Skip to main content

Cusco, Vale Sagrado e Machu Picchu: dicas e roteiro de viagem – Parte1

Se eu tivesse que escolher apenas uma palavra para definir o Peru, eu diria que ele é “mágico”. Sua capital, Lima, é apaixonante, e ela é apenas um bônus antes de se chegar a Cusco – porta de entrada para o fantástico Vale Sagrado dos Incas, que com toda sua história e misticismo, fazem desse país um território tão especial.

Há tantos lugares incríveis para serem visitados no Peru, que é fato incontroverso que só uma viagem para aquele país não será o suficiente (estou doida pra conhecer as Rainbow Mountains, Arequipa, Puno, o Lago Titicaca e as linhas de Nazca… e esses são apenas os lugares que me lembrei agora rapidamente, sem precisar pensar). Mas se você está programando a sua primeira jornada ao Peru, então conhecer Cusco, o Vale Sagrado dos Incas e Machu Picchu será um ótimo começo!

Machu Picchu

Embora está seja uma viagem internacional, os brasileiros podem ingressar no Peru apenas com RG (com data de expedição não superior a 10 anos), não havendo necessidade de passaporte ou visto.

A dica número um é: faça um pit-stop em Lima (mesmo porque não há voos diretos para Cusco). Aposto que você não irá se arrepender de incluir a capital no seu roteiro “desvendando o mundo Inca”! Quer dicas sobre Lima? então clique aqui e leia o post exclusivo que fiz sobre essa cidade apaixonante e decida quantos dias reservará no seu roteiro.

Feitas essas considerações iniciais, é hora de planejar sua viagem a Cusco e Vale Sagrado dos Incas.

Conhecendo Cusco e a região do Vale Sagrado

O Vale Sagrado engloba cidades e sítios arqueológicos às margens do Rio Urubamba. E para conhecer um pouco mais sobre ele, vamos começar nossa jornada em Cusco: porta de entrada para o Vale Sagrado dos Incas.

Viajando de Lima para Cusco: se você optar por comprar sua passagem do Brasil para Lima, depois poderá comprar o trecho Lima-Cusco com uma companhia peruana, fazendo um voo interno. Nós optamos pela Star Peru, mas também há voos da Avianca, Taca e da Peruvian Airlines. O voo de Lima até Cusco dura cerca de 1h.

Antes de falar um pouco da história do Vale Sagrado e te dar minhas dicas de passeios, acho que vale à pena sugerir que no seu voo de Lima a Cusco, você sente na janelinha. Isso porque Cusco está a 3.400 metros acima do nível do mar, então pense comigo: você sairá de Lima (nível do mar) e irá até uma cidade super alta! Já imaginou como será a vista do avião? Pois é, a cordilheira andina vista de cima faz com que esse trajeto (Lima-Cusco) seja, por si só, uma atração imperdível.

Cusco

Um pouco de história: Cusco (ou Cuzco, em espanhol, vem de “Qusqu”, que significa “umbigo do mundo”) está localizada no Vale Sagrado dos Incas e era o principal centro administrativo e cultural do Império Inca. Embora na cidade ainda haja resquícios de construções incas, muito foi destruído durante a invasão espanhola no século XVI.

Cusco é a “porta de entrada” para se conhecer o antigo Império Inca. A cidade é pequena e muito fácil de “se achar”. A região da Praça das Armas é onde estão concentradas as lojinhas, restaurantes, confeitarias, agência de turismo, farmácias, etc. Se precisar ir a algum lugar mais afastadinho, o taxi é barato (mar sempre combine o preço previamente).

