AméricasColômbiaSan Andrés

O Caribe que você pode pagar: o que fazer em San Andrés

o caribe que voce pode pagar - San Andres (2)

Chegou a hora do post sobre o assunto mais esperado sobre San Andrés, obaaa! Hoje vamos falar sobre os passeios imperdíveis na Ilha de San Andrés e, como Rodrigo e eu fizemos vários, vou poder te ajudar a programar essa parte da sua viagem, falando sobre como são os passeios que fizemos e os valores de cada um também! Enjoy it!

Ficamos em San Andrés do dia 04 até o dia 11 de maio de 2017 e todos os dias fizemos passeios, um ou dois, a depender do dia.

Você consegue facilmente incluir mais de um passeio no seu dia, caso haja necessidade, pois geralmente eles não demoram mais do que meio período. Como ficamos bastante tempo na ilha, então dessa vez a gente não tinha muita pressa não… Fizemos os passeios tranquilamente e intercalamos com um tempo pra relaxar embaixo dos coqueiros da praia central de Peatonal.

Chegamos em San Andrés no dia 04/05 já no final da tarde, então depois de deixar as coisas no hotel e tomar queeeele banho bom, fomos para o centro conhecer o calçadão, as lojinhas, restaurantes e ir atrás de comprar os passeios.

É super normal chegar em San Andrés sem nenhum passeio comprado, pois isso você pode organizar lá mesmo. O importante é que você chegue já sabendo quais passeios quer fazer e como eles funcionam, e nessa parte eu vou te ajudar.

Quando você estiver caminhando pelo calçadão, muita gente vai te parar perguntando se você quer comprar passeios, e isso acontece o tempo todo (como na maioria dos lugares turísticos).

Você pode comprar com esses vendedores ambulantes ou ir em alguma lojinha/agência. Os passeios são os mesmos (opções não mudam), mas há sim diferença de valores, então duas dicas:

1.Se você comprar todos os passeios no mesmo lugar/com a mesma pessoa, provavelmente conseguirá um desconto melhor no final. Tem que pechinchar mesmo tá?

2.Já chegue para comprar com seu “cronograma de passeios” pré-montado, pois assim você economizará bastante tempo.

Onde compramos os passeios?

Compramos em uma “miniagência” chamada Oasis Tour. Ela fica no calçadão da praia central, um pouco pra frente do hotel Casa Blanca. Recomendo o lugar. Tivemos descontos, e a programação e os passeios foram cumpridos conforme o combinado, inclusive depois tivemos que fazer algumas alterações de dias e horários, e eles fizeram sem nenhum problema.

Se você quiser saber onde é a Oasis Tour, no final desse vídeo eu mostro o lugar e a localização da agência:

Quanto aos descontos, cumpre fazer uma observação: às vezes você ganha em um e perde em outro, ou seja, é normal pagar 5.000 COPs menos num passeio, e no outro pagar 5.000 COPs a mais. Falo isso porque depois concluímos que pagamos um pouco menos em alguns e um pouco mais em outros, mas no final das contas ficou na média geral de preços.

Quando você compra o passeio com determinada pessoa ou em determinado lugar, não significa que são eles que farão os passeios com você. Na verdade os passeios são feitos por outras pessoas e os vendedores são apenas intermediários.

Assim, compramos os passeios na agência, mas lá eles nos explicaram onde tínhamos que ir, que horas e com quem falar, pois cada passeio era num lugar diferente, feito por uma pessoa diferente…

Mas isso eu explico certinho quando falar de cada passeio separado. A ideia inicial é só te mostrar como funciona pra você comprar os passeios.

Ah, existe um passeio que eu super recomendo que eu comprei direto com a pessoa que faz. É o snorkeling na barreira de corais com o Fernando da Caribe Extremo (você encontra ele na Kalú-Shop).

O Fernando tem página de FaceBook – “Caribe Extremo”, e atende muitos brasileiros. Já digo de antemão que foi meu passeio preferido e já deixo a indicação aqui pra você (vou falar mais sobre o snorkeling, não se preocupem).

Então vamos começar a falar dos passeios separadamente? Bora lá!

