EuropaItáliaVerona

Dicas de Verona: o que fazer na cidade de Romeu e Julieta

Verona-dicas-Italia

E hoje chegou a hora de te dar todas as dicas sobre uma das minhas cidades preferidas na Itália: Verona, também conhecida como a cidade de Romeu e Julieta.

Nesse post você encontrará tudo o que precisa saber sobre Verona, como dicas de quando ir, quantos dias e onde ficar, onde comer e o que fazer. Sinta-se à vontade e se apaixone pela cidade do mais famoso romance shakespeariano.

Encantadora e romântica, Verona está localizada na região nordeste da Itália (é uma das sete províncias de Vêneto) e foi declarada patrimônio da humanidade pela UNESCO em razão de sua arquitetura. É uma cidade para ser conhecida a pé, com atenção aos detalhes e construções históricas que enchem os olhos de curiosidade.

Verona reúne características para agradar todos os seus visitantes: muita arte, história e cultura, bons restaurantes e uma gama de lojas para quem não dispensa uma boa comprinha.

A linda e romântica Verona

Como organizar a viagem e incluir Verona no roteiro

Em junho/2019 fiz a minha primeira viagem pela Itália, com duração de 14 dias, desconsiderando tempo de ida e volta.

Meu foco foi organizar um roteiro que incluísse as cidades mais tradicionais do país, pois chegando por Roma, eu teria a oportunidade de passar alguns dias na capital, depois ir até Florença, conhecer outras cidades da Toscana, visitar Cinque Terre, passar por Veneza, Verona e finalizar em Milão, de onde sairia o voo de volta ao Brasil.

Confira aqui o post mais importante da série “Itália”, onde contei todo o planejamento da viagem.

Portanto, o ideal é incluir Verona entre o trajeto Veneza – Milão (ou vice-versa).

Para chegar em Verona a partir de Veneza, eu peguei um trem em Veneza com destino à Estação Porta Nuova em Verona. Essa viagem dura em média 1 hora e meia.

Por estar entre as duas cidades, Verona pode ser facilmente incluída no roteiro, visto que não haverá sequer desvio de rota.

Compartilhe sua experiência: você já conhece Verona? Como foi sua viagem? Conta pra gente no espaço destinado aos comentários ao final desse post!

Da mesma forma, lembre que toda e qualquer dúvida sobre o destino, poderá ser deixada ao final do post, no campo destinado aos comentários. Terei o maior prazer em ajudar com seus questionamentos. 

Castelvecchio em Verona

Documentos: passaporte e seguro

Nunca é demais lembrar que para ingressar na Itália, do brasileiro é exigido passaporte válido (sem necessidade de visto) e seguro viagem obrigatório.

Leia também aqui no MV: Como emitir ou renovar seu passaporte

Quanto ao seguro de viagem obrigatório, ele é consequência do Tratado de Schengen, um acordo firmado entre 26 países europeus, que visa estabelecer a livre circulação dos visitantes nos países participantes. Esse Tratado também estabeleceu a obrigatoriedade da contratação de um seguro viagem no valor mínimo de € 30.000 euros para todos os turistas. O objetivo dessa regra é garantir que o visitante possa pagar as possíveis despesas médicas surgidas durante a viagem, inclusive em caso de óbito.

Os seguintes países participam do Tratado: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria Islândia, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia, Suíça, Liechtenstein, Chipre.

Os únicos países europeus que não participam do Tratado atualmente são: Reino Unido, Irlanda, Croácia, Romênia e Bulgária.

No site do Seguros Promo você pode fazer uma comparação detalhada de maneira rápida e fácil os preços de diferentes de seguros ofertados, analisando qual possui o melhor custo benefício para a sua viagemContrate AQUI seu seguro viagem com desconto utilizando o cupom MALADEVIAGEM5.

Já chegue com internet

Viajar com internet em tempo integral não é apenas um capricho, mas sim uma questão de necessidade.

Muita gente me pergunta se é tranquilo viajar para outro país ainda que você não fale a língua nativa ou pelo menos inglês. E para essa pergunta eu mantenho sempre a mesma resposta: não deixe de viajar porque você não fala outro idioma, mas não viaje sem internet no seu celular.

Pensando no conforto da minha viagem, na segurança de ter tudo ao meu alcance quando precisar, bem como no meu desejo em compartilhar todos os acontecimentos em tempo real com vocês, é que sempre utilizo em minhas viagens o chip de internet da SimPremium.

A SimPremium me envia o chip ainda no Brasil, recebo-o na minha casa e quando desembarco no destino final, já estou conectada. A empresa é parceria do blog MV e me acompanhou também na Itália.

