Veneza

O que fazer em Veneza: roteiro de 2 ou 3 dias na cidade

Veneza-ensaio-canal-grande

Sempre tive muita vontade de conhecer Veneza, mas tinha um certo receio sobre o que iria encontrar por lá, pois já ouvi pessoas tecendo milhões de elogios a ela, enquanto outras apresentavam uma lista de críticas. Pois hoje te apresento a minha Veneza: a cidade mais encantadora e charmosa que já conheci!

História de Veneza 

Veneza, a capital da região de Vêneto, no norte da Itália, é formada por 117 pequenas ilhas em uma lagoa no Mar Adriático.

Como já se poderia imaginar, é classificada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Veneza, Murano, Burano e olhas ilhas (menos famosas) compõem a Comuna de Veneza.

Veneza começou a surgir a partir de 452, quando as pessoas que viviam nas proximidades estavam fugindo das invasões bárbaras e buscavam refúgio nas ilhas do mar Adriático.

Já foi uma das principais cidades da Itália e de toda a Europa durante a Idade Média e o Renascimento. Também foi um importante centro comercial e artístico entre o século XIII até o final do século XVII.

Atualmente apenas cerca de 60 mil pessoas vivem na cidade histórica de Veneza. A rotina complicada que exige deslocamento de barcos pelos canais, aliado ao intenso fluxo de turistas, faz com que, a cada ano, mais e mais pessoas deixem para trás sua vida na cidade histórica de Veneza, mudando-se para as cidades vizinhas como Mestre, Pádua e Treviso.

Veneza (cidade histórica) é dividida em 6 bairros: Cannaregio (entrada da cidade), Santa Croce (entrada da cidade também), Castelo (a maioria dos hotéis de luxo estão lá), Dorsoduro (maior número de galerias e museus), San Marco (centro) e San Polo (o bairro mais boêmio).

Dúvida geral da galera: já ouvi dizer muito por aí que Veneza era uma cidade fedida… Exceto um canto ou outro (raras exceções), achei Veneza bem cheirosinha!

Piazza San Marco
Piazza San Marco – principal praça de Veneza

Fuso horário

O horário da Itália padrão é UTC/GTM +1. Quando chega o horário de verão italiano, o fuso da Itália passa a ser UTC/GMT+2.

O horário de verão começa às 02:00 UTC do último domingo do mês de março, sendo acrescido de uma hora, e vai até às 02:00 UTC do último domingo do mês de outubro. 

Sendo assim, a diferença de fuso horário entre Brasil e Veneza (e toda a Itália) varia durante o ano: entre cinco (quando se tem horário de verão somente na Itália) e três horas (quando se tem horário de verão apenas no Brasil).

Canal Grande Veneza | foto: @bethina.baumgratz

Moeda e idioma

A moeda na Itália é o euro e o idioma o italiano.

Recomendo sempre levar euro. Caso leve real, infelizmente não encontrará boa cotação para troca na Europa.

Cartão de crédito deve ser visto como uma segunda opção, pois sobre as compras feitas no exterior, incide IOF de 6,38%. Caso opte por fazer uso do cartão em sua viagem, não esqueça de solicitar liberação do banco (nem todos os cartões exigem esse procedimento, mas sempre válido alertar sobre eventual necessidade).

O idioma oficial é o italiano, e poucas pessoas falam inglês como segunda língua. Em hotéis e restaurantes você não terá dificuldade em encontrar pessoas que falam inglês, mas se precisar pedir informação na rua, verá que pouca gente fala inglês.

Se você se sente inseguro em viajar para algum país por não sentir familiaridade com a língua, ter um celular com internet vai te ajudar bastante.

Leitor do blog MV tem 10% na aquisição do chip de celular Simpremium ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aqui para pedir o seu!

Guia completo da Itália
Um dos charmosos canais de Veneza

Como chegar em Veneza

Não há voos diretos do Brasil para Veneza (aeroporto Marco Polo – VCE).

São companhias que voam para Veneza (com conexão): TAP, Alitalia, Air France, British Airway, Iberia, Lufthansa, KLM, Emirates, Delta, LATAM, Turkish, Swiss, Air Europa, Qatar, Air Canada, United e Royal Air Maroc.

