DicasPlanejamento

7 Dicas para não errar do planejamento da sua viagem

planejamento da viagem

Programar uma viagem nem sempre é tarefa simples, pois são muitos detalhes que precisam estar perfeitamente conectados para que a viagem saia como desejado. O importante é que com dedicação e prática, as coisas vão saindo cada vez melhores. Como eu sei que a fase de planejamento ainda é desafiadora para muitos, segue uma listinha dos erros mais comuns na hora de planejar sua viagem. Cuidado para não cometê-los!

1.Viajar sem planejamento financeiro

viajar sem planejamento financeiroVocê não precisa ter muito dinheiro para viajar, mas você não pode cair na tentação de querer ir para Londres com mil reais no bolso.

O seu orçamento irá guiar sua viagem: se está com uma reserva financeira melhor, considere aquele destino mais longe e uma viagem mais duradoura. Se você está com orçamento apertado, então pesquise quais destinos aparecem na lista dos “lugares mais baratos para brasileiros”.

Nem sempre uma viagem nacional é mais barata do que uma viagem internacional, e tudo será influenciado pelo número de dias da viagem e seu padrão.

Também não recomendo se afundar em dívidas prolongadas para fazer a viagem “x”. Existem tantos países fantásticos para serem “descobertos” a um custo muito menor. E se você trocasse a Noruega pela Croácia? Os Estados Unidos pela Índia? A Austrália pelos países do sudeste asiático?

O lado bom dessa história é que sempre vai ter um destino maneiro esperando por você, basta adequá-los às suas necessidades.

Com um bom planejamento financeiro você consegue estipular um valor máximo para investir na viagem sem contrair dívidas desnecessárias.

E se ainda assim o orçamento ficar apertado, considere reduzir o número de dias da viagem, reservar um hotel mais econômico e poupar dinheiro na alimentação.

Confira também aqui no MV:

2.Não fazer um roteiro com antecedência e não calcular a média de gasto diário

faça um roteiro com antecedenciaAlém de informações sobre destino, duração da viagem, meios de transporte a serem utilizados, acrescente no seu roteiro os lugares que deseja visitar e o custo de tudo isso.

Eu gosto de fazer roteiros detalhados dia a dia (quando a viagem é de no máximo um mês, pois mais do que isso fica inviável, a meu ver, programar o dia a dia), mas isso não é regra absoluta. O importante é você definir quais cidades pretende visitar na sua viagem e os pontos turísticos desejados.

Valores de ingressos você encontra na internet. Sempre busque valores atualizados, pois na hora de calcular o gasto diário da viagem, fará diferença.

Quanto ao gasto diário de alimentação, eu penso ser a parte mais tranquila, pois gasto com comida depende da sua possibilidade (ou não) em gastar com comida!

Claro que se for possível, uma experiência gastronômica é sempre bem vinda, mas isso não precisa ser o foco principal da sua viagem.

Também recomendo que você separe um dinheiro extra (uma reserva) para o caso de acontecer algum imprevisto.

Confira também aqui no MV:

3.Visitar os pontos turísticos nos horários de pico

planejamento da viagemEmbora esse tópico tenha mais a ver com a execução do que com a programação da viagem em si, acho prudente ressaltar a importância de pensar nisso desde o momento do planejamento da viagem.

Quando estiver elaborando seu roteiro, pesquise sobre os horários de pico das atrações e opte por dias e horários alternativos. Em outras palavras: fuja da multidão.

Acorde mais cedo, durma mais tarde, mas busque sempre a melhor experiência.

Existem lugares que sem dúvida sempre estarão com muito turistas, mas já vi gente acordando 5 horas da manhã para andar praticamente sozinho na Muralha da China! Eu sou dessas e acho que vale à pena o esforço.

Por outro lado, não sendo possível, encare numa boa e aproveite do mesmo jeito. Deixa pra ficar estressado quando estiver enfrentado trânsito para chegar ao trabalho, e não na fila dos brinquedos da Disney!

4.Viajar na época errada

planejamento da viagemÉpoca certa ou errada é um conceito bem pessoal e subjetivo. Então pense o que época certa e errada pra você antes de definir a data da viagem.

Não gosta de lugares muito frios? Então ir para o Canadá em janeiro não vai ser legal.

Não gosta de lugares muito quentes? Considere isso quando for visitar o Catar ou Dubai, por exemplo.

Quer curtir agitação e festas? Então mesmo com os preços mais altos, a alta temporada é indicada para você.

Gosta de sossego e menos movimento? Pense nisso quando for planejar sua viagem de final de ano para praia.

Se o critério é financeiro, evite a alta temporada. Esses dias eu estava planejando uma viagem de réveillon e depois de muito pesquisar, não consegui encontrar um destino dentro de um custo que fizesse meus olhos brilhar.

