BrasilFoz do IguaçuParaná

Foz do Iguaçu: dicas do que fazer na tríplice fronteira

Foz do Iguaçu - tríplice fronteira

Se não me falha a memória, Foz do Iguaçu foi minha primeira viagem da vida (ou pelo menos a minha primeira viagem com registros fotográficos). Como uma legítima paranaense e com os meus bem vividos 3 ou 4 anos de idade, aventurei-me pelas Cataratas e fiz amizades com os queridos quatis. Hoje, mais de duas décadas se passaram e estou aqui para te dar dicas valiosas e te ajudar no seu roteiro pela região da tríplice fronteira. 

*Post atualizado em 27 de dezembro de 2018. 

Depois dessa primeira viagem, cujas memórias são poucas e vagamente retratadas num álbum de fotografia da época em que filme de 36 fotos era luxo, vieram mais umas 5 ou 6 viagens para mesmo destino.

Esse post está atualizado conforme minhas duas última viagens a Foz do Iguaçu, pois procurei fazer passeios diferentes em cada uma das oportunidades. A primeira delas foi a Semana Santa de 2017 (viagem em casal) e a segunda no Natal de 2019 (viagem em família).

Quanto tempo ficar na região?

Já estive na região da tríplice fronteira em viagens de 3, 4 e 6 dias.

O tempo ideal de permanência dependerá das suas intenções: planeja visitar apenas Foz? Quer estender até a Argentina? Pretende fazer compras no Paraguai?

Para uma viagem completa, incluindo hospedagem em Foz do Iguaçu + hospedagem em Puerto Iguazú, aconselho 6 ou 7 dias.

Nos 4 dias iniciais você pode fazer os passeios que Foz oferece e incluir um dia para compras em Ciudad del Este. Nos 3 dias finais você pode se hospedar em um hotel de selva em Puerto Iguazú, visitar as Cataratas do lado argentino e curtir um pouco da cidade e seus bons restaurantes.

Pelas dicas que vou dar nesse post, ficará mais fácil de identificar quantos dias você precisará para adequar seu roteiro. É complicado eu dizer a quantidade de dias exatos para sua viagem, pois isso dependerá de quais atrações você quer incluir e qual o estilo da sua viagem (amigos, casais, sozinho, com crianças…).

De qualquer forma, o importante é saber que a região da tríplice fronteira reserva muitas opções de turismo, incluindo boa gastronomia e compras.

Como chegar em Foz do Iguaçu?

Eu sempre fui de carro, mas dependendo de onde você mora, a melhor opção será mesmo ir de avião.

Em abril de 2017 a viagem foi mais longa: saímos de Campo Grande com direção a Foz, pois considerando que não há voos diretos de CG a Foz do Iguaçu, a melhor opção foi encarar os 700 e poucos quilômetros de estrada. Cansativo (foi uma viagem curta de feriado), mas dá para fazer em cerca de 8 horas.

Em dezembro de 2018 novamente fui de carro, mas a partir de Maringá: foram 420 quilômetros e 5 horas de viagem. Dessa vez aluguei um carro para fazer a viagem.

Indo pela estrada ou de avião, o ideal é ter um carro para se locomover em Foz do Iguaçu, pois assim você consegue transitar de um ponto a outro com mais facilidade.

Os pontos turísticos são distantes um dos outros, e se a ideia for dar um pulinho na Argentina também, então estar de carro vai ajudar bastante.

Posso transitar livremente pela Tríplice Fronteira?

Esse é um assunto que gera muitas dúvidas, então vamos por parte…

Foz do Iguaçu faz divisa com Argentina (Puerto Iguazú) e Paraguai (Ciudad del Este), sendo todos países do Mercosul, o que facilita o trânsito de pessoas.

Para ir de Foz até Ciudad del Este é bem simples, desde que você tenha um pouco de paciência, pois a Ponte de Amizade é sempre muito cheia e o trânsito na região caótico.

Quando vou a Foz do Iguaçu com carro próprio, prefiro ingressar com o meu carro no Paraguai e ir direto para um shopping com estacionamento – indico o Shopping Paris para isso.

Mas na minha última visita, estava com carro alugado, e nenhuma locadora brasileira permite que você ingresse com o veículo no Paraguai.

Então surgem duas opções: ir de taxi ou a pé. Muita gente vai a pé e depois volta de taxi com as compras.

Meu parecer: eu acho muito melhor ingressar com o carro, pois assim tenho onde colocar minhas compras durante o dia. Dessa última vez que fui a pé, embora tenha levado uma mochila para colocar as compras, não consegui comprar quase nada, pois não tinha como carregar.

Dependendo do que você deseja comprar, talvez uma mochila seja suficiente, mas se quiser coisas maiores, fica difícil sem carro.

Em 2017, quando fui com meu próprio carro, consegui comprar várias coisas para casa, como copos, pratos, enfeites… Mas agora em dezembro/2018 só foi possível comprar perfume, maquiagem e coisas pequenas.

