Campo Grande

Campo Grande: hotéis, restaurantes e atrações na Cidade Morena

Pinterest LinkedIn Tumblr

Campo Grande, a capital do estado de Mato Grosso do Sul, de fato não aparece na lista das cidades ou capitais mais turísticas do Brasil, porém, é a porta de entrada para relevantes destinos de ecoturismo do país. Considerando esse fator, passar pela “Cidade Morena” (assim chamada devido à coloração avermelhada da terra) antes ou depois de conhecer as belezas naturais do estado, faz parte da programação de muitos turistas. Pensando nisso, o post de hoje vai te guiar por Campo Grande, com sugestões de restaurantes, dicas de hotéis e passeios.

Reconheço que pouquíssima pessoas vêm ao estado de Mato Grosso do Sul exclusivamente para conhecer a capital Campo Grande. Geralmente a visita vem acompanhada de um destino de ecoturismo, como Bonito, Jardim, Bodoquena, Miranda, Corumbá. Os biomas predominantes de cerrado e pantanal é o que verdadeiramente atraem os turistas ao estado.

Há ainda que se considerar as pessoas que vem ao MS com objetivos diferentes do turismo, seja a trabalho ou para algum evento.

Independente do motivo da viagem, Campo Grande é a principal porta de entrada para quem chega de avião, então nada mais indicado do que esse post para guiar seus dias pela cidade.

Localização

O estado de Mato Grosso do Sul, situado na região Centro-Oeste do país, faz divisa com os estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Paraná, bem como fronteira com Bolívia e Paraguai.

Campo Grande, foi fundada em 21 de junho de 1872 e está localizada no centro do estado, o que faz com que seja um bom ponto de partida para quem deseja visitar os atrativos da região.

Seguem as distâncias, a partir de Campo Grande, para as principais cidades turísticas do estado:

  • Campo Grande – Jardim: 236 km
  • Campo Grande – Bonito: 300 km
  • Campo Grande – Bodoquena: 265 km
  • Campo Grande – Miranda: 207 km
  • Campo Grande – Corumbá: 428 km
  • Campo Grande – Ponta Porã: 313 km
  • Campo Grande – Rio Negro: 153 km
  • Campo Grande – Rio Verde de Mato Grosso: 203 km
  • Campo Grande – Costa Rica: 327 km

Para locomoção interna/entre cidades dos estado, o ideal é utilizar carro, pois a rede de ônibus geralmente faz muitas paradas nas cidades pelo caminho, tornando o trajeto cansativo.

Além de Campo Grande, Três Lagoas, Bonito e Corumbá possuem aeroportos regionais, com algumas opções de voos durante a semana.

Apesar das distâncias aparentarem ser “longas” num primeiro momento, dirigir por Mato Grosso do Sul é muito tranquilo: as estradas são retas (em sua maioria) e já há boa quantidade de estradas duplicadas. Anos atrás não era possível dizer isso, pois as estradas eram mal conservadas. Hoje a realidade já é outra (ressalvadas algumas exceções).

Porém, como se tratam de grandes distâncias desabitadas, cujos espaços são ocupados por fazendas, é importante ter cautela quanto ao risco de animais nas pistas, problema muito comum nas estradas sul matogrossenses. Outra dica importante é sempre abastecer o carro antes da viagem, pois em alguns trechos você terá dificuldade para encontrar postos de gasolina.

Clima em Campo Grande

As temperaturas se mantém alta praticamente durante o ano todo, com alguns dias frios geralmente entre os meses de junho, julho, agosto, que também coincidem com o período mais seco do ano. Todavia, não faz frio durante todos esses meses, mas sim em dias esparsos.

É comum os termômetros marcarem mais de 30º celsius durante o dia, com uma considerável queda na temperatura quando anoitece.

Os meses mais chuvosos são outubro a março, principalmente dezembro e janeiro, com a média de 17 dias de chuva por mês nesses dois meses.

Hotéis em Campo Grande

A rede hoteleira da capital é suficiente para atender as demandas regulares. Com o predomínio de hotéis de rede, Campo Grande atende bem os viajantes nesse quesito.

Seguem algumas sugestões de hotéis na cidade:

Deville Prime: hotel bem localizado, próximo ao Shopping Campo Grande e ao Parque dos Poderes.

