Fernando de Noronha

Fernando de Noronha: roteiro, passeios, restaurantes e hospedagem

Pinterest LinkedIn Tumblr

Sabe aquele cantinho do mundo que você precisa se programar pra conhecer? Não sabe? Então vou te dar algumas dicas sobre ele: é um arquipélago formado por 21 ilhas, com área de 26 km², sendo que, deste total, 17 km² correspondem à ilha principal. Abriga um Parque Nacional situado no Oceano Atlântico, distante 360 km da costa. Se ainda está difícil, vai aí uma dica pra todo mundo acertar: o paraíso é brasileiro e pertence ao estado de Pernambuco. Acertou quem falou Fernando de Noronha!

A ilha de Fernando de Noronha, embora esteja mais próxima de Natal/RN (360 km) do que de Recife (545 km), pertence ao estado de Pernambuco. Talvez muitos já tenham esquecido, mas Fernando de Noronha foi a primeira capitania hereditária do nosso país, e sofreu muitas invasões (inglesas, francesas e holandesas) entre os séculos XVI a XVIII.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o arquipélago se tornou território federal e passou a funcionar como base de guerra, até que em 1988 voltou à administração de Pernambuco. Foi declarado Parque Nacional e, em 2001, a Unesco o declarou como Patrimônio Natural da Humanidade.

Pois é, já deu pra perceber que além de paisagens exuberantes, Fernando de Noronha é uma ilha repleta de história né? Então que tal seguir as dicas deste post e começar agora mesmo a programar suas próximas férias no paraíso?

Quanto custa ir para Fernando de Noronha? Passagens aéreas e taxas

A notícia boa é que Fernando de Noronha vem se tornando mais acessível (embora ainda se destaque como o destino mais caro do país) com o passar do tempo.

Ainda é um destino nacional com carinha de internacional (em razão dos valores), mas graças às promoções de passagens aéreas que surgem de vez em quando e possibilidade de hospedagem em pousadas simples ou até mesmo hostels, a ilha vem se popularizando entre os brasileiros.

A Azul Linhas Aéreas é a companhia com melhores opções de voos para Fernando de Noronha. Fique de olho nas promoções que aparecem no site da companhia. Além disso, no final de 2021 a Azul começou a operar voo direto de São Paulo para a ilha, destacando-se como a única companhia aérea até então a oferecer voos a partir de SP sem conexão em Recife ou Natal.

Confira também aqui no blog MV: Passagens aéreas baratas – um tutorial para você gastar pouco.

Dica: não se esqueça de combinar o traslado aeroporto-pousada com a sua pousada (caso ela ofereça o serviço). Ao desembarcar, outra opção simples e rápida é pegar um táxi e ir direto para sua pousada (paguei R$ 35,00).

Superada a fase de escolha da melhor passagem aérea, chegou a hora de falar sobre as taxas que você deverá pagar para ingressar/permanecer na ilha, bem como para visitar o Parque Nacional.

Duas taxas diferentes incidem sobre seus dias de permanência em Noronha:

  • Taxa diária de permanência diária = taxa de preservação
  • Taxa para acesso ao Parque Nacional

A taxa de preservação é cobrada de acordo com os dias de permanência na Ilha. O valor da taxa é R$ 87,71 por dia e deve ser pago no aeroporto no momento do desembarque ou pela internet.

Recomendo que você efetue o pagamento da taxa pela internet (antes da viagem), pois assim poupará tempo no desembarque.

Dica: pague a taxa de permanência pela internet e evite filas na chegada! É necessário levar o QR code/comprovante de pagamento para Noronha. No aeroporto, haverá uma entrada exclusiva para quem pagou a TPA pela Internet.

Há, ainda, o ingresso para visitar a área do Parque Nacional Marinho, no valor de R$ 165,00 para brasileiros e R$ 330,00 para estrangeiros. Essa última taxa tem validade por 10 dias e há isenção nos seguintes casos: crianças até 11 anos, brasileiros maiores de 60 anos, pesquisadores em serviço, moradores e seus familiares em primeiro e segundo graus.

A compra do ingresso poderá ser feita nos seguintes locais em Fernando de Noronha:

  • Centro de Visitantes do ICMBio – Al. do Boldro, s/n, Boldró. Diariamente das 8 às 22h; 
  • Pic Golfinho – Sancho – no acesso ao Mirante dos Golfinhos e Praia do Sancho – Diariamente das 8 às 18h30min;
  • Pic Sueste – Praia do Sueste. Diariamente das 9 às 16h. 

Outra opção é comprar o ingresso online (que eu considero a melhor opção).

Morro Dois Irmãos em Fernando de Noronha

Hospedagem em Noronha

Fernando de Noronha não possui grandes hotéis ou resorts, mas sim pousadas de diferentes preços e categorias, desde simples quartos alugados em casa de pessoas residentes na ilha, até luxuosas pousadas com piscina privativa.

O custo da hospedagem na ilha varia absurdamente, sendo certo que isso influenciará diretamente no gasto final da viagem.

Além disso, o valor gasto na sua viagem/hospedagem também irá variar conforme a época do ano escolhida. Nos feriados e férias escolares, a procura aumenta, logo, os preços também sobrem. Os preços mais altos são durante o réveillon, quando Fernando de Noronha é o destino escolhido, inclusive, por muitos artistas.

Os melhores preços serão encontrados na baixa temporada – abril, maio e junho, agosto, setembro e outubro. Dentre essas opções, destaco setembro e outubro como os melhores meses para visitar a ilha.

Se quiser ficar no burburinho, escolha uma pousada perto da Vila dos Remédios, Floresta Nova ou Floresta Velha. Vila dos Remédios é o centro histórico da ilha, onde há concentração de restaurantes, lojinhas e bares (os bairros Floresta Nova e Floresta Velha ficam próximos da Vila dos Remédios).

Deixo aqui a sugestão de algumas pousadas na ilha de Fernando de Noronha, divididas conforme a categoria:

Pousadas em Noronha conforme categoria:

Consultei valores da diária para 2 pessoas, tendo como referência o período de baixa temporada.