De qualquer forma, no meu caso a melhor opção continua sendo fazer compras em Pedro Juan Caballero, na divisa com Ponta Pora, em Mato Grosso do Sul.

Confira também aqui no blog MV:

Outra observação é quanto à fiscalização: comparando Ciudad del Este, Salto del Guairá e Pedro Juan Caballero, sem dúvidas Ciudad del Este é onde há uma fiscalização mais intensa na fronteira, e também o maior fluxo de pessoas. Das três cidades, Pedro Juan é a mais tranquila.

Em épocas de feriados (principalmente final de ano), o movimento e a fiscalização aumentam e comprar além da cota permitida (e sem declarar), pode lhe causar sérios problemas, inclusive incorrer na prática do crime de descaminho, previsto no artigo 334 do Código Penal, a saber:

Art.334.  Iludir, no todo ou em parte, o pagamento de direito ou imposto devido pela entrada, pela saída ou pelo consumo de mercadoria. Pena – reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos.

Leia também aqui no blog MV:

Se no trajeto de Foz do Iguaçu até Ciudad del Este dificilmente você será parado (no trajeto de ida) para apresentação do documento de identificação, para chegar até Puerto Iguazú a história é diferente.

Saindo de Foz, primeiro você passará pela imigração brasileira, sem qualquer fiscalização. Após passar a ponte sobre o Rio Iguaçu, logo verá o Duty Free à direita e a aduana um pouquinho a frente.

Prepare-se para enfrentar uma filinha. A depender do horário, a fila demora mais ou menos (às 13 horas eu fiquei cerca de uma hora na fila e depois, às 23 horas, cerca de 10 minutos).

Nos horários com maior trânsito de turistas (que vão até Puerto Iguazú visitas as cataratas, almoçar ou jantar na cidade), a fila tende a ficar grande.

A explicação para fila demorada é justamente por conta do procedimento de imigração. Embora o procedimento seja simples, leva cerca de 5 minutos por carro.

E como é esse procedimento?

Você não precisa descer do carro quando chega na cabine da imigração, mas geralmente o funcionário encarregado olha com bastante atenção para cada passageiro do carro e compara com a fisionomia do documento.

Se você é maior de 18 anos, para ingressar na Argentina lhe é exigido passaporte ou carteira de identidade com no máximo 10 anos de expedição. Tem gente que diz que entrou com CNH, mas eu não aconselho arriscar.

Se você estiver viajando com pessoa menor de idade, atente-se a essa informação: além do documento de identificação, o menor precisa estar acompanhado de ambos os pais na viagem ou ter a autorização dos genitores. Se estiver acompanhado de apenas um dos genitores, precisará da autorização do outro.

Se no passaporte do menor já tiver autorização para viajar desacompanhado dos genitores ou na companhia de apenas um deles, esse documento já será o suficiente.

O procedimento de imigração para brasileiros é simples: fique na fila, espere sua vez, abra os vidros do carro, entregue seu documento ao fiscal e aguarde ele fazer o seu registro de entrada no país (no retorno o procedimento será o mesmo).

Leia também aqui no MV:

Posso entrar com o carro na Argentina?

Você pode ingressar com seu carro próprio na Argentina ou mesmo com um carro alugado (se a locadora permitir).

Se estiver com veículo alugado, além da autorização da locadora, precisará fazer o seguro Carta Verde, que nada mais é do que um seguro para os dias que estiver transitando pela Argentina.

Existem vários escritórios de Carta Verde espalhados por Foz do Iguaçu. Eu fiz o meu em um escritório já a caminho da fronteira para Argentina, do lado direito da pista.

Seguro Carta Verde
Seguro Carta Verde

O seguro não é caro: custa um pouco menos de R$ 50,00 para 3 dias (também é possível comprar para mais dias e o preço não sobe muito).

Na entrada do país não pedem documento do carro, tampouco o documento do seguro. Ele serve para ser apresentado caso algum policial lhe pare ou no caso de algum acidente e/ou dano ao veículo.

Onde comer em Foz do Iguaçu?

Tenho dois restaurantes para indicar em Foz do Iguaçu:

O primeiro deles é o Empório com Arte, localizado na Avenida das Cataratas, número 569.

O restaurante é muito charmoso e também funciona como loja, pois os objetos de decoração do local estão a venda.

O atendimento é espetacular, pessoas gentis e educadas que explicam detalhadamente como a casa funciona e as opções do cardápio.

No cardápio comidinhas para todos os gostos, inclusive opções veganas. Além disso, caso queira fazer alguma substituição no prato, é possível, pois tudo é feito na hora.

Pedimos mix de frutas (sucos) para beber, bolinho de mandioca com carne seca e coxinha de frango de entradinhas, além dos pratos principais – picadinho de filé com purê de batata baroa e couve crispy e frango ao curry com legumes. Tudo muito saboroso, principalmente a coxinha de frango surpreendentemente crocante e o picadinho de filé.