Ainda não decidi se vou ou não viajar no final do ano, mas se eu decidir que sim, já tenho em mente que vou pagar de duas a três vezes mais em razão da época.

Também é importante pesquisar se existe alguma época do ano não indicada para viajar ao destino desejado, pois isso pode prejudicar muito sua viagem (ou até mesmo ser perigoso). Portando, fuja de épocas muito chuvosas, nevascas, com risco de furacões, monções e outros fenômenos meteorológicos como esses.

5.Viajar com muita bagagem

planejamento da viagemO excesso é desnecessário e só vai te causar do de cabeça (ou melhor: dor nas costas).

Você não precisa de muita coisa, não precisa de um monte de sapatos, não precisa de um milhão de maquiagens…

Para viajar com qualidade a gente precisa ser prático! Quanto mais leve você embarcar, mais irá aproveitar sua viagem, não tenha dúvida.

Eu sempre opto por roupas que não amassam, que ocupam menos espaço na mala e que combinem entre si.

Em relação aos sapatos a mesma coisa: tênis leve, chinelo, uma sapatilha ou rasteirinha (no caso de viagem de frio, substituo por uma botinha confortável).

Experimente viajar com menos!

Leia também aqui no MV:

6.Fazer tudo na última hora

planejamento da viagemProvidenciar os documento na última hora, comprar passagens na última hora, reservar hospedagem na última hora, reservar passeios na última hora, fazer as malas na última hora…

Tudo que é feito na última hora, há grande probabilidade de ser mais caro ou de não sair como o esperado.

No caso das passagens aéreas, o ideal é respeitar os seguintes prazos na hora da compra:

BAIXA TEMPORADA
VOOS NACIONAIS De 25 a 40 dias de antecedência
VOOS INTERNACIONAIS De 1 mês a 2 meses de antecedência
ALTA TEMPORADA
VOOS NACIONAIS De 2 a 3 meses de antecedência
VOOS INTERNACIONAIS De 3 a 4 meses de antecedência

Eu sei que na correria do dia a dia, muitas acabamos deixando para amanhã o que deveríamos fazer hoje! Mas não deixe isso acontecer com sua viagem, tire um tempinho, acorde um pouco mais cedo, e planeje com antecedência para não ter problemas maiores depois!

Confira também aqui no MV:

7.Não pesquisar as leis, os costumes e cultura do destino

planejamento da viagemPrincipalmente no caso dos destinos considerados “exóticos”, estudar a cultura os costumes locais é imprescindível. Não apenas uma atitude prudente para não comer gafes, mas até mesmo para se manter em segurança.

Nos Estados Unidos, por exemplo, é proibido beber bebida alcoólica em lugares públicos. Imagina ter problemas com a polícia por conta disso?

Em diversos países do sudeste asiáticos, mulheres devem estar com ombros cobertos para visitar os templos e mesquitas.

Em outras situações, não saber o mínimo geral sobre a cultura local, pode te colocar em situação constrangedora e isso acaba com a vibe da viagem… Então cuidado!

Pesquise, informe-se. O mundo é globalizado, mas as regras, culturas e costumes locais ainda coexistem com a globalização.

8.Ser lesado e não buscar seus direitos

planejamento da viagemSeu voo atrasou ou foi cancelado? Sua bagagem chegou danificada ou foi extraviada? Teve problemas com a reserva do seu hotel? O passeio que comprou não era como prometido?

Resolva momentaneamente a situação e depois busque os seus direitos como consumidor viajante. Não deixe “pra lá”, pois esses danos devem ser indenizados.

A indenização poderá ser material (correspondente ao prejuízo financeiro) e/ou moral (correspondente ao dano extra-patrimonial sofrido).

Geralmente esse problemas geram ações menos complexas, que podem ser solucionadas no âmbito do Juizado Especial, às vezes sem mesmo necessidade de contratação de advogado (para causas de até vinte salários mínimos se for no âmbito da justiça estadual ou sessenta salários mínimos na justiça federal).

Por mais que você pense: não quero ter mais dor de cabeça com isso, vai por mim:

A pior parte já passou! Se você resolveu (como dava para resolver na hora) o problema, agora é hora de ser recompensado em razão da lesão que lhe foi causada.

Lembre-se que o retorno financeiro pode ser utilizado para pagar os custos da sua próxima viagem!

Leia também aqui no MV:

 

Se você ama viajar e quer aprender como viajar muito mais, gastando muito menos do que está acostumada, quero te convidar para conhecer o Projeto Viaje o Dobro Gastando a Metade. No vídeo de abertura do curso, além de entender como funciona o projeto, você terá dicas para por em prática já na sua próxima viagem!

Abraço,

Anna.

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!