc, vai ver à direita o Castell dels Tres Dragons, construído pelo arquiteto modernista Lluís Domènech i Montaner, marcado pelo uso do ferro e tijolo à vista.
  • Outro ponto de interesse dentro do Parc é a fonte monumental de El carro de l’Aurora com a ajuda do, então jovem, Antoni Gaudí.
  • A próxima sugestão é o Mercat del Born, construído em 1878, onde hoje funciona o El Born Centre de Cultura i Memòria (em virtude de ruínas e objetos arqueológicos encontrados no local). O acesso ao seu interior é pago.
  • Santa Maria del Mar – uma das mais bonitas de Barcelona, embora seja bastante simples.
  • Sugestão para refeição: Mercat Princesa – espaço culinário (gourmet) inaugurado em 2013, que tem como prédio sede um palácio do século XIV.
  • Finalize o roteiro no Palau de la Música Catalana, do arquiteto modernista Lluís Domènech i Montaner, construído entre 1905 e 1908. O Palau foi declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1997.

La Barceloneta

Esse é um roteiro ideal para os meses mais quentes, mas, nem por isso, deixa de ser interessante para os meses de outono e inverno, com a ressalva da praia, claro.

  • Se gosta de visitar os mercados da cidade, comece pelo Mercat de la Barceloneta, que se destaca pelas bancas de pescados.
  • Praia de La Barceloneta, praia de Sant Miquel e praia de Sebastià.
  • Port Olímpic, área construída pela os jogos olímpicos de 1992 e hoje tomada pelo lazer, repleta de bares e restaurantes.

Dica final: as cidades europeias, como um todo, estão sofrendo muito com uma onda de furtos. Barcelona está nessa lista e a quantidade de pessoas furtadas nas ruas, restaurantes e transportes públicos é grande. Tenha cuidado com seus objetos, mantenha-se sempre atento, não deixe seus pertences fora de sua vigilância! Cuidado para não ser mais uma vítima desse delitos.

Você gosta das minhas dicas? Então aproveita e segue também o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real!
Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.
Sempre que você faz alguma reserva ou adquire algum produto/serviço utilizando um link aqui do blog, eu ganho uma pequena comissão do site. Você não paga nada a mais por isso e ainda me ajuda a manter o Mala de Viagem atualizado e sempre cheio de novidades!

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas baratas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

Salve esse post no Pinterest:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!