O ponto negativo foi o tempo para o preparo dos pratos principais (são feitos na hora). Minha dica é já pedir o prato junto com as entradas e dizer que já podem ir fazendo… Assim você não terá que esperar muito.

O segundo restaurante delícia que indico é o Castelo Libanês, na Rua Vinícius de Moraes, número 520.

Fomos na parte da tarde e fizemos um “mix” de almoço/janta que eu costumo chamar carinhosamente de “almojanta”.

Cardápio com muitas opções, comida saborosa e preço bom! Uma combinação perfeita para incluir o Castelo Libanês na minha listinha de restaurantes preferidos.

Pedimos quibe cru, coalhada, esfiha, arroz com lentilha e robatas de frango, carne e cafta. Tudo muito saboroso.

A conta ficou R$ 133,00, achei excelente custo benefício!

E, ainda, antes de irmos embora, ganhamos uma sobremesa (um doce árabe folhado) de cortesia.

*Quando estive em Foz em 2017, almocei na churrascaria Rafain. Embora seja muito tradicional na cidade, não agradou. Imaginei uma churrascaria onde as carnes são servidas na mesa, mas lá você se serve no bufê e depois passa na churrasqueira e escolhe a carne que quer. Não é um lugar que eu voltaria…

Você sabia que o TripAdvisor agora é também uma rede social?

Acompanhe o MV no Trip e confira todas as nossas avaliações:

O que fazer em Foz do Iguaçu?

Então agora vamos começar a falar de roteiro e dicas dos pontos turísticos de Foz do Iguaçu. Todos os destinos aqui descritos foram por mim visitados em abril de 2017 ou dezembro de 2018.

Usina de Itaipú

Visita em abril/2017.

A Usina possui estacionamento próprio e o acesso é bem fácil. Compramos ingressos para o passeio chamado Visita Panorâmica, mas todos os passeios disponíveis e valores você encontra abaixo e também no próprio site oficial.

A visita panorâmica é um passeio bem tranquilo e rápido. Você entra no ônibus e vai passando por toda a usina. O guia vai explicando o que é cada coisa e curiosidades sobre Itaipú. São feitas 3 paradas durante o percurso.

A primeira parada foi no mirante do vertedouro, a segunda foi em mais um mirante, e a terceira foi no píer de onde saem os passeios de barco, chamado Porto Kattamaran.

Visitar Itaipu ao menos uma vez na vida é um passeio que vale a pena, pois além do enriquecimento cultural, é impressionante o tamanho do lugar e sua organização, tudo igualmente dividido entre Brasil e Paraguai.

Nesse dia tivemos sorte e conseguimos pegar o último passeio do dia, que aconteceria em 15 minutos, às 17:30.

Uma sugestão é conhecer a usina na sexta ou no sábado e ficar para assistir a iluminação da barragem, às 20 horas (certifique-se no site oficial se há horários diferentes para época de horário de verão).

Abaixo as informações sobre a visita panorâmica que peguei no próprio site da Usina de Itaipú:

“O que inclui? Permite a visão panorâmica da usina, a partir do mirante central, de onde se observa em destaque a barragem e o vertedouro. A visita é feita em ônibus da Itaipu (para visitantes particulares) ou em ônibus de turismo, para quem fizer parte de excursões. Antes da saída é exibido um documentário sobre Itaipu. A duração é de aproximadamente 1 hora e 30 minutos. Está disponível nas duas margens. No Brasil, o visitante tem a opção de combinar outras visitas a Visita Panorâmica, aproveitando mais do seu dia no Complexo Turístico Itaipu com outros atrativos, que podem ser consultados através do site.”

Usina de Itaipu

Dica bônus: combinar o passeio de Itaipu com uma visita ao Templo Budista, que fica próximo.

O templo é grande, possui jardins e até um imenso “corredor de budas”, com estátuas, altar… Ainda não estive na Ásia para comparar, mas dizem que é parecido.

Marco das Três Fronteiras

Visita em dezembro/2018.

Após várias idas a Foz do Iguaçu, finalmente consegui incluir o Marco das Três Fronteiras no roteiro e adorei!

Trata-se de um passeio contemplativo, com duração aproximada de 1 hora. O local dispõe de boa infraestrutura, ambientação histórica e curiosidades, além de bastante segurança.

Marco das Três Fronteiras

Inaugurado em 1903, o Marco das Três Fronteiras é composto por três obeliscos, uma em Foz do Iguaçu, uma em Ciudad del Este e outra em Puerto Iguazú, que são caracterizados pelas cores da bandeira de cada país.

No Brasil, o marco passou por uma revitalização em 2015 e por outra em dezembro de 2016, tornando-se um dos mais belos e importantes pontos turísticos da cidade de Foz do Iguaçu.

Ali se encontram os rios Iguaçu e Paraná, bem como as três nações: Argentina, Brasil e Paraguai. O Marco é símbolo de uma região onde as fronteiras são tão próximas e presentes, que parecem não existir.