Luxo:

Valor da diária: superior a R$ 2.000,00 (consultei valores para diária em período de baixa temporada).

  • Pousada Maravilha (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.000,00)
  • Pousada Triboju (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.500,00)
  • Pousada Maria Bonita (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.400,00)
  • Pousada Zé Maria (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 3.150,00)
  • Teju-Açu Eco Pousada (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 3.200,00)
  • Pousada Morena (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 3.800,00)
  • Colina Pousada SPA (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 3.400,00)
  • Nannai Solar dos Ventos (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 3.000,00)
  • Pousada do Vale (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.300,00)
  • Pousada Lua Bela (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.000,00)
  • Dolphin Hotel (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 2.500,00)

Dica: ainda que você não se hospede em nenhuma dessas pousadas, vale a pena reservar para almoçar ou jantar em seus restaurantes.

Conheci os restaurantes das seguintes pousadas: Maravilha, Triboju, Zé Maria e Teju-Açu. O meu preferido para almoço foi o da Pousada Maravilha (por conta da vista). Já o preferido para jantar, foi o restaurante da Pousada Teju-Açu. Ainda não tive a oportunidade de experimentar, mas ouvi boas referências sobre o jantar no Nannai.

Intermediárias:

Valor da diária: até R$ 2.000,00

  • Vila Salga (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.100,00) – Foi aqui me hospedei na minha última viagem a Noronha! Pousada impecável.
  • Tesouro de Noronha (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.050,00)
  • Pousada Corveta (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.400,00)
  • Pousada Filó (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.980,00)
  • Pousada Del Mares (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.350,00)
  • Flamboyant Residence (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.040,00)
  • Pousada Mar Aberto (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.270,00)
  • Pousada Mar Atlântico (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 922,00)
  • Pousada Nascer do Sol (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 938,00)
  • Pousada Atoba (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 922,00)
  • Pousada Pedras Secas (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.090,00)
  • Pousada Sueste (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 830,00)
  • Alto Mar Guest House (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.050,00)

Baixo custo:

Incluindo pousadas de categoria “turística” e hostels.

Minha última escolha:

Na minha última viagem a Noronha (abril/2021), minha escolha foi pela Vila/Boutique Salga, uma pousada de categoria conforto (média de valores – baixa temporada: diárias a partir de R$ 1.100,00) que cumpre fielmente com sua proposta.

Pousada Vila e Boutique Salga

Na verdade, para ser tecnicamente correta, a pousada é formada por suítes/quartos chamados de Vila Salga e de Boutique Salga.

Inicialmente foram construídos os quartos/suítes da pousada Vila Salga e depois, durante a pandemia, o empreendimento foi expandido e, no mesmo completo, foram construídos os quartos da Boutique Salga.

Eu fiquei hospedada em uma das suítes da Boutique Salga.

Todos os quartos possuem cama King ou Queen Size ou cama de solteiro, ar-condicionado split, Lençóis de algodão 250 fios, varanda, TV LCD com mais de 80 canais SKY, Frigobar, amenities da linha Phytoervas SPA, secador de cabelo, banho aquecido por energia solar (chuveiro excelente). A metragem do quarto varia conforme a categoria – o menor quarto é o de categoria standard na Vila Salga, com metragem aproximada de 16 m2 (a suíte que eu fiquei era na Boutique Salga e tinha metragem maior).

No tocante ao quarto, vale ressaltar o conforto, a limpeza e o bem-estar oferecido aos hóspedes, com música ambiente no momento do check-in, uma garrafa de água de cortesia e climatização. Quando entrei no quarto me deu uma sensação de bem estar! O ar estava ligado, deixando o quarto na temperatura ideal, e a música ambiente combinava com toda a decoração em madeira e tons terrosos.

Inclusive, no momento do check-in na recepção o hóspede é recebido com algum quitute produzido na própria cozinha da pousada. No meu caso, fui recebida com água saborizada e bolo de cenoura.

Quanto às facilidades, a pousada possui piscina e parceria com o SPA Noronha para hóspedes que desejam agendar terapias e tratamentos.

O Wi-fi tem boa qualidade, considerando as peculiaridades de sinal na ilha. E isso eu posso confirmar, visto que precisei usar muito a internet para postar todos os Stories que fazia durante o dia.

Além do conforto do quarto, da excelência no serviço e atendimento, preciso falar um pouco sobre a decoração e o paisagismo da pousada: um verdadeiro refúgio!

Dá para perceber que tudo foi projetado e executado com muito cuidado, atenção e carinho. A paleta de cores dos quartos segue a linha rústico-chique, que combina muito com a vibe da ilha. O uso de tons terrosos nos móveis e luminárias deixa o ambiente aconchegante.

Na parte externa há muito verde e tudo foi detalhadamente pensado. Cada cantinho é instagramável, principalmente a ducha bem na frente do quarto 9 (meu quarto), a área da piscina e do café da manhã.

E por falar em café da manhã, eis aqui mais um ponto forte da pousada: o café da manhã funciona na modalidade a la carte, sendo que no dia anterior o hóspede escolhe o que desejará para manhã seguinte e tudo é feito na hora, com ingredientes frescos e muita qualidade.

Durante minha estadia, o cardápio de café da manhã era composto pelas seguintes opções:

O cardápio não muda a cada dia, mas considerando todas as opções, é perfeitamente possível variar dia a dia o que você deseja comer. Vai por mim, tudo é delicioso!

E, para finalizar, uma observação importante sobre a localização da pousada: A Vila e Boutique Salga fica na Floresta Velha, pertinho da Vila dos Remédios. É perfeitamente possível ir caminhando até o centrinho, incluindo a Igreja Nossa Senhora dos Remédios , o Forte Nossa Senhora dos Remédios e praias centrais (Cachorro, Meio e Conceição).

Quando visitar Fernando de Noronha

As temperaturas são elevadas durante todo o ano, porém, as condições do mar variam ao longo dos doze meses e a quantidade de chuvas também.