Se você já está na Itália, pode chegar até Veneza de trem ou alugando um carro. Considerando que carros não transitam em Veneza, e que você teria que deixá-lo estacionado fora da ilha, entendo que trem continua sendo a melhor opção.

Antes de Veneza eu estava em Florença e, de lá, peguei o trem da Italo até Veneza. Super prático e confortável. Recomendo muito o uso de trem para locomoção pela Itália.

Meu trajeto foi o seguinte:

  • Firenze (SMN) – Venezia (ME – Mestre) – na categoria Comfort (classe intermediária): paguei 40€ na passagem.

Para entender melhor como funciona o uso de trem para conhecer a Itália, recomendo a leitura do meu Guia Completo sobre a Itália (tópico: Como se locomover na Itália), pois lá encontrará todas as informações necessárias para organizar sua viagem.

Atente-se a qual estação irá chegar, pois Veneza Mestre não é a Veneza que você pretende conhecer. Veneza Mestre fica pertinho da Veneza turística, mas com ela não se confunde.

Eu cheguei em Veneza Mestre, pois dormi por lá a primeira noite, mas se você pegar hotel na cidade histórica de Veneza, deve comprar passagem de trem para Venezia Santa Lucia.

Veneza vista da Fondaco dei Tadeschi
Veneza vista da Fondaco dei Tadeschi

Documentos para ingressar em Veneza

Caso você esteja chegando de avião em Veneza, ser-lhe-á exigido passaporte válido e seguro viagem obrigatório.

Leia também aqui no MV: Como emitir ou renovar seu passaporte

No site do Seguros Promo você pode fazer uma comparação detalhada de maneira rápida e fácil os preços de diferentes de seguros ofertados, analisando qual possui o melhor custo benefício para a sua viagem. Contrate AQUI seu seguro viagem com desconto utilizando o cupom MALADEVIAGEM5.

Não é necessário visto nem vacina contra febre amarela para ingressar na Itália.

Chegue com internet

Viajar com internet em tempo integral não é apenas um capricho, mas sim uma questão de necessidade.

Muita gente me pergunta se é tranquilo viajar para outro país ainda que você não fale a língua nativa ou pelo menos inglês. E para essa pergunta eu mantenho sempre a mesma resposta: não deixe de viajar porque você não fala outro idioma, mas não viaje sem internet no seu celular.

Pensando no conforto da minha viagem, na segurança de ter tudo ao meu alcance quando precisar, bem como no meu desejo em compartilhar todos os acontecimentos em tempo real com vocês, é que sempre utilizo em minhas viagens o chip de internet da SimPremium.

A SimPremium me envia o chip ainda no Brasil, recebo-o na minha casa e quando desembarco no destino final, já estou conectada. A empresa é parceria do blog MV e me acompanhou também na Itália.

Nessa viagem (14 dias) contratei o plano de 12 gigas e foi o suficiente para todos os dias, utilizando a internet desde a hora que acordei até a hora que dormi, gravando Stories e postando conteúdo o dia todo.

Leitor do blog MV tem 10% na aquisição do chip ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aqui para pedir o seu!

Viaje com pouca bagagem

Se não quiser gastar uma pequena fortuna com o taxi-boat, tampouco depender do Vaporetto quando chegar na cidade, recomendo levar pouca bagagem, pois apenas assim poderá se deslocar até seu hotel sem grande sacrifício (lembrando que Veneza é cheia de pontes e escadas).

Se não conseguir viajar somente com mala de bordo, considere levar uma mala de bordo + uma mala de tamanho médio para duas pessoas.

Foi exatamente o que fizemos e isso foi essencial para que pudéssemos levar todos nossos pertences de um lado a outro, sem grande dificuldade.

Para poupar mais espaço, levei um sáculo à vácuo para guardar as roupas sujas no decorrer da viagem. 

Para essa viagem, fiz pedido da minha mala de bordo Primicia no site Portal das Malas

O Portal das Malas é um site confiável e prático para quem quer comprar malas, mochilas e acessórios para viagem de qualidade e com ótimos preços. Sempre há boas promoções.

Inclusive, leitor do blog MV, além dos descontos já computados no próprio Portal das Malas, tem mais 5% de desconto com o cupom BLOGMALADEVIAGEM – clique aqui para comprar sua mala com mais desconto.