Marco das Três Fronteiras

Hoje, após revitalização, as novas construções homenageiam as Missões Jesuíticas, reproduzindo uma vila cenográfica das missões jesuíticas, onde viviam os índios e os padres jesuítas nos séculos XVI e XVII.

A ambientação visual e sonora do passeio direciona o foco do visitante para a história do desbravamento da região de Foz do Iguaçu, incluindo uma projeção de 12 minutos sobre Cabeza de Vaca, o primeiro homem branco a ver as Cataratas do Iguaçu em 1542.

Marco das Três Fronteiras

O local possui uma loja de artesanatos, playground, lanchonete, restaurantes, estacionamento e o mirante de observação.

O Marco das Três Fronteiras pode ser incluído no seu roteiro para um final de tarde/começo de noite, pois de lá é possível apreciar o mais lindo por do sol de Foz do Iguaçu.

De terça a domingo, a partir das 19:30, acontecem as apresentações culturais. As apresentações têm início com dança chamada Minueto, seguida de homenagem à cultura brasileiras, paraguaia e argentina, finalizando com a Lenda das Cataratas.

Horário de funcionamento: das 14 às 23 horas (bilheteria fecha às 22 horas).
Valores: R$ 24,00 (inteira) e R$ 13,00 (reduzida) – para mais informações sobre valores confira o site oficial.
Endereço: Rua Marco das Três Fronteiras, s/n, Foz do Iguaçu/PR.
E-mail: contato@marcodastresfronteiras.com.br

Dica bônus: se estiver em Puerto Iguazú, pode aproveitar para conhecer o Hito de Las Tres Froteras, que é o Marco das Três Fronteiras no lado argentino. Da mesma forma que do lado brasileiro, o Hito marca o ponto de encontro dos rios Paraná e Iguaçu, formando a tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina.

A entrada no Hito de Las Tres Froteras é gratuita e também há um show de projeções quando anoitece. É mais simples do que o Marco brasileiro, mas fica a dica de mais uma opção de passeio!

Parque das Aves

Visita: dezembro/2018.

Mais uma atração imperdível em Foz do Iguaçu: o Parque das Aves, segundo atrativo mais visitado da cidade, que recebe mais de 800 mil pessoas por ano.

No local é possível ficar bem próximo às aves, incluindo tucanos, araras, guarás, flamingos e papagaios. Todo o passeio é feito por uma trilha calçada e de fácil acesso, com um quilômetro e meio de extensão, em meio à Mata Atlântica.

O parque, que participa de diversos programas de conservação, mantém 16 hectares de Mata Atlântica e mais de 1.400 aves, de cerca de 150 espécies, sendo mais de 50% delas vindas de apreensões.

Foi minha segunda vez no parque e posso afirmar que o trabalho de recuperação e preservação de espécies, inclusive ameaçadas em extinção, é marca registrada do local.

O parque acolhe aves que não possuem mais condições de continuar na natureza (em razão de maus tratos e violência que sofreram) e as mantém em um ambiente acolhedor e seguro.

Após resgatar aves apreendidas e fornecer um ambiente acolhedor para as que não podem retornar à natureza, o Parque das Aves investe em pesquisa e na reprodução de espécies, participa de programas de conservação, além de educar crianças e capacitar professores com o dinheiro arrecadado com a venda de ingressos, o consumo nos restaurantes e vendas na loja e no quiosque.

É um passeio para toda a família, principalmente para quem viaja com crianças – elas ficam encantadas com os animais, principalmente no viveiro das araras e no recinto dos flamingos.

Sempre que faço algum turismo que envolve animais, tenho atenção redobrada e me informo sobre as condições do lugar, a forma de tratamento dos animais, o motivo do turismo… Se for um turismo exploratório, logo caio fora.

No Parque das Aves você pode ficar tranquilo em relação a isso, pois eles desenvolvem um trabalho de preservação e não de exploração.

Os animais ali presentes foram resgatados do tráfico ilegal e de violência. Hoje receberam um novo lar e alguns conseguem se recuperar e voltar para o habitat natural.

Infelizmente nem todos conseguem, e regressar à natureza seria sentença de morte. Nesse caso, eles permanecem no parque recebendo os cuidados necessários para terem uma vida digna.

Claro que o ideal seria que todos os animais estivessem na natureza, mas sabemos que há muita maldade no mundo e pessoas que só visam obter vantagens e lucros ainda que de forma claramente ilícita.

Nesse cenário que entra o Parque das Aves, cuidando e zelando pela vida desses animais que se não recebessem os tratamentos adequados, provavelmente hoje já teriam morrido.

Um exemplo disso são os diversos projetos de conservação, principalmente de espécies vulneráveis e ameaçadas de extinção, como a jacutinga, a arara azul, o papagaio-de-cara-roxa, o papagaio-de-peito-roxo, o mutum-do-sudeste, o mutum-de-alagoas e o cardeal-amarelo.