Fernando de Noronha possui duas estações bem definidas: a estação de seca (de agosto a fevereiro) e a estação chuvosa (de março a julho). Ainda que você visite a ilha entre os meses de março a julho, não significa que irá pegar chuva todos os dias, pois mesmo em época de chuvas, essas são esporádicas e tendem a ser passageiras.

Minha última viagem a Noronha foi no final do mês de abril, início de maio e o tempo variou bastante entre momentos de sol, céu nublado e chuvas passageiras. Porém, se possível, evite a época das chuvas para garantir uma viagem com tempo mais firme.

Se você é da turma do surf, os melhores meses são janeiro, fevereiro e novembro (devido ao swell). Agora se você é do grupo do mergulho ou amante do mar “piscininha”, a melhor pedida são os meses de setembro e outubro.

Minha primeira viagem a Noronha foi no mês de fevereiro e me recordo que mesmo sendo período de mar agitado, consegui curtir muito praias tranquilas e com poucas ondas.

Praia do Sancho vista do mirante (esse mirante está diferente agora)
Praia do Sancho no final de abril (período chuvoso)

O que levar na mala para a ilha?

O clima de Fernando de Noronha é tropical (baixa amplitude térmica). A temperatura média gira em torno dos 26 a 28ºC e é estável durante todo o ano. O mar é quentinho, com temperatura em torno dos 24ºC.

Diante deste clima maravilhoso, leve roupas de verão, frescas e confortáveis, porque provavelmente a última coisa que você vai pensar em usar por lá é uma calça jeans! Eu sou daquelas que “dá um ventinho já sinto frio”, então, se você é como eu, leve um casaquinho na mala, pois talvez você use para ir jantar (ou não…).

O foco mesmo é na roupa de banho, porque é o que mais se usa por lá. Para sair a noite, vale apostar em roupas casuais e sapatos confortáveis (o chão é irregular, então pode descartar o salto alto – é “over”, ninguém usa salto alto por lá).

Leve snorkel para fazer mergulho nas praias e um bom “quite praia” (poucas praias da ilha possuem estrutura com barracas, cadeiras, vendinhas, etc.) com toalha, canga, água, snacks, protetor solar… Enfim, tudo aquilo que você acha necessário e importante para passar um dia revezando entre mar e areia.

Dica: se tiver, vale a pena levar sapatilhas de mergulho, pois você andará muito pelas pedras e a melhor opção será com essas sapatilhas (chinelo escorrega e andar descalço pode machucar o pé).

Morro Dois Irmãos | Foto: @lito.noronha

O que fazer em Noronha

As praias de Fernando de Noronha continuam sendo as mais lindas que eu já vi até hoje. Então aproveite sua viagem ao paraíso e conheça cada cantinho da ilha.

A melhor forma para conhecer a ilha com liberdade e autonomia, é alugando um buggy. Você pode fazer isso com antecedência, antes mesmo da sua viagem, ou na sua chegada, com a possibilidade de escolher o que melhor se encaixa às suas necessidades.

A maioria dos buggys são velhos, com direção torta, freio ruim e uma série de problemas. Por conta disso, acho válido deixar para reservar lá e saber o que está alugando.

Além disso, o valor do aluguel varia conforme o estado de conservação do buggy. Em 2019, a diária de um buggy em mal estado de conservação estava em torno de R$ 250,00. Os mais novinhos custavam a partir de R$ 300,00 a diária (valor com referência – agosto/2019). A isso adicione o gasto com gasolina (mais de R$ 10,00 o litro em 2021).

Alugar buggy fica mais caro do que usar taxi, mas com taxi você se limita mais e ainda precisa pensar no trajeto antes (hora de ida e volta). Além disso, muitos pontos da ilha não possuem sinal de celular, o que dificulta na hora de chamar o taxi, sendo necessário combinar o horário de volta quando você for para uma região sem sinal.

Eu já tive a oportunidade de fazer das duas formas, ou seja, alugando buggy ou usando taxi. Minha conclusão é que a escolha da melhor opção depende do seu estilo de viagem.

Minhas duas viagens a Noronha foram com meu marido e optamos pelo buggy. Foi muito bom, pois tínhamos muita liberdade para criar nosso roteiro da forma que queríamos, ir e voltar pra lá e pra cá, sem ter que nos preocuparmos com roteiro e horários.

Por outro lado, na minha última viagem a Noronha, em abril de 2022, eu estava acompanhada da minha mãe e achamos melhor usar taxi. Também funcionou bem, mas foi necessário pensar e definir o roteiro da viagem antes. E, considerando que não estávamos com o buggy, optamos por fechar o passeio Ilha Tour, para que minha mãe pudesse conhecer toda a ilha também.

O Ilha Tour é realizado em veículo 4×4 (com adaptação na carroceria), que comporta até 8 turistas (mas você também pode contratar um passeio de Ilha Tour privativo se não quiser fazer o passeio em grupo). O guia te busca pela manhã na sua pousada e te leva novamente até ela no final do dia. O Ilha Tour dura o dia todo, passando por grande parte dos mirantes e praias de Noronha. É o passeio ideal para quem fica poucos dias na ilha (se você ficará menos de 4 dias completos, o Ilha Tour é uma boa opção para que você não volte para casa sem conhecer toda a ilha).

Caso você não queira ou não consiga um buggy, além dos taxis, há transporte público em Fernando de Noronha.

Existe um ônibus que percorre a ilha no sentido norte-sul. O ônibus sai do Porto e leva os passageiros até o Sueste, de meia em meia hora (e vice-versa). O ônibus passa também pela Vila dos Remédios, pela Vila do Trinta e no Boldró. Se você optar por pegar ônibus, precisará associá-lo a uma caminhada, já que o trajeto no ônibus não chega até a “porta” das praias. O valor do passe é R$ 5,00 (referência: abril/2022).

Pelo tamanho e facilidade de localização na ilha, Fernando de Noronha é um destino onde você tem a liberdade de fazer tudo sozinho. Acho que o aluguel do buggy continua sendo a melhor opção, exceto se, pelas peculiaridades da viagem, buggy não for interessante (lembrando que se você estiver dirigindo, não poderá ingerir bebida alcoólica).