Novotel Campo Grande: hotel bem localizado, próximo ao Shopping Campo Grande (um pouco mais distante que o Deville Prime, mas ainda sim próximo) e ao Parque dos Poderes.

Hotel Grand Park: hotel bem localizado, próximo ao Shopping Campo Grande (na frente).

Bahamas Suíte Hotel: hotel central, estilo apart-hotel, com unidades de 2 andares (sala de estar no andar inferior e quarto no andar superior). Fica próximo à avenida Afonso Pena, perto de bares e restaurantes.

Ibis e Ibis Budget: ambos são bem localizados. Na Avenida Mato Grosso, quase chegando em uma das entradas do Parque dos Poderes, estão os hotéis Ibis, Ibis Budget e Novotel. O hotel Deville Prime fica na mesma avenida, mas mais para baixo, no balão da Avenida Nelly Martins.

Hotel Mohave: opção econômica, fora da área central, indicado para quem prefere ficar na região próxima ao aeroporto.

Orla Morena Park Hotel: opção econômica, fora da área central, indicado para quem prefere ficar na região próxima ao aeroporto.

Restaurantes em Campo Grande

Campo Grande é uma cidade com boas opções gastronômicas e a lista de sugestões você confere agora:

Comida árabe: os melhores são Yallah e Mansur Empório. Meu preferido é o Yallah.

Yallah

Comida japonesa: Japa Lounge, Kobayashi Cozinha Oriental e Ryori Suhi, que é o meu preferido entre os três.

Ryori Suhi
Japa Lounge

Massas: Cantina Romana é o que se destaca. Pietro e Maria e Casa Colonial (principalmente se você deseja comer galeto) também aparecem no ranking.

Pizza: Villa da Pizza e Pizzaria Romana (mesmo ambiente da Cantina Romana, mas abre para o jantar apenas).

Culinária fusion: Imakay (restaurante ganhou fama em São Paulo, mas antes de abrir sua filial por lá, já tínhamos a primeira unidade em Campo Grande). No cardápio predominam as opções de pratos da culinária japonesa e peruana. O ambiente é bonito e sofisticado, vale a pena a visita tanto no almoço quanto no jantar.

Imakay

Carnes: Vermelho Grill com certeza – esse restaurante é a cara do MS. Outra opção é a Costchêlaria, para quem gosta de rodízio de carnes e costelas. Tem também o Linguiça de Maracaju (essa linguiça é muito famosa por aqui).

Peixes: Casa do Peixe – o restaurante é simples, mas serve um rodízio de peixe super completo.

Para almoçar no final de semana: Ernesto (bistrô), Fogo Caipiria (cozinha regional – mais uma opção de restaurante que é a cara do MS).

Para jantar no final de semana: Território do Vinho (ambiente sofisticado, bons drinks, extensa carta de vinhos e cardápio satisfatório), Les Amis Bistrô (adoro os pratos de lá), Domus Bistrot, Grand Cru, Delírio Eat (estilo restaurante/bar, geralmente com música ao vivo).

Les Amis Bistrô
Grand Cru
Território do Vinho

Lanches para pedir: Exp Burger (tem uma batata doce frita com canela que eu adoro) e L.A. Burgerz.

No Shopping Campo Grande: Outback, Madero e Paris 6.

Comida saudável: Pé de Vitamina.

Café da manhã: La Parisienne, Baristrô Café, Café Beltrão (pão de queijo recheado muito gostoso), Gairdín (ambiente aberto, bem descontraído e gostoso, mas recomendo chegar cedo para conseguir mesa e ser atendido rápido).

La Parisienne
Gairdín
Café Beltrão à esquerda e capuccino La Parisienne à direita

Sorvete: Sésamo Gelato.

Doces e bolos: Niura.

Para mais sugestões de restaurantes, confira o post Onde Comer em Campo Grande.

Salão de Beleza em Campo Grande

Para quem vem a trabalho ou para um evento e precisa de um bom e completo salão de beleza na cidade, eu recomendo o Lounge Hair.

O salão conta com profissionais especializados e oferece uma gama de serviços, incluindo tratamentos capilares, cortes, tintura, penteados, manicure, pedicure, esteticista, depiladora, maquiagem, extensão de cílios, dentre outros procedimentos estéticos.

