Adelboden

Adelboden: a vila alpina ainda não explorada pelos turistas brasileiros

Pinterest LinkedIn Tumblr

Decidir o que incluir num roteiro de viagem pela Suíça não é tarefa fácil. O país é pequeno em extensão territorial, mas extremamente turístico: tudo na Suíça é turístico! Depois de muito pesquisar, a vila alpina de Adelboden entrou no meu roteiro. Descubra agora o motivo:

Como eu expliquei no post completo que fiz sobre Lucerna, que pertence à parte alemã da Suíça, essa região representa muito bem o que é a Suíça.

Como nessa minha primeira visita ao país o roteiro era bastante limitado, com apenas 6 dias dias completos de viagem, o mais inteligente a se fazer foi focar em uma região, poupando tempo com deslocamentos maiores.

Além disso, quando eu visitar a Suíça pela segunda vez, poderei voltar meu roteiro para outra parte do país.

Quem, assim como eu, opta por organizar um roteiro pela parte central da Suíça, tem como sugestão incluir as seguintes cidades: Zurique (uma das principais portas de entrada no país), Lucerna, Interlaken, Lauterbrunnen, Grindewald, Adelboden, St. Moritz, Gstaad, Zermatt, dentre outras.

Escolher Lucerna como primeira cidade base foi muito fácil. Mas escolher qual seria a segunda cidade base foi cansativo, porque tudo me pareceu muito convidativo e isso me deixou com muitas dúvidas.

Precisei usar a tática da eliminação: Lauterbrunnen, a cidade das cachoeiras, pareceu-me mais agradável no verão. Zermatt e St. Moritz (a vila alpina mais falada na temporada de neve de 2022) são vilarejos “car free”, então como estaríamos viajando de carro, não faria tanto sentido para essa viagem. Gstaad foi a vila alpina que menos pesquisei, talvez porque as distâncias dela até os pontos turísticos que eu desejava conhecer fossem maiores.

A dúvida persistia entre Interlaken, Grindewald e Adelboden. E até aqui Adelboden estava em posição de desvantagem, pois era a menos falada dentre as três opções.

E novamente usei mais uma técnica de escolha: procurei as opções de hospedagem em cada uma das vilas/cidades e o hotel que mais me encantou foi o The Cambrian, em Adelboden – um hotel que costumeiramente aparece na lista hotéis mais charmosos da Suíça, sobretudo porque tem vista para os Alpes.

Não posso negar que também há excelentes opções de hospedagem em cada uma das cidades e vilarejos citados, mas analisando o custo benefício, o The Cambrian foi o que mais me convenceu. Além disso, ele estava dentro das necessidades do nosso grupo, composto por 6 adultos e crianças de 2, 5 e 7 anos.

Sobre o The Cambrian:

  • O quarto com vista para os Alpes faz toda a diferença, vale a pena investir nessa modalidade (o outro quarto, com vista para a cidade, é sem graça e, obviamente, sem vista, que é o ponto forte do hotel);
  • A piscina externa é pequena, mas atende bem. Particularmente eu gostaria que a água fosse um pouco mais quente, embora eu fosse a única que parecesse não estar absolutamente confortável com a temperatura da água;
  • A piscina interna é fria, o que não faz o menor sentido, mas é a realidade (ou talvez estivesse passando por manutenção ou com o aquecedor quebrado…);
  • As cadeiras internas da área de spa são ótimas para relaxar (com janelas enormes com vista para a montanha);
  • Não é permitido tirar fotos na área do spa e na piscina externa as fotos só são permitidas em horários específicos;
  • O lobby e o bar do hotel são super aconchegantes (tem parte interna e externa), perfeito para um drinque;
  • O café da manhã é muito bom, não tenho do que reclamar (melhor refeição que fiz na Suíça);
  • Os funcionários são bastante prestativos;
  • O hotel é legal, entrega o que promete, mas não é um super hotel de luxo.

Como é Adelboden

Adelboden é um típico vilarejo nos Alpes suíços, situada num vale entre montanhas no cantão de Berna.

É destino certo tanto de férias de inverno como de verão, mas (ainda) é mais procurado pelos próprios locais do que por estrangeiros.