Além do buggy, se você pretende incluir um passeio de barco, um mergulho, uma trilha ou outra atividade durante seus dias em Fernando de Noronha, aqui segue a listinha de valores atualizados (2022) dos passeios em Noronha:

  • Ilha Tour: R$ 250,00 por pessoa (passeio de dia todo)
  • Barco compartilhado/tradicional: R$ 270,00 por pessoa (passeio de meio dia)
  • Entardecer Vip: R$ 290,00 por pessoa (uma tarde)
  • Mergulho a reboque: R$ 167,00 por pessoa
  • Combo Ilha Tour + canoa havaiana + entardecer Vip: R$ 590,00 por pessoa

Com quem fechar os passeios? Existem várias empresas que fazem os passeios listados acima, ou seja: muda a empresa, mas os passeios em si são os mesmos. Pesquise entre as opções para encontrar a que te passa mais confiança.

Dentre as opções de passeios oferecidas, para quem visita Noronha pela primeira vez, acho válido fazer o passeio de barco (é nesse passeio que avistamos os golfinhos) e o mergulho a reboque (aqua ou plana sub = uma atividade legal para observação da vida marinha, pois o turista é rebocado pelo barco, segurando uma prancha de acrílico e com opção de fazer apneia ou não).

Sobre o passeio de barco tradicional: é nesse passeio que você terá um encontro fantástico com os golfinhos, se tiver um pouco de sorte e eles aparecerem no dia, mas já adianto que é mais provável que isso aconteça do que não aconteça. Na sequência o barco vai até a outra parte da ilha, chamada de Ponta da Sapata. No final para na praia do Sancho, onde você tem um tempo para banho + almoço em alto mar (opcional), com aquela vista maravilhosa!

Sobre o passeio de barco privativo com @wendellpasseios: esse é, na minha opinião, o melhor passeio que você pode fazer em Fernando de Noronha. Claro que o custo é muito mais elevado do que o passeio de barco tradicional, mas a experiência é completamente diferente.

Enquanto no passeio de barco tradicional você será só mais um turista no barco, disputando um cantinho para ter a melhor vista, no passeio privativo você é o protagonista do passeio, e tudo é idealizado conforme as suas preferências.

Tive a oportunidade de fazer o passeio de barco privativo com o @wendellpasseios e digo que foi minha melhor experiência em Noronha.

O passeio começou pela manhã. Combinamos às 9h da manhã e encontramos o barco do Wendell no píer (Praia do Porto).

Logo na partida, com menos de 5 minutos de passeio, já vimos os golfinhos. Eram muitos e eles passavam incrivelmente perto do barco.

Eu já havia feito passeio de barco tradicional das outras vezes que estive em Fernando de Noronha, mas nunca tinha visto tantos golfinhos e tão pertinho do barco. Eles estavam tão perto que era possível escutá-los respirando. Fiquei encantada! Até golfinho pulando e dando pirueta eu vi!

Depois desse momento de fortes emoções, seguimos passeando até o Morro dois Irmãos. Nesse dia estava tendo salto de paraquedas na ilha e do barco tivemos a oportunidade de observar.

Ao contrário dos barcos tradicionais, que fazem o percurso até a Ponta da Sapata, o barco do Wendell vai somente até o Morro dois Irmãos, sem adentrar o Parque Nacional Marinho. Porém, de forma alguma o passeio fica comprometido, pois após passear pela área permitida, é hora de fazer o plana sub.

Durante o plana sub eu tive a oportunidade de ver muitos peixes, arraias e tartarugas.

E quanto eu voltei para o barco e achei que já tinha tido surpresas o bastante, um dos pontos altos do passeio estava por vir:

Paramos o barco em uma região repleta de tubarões lixa! No começo fiquei com medo de entrar na água, mas depois, orientada pelo Wendell, tomei coragem e sim, nadei com os tubarões lixas, uma espécie de tubarão que não representa perigo ao homem, exceto em ambiente onde ele se sinta ameaçado, o que não é o caso do ambiente aquático de Noronha (e vale ressaltar que os tubarões da espécie lixa em nada tem relação com os acidentes que já aconteceram na ilha envolvendo tubarões).

Para finalizar, depois de tantos momentos agradáveis, ainda tive a oportunidade de experimentar um delicioso almoço a bordo, com direito a ceviche e peixe barracuda preparados na hora!

Sem dúvida, para quem preza por passeios exclusivos, o passeio de barco com o @wendellpasseios é uma grande experiência para se ter em Noronha.

O passeio é feito em lancha de 36 pés, com capacidade para atender seu grupo de até 15 pessoas. O barco possui 1 banheiro e som para que você conecte a música de sua preferência através de bluetooth.

O trajeto do passeio é feito pela área da APA (do porto ao Morro dois Irmãos) e existem duas possibilidades de horário: das 9:00 às 13:00 (nesse horário é muito provável que você aviste golfinhos) e das 14:30 às 18:30 (para quem quer ver o por do sol).

No passeio está incluída parada para snorkeling, atividade de plana sub e churrasco de peixe, salada e pão de alho. Se o cliente desejar incluir camarão e/ou tábua de frios na refeição, existe essa possibilidade (mediante custo extra). O passeio não incluiu bebida e gelo.

O valor do fretamento (4 horas de duração) é de R$ 2.000,00 para 1 ou 2 pessoas; R$ 2.500,00 para 3 a 4 pessoas e, a partir da 5ª pessoa, R$ 350,00 (adicional por pessoa).

Além do passeio de barco, mergulho com snorkeling e plana sub, outro passeio que é “a cara de Noronha” é o mergulho com cilindro, pois a vida marinha por lá é realmente diferenciada e muito rica.

Praias para conhecer e atividades para fazer por conta

Por do sol no mirante do Forte do Boldró:

É um clássico. Vá cedo e garanta um bom lugar. Os passeios de Ilha Tour também finalizam o dia ali, então o local fica cheio.