Segurança em Veneza

Crimes com violência não são comuns na Itália, mas furtos (pickpockets) acontecem com frequência, principalmente nas cidades maiores, com maior concentração de pessoas, sobretudo de turistas.

Embora Roma e Milão sejam cidades mais propensas aos pequenos furtos, em Veneza também devemos ficar ligados, pois é uma cidade sempre muito cheia.

Fique sempre esperto com seus pertences pessoais e nunca os deixe desassistidos. Em restaurantes, o recomendado é manter a bolsa no colo, ao invés de apoiá-la na cadeira, por exemplo.

Nos transportes públicos, tire a bolsa ou mochila das costas e coloque todos os seus pertences dentro do seu campo de visão.

Precaução nunca é demais, mas já adianto que me senti muito segura em Veneza.

Fim de tarde em Veneza Veneza | foto: @bethina.baumgratz

Quando ir

Veneza pode ser visitada durante todo o ano e será apaixonante em qualquer estação.

Se você é do grupo que prefere calor, melhor os meses de quentes (abril a setembro). Para quem é do time do frio, melhor optar por conhecer Veneza no outono ou inverno (outubro a março).

Nos meses de novembro e dezembro pode acontecer a maré alta (Acqua Alta), que inunda parcialmente a cidade durante algumas horas do dia.

Julho e agosto (verão europeu + férias) são os meses mais cheios. Se gosta de apreciar os lugares sem a sensação de “formigueiro”, evite esses meses.

Para visitar a cidade durante seu evento mais famoso – Carnaval de Veneza – viaje no final de janeiro e fevereiro (mas confirme a data certa antes).

Fui em junho, peguei dias ensolarados e a cidade lotada. Para aproveitar bastante, acordava bem cedinho – só assim para andar nos becos e ruelas sem esbarrar nas pessoas. Por volta das 10 horas da manhã a cidade já ficava repleta de pessoas.

Quantos dias ficar em Veneza

Veneza é uma das cidades mais cobiçadas da Itália. Difícil encontrar alguém que dispense uma passadinha, ainda que rápida, por ela.

O mais legal é que, ainda que seu roteiro seja apertado, provavelmente encontrará um espacinho para Veneza, visto que 2 dias são suficientes para conhecer o tradicional da cidade.

Se tiver tempo sobrando, pode incluir mais um dia e visitar as ilhas de Murano e Burano, num bate-volta de um dia.

Porém, se tiver apenas 2 dias, não recomendo abrir mão do seu tempo para conhecer tais ilhas.

Estive apenas em Murano, mas confesso que me arrependi, pois queria ter ficado mais em Veneza (tinha apenas 2 dias). Burano não cheguei a ir, pois é um pouco mais longe de Veneza.

A ilha de Veneza não é grande. Com disposição você pode fazer tudo caminhando, o que eu realmente aconselho, pois você terá a oportunidade de conhecer uma cidade totalmente diferente de tudo que já viu!

Como se locomover em Veneza

Taxi-boat privado

Esse é o famoso taxi de Veneza.

Uma lancha chiquetosa e privativa que você contrata para te levar de um lado a outro da ilha.

O taxi-boat é uma forma de locomoção bastante utilizada para quem chegar em Veneza de avião ou para quem quer conhecer com mais conforto e luxo as ilhas de Murano e Burano.

Também é possível comprar passeios privativos por Veneza utilizando um taxi-boat como transporte.

Embora seja a forma mais cara de locomoção em Veneza, pode ser a melhor opção para quem viaja em família (4 pessoas), visto que você paga pelo barco, e não por pessoa.

Algumas pessoas até trocam o tradicional passeio de gôndola pelo de taxi-boat.

Vaporetto

O Vaporetto/ACTV é o transporte público (um waterbus) por excelência de Veneza.

Na cidade histórica de Veneza não circulam carros, então se você quiser ir de um lado a outro de outra forma que não a pé, o Vaporetto é a forma mais tradicional e barata.

Na maioria das linhas, ele funciona das 4:30 até 00:30. O bilhete simples dura 60 minutos e custa 7,50 €.

Também há opção compra de bilhete para 12, 24, 36, 48, 72 horas ou 7 dias seguidos. Não esqueça de validar o seu bilhete antes de embarcar.

Fiz uso do Vaporetto para ir até a estação de trem Santa Lucia, bem como para ir até a ilha de Murano.