Enquanto Zermatt e St. Moritz atraem o olhar do público estrangeiro, incluindo brasileiros, Adelboden segue tranquila.

Nos meses mais quentes (primavera e verão), Adelboden é destino indicado para quem gosta de fazer trilhas e ver o vilarejo florido, com muita vida. O visitante encontrará mais de 300 km de trilhas demarcadas.

Outono seria a época menos indicada, pois muitos locais fecham. Geralmente outono é o período do ano que os locais usam para tirar férias, então é comum encontrar restaurantes fechados e atividades inoperantes nessa época.

Além disso, é no outono que começam os preparativos para a alta temporada, que se dá no inverno, com a chegada da neve e atividades relacionadas a ela. Então as trilhas demarcadas no verão dão lugar às pistas de esqui.

No site Seguros Promo você pode fazer uma comparação detalhada e fácil dos preços dos seguros ofertados, analisando qual tem o melhor custo benefício para a sua viagem. Contrate AQUI o seu seguro viagem com desconto, utilizando o cupom MALADEVIAGEM5

Adelboden – Março/2022

Quando ir a Adelboden e o que levar na mala?

Depende muito do que você pretende fazer durante sua viagem a Suíça. As quatro estações do ano são bem definidas, então, em se falando de Alpes, temos basicamente 2 estilos de viagens diferentes para um mesmo local, com as variações próprias das estações mais frias e mais quentes.

Para quem quer aproveitar trilhas, caminhadas e passeios de bicicleta, melhor programar a viagem entre os meses de maio a setembro.

Se for essa sua ideia, invista em roupas confortáveis, que sejam adequadas para caminhadas e atividades físicas ao ar livre, incluindo um bom tênis.

Mas a verdade é que a maioria dos turistas que se programa para conhecer os Alpes Suíços, preferem os meses de inverno, justamente para praticar esportes de inverno, como esqui e snowbording, ou simplesmente para apreciar aquela vista clássica quando pensamos na Suíça invernal: altas montanhas cobertas de neve.

Para a prática de esportes de inverno, os meses entre dezembro a fevereiro são os mais indicados, pois a qualidade da neve está melhor.

Se o objetivo é sim ver neve, mas não necessariamente “ver neve caindo”, considere março uma boa opção também. Em março o vilarejo de Adelboden não estará mais nevado, porém, ainda estará bastante frio em razão da altitude (com temperatura chegando perto a zero graus ao escurecer) e ainda haverá bastante neve nas montanhas.

Essa foi a etapa mais fria da viagem, então ter as roupas certas na mala fez toda a diferença para que eu conseguisse me manter aquecida e aproveitar bastante meus dias nos Alpes.

Levei na mala as peças da marca brasileira Fiero, especializada em roupas, calçados e acessórios para o inverno, frio e neve. Graças a Fiero me mantive quentinha para caminhar pela Vila de Adelboden, visitar o Lago Blausee e fazer passeios de montanhas, sem passar frio.

Mais de 90% dos produtos da Fiero são produzidos no Brasil, todos com alta qualidadetecnologia e resistência térmica. Pude usar, testar e aprovar os produtos nessa viagem.

Quando a temperatura está negativa ou próxima a zero, é fundamental se vestir em camadas. Algumas pessoas confundem a ideia de se vestir em camadas com “colocar um monte de roupas”.

Na verdade, quando falamos em “vestimenta em camadas”, estamos falando da roupas certas, que devem ser vestidas numa ordem exata, a fim de garantir o aquecimento do corpo. Cada camada exerce uma função diferente e, no final, é exatamente isso que vai garantir o seu conforto.

A primeira camada é a camada de contato direto com a pele. Pode uma baselayer ou simplesmente segunda pele térmica. A modelagem precisa ser mais coladinha ao corpo, pois é justamente esse contato que consegue manter o nosso corpo aquecido e seco, mesmo durante a prática de alguma atividade física, visto que a roupa tecnológica consegue transportar o suor para fora do corpo e secar depressa.

A segunda pele térmica deve ser usada tanto na parte superior (blusa), quanto na parte inferior (calça) do corpo.