Nessa viagem (14 dias) contratei o plano de 12 gigas e foi o suficiente para todos os dias, utilizando a internet desde a hora que acordei até a hora que dormi, gravando Stories e postando conteúdo o dia todo.

Leitor do blog MV tem 10% na aquisição do chip ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aquipara pedir o seu!

Quando ir a Verona

Em regra, eu prefiro viajar na baixa temporada, pois gosto de lugares mais vazios e preços mais atrativos.

Todavia, depois de pegar outono na Turquia e na Espanha, dessa vez quis conhecer uma Europa diferente do habitual e peguei o início da alta temporada (junho), com temperaturas já elevadas e bastante movimento.

O bom de ir para Itália em junho é que, embora quente, ainda não está tão calor como no final de julho e agosto. Além disso, o dia é longo e o sol se põe entre 8 e 9 horas da noite, o que torna o dia muito produtivo.

Um dia vale por dois. Se tiver pique, você faz o seu dia render absurdamente. As noites são curtas e 6 horas da manhã já está totalmente claro. Se quiser aproveitar bem o dia, é a melhor época para conhecer o país. 

Por outro lado, se você não está disposto a andar debaixo de sol quente e encarar multidões nos pontos turísticos mais famosos, esqueça a alta temporada e encare conhecer o país nos meses mais tranquilos de outono e inverno. 

Os “piores meses” são julho e agosto, tanto em razão do calor intenso, quanto em razão da quantidade de pessoas nas cidades.

Abril, maio e outubro são boas opções: meses fora da temporada, temperaturas amenas (na medida do possível) e lugares menos cheios.

Seja qual for sua escolha, saiba que Verona é uma cidade que pode ser conhecida tranquilamente em qualquer estação do ano.

Arena de Verona

Quantos dias ficar em Verona

Tem gente que faz um pit-stop a partir de Veneza ou Milão, passando por Verona por poucas horas.

Eu acho que Verona merece mais do que uma tarde ou uma manhã. Na verdade, foi uma das cidades que mais me agradou e se eu fosse escolher uma cidade italiana para morar, Verona estaria no topo da lista.

Reservei 1 dia, ou melhor, exatamente 24 horas para conhecer Verona. Acho que foi o suficiente para minha visão “turística”. 24 horas é o tempo que você precisa para conhecer o principal de Verona. Considere ficar mais tempo apenas se você que fazer um tour mais pausado ou conhecer lugares fora do tradicional.

Onde ficar em Verona

Antes de te dar outras sugestões, acho que vale a pena recomendar a hospedagem que escolhi, chamada Relais Empire – bem localizada (poucos minutos caminhando até a Arena di Verona), quarto amplo, cama confortável e café da manhã incluso.

Relais Empire – Verona

Outras sugestões de hospedagem em Verona:

Hotel Milano & SPA: localizado a 50 metros de distância da Arena.

Olympus Verona Relais: localizado no centro histórico de Verona, a 550 metros da Piazza Bra.

Due Torri Hotel: 5 minutos a pé até a Casa de Julieta.

Hotel Colomba d’Oro: o hotel ocupa um convento medieval restaurado, situado no centro histórico da cidade, a 150 metros da Arena de Verona.

Hotel Mastino: 5 minutos a pé da Arena de Verona.

Hotel Firenze: a 10 minutos a pé da Arena de Verona.

Grand Hotel des Arts: localizado entre a Arena Romana de Verona e a estação de trem da cidade.

Outra opção de hospedagem muito difundida na Itália é o Airbnb. Muita gente opta pelo Airbnb em razão dos preços (na maioria das vezes mais atrativos do que os preços dos hotéis), possibilidade de cozinhar em casa, ter mais liberdade e até mesmo escolher melhor a localização desejada. 

Reserve seu Airbnb pelo nosso link e garanta um ótimo desconto de até R$ 179,00 sua primeira reserva. 

Relais Empire – Verona

Como se locomover em Verona

Verona é uma cidade para conhecida a pé, pois é pequena e o transporte público acaba se tornando desnecessário.

O ideal é se hospedar na área do centro histórico e assim ter a possibilidade de caminhar até os pontos turísticos de interesse.

Para sair de estação de trem e chegar até seu hotel, a melhor forma é de ônibus. Há paradas de ônibus bem em frente à estação Porta Nuova e o bilhete pode ser comprado nas máquinas.

O que fazer em Verona

Piazza Brà e Arena de Verona

É o ponto turístico mais famoso de Verona, juntamente com a Arena, que está localizada justamente nessa praça.