Plaza de Armas, Cusco

A altitude talvez seja um problema: com ela vem o tal do “mal de soroche” (ou mal de altura), mal esse que sofri apenas uma vez na vida (e foi lá no Chile), mas foi tão ruim que até hoje lembro daquela tontura misturada com enjoo e dor de cabeça. Não é todo mundo que sente esses sintomas, mas como não dá pra prever, o melhor a fazer é que, ao chegar em Cusco, você reserve o primeiro dia para atividades mais tranquilas, ou seja, que não exijam muito esforço físico, pois esse período de adaptação é importante. Se seu corpo não reagir bem à altitude e ao ar rarefeito, o chá da folha de coca pode ajudar a amenizar os sintomas (na recepção dos hotéis geralmente eles deixam o chá e umas balinhas para ajudar a prevenir os sintomas).

*um pouco mais sobre o mal de altura: os sintomas mais frequentes são náuseas, tonturas e dor de cabeça. A intensidade dos sintomas varia de pessoa pra pessoa, e também há os que não sofrem os efeitos do mal de soroche. Em regra, os sintomas desaparecem sozinhos, mas isso pode levar até 1 dia inteiro. Para prevenir o problemas, as dicas são: não se esforçar muito no primeiro dia, comer comida leve, tomar muita água e não ingerir bebida alcoólica. Uma boa noite de sono também irá ajudar. Além do chá que eu mencionei acima, na farmácia você irá encontrar remédios específicos para aliviar os sintomas, mas como eu não precisei, não posso afirmar a sua eficácia.

Qual a melhor época para conhecer o Vale Sagrado: fomos em maio e, apesar do frio, creio que seja a melhor época para visitar a região e fugir do período de chuvas, que acontece entre os meses de novembro a março.

Se quiser fugir do período chuvoso, maio é um ótimo mês para conhecer Cusco e o Vale Sagrado

Onde se hospedar em Cusco: Pois bem, é fácil se organizar: se você quer ficar bem localizado, escolha um hotel próximo à Plaza de Armas, porém, pagará mais caro por isso e o hotel não será necessariamente melhor do que os localizados em outras áreas da cidade.

Quando fomos, escolhemos nos hospedar em dois lugares diferentes. O primeiro hotel – Polo Cusco Suites (Avenida Alameda Pachacutec 404, 051 Cusco, Peru) – fica a cerca de 5min de carro da Plaza de Armas, então era necessário pegar taxi para chegar até a “muvuquinha” da cidade. O segundo hotel (que não vale à pena ser recomendado) ficava a poucos metros da Plaza de Armas, não sendo necessário taxi. Acontece que o segundo hotel, embora melhor localizado, era bem mais caro e de qualidade inferior, então se fosse para escolher novamente, ficaríamos apenas no primeiro, já que o gasto com taxi foi bem pequeno e o primeiro hotel era muito melhor.

Em Cusco há opções de hospedagem para todos os gostos e bolsos, desde os mais simples hostels, até hotéis super requintados. Um site de busca de hotéis te ajudará a escolher a opção que mais combina com você. Particularmente eu gosto muito de usar o hoteis.com, pois na maioria das vezes apresenta preços melhores (se você se cadastrar você terá descontos em alguns hotéis – aparecerá um aviso assim: “seu preço secreto”) e a cada dez diárias, você ganha um desconto significativo na décima primeira.

Programações/roteiro:

No seu primeiro dia em Cusco, caso você ainda não tenha comprado os tours/passeios previamente, aproveite para fazer isso logo no primeiro momento, pois além de te tomar um tempo, vai te deixar mais tranquilo depois e com sua agenda turística toda organizada.

Se você não tiver comprado os passeios com antecedência, não tem problema, pois tenho certeza que não será difícil encontrar uma agência local que te ofereça todos os tours imperdíveis – afinal, a cidade gira em torno do turismo e eles são especializados nesses roteiros. Por todo canto que você andar vai ter gente te oferecendo (leia-se: “quase te puxando pelo braço”) os passeios, são os funcionários das agências locais que fazem essa capitação de clientes exaustiva.

Além disso, as inúmeras agências fazem todas mais ou menos os mesmos passeios e roteiros. Às vezes muda a ordem e dia de visita a cada lugar, mas as opções . A ideia é que você faça todos os passeios que puder e aproveite sua viagem para conhecer o máximo dessa região tão rica culturalmente! Não se esqueça de pechinchar, pois embora as agências trabalhem com as mesmas opções, os valores podem variar bastante. No Peru não teve outra saída: tivemos que aprender as táticas da pechincha!