Sempre por baixo de toda e qualquer roupa, eu usei as seguintes peças da Fiero:

As roupas térmicas são peças justas ao corpo e com secagem rápida (justamente porque não pode deixar o suor preso ao corpo). O fato dessas peças terem rápida secagem, permitia que eu as lavasse antes e dormir e na manhã seguinte já pudesse usar novamente, visto que já estavam secas.

Por cima da calça térmica coloquei a calça legging em cirrê também da marca Fiero, que além de modelar muito bem o corpo, é toda forrada com tecido fleece. Uma peça ideal para ter no guarda-roupa e levar nas viagens de inverno (não ocupa muito espaço e é bem quentinha).

Na parte de cima do corpo, como segunda camada térmica, que precisa ter uma modelagem mais solta (o ar quente precisa circular nesse espaço), com tecido peluciado (fleece), que garante o aquecimento e, ao mesmo tempo, a evaporação do suor, optei pelo Fleece Michigan, da marca Fiero.

Se não estivesse tão frio, somente a segunda pele térmica + o Fleece Michigan já seria o bastante, porém, como os passeios incluíam neve e muita altitude, completei o look usando a Jaqueta impermeável Aconcagua, que considero uma peça coringa para viagens de frio médio ou de frio intenso.

Na viagem de frio intenso, o ideal é fazer como eu fiz: segunda pele térmica + fleece + jaqueta impermeável. Já na viagem de frio leve ou médio, você consegue usar uma blusa leve por baixo (não térmica) e a jaqueta por cima.

A Jaqueta impermeável Aconcagua é excelente para viagens, pois ao mesmo tempo que é quente e possui a tecnologia necessária para manter nosso corpo aquecido, não é uma peça muito volumosa, cabendo até mesmo numa mochila de tamanho padrão (eu sei como casacos grandes e volumosos podem dar trabalho na hora de empacotar/fazer a mala).

Além da excelente qualidade, a vantagem de comprar suas peças de inverno na Fiero é a possibilidade de escolher tudo na loja virtual, com entrega disponível para todo Brasil, possibilidade de troca e cancelamento dentro do prazo legal.

Como chegar

Partindo de Lucerna, Zurique, Berna ou de outra grande cidade, basta pegar um trem até Frutigen, que é a estação de trem mais próxima de Adelboden.

Depois pegue o ônibus nr. 230, chamado Adelboden e desça na estação final, de nome Adelboden Post. Essa estação fica praticamente na frente do hotel The Cambrian.

Também se chega facilmente de carro e, sem maiores delongas, é só colocar o endereço no Waze (por isso é importante sempre ter celular com internet disponível).

Leitor do blog MV tem 20% na aquisição do chip de celular SimPremium ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aqui para pedir o seu! É esse o chip que eu uso em todas as minhas viagens.

Adelboden é uma Vila Alpina, o que implica em dizer que está situada no alto de uma montanha. A estrada até lá é tranquila e bem sinalizadas, mas no inverno intenso (dezembro/janeiro até meados de fevereiro) é necessário analisar a condição da estrada em relação à neve e incluir acessórios de segurança no carro, como correntes ou taxinhas de segurança.

Como minha viagem aconteceu no início de março, já não estava mais nevando e as estradas sem neve/gelo.

O que fazer em Adelboden

Bom, a primeira resposta necessária é: as atividades em Adelboden variam conforme a época do ano.

Como dito, com as quatro estações bem definidas, as atrações são diferentes conforme o mês escolhido.

Lembre-se que estamos falando de um pequeno vilarejo nos Alpes suíços, com poucos moradores. Então não espere uma cidade para ser desbravada, mas sim uma pequena região com atividades que incluem atividades físicas.

Claro que se você quer apenas curtir suas férias relaxando no hotel, Adelboden lhe atende bem, mas é preciso dosar a quantidade de dias no vilarejo para não enjoar.

Também não recomendo passar mais de 3 noites por lá, pois cada vez que você desejar ir para outro destino, terá que dirigir ou pegar ônibus para descer a montanha.

Como toda pequena cidade, é na avenida principal que estão concentradas as lojas, os restaurantes e supermercados.