Horário de funcionamento: das 8:30 às 17 horas (todos os dias).
Valores: R$ 45,00, R$ 10,00 para moradores de Foz, R$ 22,00 para estudantes brasileiros e brasileiros com mais de 60 anos  – para mais informações sobre valores confira o site oficial.
Endereço: Av. das Cataratas, 12450 – Vila Yolanda, Foz do Iguaçu – PR, 85855-750
E-mail: atendimento@parquedasaves.com.br

Dica bônus: para um experiência completa, o turista pode adquirir o Backstage Experience, que oferece ao visitante a oportunidade de vivenciar os bastidores do trabalho de recuperação e conservação realizado pelo Parque das Aves, durante um tour de um hora e meia (valor: R$ 200,00 por pessoa).

Às terças e quintas (19:30) há ainda o Forest Experience, um encontro realizado na floresta do Parque das Aves com os Mbya-Guarani, habitantes da aldeia Jacy Porã, localizada do outro lado do Rio Iguaçu, na Argentina. Neste encontro, os Guaranis realizam a cerimônia de boas-vindas, que envolve dança, comida e o cerimonial do tabaco. Essa atividade é permitida aos maiores de 18 anos (pessoas de 16 e 17 anos podem participar, desde que acompanhadas dos pais os responsável).

*É possível combinar a visita ao Parque das Aves (cerca de 2 horas de passeio) com a ida às Cataratas do lado brasileiro, pois um atrativo fica de frente para o outro, cada um de um lado da avenida.

Cataratas do Iguaçu

Visita: abril/2017 (lado argentino) + dezembro/2018 (lado brasileiro).

Sei que as Cataratas do Iguaçu, uma das sete maravilhas da natureza, dispensam maiores apresentações e que quem vai a Foz do Iguaçu e região, visita o local principalmente em razão dessas quedas espetaculares.

Cataratas - lado brasileiro
Cataratas – lado brasileiro

Do total de 2.700 metros de extensão, 800 metros estão do lado brasileiro e 1.900 metros do lado argentino. Os dois lados são lindos, cada qual com sua beleza!

Confesso que quando eu visito o lado argentino digo “ah, acho o lado argentino mais bonito”, depois, quando vou ao lado brasileiro, penso “Ah não… o lado brasileiro é mais lindo”- e fico sempre nesse impasse.

Cataratas do Iguaçu
Lado brasileiro
Cataratas do Iguaçu
Lado argentino

Agora, para deixar seu passeio ainda melhor, vale anotar algumas dicas:

– Os dois lados (brasileiro, em Foz do Iguaçu, e argentino) são lindos e merecem sua visita. Reserve dois dias da viagem para esses passeios (lembrando que o lado brasileiro pode ser combinado com o Parque das Aves).

– O ingresso para visitar o lado brasileiro custa R$ 38,00 (pelo site).

– O lado brasileiro (Foz do Iguaçu) pode ser visitado em meio período, pois há apenas uma trilha a ser feita (mais ou menos uns 40 minutos + o tempo das pausas nos mirantes).

Reserve mais tempo se você quiser fazer o passeio de lancha pelas cataratas, chamado de Macuco Safari (valor em abril/2017: R$ 215,40 por pessoa). A Lívia, do Blog Viagens e Menus, escreveu um post sobre o Macuco Safari, vale a pena conferir se você tem interesse em fazê-lo.

– Se estiver buscando uma experiência diferenciada, hospede-se uma noite no Belmond Hotel das Cataratas. Os hóspedes do hotel têm acesso às cataratas ao amanhecer, enquanto o parque ainda se encontra fechado para os demais visitantes.

Belmond Hotel das Cataratas
Belmond Hotel das Cataratas

– O ingresso para visitar as cataratas do lado argentino custa 560 pesos, podendo ser pago em pesos ou cartão de crédito.

– Se por algum motivo chegar no Parque Nacional Argentino sem dinheiro, não se desespere, pois há caixas eletrônicos (na parte de fora e no interior do parque), sendo possível efetuar saques diretamente em peso.

– Para visitar o lado argentino e fazer todos os circuitos (circuito superior, inferior e Garganta do Diabo), você precisa de um dia inteiro, então se deixar para ir muito tarde, não vai dar tempo de conhecer tudo. E prepare-se para andar muito (andei cerca de 14 quilômetros dentro do parque).

– Evite feriados. Nos feriados os parques ficam muito cheios (fomos na Semana Santa). É fila para tudo! Tanto é que um dos trajetos, que é feita com o transporte de trem (que leva até a trilha da Garganta do Diabo no lado argentino), optamos por ir a pé ao invés de esperar numa fila de mais de 1 hora.

– É possível fazer passeio de lancha tanto do lado brasileiro (Macuco Safari), quanto do lado argentino (Iguazú Jungle), mas cada um passa pelas quedas do seu lado.

– O ponto alto do passeio do lado brasileiro é a passarela suspensa que dá acesso à Garganta do Diabo. Além da beleza singular, aproveite a oportunidade para se refrescar após a trilha, pois você não sairá de lá sem se molhar.