O legal é que agora melhoraram a estrutura do local, com música ao vivo e bar.

Mirante do Forte do Boldró – por do sol em Noronha

Por do sol na Praia da Conceição e no Bar do Meio:

A vista do por do sol e do Morro do Pico é maravilhosa, seja da praia ou do Bar do Meio (que fica ao lado da Praia da Conceição).

A vista da praia é melhor, mas se você esperar o por do sol para só então ir ao Bar do Meio, provavelmente não conseguirá mesa. Se quiser garantir o melhor lugar, faça uma reserva com antecedência.

Praia da Conceição

Forró no Bar do Cachorro:

Forró ou sax, duas coisas que você encontra no Bar do Cachorro. Para os mais animados a dica é: ver o por do sol na Praia da Conceição, curtir o fim de tarde/começo de noite no Bar do Meio e fechar com chave de ouro no Bar do Cachorro.

Restaurantes com vista:

Para almoçar “com vista”, recomendo o restaurante Mergulhão Noronha e o restaurante da Pousada Maravilha. O Mergulhão também é boa opção para fim de tarde, mas eu prefiro a vista da Pousada Maravilha (necessário fazer reserva prévia).

Pousada Maravilha

Mirante do Sancho e da Baía dos Porcos:

Duas vistas clássicas de Noronha. O acesso aos dois é comum e os mirantes fazem parte do Parque Nacional (só tem acesso quem pagou a taxa e fez a carteirinha ou tem o QR Code).

A praia do Sancho já foi eleita a mais bonita do mundo pelo público do TripAdvisor. Para chegar aos mirantes, você precisará do ingresso para o Parque Nacional Marinho (aquele que vale por 10 dias).

Você entra pelo “PIC Golfinho-Sancho”, que é uma passarela de pouco menos de 1 km, feita com plástico reciclado. A passarela leva a 3 mirantes: mirante do Sancho, mirante da Baía dos Golfinhos e mirante da Baía dos Porcos.

Para ver golfinhos no mirante da Baía dos Golfinhos, você precisa ir num determinado horário (geralmente bem cedinho, por volta das 6, 6 e pouco da manhã).

O Mirante da Baía dos Porcos passou por alteração depois de 2019. As fotos abaixo foram tiradas antes da plataforma construída no local. Infelizmente agora a vista do Morro dois Irmãos fica de certa forma obstruída pela grade.

Mirante do Sancho

Praia do Sancho:

Depois de se apaixonar pela praia lá de cima do mirante, é hora de descer! Para chegar até a praia do Sancho, você precisará fazer um pouco de esforço físico, pois será necessário descer por duas escadinhas amarelas verticais entre as fendas.

Nem ligue para essa pequena “dificuldade”, pois quando você chegar lá embaixo, nem se lembrará do trajeto até ali. Leve seus mantimentos, pois a única coisa que você encontrará ali além dos turistas, será a natureza exuberante!

Há horários específicos e alternados para subida e descida à praia.

Uma pergunta que sempre me fazem: é possível descer com criança de colo até a Praia do Sancho? Vi pessoas descendo com o filho no canguru, mas as escadas são bem apertadas e o retorno depende de horário estabelecido. Se acontecer algum imprevisto lá embaixo, o acesso ao cume não será instantâneo. Tenha isso em mente antes de ir.

Na época de chuvas os visitantes são surpreendidos com uma bela cachoeira que se forma nos paredões, do lado oposto à praia e outra que se forma próximo da escada de acesso à areia.

Praia do Leão:

Está localizada ao sul da ilha e é uma praia de mar aberto (“mar de fora”) e faz parte do Parque Nacional Marinho. Geralmente é uma praia com ondas fortes e é preciso tomar cuidado por causa da correnteza. Hoje em dia recomenda-se não entrar na água, pois mortes já ocorreram em razão das características dessa praia (correnteza, buracos, ondas…).

Nessa última visita a Noronha conheci a tradicional “furiosa” praia do Leão, com muitas ondas, vendo e correnteza (só me atrevi a molhar os pés).

Praia do Leão muito agitada em agosto de 2019

O curioso é como o mar muda de uma época para outra. Quando estive pela primeira vez em Noronha, em março de 2015, a praia estava absolutamente calma, sem onda nenhuma:

Praia do Leão bastante “calma” em março de 2015

Quando o mar de dentro está agitado (de novembro a abril, por exemplo), o mar de fora (mar aberto), tende a ficar mais calmo por conta da ação dos ventos. Depois, quando o mar de dentro acalma, o de fora tende a ficar agitado.

Sueste:

Também ao sul da ilha (ao lado da estradinha de acesso à Praia do Leão), a depender da época do ano, o Sueste é um ótimo local para a prática do snorkeling.

Em dias pré-determinados o Projeto Tamar faz captura de tartarugas marinhas – pergunte em um posto de informação do Parque Marinho e verifique se haverá o evento no dia em que estiver por lá.

Para ingressar no Sueste também é necessário o ingresso para o Parque Nacional Marinho.

Comparada à água da Baía dos Porcos, da praia do Sancho e demais praias de Noronha, o Sueste tem uma água mais turva, mas ainda assim apresenta ótima visibilidade, além de ser um bom lugar para apreciar a vida marinha, incluindo muitas tartarugas e pequenos tubarões que ficam no raso (tubarão da espécie limão, que pode gerar acidentes com pessoas).

Após acidente envolvendo tubarão no início de 2022 (suspeita-se que foi um tubarão da espécie tigre), o Sueste ficou alguns meses fechado e depois passou por um período de reabertura. Atualmente só tem acesso à praia quem reservou horário para praticar snorkeling junto com o guia credenciado (atividade em grupo).

Em outras palavras, no momento (maio/2022), não é permitido ficar na areia ou entrar na água se você não tem reserva de horário para mergulhar com o guia.

Sueste

Cacimba do Padre e Baía dos Porcos:

A Cacimba do Padre tem uma extensa faixa de areia, vista para o Morro Dois Irmãos e conta com uma estrutura de cadeiras de praia, guarda-sóis e bar.