Tour pela Ilha de San Andrés de carrinho:

Esse é um passeio imperdível por vários motivos:

– Você conhecerá a ilha por conta, dirigindo seu próprio carrinho de golf ou mula (como eles chamam um carrinho mais bonitinho e que vai mais rápido que o de golf). Olha nossa mulinha que fofura:

– Em um mesmo dia você tem a oportunidade de conhecer vários lugares diferentes como West View, La Piscinita, Praia de San Luis, Hoyo Soplador, Rocky Cay… além de fazer quantas paradas quiser e onde quiser.

– É uma boa oportunidade para comer em um restaurante fora do centro (sobre dicas de restaurante veja o post “San Andrés: um guia completo – onde comer?).

O que você vai precisar pra fazer esse passeio? Inicialmente, você precisa alugar o carrinho! Nós pegamos o que é mais rápido (mula) e a diária custou 150.000 COPs. O carrinho de golf é mais barato e você encontra ele na faixa dos 100.000 COPs.

Fechamos o carrinho na Oasis (aquela agência que falei lá no começo) e ele foi entregue pra gente às 9h da manhã lá no hotel. Pegamos com gasolina e depois, no fim do dia, paramos para reabastecer (gasolina lá não é extorsão igual aqui não rsrs…). Ficamos com nosso carrinho durante o dia e devolvemos ele no centro às 18h30min.

Além de ser um pouquinho mais rápido (mas na verdade é bem lentinho também), outra diferença entre o de golf e o mula é que este tem farol, já o primeiro não tem.

Mas não precisamos de farol em nenhum momento… Na verdade, a gente precisava mesmo era de um para-brisas, pois pegamos chuva no meio do caminho e foi uma cena cômica (o carrinho é todo aberto dos lados e na frente). Só de lembrar já começo rir, porque a gente parecia aquela cena do Debby & Loyde na motinho! Só que estávamos no carrinho ao invés de moto.

Obs. Sobre chuva: o tempo muda de repente em San Andrés, fazendo sol e chuva, alternadamente, várias vezes ao dia (para saber mais sobre clima, veja o primeiro post – “Melhores Destinos no Caribe – San Andrés”).

Fizemos o seguinte percurso nesse dia:

– Nossa primeira parada foi na Playa de San Luís, uma praia linda e tranquila. Areia branca, mar azul (não é à toa que San Andrés recebe o apelido carinhoso de “Mar de 7 cores”). Nessa praia não há muito movimento, então além de ser extensa, tem pouca gente. Uma delícia pra relaxar. Inclusive, você vai notar que em alguns pontos se formam piscininhas naturais perfeitas pra banho!

– Seguindo a volta à ilha, nossa próxima parada foi no Hoyo Soplador, que é uma fenda natural no meio das rochas que, com a força da maré, faz a água espirrar a mais de 2 metros. Não demos sorte e o olho não estava soprando, pois o evento só acontece na época de maré cheia. A foto é do local onde acontece o fenômeno, mas sem soprar, não tem graça nenhuma:

Obs. Você não precisa pagar nada para ver o Hoyo Soplador, mas lá tem barraquinhas vendendo bebidas, souvenir, e tem umas pessoas que oferecem para explicar sobre o local e tirar foto pra você, o que é um sinal para se dar gorjetas.

– Próxima parada foi em La Piscinita, que chama muito atenção pelo tom azul escuro da água. Lá o atrativo são os peixes. Na entrada você para 4.000 COPs para ter acesso ao lugar, e recebe um pedaço de pão para dar aos peixes. Tem muitos peixes e a bobona aqui que não sabia como fazer para dar o pão, ficou segurando na mão um pedaço e levou altas mordidas de peixes!

No local tem uma lanchonete e também é possível alugar colete salva-vidas.

– Depois de pegar nosso primeiro trecho com chuva, chegamos em West View, onde você também pode fazer snorkelking, mas aqui não tem tannnntos peixe como em La Piscinita. O atrativo maior em West View é o trampolim e o tobogã. Também é o mesmo preço de La Piscinita – 4.000 Cops (também dão pão pra alimentar os peixes, agora eu estava mais experiente e não fui mordida rsrs).

No vídeo que vou deixar logo abaixo a gente mostra como é West View e La Piscinita.