Não senti necessidade de utilizar o Vaporetto para locomoção na cidade histórica de Veneza, pois é possível e agradável fazer tudo caminhando.

Ônibus

Você provavelmente só utilizará o ônibus se ficar hospedado em Veneza Mestre (e mesmo ainda talvez só use o trem).

Se estiver hospedado em Veneza (cidade histórica), não fará uso dele, pois, assim como carros, ônibus também não circulam por ali (não há ruas, apenas ruelas para trânsito de pedestres e os famosos canais).

Onde se hospedar em Veneza

Passei apenas 2 noites em Veneza e, considerando que minha chegada já foi às 20 horas, optei por pegar um trem de Florença até Veneza Mestre e dormir por ali. A ideia foi mesmo economizar com hospedagem nesse primeiro dia e pegar um hotel mais luxuoso na segunda noite.

Para primeira noite optei pelo Hilton Garden Inn Venice Mestre San Giuliano, um hotel novo, 4 estrelas, com quarto amplo, cama king-size muito confortável e café da manhã incluído.

Chegando na estação de Veneza Mestre, pegamos um ônibus até o hotel, como era domingo, tivemos um pouco de dificuldade para chegar, embora houvesse uma estação absolutamente na frente do hotel.

Como no horário que chegamos já não havia mais ônibus que fizesse exatamente aquela rota (ou, se tinha, não conseguimos descobrir qual ônibus era), acabamos pegando um ônibus que deixava numa parada próxima, mas foi meio desconfortável carregar as malas até o hotel.

O Google Maps e o Moovit costumam ser ótimos aplicativos para calcular as rotas e te dar a melhor opção para chegar no ponto desejado, mas em Veneza Mestre os números dos ônibus que apareciam nos aplicativos, não batiam com os números que apareciam na estação. Achei confuso e no final das contas era melhor ter pego um taxi mesmo.

Porém, no dia seguinte foi bem fácil: compramos o passe do ônibus na própria recepção do hotel e bem ali na frente já estava o ponto onde passou o ônibus que nos levou até Veneza (cidade histórica).

*A outra opção, caso você decida passar uma noite em Mestre, é pegar um hotel pertinho da estação, pois assim você chegará de trem, poderá ir direto para o hotel caminhando e, no dia seguinte, pegar um trem até Veneza. Acho que se eu tivesse pensado melhor teria feito isso.

Seguem aqui algumas sugestões de hotéis perto da estação Veneza Mestre: confira.

Chegando em Veneza, a depender da distância do seu hotel, você pode pegar um Vaporetto para chegar até ele (ou ir caminhando).

Em Veneza optei por reservar o Hotel Palazzo Veneziano – excelente! Hotel 4 estrelas, novo, moderninho, bem decorado, com banheiros em mármore, café da manhã (delicioso) incluído e o nosso quarto ainda tinha vista para o canal… O oposto daqueles hotéis velhos e com mofo que ouvimos dizer que são tão comuns em Veneza.

O Palazzo Veneziano fica próximo ao ponto das balsas S. Basilio, a 1,4 km da estação de trem Santa Lucia e a menos de 2 km da Basílica de São Marcos. Adorei a região do hotel, no distrito de Dorsoduro.

O que fazer – roteiro em Veneza

De todas as cidades pelas quais passei na Itália, Veneza é a que me deu menos trabalho na organização do roteiro, pois o segredo é: andar e se perder – como resultado, provavelmente mais cedo ou mais tarde você irá se localizar e perceber que já rodou praticamente a ilha toda!

Dois dias é tempo suficiente para conhecer a ilha, mas ainda assim fiquei com gostinho de quero mais! Veneza é puro charme e hoje se tornou praticamente uma cidade cenográfica. Cada cantinho é mágico e eu não queria parar de filmar e tirar fotos.

No seu roteiro, inclua os seguintes pontos de interesse:

Piazza San Marco

A Piazza San Marco é a principal praça de Veneza e, possivelmente, você passará por ela mais de uma vez durante seu tempo na cidade.

É na Piazza San Marco que fica Basílica di San Marco, o Campanário e Torre do Relógio, entre outras atrações sobre as quais vou escrever agora:

A entrada na Basílica é gratuita (mas costuma ter fila e não pode entrar com mochila), mas dentro da igreja há pequenos museus, cujas entradas são pagas.