A praia tem mar agitado, sendo mais indicada para prática de surf do que para banho.

Cacimba do Padre

Caminhando pela Cacimba do Padre, você chegará até a Baía dos Porcos. Essa foi uma das caminhadas mais bonitas que já fiz na vida. As praias são dividas pelo Morro Dois Irmãos (cartão postal de Noronha).

A Baía dos Porcos é um lugar perfeito para curtir uma “piscininha” (na maré baixa), ver os peixinhos e se divertir mergulhando. Cuidado apenas com o horário, pois se a maré subir muito, você encontrará dificuldades para retornar até a Cacimba do Padre (consulte a tábua das marés para saber qual o melhor horário para conhecer).

Baía dos Porcos

Praia da Conceição, Meio e Cachorro:

São as praias centrais da ilha de Fernando de Noronha, portanto, com maior infraestrutura (exceto a Praia do Meio, que é mais deserta).

Na Conceição você encontra um bar chamado “Duda Rei”, e no meio, entre as duas praias, você encontra um bar/restaurante, com um nome sugestivo, chamado: “Bar do Meio”.

A praia do Cachorro também é animada… Mas ela só “aparece” na maré baixa. É ali que você também vai encontrar o famoso “Buraco do Galego”, uma piscina que se forma na maré baixa, e a “Lasca da Velha”, que rende fotos surpreendentes. Eu nunca consegui fotografar em nenhuma delas, seja porque visitei a praia na hora de maré alta ou porque tinha muita fila para as fotos e acabei desistindo.

Praia do Boldró:

É uma das praias mais vazias. Lá você encontra um barzinho bem agradável! É uma praia legal para ir no final de tarde.

Atalaia:

A trilha do Atalaia é a única trilha com dificuldade média oferecida pelo ICMBio (as outras são classificadas como “dificuldade alta”).

É um lugar maravilhoso e mais maravilhoso ainda na maré baixa, tanto que é necessário consultar a tábua das marés para saber se será possível e que horas será possível mergulhar na praia do Atalaia.

Isso tudo porque é na maré baixa, graças aos corais, o lugar se torna um aquário natural.

O acesso é controlado (limite diário de visitantes e horários pré-estabelecidos – exige horário pré-agendado). São duas opções: trilha curta ou trilha longa. Agende seu horário no posto do ICMBio na Vila do Boldró e faça isso logo quando chegar na ilha, pois se demorar, pode não conseguir mais reservar.

Você precisará contratar um guia para te levar, caso opte por fazer a “trilha longa” (obrigatoriedade exigida pelo ICMBio) e deverá apresentar o ingresso para o Parque Nacional Marinho. Para a trilha curta não há necessidade de contratar um guia.

Resumindo: chega-se ao Pontal do Atalaia através de trilha. Existem duas trilhas: a curta e a longa. A curta é gratuita e não exige guia. A longa exige acompanhamento de guia.

Mais um detalhe: só é possível ficar 30 minutos na piscina natural – cada grupo tem direito a 30 minutos de flutuação – tudo é muito cronometrado e controlado.

Dica: leve seu próprio snorkel e não precisará alugar um. No local será necessário o uso de colete salva vidas por questões de preservação ambiental.

Inclua um ensaio fotográfico no roteiro

Noronha é, para mim, um dos lugares mais fotogênicos do mundo. Sendo assim, se você concorda comigo que fotos são as melhores recordações das viagens, visitar a ilha e não incluir um ensaio fotográfico no roteiro, chega a ser um “crime”!

Claro que tratei logo de procurar um excelente fotógrafo na ilha para garantir minhas fotos ao melhor estilo “Noronhe-se”. Pesquisando no Instagram, encontrei o Lito: @lito.noronha.

O diferencial do Lito é que ele oferece um combinado “passeio privativo + fotos”, ou seja, você escolhe, dentre as opções onde quer passear e fotografar. É um “tour fotográfico”.

Seguem as opções oferecidas:

1 – Praia do Bode, Cacimba do Padre e Baía dos Porcos. Caminhada com tomada de fotos em algumas das praias mais bonitas de Noronha. A Praia do Bode, o clássico Morro Dois Irmãos e o verde esmeralda da Baía dos Porcos são o cenário ideal para fotos incríveis.

2 – Praia do Sancho e mirantes da Baía dos Golfinhos e da Baía dos Porcos. Inclui mergulho de snorkel guiado na Baia do Sancho.

3 – Nascer do sol. Caminhada passando pelo Museu dos tubarões, buraco da Raquel e capelinha de São Pedro.

4 – Piscinas naturais. Piscina do Morro de Fora, Lasca da Véia e Buraco do Galego.

5 – Ilha Tour – começando às 9h e terminando ao por do sol, com opção de um roteiro clássico passando pelos principais pontos turísticos e praias da ilha, ou um roteiro exclusivo passando por pontos menos conhecidos, mas igualmente belos. Duração média de 8 horas de passeio.

6 – Mergulho fotográfico privativo na praia do Porto. Mergulho de snorkel por toda a encosta da praia do Porto onde será possível observar e fazer imagens da vida marinha de Fernando de Noronha com destaque para as tartarugas. Um dos pontos altos é a observação do navio grego naufragado, Eleni Stathatos. As belas paisagens proporcionam lindas imagens subaquáticas.

7 – Trilha do Piquinho. Caminhada em meio a vegetação nativa com pequena escalada até o alto do morro do Piquinho. Pode ser feito no final da tarde para fotos incríveis do por do sol ou no início da tarde, para registrar os inúmeros tons de azul e verde das praias da ilha.

Entre em contato com o Lito pelo Instagram, diga que viu indicação dele aqui no blog e peça para arrasar nas suas fotos assim como fez nas minhas:

Tour fotográfico – opção 1 | Por: Lito – @lito.noronha
Tour fotográfico – opção 1 | Por: Lito – @lito.noronha
Tour fotográfico – opção 1 | Por: Lito – @lito.noronha

Making of:

Onde comer em Fernando de Noronha

Apesar da ilha ser pequena, a oferta culinária é grande. Tem opções para todos os gostos e bolsos. Dica: reserve com antecedência, principalmente se quiser jantar em alguma pousada.