Quem vai no inverno e pretende esquiar, já sabe que ali mesmo, nessa avenida principal, encontrará as lojas para aluguel dos equipamentos de esqui ou outro esporte de inverno.

A cidade é fofa, mas quem visita Adelboden geralmente tem em mente alguma atividade como hiking ou esqui, conforme a época da visita.

Além disso, é importante ressaltar que a rede hoteleira não decepciona (isso é um padrão na Suíça) e atualmente o hotel de destaque são os hotéis The Cambrian e o Bellevue Park, que têm piscina externa (aquecida) com vista para as montanhas.

A terceira sugestão de hotel (abaixo do padrão dos dois anteriores, mas também considerado um bom hotel) é o Bristol.

Quanto ao padrão de estrelas dos hotéis suíços, há de se considerar que um padrão 3 estrelas na Suíça, facilmente corresponde a um hotel 4 estrelas em outros países do mundo.

Onde comer em Adelboden

Apesar de ser um pequeno vilarejo alpino, Adelboden não deixa a desejar no quesito “restaurantes”.

Após as experiências da viagem, não posso dizer que considerei a Suíça um bom país no quesito gastronômico (pelo menos considerando essa parte alemã da Suíça), mas não digo isso com a intenção de te desanimar, apenas para alertar em relação às expectativas… Eu imaginava uma coisa completamente diferente quando pensava em chocolate quente suíço, fondue suíço e reclette (pratos que obviamente eu já havia experimentado em outros lugares e imaginei que na Suíça fossem muito melhores, mas não – obs. lembrando que isso é um relato pessoal, apenas uma opinião).

Para comer um bom fondue de carne com acompanhamentos, a sugestão é o restaurante do Hotel Bären. Tentei reserva, mas já estavam lotados. Talvez lá a experiência do fondue tivesse sido boa, visto que encontraria a opção de carne como acompanhamento.

Para um happy hour, as opinões se convergem indicando o bar do hotel The Cambrian. O ambiente é lindo, aconchegante, sofisticado na medida!

Quem deseja provar comida típica, tem o Restaurante Adler e o Ristorante Alfredo para quem está afim de comida italiana e pizza (tentei reserva no Alfredo, mas também estavam lotado para todo o final de semana). O restaurante Kreuz também segue a linha do prato típico, com destaque para os filés.

Outras opções são: Brasserie 3715, Alte Taverne e restaurante do Hotel Adler – o primeiro mais sofisticados que os outros dois.

Provamos o fondue do restaurante Alte Taverne (valor do fondue: 36 CHF por pessoa), mas recomendo apenas se você não se importa em comer fondue sem carne como acompanhamento (o que é bem comum na Suíça). Os acompanhamentos eram: batata, pão e legumes em conserva.

Para um menu degustação, com 14 pontos no Gault&Millau, a experiência fica por conta do Restaurante Belle Vue do Bellevue Park Hotel, com um menu de 7 etapas que promete agradar os paladares mais exigentes. Como as experiências gastronômicas não estavam sendo satisfatórias no país, fiquei com receio de investir nessa opção, talvez tivesse me surpreendido…

Se você quiser uma refeição sofisticada, mas não necessariamente em estilo menu degustação, a sugestão é o Schonbuhl, restaurante de culinária suíça e internacional, também com 14 pontos no Gault&Millau. Há opção de menu com três etapas (entrada, prato principal e sobremesa) ou pratos à la carte.

E quando eu digo que, no quesito gastronômico, a Suíça (parte alemã) não encantou, falo com base nas minhas experiências visitando outros países e, claro, pautado no meu paladar, que é muda completamente de pessoa pra pessoa.

É sempre necessário reservar os restaurantes com antecedência, principalmente se a sua passagem por Adelboden coincidir com algum feriado ou final de semana.

As montanhas

O lift/teleférico de Adelboden é o Tschentenalp (são 3 bondinhos coloridos, vermelho, azul e amarelo), que funciona tanto no inverno como no verão. O valor para subir a montanha de Adelboden é 19 CHF (referência: março/22) – esse já é um valor com desconto, que é dado aos visitantes que estão hospedados na vila.