A basílica possui planta em cruz grega no estilo bizantino, é adornada por mosaicos de ouro e bronze, que totalizam 8 mil metros quadrados de mosaicos que cobrem toda sua parte interna.

Basílica de San Marco em Veneza
Basílica di San Marco em Veneza

Ao lado da Basílica você verá o Campanário di San Marco, uma torre com quase 100 metros de altura. A subida é paga – 8 euros – (não cheguei a subir) e quem sobe garante que a vista vale a pena.

O terceiro ponto de interesse na praça é a Torre do Relógio (Torre dell’Orologio), edifício renascentista construído entre os anos de 1496 e 1499. O mais curioso é que, além das horas, o relógio mostra o dia, as fases da lua e o zodíaco.

As estátuas de de bronze significam a passagem do tempo, representada por um homem jovem e outro mais velho, que batem as horas no sino.

Torre do Relógio na Piazza San Marco
Torre do Relógio na Piazza San Marco

Ainda na praça você verá as colunas de granito de San Marco e San Teodoro, que foram trazidas de Constantinopla. Numa delas está o Leão Alado representando São Marcos e na outra está São Teodoro, padroeiro de Veneza até 828.

Entre as colinas ocorriam as execuções públicas, principalmente durante a Idade Média.

Se você quer incluir um museu na sua visita a Veneza, aproveite para conhecer o Palazzo Ducale, que está situado em um palácio gótico do século XIV, que já foi a residência do Doge de Veneza (sede do governo). O ingresso deve ser comprado com antecedência pelo site oficial.

Por fim, um dos cafés mais antigos do mundo está na Piazza San Marco: o chamado Caffè Florian, eleito também um dos cafés mais bonitos do planeta.

Se você quer facilitar a organização da sua viagem, comprando os ingressos para as atrações num só lugar, recomendo que o faça pelo Get Your Guide, pois a plataforma oferece entradas para atrações, tours, passeios em grupo ou privado no mundo todo. Comprando com antecedência você agenda o horário e evita filas.

Guia completo da Itália
Noite na Piazza San Marco em Veneza | foto: @bethina.baumgratz

Museu de Belas Artes

O Museu de Belas Artes (L’accademia di Belle Arti di Venezia) ou simplesmente Accademia (Campo della Carita, 1050), foi fundado em 1750 pelo Senado Veneziano, tido como uma das primeiras instituições a estudar a restauração de obras de arte. Seu acervo possui obras de TintorettoTizianoVeroneseVasari e da Vinci.

O museu abre de segunda (8:15 às 14h) e de terça a domingo (8:15 às 19:15) e o ingresso custa € 12,00.

Fondaco dei Tadeschi

Um shopping ao estilo Galeries Lafayette de Paris: local ideal para compra de produtos de grife.

Mas se compras não for seu foco na viagem, ainda assim indico a visita, principalmente ao rooftop, de onde se tem uma linda vista de Veneza.

Para ter acesso ao rooftop você precisa agendar. O acesso é gratuito, mas exige uma reserva prévia, que pode ser feita no mesmo dia.

fondaco-rooftop-terrace
Fondaco dei Tadeschi – bela vista de Veneza

As pontes

Todas elas têm o seu charme (você passará por muitas), mas eu destaco 4 em especial:

Ponte dos Suspiros: obra de Antonio Contin e construída em 1600 em estilo barroco, a ponte está localizada perto da Piazza San Marco, recebeu esse nome por ser o último lugar onde os prisioneiros passavam (e suspiravam ainda em liberdade) antes de serem levados à prisão Prigione Nove (a prisão da inquisição).

Ponte Rialto: eis a ponte mais famosa de Veneza, justamente por ter sido a primeira ponte construída ligando as duas margens do Canal Grande (foi construída no ponto mais estreito do canal).

A elaboração de seu design levou grandes arquitetos do século XVI (Michelangelo, Sansovino e Palladio) entrarem numa disputa. Porém, no final das contas, o projeto vencedor foi o de Antonio da Ponte.

Já houve duas pontes anteriores no lugar: a primeira era de madeira e entrou em colapso em 1444, quando não aguentou o peso da multidão que se agrupava para ver a cerimônia de casamento de Marchese di Ferrara; a segunda era uma ponte levadiça, que permitia a passagem de altos mastros de barcos, mas também entrou em colapso.