Segue a listinha dos restaurantes que conheci:

  • Restaurante da Pousada Teju-Açu (já fui duas vezes e continua muito bom)
  • Restaurante Mergulhão (tem uma bela vista para o Morro do Pico)
  • Xica da Silva (fica no centrinho, mais especificamente na Floresta Nova, e é um dos mais frequentados)
  • Varanda (bom custo-benefício e tem uma sobremesa de cocada com sorvete muito especial)
  • Restaurante da Pousada Maravilha (meu preferido para almoço, por conta da vista. Exige reserva)
  • Restaurante da Pousada Triboju
  • Restaurante do Nannai (no almoço para curtir a vista e no jantar para provar o menu degustação. Exige reserva prévia para o jantar)
  • Cacimba Bistrô (conheci na última viagem – abril/22 – e gostei bastante)
  • Cigana do Cajueiro (abriu depois da pandemia e tem uma proposta diferente: restaurante climatizado e com opções de comidas/peixes e hambúrgueres. Comi muito bem)
  • Fernão el Loco (abriu depois da pandemia e é um “must go”, tanto pela decoração, ambiente, quanto pelo cardápio variado, com muitas opções de tapas para compartilhar)
  • Para tomar açaí: Açaí da Villa, Mundo Verde e Noronha Roots

Custo médio para comer nos restaurantes sofisticados de Noronha: em média R$ 150,00 por pessoa (incluindo uma estrada para compartilhar, um prato principal por pessoa e uma sobremesa para compartilhar).

Outras opções:

  • Praça Flamboyant: vários restaurantes, bares, creperia e opções de refeições econômicas
  • Festival do Zé Maria (precisa ser agendado com antecedência e tem dia específico. Caso prefira, pode ir em outro dia e desfrutar do cardápio à la carte tradicional)
  • Mesa da Ana
  • Palhoça da Colina
  • Restaurante Corveta
  • Comida barata (PF): mercadinho chamado Mãezinha (na Vila dos Remédios)

Dicas gerais de Noronha

– De 4 a 5 dias é o tempo que recomendo para conhecer a ilha. Isso depende muito do seu perfil de viagem, mas a ilha é pequena e com esse tempo você pode conhecer tudo tranquilamente.

– A maior parte dos estabelecimentos aceitam cartão de crédito. Todavia, caso precise sacar dinheiro, você encontrará caixa eletrônico 24 horas no aeroporto e um Banco do Brasil que funciona nos Correios.

– Internet 4G continua sendo precária em Noronha. Se precisar de internet, certifique-se que está reservando uma pousada que fornece.

– Além de ir às praias, faça alguns passeios históricos – visite o Forte Nossa Senhora dos Remédios, o Palácio São Miguel e a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios.

– Noronha tem sério problema com água doce. Não desperdice.

– Além da trilha do Atalaia, há ainda a trilha do Morro São José (também precisa agendar no ICMBio) e a Abreus (também precisa agendar no ICMBio).

– Voltagem na ilha: 220V.

Eu sou suspeita para falar, mas Fernando de Noronha, pra mim, é o paraíso na terra, o meu destino nacional preferido! Pelo tamanho do mundo e considerando todos os lugares que ainda quero conhecer, é difícil considerar repetir o mesmo destino duas vezes, mas para Noronha eu abri exceção e já fui 3 vezes!

Em agosto de 2019, após visitar Fernando de Noronha, estendemos viagem até Porto de Galinhas. Confira aqui no blog MV todas as dicas para organizar sua viagem a Porto de Galinhas.

Salvei todos os Stories da viagem nos destaques do @maladeviagem. Tem muita dica boa lá também, não deixe de conferir.

Sempre que você faz sua reserva ou adquire um produto/serviço através de um link do MV, o blog recebe uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter o Mala de Viagem sempre atualizado!

Hospedagem

Booking.com

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

Author

Wanderlust por natureza, no meu tempo livre estou sempre programando uma nova aventura ou experiência, pois acredito que a melhor viagem é sempre a que está por vir!

36 Comments

  1. Olá Anna, adorei o seu conteúdo!

    Você já conhece o paraíso chamado Fernando de Noronha? Tem vontade de conhecer, mas não sabe por onde começar o seu roteiro? Nesse e-book te mostro todo o passo a passo de uma viagem inesquecível.
    Acessse: https://bit.ly/Melhores-Roteiros-de-Noronha

  2. Pingback: Lua de mel no Brasil: uma lista com os melhores destinos nacionais – O Blog da Mel

  3. Pingback: Destinos nacionais para viajar depois da pandemia – O Blog da Mel

  4. Pingback: São Miguel dos Milagres: dicas de hospedagem, passeios e restaurantes

  5. Pingback: Porto de Galinhas: dicas de onde ficar, onde comer e o que fazer

  6. Pingback: Região dos Lagos no Rio de Janeiro: destino nacional ao melhor "estilo caribe"

  7. Christine Ré Reply

    uhull amei as dicas de Noronha, estou animada para esta ilha!!!

  8. Ai que delícia de post!! Amei Noronha e quero voltar, estive somente por 1 dia numa viagem de navio, mas já faz quase 20 anos!! Acho que já tá na hora de voltar, né?

    • blogmaladeviagem Reply

      Com certeza Renata… Noronha merece volta!!! bjs

  9. Que post maravilhoso.. mega completo e com imagens lindas! Eu sou louca por Fernando de Noronha e há tempos nem busco mais saber o valor devido a fama de cara, mas agora animei e quem sabe não realizo o sonho de conhecer esse paraíso?

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Aline, pois é, Noronha é um destino super possível mesmo para quem não quer gastar demais, é só programar a viagem direitinho! Bjoo e muito obrigada pela visita!

  10. É um paraíso!!! As fotos estão sensacionais…esse mar as vezes nem parece pertencer ao Brasil!
    Lindo, lindo, lindo!