Cataratas - lado brasileiro

Cataratas - lado brasileiro

– O parque nacional é abrigo de diversas espécies de animais (você verá muitas borboletas e quatis por lá), inclusive onça pintada.

– aproveite os passeios e depois em conta qual lado gostou mais, ok?

Cataratas - lado brasileiro

Bar de Gelo – Ice Bar Brasil 

Visita: dezembro/2018.

Conhecer o Ice Bar Brasil, no Shopping Catuaí Palladium, também foi uma das coisas que consegui incluir na minha última viagem a Foz do Iguaçu.

O Ice Bar Brasil é o maior bar de gelo permanente do mundo e comporta até 90 pessoas por sessão. O ambiente possui mais de 250 metros quadrados e cada sessão tem duração de 40 minutos.

O bar possui assentos, balcão, decoração e copos feitos de gelo, além de neve que “cai” de tempo em tempo. Para montar o Ice Bar em Foz do Iguaçu, foram usados cerca de 30 mil quilos de gelo.

O Ice Bar de Foz do Iguaçu é open bar, dispondo de diversas opções de bebidas alcoólicas e não alcoólicas. Para entrar no local, o visitante recebe roupas especiais, como casaco e luvas, pois a temperatura do local chega a cerca de -15ºC. Também é possível alugar calças ao custo adicional de R$ 10,00. 

Bar de Gelo Brasil

O Bar de gelo também é um lugar propício para as crianças (menores de 5 anos têm acesso gratuito), pois há opções de bebidas não alcoólicas no local. O horário recomendado para visitas familiares é entre as 12 e 21 horas, pois após esse horário o ambiente se torna mais adulto.

Antes de entrar no bar propriamente dito, o visitante passa por um ambiente de aclimatação, com temperatura próxima a 10ºC. Ao sair novamente é necessário passar pelo mesmo local até o corpo se habituar.

Funcionamento: todos os dias, das 10 às 23 horas.
Endereço: Shopping Catuaí Palladium, Avenida das Cataratas, 3570
Valor: R$ 50,00
Contato: contato@icebarbrasil.com

Hospedagem em Puerto Iguazú

Muitas pessoas optam por se hospedar em Foz do Iguaçu e tiram um dia da viagem para ir até Puerto Iguazú visitar as cataratas do lado argentino e jantar em um dos diversos restaurantes da cidade.

Se quiser mais do que isso, recomendo se hospedar por lá, pois Puerto Iguazú tem uma grande oferta de hotéis, incluindo os famosos hotéis de selva, que ficam um do lado do outro dentro da reserva nacional do Iguazú.

Em abril de 2017 foi a primeira vez que me hospedei na cidade argentina, e o hotel escolhido foi o Ivy Hotel de Selva.

Em dezembro de 2018 novamente optei por me hospedar na Argentina e o hotel da vez foi o Loi Suites Iguazú Hotel Iguazú.

O Ivy é um hotel 4 estrelas, que eu classifico como bom. Os quartos são espaçosos e ficam “no meio da selva”, possui uma piscina bem grande e um spa.

O café da manhã era variado, mas não saiu do tradicional.

Também achei que a limpeza do hotel deixou a desejar.

Resumo: o Ivy não é um hotel ruim, mas não me hospedaria nele novamente, pois há opções melhores na cidade.

Bem ao lado dele está o Mercure, que me pareceu ser bem melhor, assim como o Loi Suites.

Naquela viagem ficamos muito pouco no hotel, então não aproveitei a área da piscina nem do spa para deixar minha opinião, mas fica aqui minha sugestão: se estiver procurando hotel em Puerto Iguazú e o Ivy estiver com uma super promoção, então vale a reserva, caso contrário, pesquise outras opções de “hotéis de selva”.

Na viagem mais recente me hospedei no Loi Suites e gostei muito: hotel cinco estrelas, bem conservado, com quartos amplos, bom atendimento, café da manhã bem variado e piscina maravilhosa!

loi suites quarto

Loi Suites - piscina

Considerando que nessa última viagem passamos 3 diárias no Loi Suites e foi possível aproveitar bastante sua estrutura, vou deixar para contar melhor sobre o hotel em um post exclusivo de review.

A terceira opção de hotel recém inaugurado em Puerto Iguazú é o Awasi, que possui 14 vilas privadas e concede ao hóspede uma experiência completa e exclusiva, incluindo hospedagem de alto padrão, gastronomia e passeios privativos.

Onde comer em Puerto Iguazú?

Gosto de passear, conhecer novos hotéis, fazer programas que incluem atividades de aventura, manter um estilo de vida saudável…. Mas meu programa preferido sempre foi comer, e comer bem, claro! Afinal, quem não gosta?

E comer bem é o que se tem para fazer de melhor em Puerto Iguazú! A cidade encanta e atrai milhares de turistas em busca dos seus conceituados restaurantes. É uma cidade pequena e simples, mas o que tem de lugar legal para um bom jantar regado a vinho, não tá escrito.