Subindo a montanha tem opções de trilhas de caminhada, pistas de esqui, trenó e uma cafeteria simples. A montanha é pequena, mas dá para esquiar se você quiser (tem que alugar os equipamentos na vila).

Outro passeio na região é a montanha Unter Dem Birg e sua gôndola Engstligenalp, com mais atividades: antes de ir ao topo da montanha, principalmente no verão, vale a pena caminhar por cerca de 20/30 minutos até a segunda maior cachoeira da Suíça – Engstligen-Wasserfalle.

Se for inverno e se você não estiver com disposição para fazer a trilha que leva à cachoeira, ao chegar na base do Unter Dem Birg, pegue a gôndola Engstligenalp (que custa CHF 22 – ida e volta) e suba ao topo. Lá tem várias pistas de esqui para iniciantes.

No topo da montanha tem um restaurante dentro de um iglu (aberto entre 13/12 a 05/0), onde você pode comer um típico fondue de queijo (CHF39 por pessoa). Precisa reservar com antecedência.

Bate-volta a partir de Adelboden

O bate-volta clássico a partir de Adelboden é ao lago Blausee e ao lago Oeschinensee, sendo possível ir de carro ou transporte público (ônibus nr. 230, saindo da estação de Adelboden – custa 26 CHF por pessoa ou incluído no Swiss Travel Pass*). Os lagos ficam em Kanderteg.

O lago Blausee (o ônibus para na frente) é lindo tanto no verão quanto no inverno, pois o que chama atenção é a cor da água. No inverno o branco da neve se contrasta com o azul da água e, no verão, a vegetação que emoldura o lago garante uma vista igualmente inesquecível.

Esse lago parece ter mesmo saído de um conto de fadas e, acredite, as fotos lá ficam tão lindas que praticamente não precisam de edição.

Além da beleza, você vai notar que no fundo do lago tem a estátua de uma mulher. Diz a lenda que a estátua foi feita em homenagem à memória de uma mulher que se encontrava com seu amado no lago todos os dias e, após o falecimento dele, ainda assim ela continuou indo ao local diariamente para chorar sua perda, até o dia em que foi encontrada morta no fundo do lago… Não gostei da história, mas tudo bem… A parte da lenda vem a seguir: a água do lago ficou nessa tonalidade de azul por conta das lágrimas da mulher.

Lago Blausee e a estátua da mulher no fundo

Já o lago Oeschinensee, a 1.600m de altitude, fica congelado no inverno, e vira uma pista de patinação no gelo. No verão esse lago fica mais bonito, mas ainda arrisco dizer que no inverno também vale a visita, seja pela pista de gelo que se forma, seja pela paisagem montanhosa coberta de neve em seus entornos.

Lago Oeschinensee

Para quem vai no inverno e quer esquiar nessa região, Grindelwald não pode deixar de ser visitada, mesmo que num bate-volta a partir de Adelboden. A cidade de Grindelwald oferece atrativos tanto para quem pratica esportes de inverno quanto para quem quer apenas passear. Trata-se de uma charmosa Vila Alpina na região de Jungfrau, próximo a Interlaken, quase nos pés da montanha Eiger. Se Zermatt é considerada a Vila Alpina mais famosa do cantão de Valais, Grindelwald é a mais famosa da região de Interlaken.

A montanha principal em Grindelwald é Grindelwald-First. Lá no topo as atividades comuns são: esquiar, caminhar por algumas pistas, descer de trenó (nessa região fica, inclusive, uma das pistas mais longas de trenó da Suíça e do mundo, com cerca de 15km) ou mesmo fazer uma pausa para almoço no restaurante. Mas a atração principal é caminhar pelo First Cliffwalk by Tissot, uma passarela suspensa talhada na rocha, cujo percurso é circular e leva cerca de 15min.

Com tempo, passe uns dias em Grindelwald (lembra da minha indecisão que contei lá no início do post), que tem ótima estrutura de hotéis, restaurantes e atrações durante o ano todo, além de ser a porta de entrada para a subida até o complexo turístico de Jungfraujoch, o topo da Europa.