Depois de comprar os passeios pelo Vale Sagrado e Machu Picchu (caso ainda não tiver comprado pela internet), e estiver com a agenda para os próximos dias toda preenchida, aproveite o dia para conhecer Cusco e fazer o city-tour.

Passeios que você poderá fazer por conta própria em Cusco: passear pela linda Plaza de Armas, conhecer os cafés/restaurantes da redondeza, entrar nas lojinhas de souvenir, visitar museus…

Plaza de Armas, Cusco

Para a parte da tarde do seu primeiro dia em Cusco, o city tour é uma boa ideia (é o passeio padrão para o primeiro dia, e provavelmente é o que a agência vai te recomendar). O city tour tem um preço ok e dura uma tarde inteira.

O city tour inclui visita à Catedral (que fica na Plaza de Armas), ao Convento de Santo Domingo (Qorikancha), aos sítios arqueológicos de Sacsayhuaman e Q’enqo, à fortaleza de Pukapukara e ao tempo da água chamado Tambomachay. No final ainda para em uma loja que vende roupas feitas com lã de alpaca (com preços nada atrativos. Você encontrará preços melhores em lugares menos “pega turistas”).

  • A Catedral é um dos cartões-postais de Cusco e está localizada na Plaza de Armas. Foi construída em nada menos do que 100 anos e seu interior é repleto de adornos suntuosos feitos de ouro e prata.
Catedral
  • O Convento de Santo Domingo foi construído no séc. XV em homenagem ao deus Sol. Suas paredes eram de ouro (posteriormente saqueado pelos espanhóis) e é chamado de Qorikancha, que significa “cercado de ouro” (na língua quechua). Com a invasão espanhola, o museu arqueológico foi  doado à Ordem Dominica, e por isso foi transformado no Convento de Santo Domingo.
Interior do Convento de Santo Domingo
  • O Parque Arqueológico de Saqsaywaman é impressionante e está a apenas 2km da área central de Cusco. Com área de 3 mil hectares, trata-se de uma fortaleza Inca com finalidade cerimonial. O que mais chama atenção no sítio arqueológico é a magnitude das rochas com as quais foi construído, num encaixe perfeito, sem nenhum tipo de argamassa, mas que restitaram a terremotos e ainda estão lá totalmente intactas. As rochas chegam a pesar mais de 300 toneladas, e até hoje é um mistério a forma como os Incas as talharam com tanta precisão e perfeição.
Sacsayhuaman
Atenção para o tamanho das rochas!
  • Q´enqo foi a quarta parada do city tour e se trata de um sítio arqueológico famoso por ser um “refrigerador natural”. Percorremos seu interior, onde há uma rocha talhada que era utilizada como mesa cerimonial onde eram feitos sacrifícios religiosos. Q’enqo também era um local utilizado para realização de rituais de mumificação.

 

Q’enqo
Mesa de sacrifícios do templo Q’enqo
  • Pukapukara foi a próxima parada. Não ingressamos no templo, apenas paramos para umas fotos no lado de fora mesmo. A fome bateu e comemos um milho abençoado que estavam vendendo por ali.
Pukapukara
  • Tambomachay foi o último templo visitado no primeiro dia e fica a 7km de Cusco e está a 3.765m de altitude (mais alto do que Cusco). O sol já estava se pondo e o frio aumentando (principalmente por causa do vento cortante). Trata-se de um templo dedicado às águas. Era tido pelos Incas como um ambiente de purificação e parada para descanso (Tambomachay, em quechua, significa “lugar de descanso”). Aqui tivemos que fazer uma caminhada de uns 15min para chegar até as fontes. O lugar é muito bonito, mas para o passeio ficar mais agradável, certifique-se que está bem agasalhado.
Tambomachay

De todos os passeios do city tour, o melhor, na minha opinião é Sacsayhuaman. Então, se estiver com pouco tempo e tiver que escolher apenas alguns, não deixe de incluir ele na sua lista, ok?