– Nesse dia almoçamos no Restaurante Punta Sur, que tem uma vista linda. Mais informações sobre esse restaurante você encontra “San Andrés: um guia completo – onde comer?”.

Outra parada que muita gente faz nesse mesmo dia é em Rocky Cay, uma ilhota que fica na praia de Cocoplum, onde há um navio encalhado. Nós não fomos em Rocky Cay no dia da volta ilha, mas sim no último dia em San Andrés, pois ficava próximo ao nosso hotel e dava para ir caminhando. Fomos almoçar no Aqua Beach Club e assim tivemos acesso a toda estrutura do local: mesas, cadeiras de praia, guarda-sol…

Lá funciona no esquema “day-use”. Se você consumir mais de 20.000 COPs, fica liberado o acesso à estrutura do lugar. Vale à pena, pois é um lugar muito gostoso e a comida lá também é boa.

O Aqua Beach fica bem na frente da ilhota de Rocky Cay, e é possível chegar até ela caminhando pela água. Lá há um navio encalhado, sendo um ótimo lugar para a prática de snorkeling também.

A ilhota ao fundo da foto é Rocky Cay:

Minha sugestão é que você faça esse passeio em um dia diverso do dia da volta à ilha como nós, pois assim poderá aproveitar mais o lugar e a praia lindíssima!

Deixo aqui o vídeo sobre o dia em que fizemos a volta à ilha:

Playa de Spratt Bight:

Essa é a praia que fica no centro e, embora seja movimentada, tem muitos coqueiros e uma areia branquinha. A caminhada pela praia até chegar ao letreiro de San Andrés, que fica no final da praia, é um passeio bem gostoso.

Também é possível alugar cadeiras e guarda-sol… Mas com tantos coqueiros por ali, preferimos usufruir do que a natureza nos proporcionou.

Outra coisa legal que nesta região tem WiFi aberto, mas não é todo mundo que consegue acesso não. Eu consegui logo no primeiro dia, mas o Rodrigo ficou sem!

Por ali você também encontra o calçadão, os restaurantes e as lojas.

Passeio de Jet-ski:

San Andrés é um bom lugar para fazer o passeio de jet-ski, pois você pagará mais barato do que em outros lugares e lá te deixam livre para andar (desde que dentro da área delimitada, que é grande).

Pagamos 140.000 COPs para 1h de passeio. Mas você pode comprar 15 minutos, meia hora ou uma hora.

Dica: controle seu tempo com relógio, pois o pessoal lá do passeio de jet-ski é bem “espertinho” e tenta diminuir seu tempo, sinalizando que o tempo acabou, quando na verdade ainda não.

Esse passeio é feito na praia do centro também (Playa de Spratt Bight) e tem um bom espaço pra você andar. Você pode chegar até quase a ilha de Johnny Cay (pode chegar até 200 metros antes da ilha).

Passeio de Parasail:

Outro passeio que compensa fazer na ilha de San Andrés do que em outro lugar do caribe. Duas razões:

– em San Andrés você vai pagar de 150.000 a 160.000 COPs por ele (em outros destinos caribenhos, esse passeio costuma ser mais caro);

– a vista do “Mar de 7 cores” lá do alto é indescritível!

Esse é um passeio que tem que ser programado com prioridade, pois depende de condições climáticas favoráveis: precisa de tempo bom e de vento.

Pegamos chuva no caminho para o passeio, mas logo depois o tempo já abriu e a experiência foi fantástica.

Foi assim: pegamos um barquinho até o meio do mar (um barquinho que molhava muito mesmo, aí começou a chover e eu, que estava toda arrumadinha pro passeio, fiquei uma “espiga de milho”, mas ok, a gente releva…), lá no meio trocamos do barquino para a lancha que faz o passeio, que finalmente começou. Cada dupla deveria ter 15 minutos no ar, mas eles também roubam tempo e você fica no máximo 10 (mas é tempo suficiente, eu acho que realmente não precisa mais do que isso).

Reserva um período do dia (manhã ou tarde) para o parasail.

Uma das meninas que estava nosso grupo se sentiu enjoada com o voo, mas a maioria da galera gostou e não passou mal.