*Sugestão de hotéis em Grindelwald, caso você opte por pernoitar por lá: Hotel Spinne Grindelwald, Romantik Hotel Schweizerhof, Bergwelt Grindelwald – Alpine Design Resort.

Existe mais um “combo” legal para se fazer um bate-volta a partir de Adelboden. E foi essa a nossa escolha:

  • Lauterbrunnen: vila no vale das 72 cachoeiras
  • Wengen: fica acima de Lauterbrunnen, com acesso via trem (15 minutos). Vilarejo sem carros.
  • Gimmelwald: fica acima de Lauterbrunnen e aos pés da montanha Schilthorn. Vilarejo sem carros.
  • Mürren: fica acima de Lauterbrunnen e aos pés da montanha Schilthorn. Vilarejo sem carros.

Wengen, Gimmelwald e Mürren: vilarejos onde carros não são permitidos. Por lá só transitam carrinhos elétricos. O acesso a esses vilarejos é feito por Cable Car e trem. Essa região também é ótima para a prática de esportes de inverno.

Lauterbrunnen é uma vila localizada no famoso vale das 72 cachoeiras. Uma das cachoeiras mais altas da Europa, chamada Staubbach, fica nesse vale. O boato que rola é que o filme O Senhor dos Anéis (gravado na Nova Zelândia) foi inspirado no Vale de Lauterbrunnen.

Fizemos um passeio de um dia saindo de Adelboden, passando por Interlaken, depois por Lauterbrunnen e Schilthorn 007 (com para em Gimmelwald e Mürren, que são vilarejos que ficam nas paradas dos cable cars). O foco era conhecer a montanha Schilthorn*, então as passagens por Interlaken e Lauterbrunnen foram bem rapidinhas.

*A Schilthorn Piz Gloria é a “Montanha do 007” (filme: A Serviço Secreto de sua Majestade).

Sobre a montanha Schilthorn:

Estávamos de carro e por isso fizemos nosso próprio trajeto, mas quem vai usar o transporte público, de Interlaken até Lauterbrunnen são 35 minutos com o ônibus 311 na estação Interlaken Ost. A partir de Lauterbrunnen é só pegar o ônibus 141 (20 minutos) até a estação da gôndola em Stechelberg, que fica aos pés da montanha Schilthorn.

Para quem vai de carro, é só colocar essa parada – Stechelberg – no Googles Maps ou Waze, pois lá tem um estacionamento.

A segunda opção opção é ir até Lauterbrnnen, de lá pegar um bondinho até Grütschalp e depois um trenzinho até Mürren e, então, os bondinhos. Veja abaixo na tabela que há diferençca de valores para quem chega por Stechelberg e por Mürren, que já é uma das paradas do cable car – ou seja, você pode chegar até Mürren de cable car ou trem.

O trajeto da base até o topo da montanha passa por vários bondinhos. Será necessário fazer as baldeações pelo caminho. A primeira parada é em Gimmelwald, um dos vilarejos no alto da montanha. Em seguida Mürren e depois Birg. A última parada é Piz Gloria – o topo.

Cable car de Stechelberg até Gimmelwald (primeira parada)

Há valores diferentes de ingressos para cada uma das paradas. Preste atenção, pois cada ingresso dá acesso a uma parte diferente da montanha.

Considerando o acesso até o topo (Piz Gloria), a saída pode ser a partir de Stechelberg ou a partir de Mürren e os valores são diferentes:

Bilhete individualStechelberg – SchilthornMürren – Schilthorn
Adultos108 CHF85.60 CHF
Com Swiss Travel Pass54 CHF42.80 CHF
Crianças de 6 a 15 anos54 CHF42.80 CHF

Ter o Swiss Travel Pass acaba sendo muito vantajoso para quem pretende andar de transporte público e visitar os topos das montanhas, visto que os valores dos ingressos são caros e com o STP há bons descontos (no caso do acesso ao topo de Schilthorn – Piz Gloria, o desconto é de 50%).