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Verdade né Pri, não fica nem um pouco atrás do Caribe! bjoo

  11. Quantas fotos magnificas, dá até vontade de largar tudo e correr para Noronha, essas praias são surreais, esses mergulhos com tartarugas é de tirar o fôlego, morro dois irmãos é lindo, adorei a dica de passeios e restaurantes, ótimo post, parabéns .

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Paulo, muito obrigada pela sua visita e fico muito feliz que tenha gostado do post! Abraço!!!

  12. No próximo semestre vou ao Nordeste por 4 mesesm e pensei em incluir Noronha, mas infelizmente é um destino caro. Vou ter que adiar para uma viagem única até lá e com certeza consultar seu blog que tá recheado de coisas bacanas.

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Estela, que pena que não conseguirá ir dessa vez, mas com certeza não faltarão oportunidades. Agradeço sua visita e até a próxima! bjão

  13. Anna, que surra de fotos lindas!! ♥ Amei o post e um dos meus maiores arrependimentos foi ter saído do Brasil sem conhecer essa ilha.
    Seu post só me deixou com mais vontade ainda de conhecer. Ameeeei
    Beijos!!

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Ju! Acha, nunca é tarde pra voltar e conhecer esse lugar, afinal, até o nome vc tem em comum! bjsss

  14. Anna, Noronha é apaixonante por si só, mas suas fotos colaboraram ainda mais!! Adorei as dicas, você acha que com 5 dias dá para fazer com tempo menos corrido? Vocês chegaram a conhecer o buraco do galego? Beijinhos!

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Lorena! Em Noronha com aquelas paisagens e o sol iluminando o mar, as fotos ficam realmente demais. 5 dias inteiros é um bom tempo para conhecer a ilha, mas talvez não consiga fazer todas as trilhas nesse tempo. Eu fiquei 5 dias e quase fechei tudo que queria fazer. Infelizmente não conheci o Buraco do Galego (tá aí um ótimo motivo pra voltar à ilha). O Buraco do Galego fica na Praia do Cachorro, mas ele aparece na maré baixa, e a época do ano que fui a maré não estava baixa… Beijos

  15. Muito legal! Apaixonada pelo mergulho com as tartarugas. Os golfinhos também uma graça! Parabéns pelo post!

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      May, que bom que gostou! muito obrigada pela visita! bjs

  16. Essa ilha é mágica e quem vai, não esquece jamais! Fui na época das chuvas, no Carnaval em muitos e muitos anos atrás.. kkkk… na época, nem a Cia área Azul existia.. kkk…
    Gostei de saber que a Azul tem o melhor preço e ficarei de olho nas passagens. Também gostei que detalhou cada praia, parabéns! As trilhas na ilha são fantásticas e vale conferir!
    Quando fui, caía um pé dágua de manhã cedinho e depois, o tempo firmava com um Sol de rachar. Acho que vale a pena qq época o ano. Parabéns pelo post. Bjs

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Dani, também fui durante o carnaval, mas dei sorte e quase não peguei chuva, às vezes chovia um pouco mas logo o tempo já abria novamente! Pois é, não tive tempo para fazer todas as trilhas, ta aí um ótimo motivo pra programar uma volta. Bjs.

  17. Maria Carolina Reply

    Anna, que beleza de post…revivi cada minuto que desfrutei na ilha… eu também fui em fevereiro e tive os mesmos problemas que você, mas já me programei e vou voltar agora em setembro… não resisti muito.. rsrs

  18. Agnaldo Cardoso Reply

    Oi Anna. Muito legal seu post! Fui à Noronha em 2003 e estou retornando neste ano, em novembro com minha esposa.
    Recomendo muito que visite a ilha nesta época. A vegetação não é tão bonita quanto na época de chuva, mas o mar…ah o mar, fica sensacional!
    Somos como você e queremos conhecer o mundo, mas Noronha é o lugar que merece repetir (no meu caso), então estou super ansioso pelo retorno.
    Ah, sigo vcs lá no insta tb. Sou o @agnaldocardoso.
    Um beijo e continue compartilhando suas dicas conosco! 😉

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Olá Agnaldo! fico muito feliz com sua visita aqui no blog e também por vc nos acompanhar no insta! Que privilégio poder retornar a Noronha este ano hein?! Tenho certeza que sua viagem será fantástica. Compartilhe conosco suas fotos quando retornar ok? Abraço!

  19. Aventuras Casal black Reply

    Que paraiso… acredito que é um dos lugares que mais desperta curiosidade… todo mundo quer conhecer… que lugar perfeito,as fotos ficaram lindas e as dicas são super produtivas e interessantes.

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      É verdade, desde criança eu sonhava em conhecer Fernando de Noronha, agora já sonho em voltar e poder aproveitar mais um pouquinho daquela ilha tão perfeitinha! Abraço queridos!!!

  20. Anna, que post maravilhoso! Super completo para quem deseja ir a Fernando de Noronha. Fui uma vez, mas foi em um passeio de um dia durante um cruzeiro, e só fiquei com vontade de ficar dias na ilha! Agora que já sei os melhores meses para ir (sou da turma da piscininha) posso programar melhor a data. Beijo!

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Livia!!! Nossa eu também quero muito voltar no período da “piscininha” hehehe to de olho nas passagens promocionais já! bjooo

  21. Que Post, que ilha, a algum tempo me programo pra noronha, mas esse ano não abro mão, ainda mais com esse post e dicas maravilhosas, amei as fotos, obrigado por compartilhar conosco.

    • Anna Claudia Rodrigues Reply

      Oi Chris! fico muito feliz que vc tenha gostado do post e espero ter te motivado a programar sua viagem o quanto antes. Beijo

Write A Comment

Destinos nacionais para esse inverno Passeios imperdíveis no Egito O que levar na sua mala de viagem para o Egito 11 coisas que você precisa saber antes de ir para o Egito Os 10 melhores passeios de Fernando de Noronha O que levar na mala para uma viagem de inverno Viagem do mês: 10 destinos para viajar em novembro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em outubro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em setembro Viagem do mês: 10 destinos para viajar em maio