Atenção para dica: na hora de comprar seu city tour e os demais passeios (para os outros dias), certifique-se o que já está incluso no seu pacote. Nós optamos por fechar um pacote completo, que já incluía os bilhetes de entrada de cada lugar (tinha gente no grupo que não tinha comprado os ingressos antes e aí tinha que pagar na hora). Inclusive, nesse boleto havia também outras atrações incluídas, como os museus (visitamos depois por conta própria). Comprando esse boleto turístico você economiza, pois se fosse pagar tudo separado, o preço era consideravelmente maior.

Mais detalhes sobre o boleto turístico: esse boleto se trata dos ingressos para dezesseis atrações turísticos em Cusco e região do Vale Sagrado. Na frente do boleto consta uma imagem do lugar e seu nome; na parte de trás há informações como horário de funcionamento de cada local e um mapinha de Cusco. A cada atração visitada, será feito um furinho correspondente ao lugar. Esse boleto é pessoal (consta seu nome nele) e válido por prazo determinado (você pode comprar apenas para 1 dia ou para mais tempo).

Hoje vou ficando por aqui pessoal. Não perca o próximo post sobre o Vale Sagrado e Machu Picchu, com mais dicas para você programar sua viagem e montar o seu roteiro aproveitamento o máximo que esses lugares têm a oferecer.

Obrigada pela visita e até breve!

Anna.

  • Anna

    olá

  • Rodrigo Bin Oliveira Alvarez

    Perú é um local fantástico com uma culinária espetacular!

    • blogmaladeviagem

      Hum… saudade da culinária né?

  • Quanta coisa bacana para fazer em Cusco Anna. Arrasou nas dicas. Eu também senti o mal da altura no Chile, espero não sentir no Peru. Vou indicar esse post para uns amigos que estão indo para lá. Amei o Saqsaywaman (ctrl c ctrl v aqui), sempre fico embasbacada com essas coisas antigas bem construídas rs. Beijo!

    • blogmaladeviagem

      Que legal, muito obrigada por indicar o post! beijos

  • Elaine Villatoro

    Lendo aqui me deu uma vontade gigante de voltar pra lá, uma viagem incrível né! Já estou animada pra ver seu próximo post! Quanto ao mal de soroche eu não tive problema, mas toda hora que eu via o chá eu tomava, usei como prevenção e deu certo =)

    • blogmaladeviagem

      Eu tb… kkkkkk via o chá e já pegava um copinho hehehe

  • Jaqueline Caixeta

    Definitivamente o Peru está na minha wishlist!! Que gostoso ler esse post, só deu mais vontade de conhecer!! Só to esperando conseguir conciliar uma viagem entre Peru e Colômbia (ainda não achei uma maneira barata e fazer isso) hahaha

    • blogmaladeviagem

      kkkkkkk geralmente o pessoal faz Peru com Chile não é? Mas Peru e Colômbia tb dá certo! Acho que tem que ser sua próxima trip!

  • Julia Salce

    Quero muito conhecer o Peru… cada lugar lindo, sem contar a energia, deve ser algo incrível e inesquecível. Minha sogra foi mês passado e AMOU! Tenho um amigo morando lá também, casou com uma peruana e está como guia. Mais um motivo para eu ir logo. beijao

    • blogmaladeviagem

      Nossa! super motivo pra ir lofo Julia! beijos

  • Aninha Lima

    Que dicas ótimas! Não sabia sobre esse mal da altura, Mas que bom que deu tudo certo aí. Acho que essa eh uma viagem que quando eu fizer, volto outra pessoa! Adorei tudo!!!

    • blogmaladeviagem

      Aninha, vc vai amar mulher!