O primeiro restaurante que indico é o De La Fonte e a frase para resumir o lugar é “explosão de sabores”. Como se não bastasse a comida maravilhosa, o chef nos enviou vários mimos e cortesias no decorrer do jantar!

Além da tradicional cesta de pães maravilhosos que geralmente vem antes da entrada nos restaurantes argentinos, o chef enviou uma entrada de purê de cenoura, um pirulito de gengibre (com outros ingredientes mais) para “abrir o apetite”, uma espécie de suco de laranja servido em um tubo de ensaio para limpar o paladar (após do prato principal) e uma espécie de biscoitinho recheado com creme branco que veio depois da sobremesa.

Dica: se tiver dúvida quais pratos escolher, peça sugestão ao garçom, perguntando pelas especialidades da casa. Vários pratos acompanham “sorvete”, isso mesmo, sorvete. Pedimos uma entrada que acompanhava um sorvete de azeite; incialmente pode até parecer estranho né? mas era bom demais!

Não fizemos reserva e fomos prontamente atendidos. Chegamos no restaurante por volta das 21 horas e ficamos até 23 horas.

O menu de vinho também também era maravilhoso (e o preço ótimo).

O segundo restaurante que indico se trata de uma “experiência gastronômica fantástica” – o The Argentine Experience, que também tem filial em Buenos Aires.

Está em primeiro lugar no TripAdvisor e chegando lá você já entende a razão. Não é apenas um jantar, é uma atração. Além de comida boa, foi muito divertido.

Primeiro você faz a reserva no site do restaurante e o pagamento já é feito via cartão de crédito nesse momento (vai por mim, vale o preço).

Chegue no horário marcado, vista seu avental, chapéu e sinta-se um verdadeiro “MasterChef”.

A experiência é para poucas pessoas (número limitado de visitantes), por isso é importante fazer sua reserva com antecedência. Além disso, cada dia a apresentação será em um idioma diferente, fique atento a isso também.

O jantar tem duração de 3 horas (das 20 até às 23 horas, pontualmente), e durante a noite você com certeza fará novas amizades, pois a interação entre os funcionários e clientes é bem legal.

Logo na chegada você recebe um drinque especial da casa e depois o jantar todo é regado a muito vinho. Você fará sua própria empanada, provará pratos típicos argentinos e, pra finalizar, chegarão os alfajores com muito doce de leite, tá bom pra você?

The Argentine Experience

A terceira indicação é o restaurante J Alta Cocina. Esse é mais ao estilo tradicional. O restaurante é muito bom, mas como os dois primeiros foram espetaculares, esse ficou mesmo na terceira posição.

Outras opções de restaurantes bacanas em Puerto Iguazú: Aqva e La Rueda 1975.

Agora em dezembro/2018 estivemos no Aqva. Embora seja um bom restaurante, perde para os 3 primeiros que indiquei (e não há grande diferença de preços).

A comida é boa, mas o atendimento estava bem demorado, mesmo sem o local estar cheio. Os pratos chegaram depois de bastante espera.

Compras no Duty-Free (Argentina)

Visita em dezembro/2018.

Se eu fosse escrever sobre o Duty-Free há um ano atrás, diria que não compensa…

Mas minha opinião mudou recentemente e hoje digo que dessa última vez na região, minha ida ao Duty-Free foi mais proveitosa do que passar o dia em Ciudad del Este.

Explico o motivo: eu não estava procurando nada em específico, queria mais passear mesmo e ver se encontrava alguma promoção.

Ciudad del Este tem muito mais opções (de tudo) e os preços são melhores, mas não é o melhor lugar do mundo para simplesmente “passear” e ver o que tem em promoção, justamente por se tratar de um lugar com muito movimento e mais perigoso (dessa última vez fui com minha mãe e irmã e a experiência de andar pelas ruas de Ciudad del Este não foi legal, pois “mexiam”conosco o tempo todo… em 2017, quando estava com Rodrigo, não foi dessa forma e me senti mais segura).

Por outro lado, o Duty Free é um shopping separado por setores (lembra o estilo do Shopping China). Por ser época de natal encontramos algumas promoções e o passeio compensou!

Se estiver na dúvida, visite o PY e também o Duty Free, pois encontrar ou não produtos com preços bons é muito relativo: depende do que você está buscando e a época da viagem.

Comprei tênis, maquiagem, chocolates, bolsa e alguns produtinhos para casa. Como eu disse, os preços são em regra mais altos do que no PY, mas como comprei pouca coisa e não estava procurando por nada específico, compensou pelo conforto do lugar.

Duty Free

Compras em Cidade del Este

Confira também aqui no blog MV:

Sempre que vamos ao PY, reservamos um dia inteiro para as compras, pois as horas passam voando e as lojas fecham cedo. Então, quanto antes puder chegar, melhor!