Geralmente a dica quente é para que você não seja o primeiro a subir, pois a tendência é que o mar mais bonito venha durante o passeio (depois da primeira dupla), porém, no dia que fomos, considerando que apenas em uma parte do mar o tempo estava aberto (do outro lado estava bem nublado), todas as duplas fizeram o passeio na mesma região, então não teve diferença sobre ir primeiro ou por último.

Ficou curioso para saber como é o passeio de parasail em San Andrés? Então vou deixar o vídeo aqui pra você conferir:

Acuario/Haynes Cay e Johnny Cay:

Aqui temos duas opções:

1. Você pode fazer tudo num mesmo dia;

2. você pode fazer Acuario, Haynes Cay e Mantarraias em um dia e Johnny Cay em outro.

Passeios feitos no mesmo dia custam em torno de 30.000 COPs. Se você fizer separado, vai pagar 40.000 COPs.

Se tiver tempo suficiente, sugiro que faça os passeios separados por uma razão importante: fazendo tudo no mesmo dia você não consegue fugir do fluxo de turistas, e pega tudo muito cheio. Se dividir, é possível pegar, em alguns momentos do dia, os lugares mais tranquilos.

Obs. O Acuário, por volta das 16h da tarde (horário que saem as últimas lanchas) é muito cheio.

Os passeios para essas ilhas saem do porto, chamado “Muelle Puerto Fino”, que fica no centro, perto do restaurante La Regatta.

Para chegar no Acuario e em Johnny Cay, o transporte é feito através de barcos que molham bastante quem vai atrás, então se não quiser se molhar no caminho, sugiro que sente na frente. São barcos simples e sempre lotados, além disso, os meninos (geralmente uns meninos que não aparentam ter mais que 20 anos de idade) que pilotam esses barcos, são meio malucos e fazem umas “manobras arriscadas” mesmo com o barco mega lotado! O uso de colete é obrigatório e geralmente eles fedem muito! Acho que dá para contratar passeios privativos também, mas nós fomos do jeito comum mesmo.

Já deu pra perceber que eu odiei a parte do barquinho né? rsrs… Então vamos para a parte que compensa a história:

Acuário: lugar lindo e paradisíaco (embora quase sempre muito cheio de gente). Ideal para snorkeling. Vimos peixes variados e arraias por lá.

O Aquário é um passeio que super recomendo e ele fica há uns 10min de barco. É um passeio tradicional e barato (entre 15 a 20 mil COPs).

Leve seu snorkel para ver os peixinhos e sapatilhas de mergulho para proteger os pés das pedras. No Aquário você também pode alugar armário para guardar suas coisas (10.000 COPs). Lá também tem um quiosque que vende bebidas e outro que vende as sapatilhas de mergulho, snorkel (daqueles bem simples) e capinha para proteger o celular da água.

O melhor horário no Acuário é depois das 12h30min, 13h, que é quando a turma da manhã já se foi e a turma da tarde ainda não chegou. Um pouco antes das 15h o local já tá mega lotado novamente.

Embora seja um lugar muito frequentado por turistas o tempo todo, é realmente lindo. Passeio imperdível em San Andrés.

Além de snorkeling, relaxar nos bancos de areia também é uma delícia!

Haynes Cay: a lhota de Haynes Cay é um bônus do Acuário, pois você atravessa de um para o outro andando, pois é pertinho e a água bate na cintura (claro que isso depende da sua altura hehehe).

Cercada pelo Mar de Sete Cores, Haynes Cay tem um gramadão e coqueiros, ótimo para um momento de descanso depois de almoçar no restaurante da ilha (falei sobre ele já aqui no post sobre os restaurantes).

Só para dar mais um feed-back: quanto ao restaurante, a nota é 10 para a vista, 6,5 para a comida e, no nosso caso, zero para o tempo de espera (certeza que esqueceram nosso pedido), mas ok, com essa vista quem pode reclamar, né?

Preço: pagamos 20.000 COPS pelo passeio Aquário + Haynes Cay (bônus).

Dica: deixe suas coisas no armário lá do Acuário (aquele que custa 10.000 COPs – sempre lembrando que os preços informados aqui se referem a maio/2017, ok?), e atravesse apenas com o dinheiro para almoço e câmera para fotos!