  • Alexandre Nunes

    Nossa… também me encantei com a cidade de Cusco, voltei com a mesmo sensação… Preciso voltar ao Peru, um país incrível e apaixonante. Ah, tive o mal de soroche no primeiro dia por nao seguir as recomendações hauhauhuaha, acontece né?! Abraços

    • blogmaladeviagem

      Sim, acontece e é ruim demais kkkkkk, mas a gente supera!

  • Gostei muito do post. Já sei que Peru não é só Machu Pichu, haha, não devo deixar Lima de lado, e Cusco pode ser muito bem aproveitada (e, quando visitar, será!). Acho interessante que o país mantém as obras antigas, então toda uma história revestida de mistério se encontra lá. Fascinante.

    • blogmaladeviagem

      Sim, vc anda na rua e a parede é de muitossss anos atrás! incrível isso!

  • Manuela

    Eu fiquei completamente apaixonada por Cusco quando fui!!!! Passei 6 noites na cidade e teria ficado mais algumas! Achei super charmosa, com passeios muito legais e comi muito bem!!

    • blogmaladeviagem

      Comi muitoooo bem no Peru tb!!! melhor do que no Chile (que todos dizem que é um bom lugar para comer.. Peru é melhor).

  • Maria Carolina Diego

    Amei o post e está gostoso de ler. Sempre quero colocar este destino na lista, mas ele acaba saindo por algum motivo.

    • blogmaladeviagem

      Ahhhh, não deixa sair não Maria! vale muito à pena!

  • Lorena Brito

    Amei o Peru também, a aproveite para incluir na proxima trip: Paracas e Ica (o oásis no meio do deserto), vai se surpreender! Fizemos esse passeio do Vale Sagrado, fiquei chocada com o tamanho das pedras em Sacsayhuaman, as águas canalizadas, muita sabedoria!

    • blogmaladeviagem

      Uiaaa, ótimas dicas! com certeza vou pesquisar sobre esses lugares e já quero conhecê-los tb!

  • Livia Melo

    Ainda não conheço o Peru, mas toda vida que vejo fotos ou leio algo sobre esse país me vem exatamente isso que você falou: mágico! Deve ser muito incrível! Adorei os passeios de vocês, já quero montar meu roteiro assim tbm!!

    • blogmaladeviagem

      Ahhh é muito incrível, místico, mágico… muito amor pelo Peru!

  • Marilisa Domingues

    Ainda não conheço o Peru, em meu conceito é uns dos lugares mais incríveis do mundo. O que me impede de ir, é realmente sua altitude, morro de medo de passar mal e estragar viagem. Mas lendo seu relato sobre o assunto, senti mais confortável. Parabéns pelo post, adorei bjs

    • blogmaladeviagem

      Vai dar tudo certo! Torcendo pra vc não ter o mal de altitude! beijos

  • Liany Garves

    ai já to muito ansiosa pela parte II. Tenho uma fascinação pelo Peru e só não fui ainda porque não quero ir correndo, quero ter pelo menos 20 dias pra fazer tudo que quero e fazer a trilha inca!! Adorei o post e já vou guardar as dicas pra quando fizer essa tão sonhada viagem.

    • blogmaladeviagem

      A trilha deve ser incrível, quando for me conta tudo.

  • Sil Mendes

    Essa é uma viagem que quero muito fazer um dia, enquanto isso não acontece, acabei viajando com seu post e fotos, que ficaram sensacionais. Anotei todas as dicas e com certeza irei utilizá-las em breve.

    • blogmaladeviagem

      Faça sim Sil, porque essa é imperdível!

  • Quero muito fazer um mochilao com Peru e Bolívia!!
    Amei os lugares que você mencionou e não conhecia boa parte deles! Meu maior receio era a altitude como vc mencionou, mas anotei as dicas para aplicar na próxima Trip (que se Deus permitir será lá por perto)

    • blogmaladeviagem

      Pri, altitude sempre dá medo né… mas acho que dá pra tomar as precauções certinho e tentar amenizar os efeitos!