A ponte é realmente bonita (embora não tenha sido a minha preferida), toda branca, cheia de arcos e duas rampas onde você encontrará muitas lojas. Se sua viagem for na alta temporada, recomendo passar pela ponte cedinho, pois depois de algumas horas ela se torna um dos lugres mais lotados de Veneza.

Ponte da Academia: a Ponte dell’Accademia (o nome faz referência à Academia de Belas Artes de Veneza, localizada nas proximidades) foi construída em 1933 e é obra de Eugenio Miozzi. Toda feita em madeira, é uma das pontes mais bonitas de Veneza e, também, dona de uma vista espetacular.

Ponte da Constituição: também conhecida como a ponte de Calatrava (é obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava), é uma das pontes sobre o Grande Canal, unindo a Piazzale Roma à estação de Santa Lucia. Inaugurada em setembro de 2008, foge ao estilo rústico visto nas demais pontes de Veneza, visto que apresenta um ar bem moderno (realmente se eu visse uma foto dela por aí, jamais diria que era uma ponte de Veneza).

Os Canais

O principal canal de Veneza é o Canal Grande, que corta a cidade em formato “S”.

No Canal Grande você verá todas as formas de transportes aquáticos que circulam em Veneza: os Vaporettos, water-taxis, as gôndolas, barcos privados.

Canal Grande em Veneza
Canal Grande – Veneza

Embora o Canal Grande seja o principal, o que mais atrai a atenção dos turistas são mesmo os pequenos canais que cortam a cidade. São mais de 150 deles e cada um tem seu charme. Eu ficava encantada cada vez que passava por um canal e me deparava com uma gôndola vindo – muito cena de filme!

Pausa para um Aperol no Canal Grande | foto: @bethina.baumgratz

Passeio de gôndola

Sem dúvida o passeio mais controverso de Veneza! Alguns amam e outros odeiam… Difícil falar sobre algo tão controvertido, principalmente quando eu sei que, dependendo do que eu disser, você fará ou não o passeio. Então peço licença para ser bem prática (embora o passeio seja algo tido como romântico).

Eu considero um passeio caro: 80 ou 100 euros por meia hora (e mais caro se for por mais tempo).

O preço muda a certa hora do dia: até às 19 horas custa 80 euros; a partir das 19 horas, custa 100 euros (passeio de 30 minutos).

Se fizer questão de fazer o passeio, mas estiver com o orçamento apertado, você pode dividir a gôndola com outras pessoas. Fiquei sabendo (em off) que rola uma zoação com os brasileiros, pois somos conhecidos como os turistas mais adeptos da ideia de “dividir gôndola para pagar mais barato”.

Conclusão: se 80 ou 100 euros não fizer diferença no seu orçamento da viagem e você estiver curioso para saber como é o passeio, faça!

Se você quiser muito fazer o passeio, mas estiver receio de não gostar e depois sentir falta dos euros que se foram, então considere a ideia de dividir a gôndola (vai perder um pouco do romantismo, mas 40 euros é “bem mais de boa…”).

Se estiver programando um momento especial do tipo “pedir a namorada em casamento”, comemorar uma data importante, fazer um ensaio fotográfico ou algo do tipo, então faça o passeio, pois não encontrará outro cenário mais propício.

Porém, se não fizer muita questão, não estiver comemorando nada em especial e/ou tiver dúvida se o passeio vale mesmo a pena, melhor deixar quieto e gastar o dinheiro com comida!

Nosso passeio de gôndola valeu a pena, pois foi um dos cenários (o mais bonito deles) para o nosso ensaio com a Bethina Baumgratz, fotógrafa brasileira maravilhosa na Itália!

O gondoleiro conta um pouco sobre a história de Veneza e algumas curiosidades sobre a cidade. O nosso não era muito de cantar não, mas se você der sorte, pega um gondoleiro cantor para incrementar seu passeio.

Não da para dizer que o passeio de gôndola tem seu glamour, mas se optar por fazer, não vai cair na besteira de ficar convertendo os 80/100 euros em real e analisando se vale o custo… Curta o momento e seja feliz!