Confira aqui o vídeo desse dia de passeio:

Tour das Mantarrayas: esse passeio também é feito no mesmo dia do Acuário e é um passeio bem rápido e pode, na minha opinião, ser até dispensado…

O tour se resume basicamente a uma coisa: o guia busca uma mantarraya no fundo do mar (sim, elas ficam soltas… devem ficar por ali por ter comida mais fácil) e te oferecem para pegar e tirar foto.

Os instrutores deveriam orientar sobre os riscos e como se aproximar dos animais, mas não é bem assim que aconteceu não. Claro, isso foi a minha experiência. Talvez outros instrutores sejam melhores.

Digo isso porque o guia me deixou com uma mantarraya na mão e foi embora… simples assim! Adorei a experiência de sentir uma animal lindo desse nos meus braços, mas eu não repetiria a dose.

Obs. Tem lugares que vende o tour das mantarrayas no “pacote” e tem lugares que vende tudo separado, então fique atento a isso!

Johnny Cay: esse, juntamente com o Acuário, é o passeio mais popular de San Andrés.

Johnny Cay é a ilha que você enxerga da praia central de San Andrés. Fomos pela manhã e não estava tão lotado no dia (talvez porque estivesse um pouco nublado).

Na hora do embarque (ou no desembarque na ilha), é preciso pagar um taxa extra de 5.000 COPs/pessoa (então isso é além do preço pago no passeio, ok?).

Se você escolhe tirar um dia para ir só até Johnny Cay, poderá escolher se quer voltar às 13h ou 15h, e fique bem esperto nos barquinhos de volta, porque conhecemos duas meninas que perderam o barco e depois tiveram muita dificuldade para voltar.

Essa parte da volta (tanto no Acuário como em Johnny Cay), percebi que é desorganizado, principalmente nos horários que todo mundo vai embora (geralmente nos últimos horários dos barcos).

Quando você chega, uma pessoa fica “responsável” pelo grupo que veio junto. Aí as dúvidas que você tiver, pergunte para essa pessoa. Alguns chamam as pessoas nominalmente, outros não… de qualquer forma, para não perder o barco, fique bem esperto no horário combinado e pergunte para o guia qualquer dúvida que tiver.

Na ilha de Johnny Cay tem armários (5.000 COPs), cadeiras de praia e guarda-sol para alugar, restaurante (é possível almoçar lá), quiosques que vendem bebidas, banheiros (cobra-se pelo uso).

Não almoçamos na ilha, mas vi que servem aquele prato tradicional de San Andrés: pescado, banana, arroz de coco, salada.

O que fazer em Johnny Cay?

– dar uma volta na ilha (15, 20 minutos) – é um passeio bem gostoso e rende belas fotos. Só não esqueça de calçar suas sapatilhas para caminhar por lá (em razão das pedras).

– snorkeling (se você sair da parte mais cheia da praia, indo para o lado esquerdo, encontrará peixinhos, mas nada comparado ao Acuário, onde tem muito mais).

Entre Acuário e Johnny Cay, preferi o Acuário, mas recomendo que você faça os dois, pois cada um tem suas belezas e vale à pena! Também pagamos 20.000 COPs por pessoa para ir a Johnny Cay, e como deixamos um dia só pra ele, voltamos ainda com tempo para passear em San Andrés.

Outra dica valiosa é não fazer esses passeios aos finais de semana. São os passeios mais procurados na ilha, inclusive pelos moradores/locais, então deixando eles para meio da semana, a chance de os locais não estarem tão lotados, é maior.

Dicas do que levar para Acuario e Johhny Cay: dinheiro (pelo que me lembro, nas ilhas não aceitam cartão de crédito), câmera fotográfica, toalha, canga, lanches, protetor solar (enfim, seu “quite praia” completo), além de snorkel e sapatilhas de mergulho.

Quer saber mais sobre esses passeios, então só assistir o vídeo abaixo:

Snorkeling na barreira de corais

Esse foi o passeio que fizemos com o Fernando, da agência Caribe Extremo. O Fernando além de dar ótimas instruções para a boa prática no snorkeling, preservação da fauna e flora marinha, também tira fotos se você contratar o serviço.