O Lounge Hair está localizado na Rua da Paz, 970, bem fácil de ser encontrado, e o agendamento pode ser feito através dos telefones: 67 3043-5357 ou 67 99690 9283.

Sugestões de passeios na cidade

Não posso dizer que você encontrará uma extensa lista de atrações turísticas em Campo Grande, mas se você quiser passear, aqui vão algumas sugestões do que fazer na cidade:

Parque das Nações Indígenas: com 119 hectares, esse é o parque que eu indico para quem quer um passeio dessa natureza. A dica é ir no final do dia, quando a temperatura não está mais tão elevada e o sol quase se pondo. Campo Grande tem um belo por do sol e o Parque das Nações Indígenas é um bom lugar para contemplá-lo, na beira do lago. É nesse parque que estão localizados os museus de Arte Contemporânea e das Culturas Dom Bosco (conhecido como Museu do Índio), dois dos mais importantes do estado de MS.

No parque você poderá caminhar pelas pistas, apreciar o lago, os monumentos e uma grande quantidade de capivaras que vivem ali.

Parque das Nações Indígenas
Monumento ao Índio – Parque das Nações Indígenas

Parque dos Poderes: as secretarias e departamentos administrativos dos três poderes do estado ficam no Parque dos Poderes. Pode até não ser um ponto turístico propriamente dito, mas se estiver de carro, vale a pena dar uma voltinha e ver como é um ambiente interessante. No caminho, com sorte, você verá os quatis que vivem por lá.

Aos finais de semana, com o fechamento da Avenida do Poeta para o trânsito de carros, o Parque dos Poderes se transforma em um lugar convidativo para caminhadas, prática de exercícios e passeios de bicicleta, tornando-se uma atividade comum entre os moradores da cidade.

Mercadão Municipal: o Mercado Municipal Antônio Valente foi construído em 1958 e revitalizado em 2006. Trata-se de uma autêntica oportunidade para conhecer os sabores e um pouco da cultura local. No Mercadão você vai encontrar temperos, especiarias, doces, ervas medicinais, artesanato e produtos regionais, incluindo a chipa, a sopa paraguaia e o tereré.

Morada do Baís: o casarão histórico construído entre os anos de 1913 e 1918, serviu como residência da família de Bernardo Franco Baís. Considerado Patrimônio Histórico e Cultural de Campo Grande, a Morada do Baís é administrada pelo SESC/MS e visa proporcionar aos visitantes uma experiência gastronômica e cultural, com shows e exposições.

Morro do Ernesto: o mirante Morro do Ernesto fica localizado a 20 km de Campo Grande, em uma propriedade privada, com acesso aberto ao público mediante pagamento de R$ 20,00. Para apreciadores de por do sol, este é o lugar mais indicado na região. A trilha até o mirante tem 2,5 km e é considerada de dificuldade moderada, com duração média de 50 minutos.

Além do mirante, o atrativo possui cachoeiras e corredeiras, pista de Mountain Bike e outras trilhas que cortam rios.

Apreciar a natureza: tal como Maringá/PR, minha cidade natal, Campo Grande também é uma das cidades mais arborizadas do Brasil, e é comum você estar andando pelas ruas, olhar para o céu e ver araras, tucanos e outras aves. As capivaras e quatis também são comuns na cidade, principalmente na região dos parques.

Capivaras de CG

Dica bônus: se não quiser a antipatia ou ouvir grosseria de ninguém, nunca, jamais, por desconhecimento ou por “preguiça” chame o estado de Mato Grosso do Sul de “Mato Grosso”! Afinal de contas, MS e MT são estados diferentes!

Ps. Não se perca com o horário: nosso fuso horário é uma hora a menos que o horário oficial de Brasília.

Você gosta das minhas dicas? Siga o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real.

Sempre que você faz sua reserva ou adquire um produto/serviço através de um link do MV, o blog recebe uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o Mala de Viagem sempre atualizado!

Hospedagem

Booking.com

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium
Autor

Wanderlust por natureza, no meu tempo livre estou sempre programando uma nova aventura ou experiência, pois acredito que a melhor viagem é sempre a que está por vir!

Escreva um comentário