Dada sua importância e localização, é provável que a praça seja o primeiro lugar visitado por você (assim como foi por mim). Passe pelo portal Portoni della Bra (fez parte do muro medieval que cercava a cidade) e se deixe levar por esse ambiente tão amistoso de Verona.

Vale a pena visitar duas vezes, uma durante o dia, e outra já ao anoitecer. Diversas opções de restaurantes e bares circundam a praça, geralmente do estilo “mais turístico”.

A Arena de Verona, conhecida como “mini-Coliseu”, foi construída no começo do século I d.C. (durante o Império Romano), com blocos de calcário branco e rosa, em forma de círculos concêntricos, mas, ao contrário do Coliseu, é um anfiteatro preservado até a atualidade.

Possui mais de 2 mil anos, passou por invasões bárbaras, terremoto e guerras, mas permaneceu! No passado, era utilizado como palco para as lutas entre gladiadores. Hoje em dia ainda está na ativa, obviamente com função mais nobre: apresentações de dança, shows e eventos artísticos em geral. O evento mais famoso que acontece na Arena de Verona é o Festival de Ópera, entre junho e agosto. 

Se você quer facilitar a organização da sua viagem, comprando os ingressos para as atrações num só lugar, recomendo que o faça pelo Get Your Guide, pois a plataforma oferece entradas para atrações, tours, passeios em grupo ou privado no mundo todo. Comprando com antecedência você agenda o horário e evita filas.

A praça também abriga outros prédios importantes: o Palazzo Barbieri, a prefeitura de Verona e o Portoni della Bra.

Piazza delle Erbe

No final da Via Mazzini está a Piazza delle Erbe (a mais antiga de Verona), que reserva uma boa dose de história aos turistas que visitam Verona, visto que ali funcionava o Fórum Romano, local onde eram tomadas todas as decisões políticas da cidade durante o império romano.

Ali está o chafariz de Nossa Senhora de Verona, o Palazzo Maffei (um edifício em estilo barroco do século XVII), Palazzo della Ragione, a torre Dei Lamberti e o capitel, símbolo da República de Veneza.

De segunda a sábado, uma feira ao ar livre funciona por ali: aproveite para comprar souvenires, garimpar roupas, bolsas e comer a famosa macedônia de frutas!

Ao redor da praça, diversos restaurantes e gelaterias também marcam presença.

A Torre dei Lamberti (89 metros de altura) fica atrás da praça e chamou minha atenção. Foi construída em 1464 com tufo, tijolos e mármore, para abrigar os sinos Rengo e a Marangona.

O primeiro sino alertava os moradores de Verona acerca de eventual incêndio; o segundo convocava os cidadãos para batalha. Em 1779, um suntuoso relógio foi nela instalado, sendo permitido subir até o topo da torre (há um elevador) e ter uma vista panorâmica (valor/2019: 8 euros).

Piazza dei Signori ou Praça Dante

A Praça dei Signori (ou Praça Dante) é assim conhecida em virtude da estátua de Dante Alighieri situada em seu centro.

Ao redor você observará diversos edifícios: Palácio do Governo, Palácio da Razão, Palácio da Assembleia e do Conselho de Juízes (Loggia del Consiglio).

Casa da Julieta

É chegada a hora de relembrar a luta entre as famílias Capuleto e Montecchio, retratada no romance shakespeariano.

A Casa da Julieta, construída no século XIII e restaurada em 1935, está localizada entre a Piazza delle Erbe e a Piazza dei Signori, na Via Capello 23. E sim, ao que tudo indica, é onde morava a personagem principal do romance de William Shakespeare (apesar de pairar dúvidas acerca da realidade do romance – será que existiu ou foi apenas fruto da imaginação do escritor?).

Três coisas chamam a atenção no local: o corredor cheio de recadinhos de amor e muitos chicletes nojentos colados (achei péssimo), a estátua em bronze de Julieta (de Nereo Costantini) diante da qual se forma fila de turistas para tirar foto com as mãos em seu seio (diz a lenda que traz sorte no amor) e a sacadinha/balcão onde a personagem se debruçava em lágrimas por seu amado Romeu.

Na parte interna da casa de três andares, funciona um museu com objetos citados no romance.

A entrada na área externa é gratuita. Apenas o ingresso no museu (interior da casa) é pago (6 euros).

Dica bônus: há ainda o dito “túmulo de Julieta” no Monastério de San Francesco al Corso (localizado na Via del Pontiere 35) e, na igreja ao lado do monastério, o casal teria supostamente se casado.

Via Mazzini

Bem pertinho da Casa da Julieta está a Via Mazzini, uma rua revestida de mármore e com acesso somente para pedestres.

Local ideal para compras, incluindo lojas de grifes, a Via Mazzini é imperdível no roteiro, pois ainda que você não tenha intenção de ir ás compras, a beleza do lugar salta aos olhos.