Pagamos 60.000 COPs por pessoa para o mergulho, mais 60.000 COPs pelas fotos das fotos, o que foi muito bom, pois ficamos livres para mergulhar e curtir bastante (mergulhar com GoPro não é muito fácil… é um tal de liga e desliga a câmera, arruma aqui, arruma ali…).

o caribe que voce pode pagar - San Andres

San Andrés tem a terceira maior barreira de corais do mundo, então imagine só como a fauna e flora marinha são exuberantes!

O Fernando tem o próprio barco e nos levou até o meio do mar, onde a água batia na cintura. Lá nos deu as máscaras e explicou como deveríamos usá-la. Também recebemos os pés de pato. Ah, uma observação importante é que não é necessário saber nadar para fazer esse passeio de snorkeling.

Esse tubarão imenso não vimos dessa vez não… mas a imagem linda o Fernando nos deu junto com nossas fotos!

Contato do Fernando: além do Facebook (Caribe Extremo), você também pode falar com ele por WhatsApp: +57 (311) 203-0259.

Cayo Bolivar

Esse é um passeio que já se encontra fechado a mais de ano. Atualmente está sob a guarda da marinha colombiana e fechado para preservação e recuperação (sim, estavam depredando o lugar). Quem teve a oportunidade de conhecer, diz que é o lugar mais lindo de San Andrés.

Atenção: algumas pessoas estão enganando os turistas dizendo que o passeio está aberto, que abriu recentemente. Não se engane, porque é furada!

Eu vi muitos viajantes indicando um rapaz chamado Ramón que trabalha na Joalheria (em frente ao Hotel El Dorado – que fica exatamente na frente do Beer Station). Pois bem, foi justamente essa pessoa que nos garantiu que Cayo Bolivar tinha aberto recentemente (na semana anterior) e que estava havendo passeios para lá!

Considerando que eu já havia visto indicações dessa pessoa, não imaginei que o Ramón fosse nos colocar em roubada, mas infelizmente foi o que aconteceu! Nos vendeu um passeio que não existia!

Ao invés de nos levar a Cayo Bolivar, ficamos dando voltas e voltas no mar e passando a quilômetros de distância da ilha, pois não era permitido chegar mais perto.

No final descobri que Ramón nos vendeu um tour que era apenas de “avistamento” a Cayo Bolivar, bem diferente do que ele nos garantiu que seria. E eu ainda me lembro que perguntei várias vezes se seria possível descer na ilha e ele garantiu que sim… Pois é, fomos enganados, pagamos caro e ele não nos devolveu o dinheiro, fazendo-se de desentendido no dia seguinte quando passamos lá para reclamar!

Portanto, amigos, fiquem espertos!

Pelo menos o mar lindo de San Andrés não me deixou perder o bom humor.

Pra finaliza, deixo aqui o vídeo dessa “aventura frustrada”. O lado bom (tudo tem um lado bom) é que fizemos amizade com os brasileiros que estavam na mesma situação que a gente, e tudo virou festa!!!

Passeios que não fizemos

  • Não fizemos mergulho com cilindro, mas dizem que lá é um ótimo ponto de mergulho.
  • Também não fomos à Ilha de Providência, outro passeio muito indicado. Para ir a Providência, recomenda-se pelo menos 2 dias, pernoitando um dia na ilha. É possível ir de avião ou catamarã.

Com esse post dos passeios, finalizo aqui o nosso guia completo sobre San Andrés. Espero que tenham gostado e que curtam muito a viagem, aproveitando o que a ilha tem de melhor e fugindo de eventuais furadas rsrs…

*Para mais informações valiosas sobre San Andrés, indico o post da Letícia e da Jaque, do blog Viaje com Pouco, onde você encontrará dicas para economizar na ilha caribenha colombiana.

*Muita gente combina San Andrés com Cartagena na mesma viagem. Eu não tive dias de férias o bastante para fazer esse “casadinho”, mas se você tiver a oportunidade, recomendo que faça, pois assim aproveita melhor suas passagens e já conhece os dois destinos mais famosos da Colômbia no momento. E se essa for a sua intenção, fica como sugestão os posts de Cartagena dos blogs Sthe On the Road e Lugares que Amamos.

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!