O acesso até o ponto mais baixo da montanha, chamado Allmendhubel (1.907 metros de altura) custa 36 CHF (referência: março/22). Essa é a parada indicada para quem viaja com crianças e quer descer de trenó ou esquiar nas pistas menores. O acesso até esse ponto é feito de trenzinho, por um outro lugar, dentro do vilarejo de Mürren – ou seja: depois de pegar o cable car de Stechelberg até Gimmelwald e o cable car de Gimmelwald até Mürren, você terá que descer e caminhar pelo vilarejo até o acesso do trenzinho que leva ao primeiro pico:

  1. Cable car de Stechelberg até Gimmelwald
  2. Cable car de Gimmelwald até Mürren (1.638 metros de altura)
  3. Trenzinho do vilarejo de Mürren até o primeiro pico da montanha Schilthorn (indicado para quem viaja com crianças). O trenzinho só pode ser acessado uma vez e o trenó precisa ser alugado no vilarejo de Mürren.

Atrações do pico Allmendhubel: Panorama Restaurant Allmendhubel, Theme Trails, Skyline Chill, Children´s Playground, Flower Park e Flower Trail (as trilhas são atividades de verão).

O acesso ao ponto intermediário da montanha, que se chama Birg (2.677 metros de altura), custa 68 CHF (com STP paga metade). Partindo de Stechelberg, tem que pegar o cable car até Gimmelwald, depois outro cable car até Mürren e o cable car até Birg. Não precisa descer no vilarejo de Mürren, só seguir para o próximo bondinho.

No pico Birg estão as atrações principais da montanha: Skyline Walk e o Thrill Walk. Lá o visitante também encontra um restaurante, o Bistro Birg.

Quem compra acesso ao pico Birg não pode ir até o pico Allmendhubel nem até o pico Piz Gloria.

O acesso ao ponto mais alto da montanha, que se chama Piz Gloria (2.970 metros de altura), custa 108 CHF sem STP ou metade do valor com o STP (vide tabela que coloquei acima) e para chegar até lá o visitante pega novamente o cable car depois do pico Birg, para subir até o Piz Gloria.

Cable Car

No Piz Gloria o visitante encontrará as seguintes atrações: restaurante giratório (atração principal do topo – o brunch no restaurante giratório no topo da montanha custa CHF 35, e é servido até às 14h), Bond World 007, 007 Walk of Fame e o mirante Piz Gloria View.

Quem compra acesso ao pico Piz Gloria, também pode ir ao pico Birg.

Depois de visitar o pico de sua preferência, vale a pena passear pelo vilarejo Mürren e pelo vilarejo Gimmelwald, mas deixei para fazer isso no final, porque a montanha fecha cedo (entre 16 e 17 horas).

Para quem pretende apenas esquiar, essa montanha também oferece uma grande variedade de pistas. Todavia, se o objetivo for esquiar (e não conhecer a montanha e si), recomendo mais o Monte Titlis (falei sobre ele no post de Lucerna), pois o acesso aos cable cars (um meio de transporte onde entram muitas pessoas ao mesmo tempo, como se fosse um elevador gigante) é bem mais chato que as confortáveis gôndolas do Titlis.

Sempre que você faz sua reserva ou adquire um produto/serviço através de um link do MV, o blog recebe uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o Mala de Viagem sempre atualizado!

Hospedagem

Booking.com

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

Author

Wanderlust por natureza, no meu tempo livre estou sempre programando uma nova aventura ou experiência, pois acredito que a melhor viagem é sempre a que está por vir!

1 Comment

  1. Oi, Anna! Amei o post!! Vou pra Adelboden no comecinho de dezembro e não tinha encontrado nada tão completo sobre o vilarejo. Ficarei uma diária no The Cambrian, tô super ansiosa! Em quais horários as fotos externas são permitidas?

Write A Comment

O que levar na mala para uma viagem de inverno Viagem do mês: 10 destinos para viajar em novembro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em outubro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em setembro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em maio Viagem do mês: 10 destinos nacionais para viajar em agosto Paris Museum Pass: descubra se ele vale a pena para a sua viagem Qual a melhor forma de usar metrô em Paris? Ideias de passeios para um roteiro de 5 dias em Paris Viagem do mês: 10 destinos para viajar em julho