Guia completo da Itália
Simplesmente um tiro em forma de foto | Foto: @bethina.baumgratz

Ensaio fotográfico

Se amo fazer ensaio fotográfico pelo mundo afora. Primeiro porque acho que as fotografias são as melhores recordações das viagens, segundo porque eu adoro o momento do ensaio (acho super divertido e ainda aproveito para conhecer cantinhos diferentes e mega fotogênicos), terceiro porque quem acompanha o Mala de Viagem no Instagram e aqui no blog, adora boas recomendações como esta.

E desse mundo todo, se tem dois lugares que são perfeitos para um ensaio (principalmente de casal), esses lugares são: Paris (confira aqui nosso ensaio em Paris) e Veneza.

Logo que defini meu roteiro e os dias que estaria em Veneza, comecei a procurar por um(a) profissional que fizesse ensaios na cidade. Fucei um pouquinho no Instagram e logo encontrei a Bethina Baumgratz – fotógrafa brasileira na Itália – e fiquei encantada com o trabalho dela.

A Bethina mora em uma cidade perto de Veneza, faz ensaios de clientes em Veneza, em toda a Itália e até mesmo em outras cidades da Europa.

Logo que acertei os detalhes com a Bethina, ela me apresentou também a Thais Fritzen, brasileira, maquiadora e que trabalha junto com ela!

Fechamos um combo de maquiagem + ensaio! Até então eu já tinha feito vários ensaios nas minhas viagens, mas foi o primeiro que ofereceu a oportunidade de maquiagem antes das fotos! Achei incrível a ideia, pois com a make, as fotos ficaram ainda melhores.

As meninas trabalham com clientes que desejam ensaio de casal (inclusive comemorações especiais e até casamentos), família, amigos, sozinho… Vai da sua necessidade! Recomendo demais o trabalho delas e o resultado você pode conferir aqui nesse post (as fotos feitas no ensaio estão com legenda informando).

Guia completo da Itália
19:00 em Veneza (junho) | Foto: @bethina.baumgratz

Murano, Burano e Torcello

Só recomendo visita às ilhas de Murano e Burano se estiver com um dia extra, pois assim pode deixar 2 dias completos para Veneza e o terceiro para as ilhas vizinhas.

Murano (pequena ilha com 5 mil habitantes) é famosa pelos vidros. Em Veneza você encontrará várias lojas que vendem vidros Murano, mas se quiser ir direto na fonte e ver o processo de fabricação manual, terá que ir até a ilha de Murano.

A ilha em si não é muito bonita, em beleza, fica muito atrás de Veneza, mas vale a pena se você estiver com tempo extra e quiser conhecer o processo de fabricação em uma fábrica de vidro, como eu disse.

Murano
Murano

Eu me arrependi de ter ido, pois só fiquei 2 dias por ali e ainda tinha coisas para fazer e Veneza. Por outro lado, é uma forma de incentivar os produtos locais e as pessoas que ainda vivem ali e têm o vidro como fonte de renda.

Ps. não espere encontrar preços baratos. Murano é caro mesmo em Murano.

Para chegar em Murano, a forma mais indicada é pegar um Vaporetto.

Burano é a famosa ilha das “casinhas coloridas”. Aparenta ser mais bonitinha que Murano, mas não tive tempo para conhece-la, pois fica um pouco mais longe de Veneza.

Você pode ir a Burano após visitar Murano, também de Vaporetto.

A terceira ilha que pode ser visitada no mesmo dia é Torcello (5 minutos de distância de Burano). Trata-se de uma ilha mais rural e bem diferente das paisagens de Veneza. É em Torcello que está o edifício mais antigo de toda a Laguna: a Basílica de Santa María dell’Assunta, de 639.

Dica bônus

Se sobrar um tempinho, inclua a Libreria Acqua Alta no roteiro (super fotogênica) e um tradicional Bellini no Harry’s Bar (Via Vittorio Veneto, 150).

O Harry’s Bar era a antiga Pastelaria Golden Gate, que existia desde 1918. Em 1958 se tornou um American Bar Restaurante, abrindo as portas como Harry’s Bar em 1959.

Ficou famoso internacionalmente após 1960, quando foi cenário para trecho do filme La Dolce Vita, de Federico Fellini.

Veneza combina com?

Salvei todos os Stories da Itália nos destaques do @maladeviagem. Tem muita dica boa lá também, não deixe de conferir.

Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem – aproveita e me segue lá também!

Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.

Salve esse post no Pinterest:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!