Via Mazzini

Ponte Pietra e Castel San Pietro

Construída em madeira no início no século I, a Ponte romana atravessa o Rio Adige e caiu diversas vezes e sempre era reconstruída conforme o perfil e estilo da época.

Do outro lado da ponte está as ruínas do Teatro Romano e o Castel San Pietro, de onde se tem a melhor vista de Verona (a subida pode ser feita com um bondinho ao custo de 2 euros). 

Castel Vecchio

Às margens do rio Ádige, em 1354, o Castel Vecchio foi construído para defender a cidade de Verona de possíveis invasões e servir como rota de fuga. Trata-se do maior edifício medieval de Verona e o castelo funciona como museu desde o ano de 1925.

Castel Vecchio

Anexo ao castelo há uma fortificação da idade média e a bela Ponte Scaligero, que dá acesso ao castelo (muito fotogênica por sinal).

Catedral de Verona (Duomo)

A Duomo de Verona foi construída em estilo romântico sobre as ruínas de duas igrejas cristãs, que foram totalmente destruídas após um terremoto em 1117. Escavações arqueológicas e batistério podem ser observados em seu interior.

A igreja faz parte de complexo arquitetônico juntamente com a igreja San Giovanni in Fonte, a Catedral Santa Elena, a biblioteca Capitular, o claustro e museu canônico, um bispado e uma praça.

Basílica de San Zeno Maggiore

A igreja de estilo romântico chama a atenção em virtude de sua porta revestida de cobre. Seu altar central e a rica arte sacra distribuída pelo interior da igreja, tornam-na interessante ao roteiro.

Em Verona você pode comprar um bilhete único que dá direito de acesso a 4 igrejas: Basílica di San Fermo, Duomo di Verona, Santa Anastácia e Basílica di San Zeno Maggiore.

Tenho mais tempo

Se sua passagem por Verona for prolongada, eis aqui outras sugestões de passeios para incluir no seu roteiro:

  • Fundação Miniscalchi-Erizzo
  • Museu Africano
  • Museu Arqueológico
  • Museu Arqueológico do Teatro Romano
  • Museu Canonical
  • Museu de Castelvecchio
  • Museu Cívico de Ciências Naturais
  • Museu dos afrescos
  • Museu Palazzo Forti
  • Loggia del Consiglio
  • Catedral de Verona
  • Túmulos monumentais da família Scala: localizados na praça em frente à igreja de Santa Maria Antica e representam um dos melhores exemplos de arte gótica da Itália.

Verona Card

O Verona Card é um cartão de acesso aos principais pontos turísticos da cidade, como a Arena, Casa de Julieta, Duomo, Castelvechio, Torrei dei Lamberti e Teatro Romano.

O cartão válido por 24 horas custa 18 euros e o de 48 horas, custa 22 euros; podendo ser comprado nas bilheterias das atrações (o prazo começa a correr a partir do primeiro uso).

Vale a pena somente se você tiver interesse em entrar nas atrações listadas, pois além de obter desconto, evita filas.

Onde comer em Verona

Amo Bistrô: comida saborosa e ambiente muito fofo (amei a decoração).

Il Desco: alta gastronomia, ambiente sofisticado, restaurante com uma estrela no Guia Michelin. Serve menu degustação. Localizado no centro de Verona, abre para almoço e jantar.

Alcova del Frate: próximo à Ponte Pietra.

Osteria La Mandorla: ao lado da Piazza Brà.

Caffè Borsari: esse pequeno café entre Porta Borsari e Piazza delle Erbe é tido como um dos melhores de Verona. Croissants, cafés, chás e infusões são os pedidos mais frequentes.

Monte Baldo: osteria indicada para um aperitivo a preços acessíveis.

Torcolo: restaurante histórico pertinho da Arena, que serve o tradicional bollito (cozido) e arrostiti (assado) desde 1930. Bollito é um prato tradicional em Verona, para quem quer realmente arriscara: um cozido de coxa, testa, e língua de boi, galinha, cotechino, servido com pearà, um prato feito com pão, miolo de boi e pimenta do reino.

Mais algumas sugestões: Trattoria Il Pompiere, Osteria del Bugiardo, Ristorante Greppia, Bottega Vini, Maffei, Taverna di via Stella, Locanda 4 Cuochi.

Compartilhe sua experiência: você já conhece Cinque Terre? Como foi sua viagem? Conta pra gente no espaço destinado aos comentários ao final desse post!

Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem – aproveita e me segue lá também!

Você gosta das minhas dicas? Siga o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real.

Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.

Salve esse post no Pinterest:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!