Sei que há muita dúvida (receio, medo, etc.) entre entrar no Paraguai com seu carro ou não. Bom, vou contar minhas experiências:

Eu já fui a Ciudad del Este várias vezes e apenas uma delas que fui com van/taxi. O trânsito é caótico mesmo, mas o jeito mais confortável é ir, é com seu carro.

Lembro que da vez que fui de van, voltei a pé pela Ponte da Amizade (experiência nada agradável e não recomendo). Se optar por ir sem carro, pegue um taxi na volta para não atravessar a ponte com compras.

Ciudad del Este
Ciudad del Este

Nunca tive nenhum problema indo ao PY de carro, mas algumas dicas são válidas para que você não passe nenhum apuro:

– Não dê atenção a ninguém querendo lhe entregar alguma coisa, oferecendo lugar para estacionar ou coisas do tipo.

– Dirija com muita atenção porque o trânsito é bagunçado, desorganizado.

– Já programe a loja/shopping onde quer ir.

Eu gosto do Shopping Paris (o Shopping China fica lá dentro, no 3º andar), pois tem estacionamento e grande variedade de lojas, incluindo cosméticos, eletrônicos e coisas para casa.

Shopping Paris
Shopping Paris

– Ciudad del Este evoluiu muito nos últimos 10 anos. Existem vários shoppings com ótima estrutura, praça de alimentação de qualidade, estacionamento próprio… As lojas de rua continuam aquela mesma “muvuca” de sempre, mas os shoppings… quanta diferença!

Caso você não esteja de carro ou não se sinta seguro para atravessar com seu carro, outras opções são: ir de taxi ou contratar um serviço de transfer. Atravessar a ponte a pé não é legal (principalmente se você estiver cheio de sacolas).

Embora o nível e estilo de compras em Ciudad del Este tenha evoluído, aquelas regrinhas básicas de segurança sempre são de fundamental importância:

– Cuidado com suas sacolas (mais uma vantagem de ir de carro é ter onde guarda-las e não precisar ficar andando cheio de compras pra lá e pra cá). Muitas pessoas compram malas de rodinhas para guardar as compras, o que também é uma boa opção.

– Faça a conversão para saber se o preço do produto vale mesmo a pena.

– É possível pagar em dólar ou em real. Da última vez que fui (dezembro/2018) o dólar estava congelado (cotação melhor do que nas casas de câmbio), então efetuei minhas compras pagando em real.

– Cuidado com o que e onde você vai comer. Recomendo a praça de alimentação do Shopping Paris ou da SAX.

– Atenção redobrada se for caminhar pelas lojas das ruas.

– Se for comprar eletrônicos, peça para o produto ser testado e confira várias vezes se está comprando um produto original. Opte sempre por lojas tradicionais.

– Leve seu RG (com data de expedição inferior a 10 anos) ou passaporte. Em algumas lojas (a exemplo do Shopping China) pedem o RG no momento do pagamento.

Além do Shopping Paris, outro lugar que eu gosto é a SAX Department Store, bem organizada e com produtos de qualidade (e de grifes), além de ter uma ótima praça de alimentação no último andar.

Claro que comprar no Shopping Paris, Shopping China ou SAX provavelmente será mais caro do que em lojas menos conhecidas (dos turistas) localizadas no interior das galerias da cidade.

Porém, a menos que você visite Ciudad del Este com alguém que conhece realmente o lugar, os shopping continuam, na minha opinião, sendo a melhor opção, haja vista a segurança e o conforto.

E o que compensa comprar no Paraguai? Já comprei coisas para casa (pratos, copos, objetos de decoração, panela), produtos eletrônicos, um “hoverboard smart balance scooter” (tive que procurar esse nome no Google); Whey e barrinhas de proteína, chocolate, perfumes, cosméticos em geral e maquiagem.

Outras atrações em Foz do Iguaçu e Puerto Iguazu

– Passeio de helicóptero em Foz do Iguaçu: a empresa que faz o passeio é a Helisul (fica em frente ao Parque das Aves).

– Visita ao templo budista: é o segundo maior do Brasil e fica perto de Itaipú (Rua Dr. Josivalter Vila Nova, 99, Jardim Califórnia, Foz do Iguaçu, PR). A visita é gratuita e os horários de funcionamento são os seguintes: terça a sábado – das 9h às 17h e domingo – das 10h às 15h.

– Visita à mesquita Omar Ibn Al-Khattab: é necessário o uso do véu (para as mulheres) e os pés devem estar descalços. Localização: Rua Meca, 599, Jardim Central, Foz do Iguaçu, PR. A visita é gratuita e o horário de funcionamento é o seguinte: segunda a sexta, das 09h às 11h30min e das 14h às 17h30min, sábado das 09h às 11h30min.

– Marco das Três Fronteiras do lado argentino.

– Bar de Gelo em Puerto Iguazú: no site oficial você encontra os valores e horários de funcionamento. O bar é todo feito de gelo e a visita dura meia hora. O passeio é open bar, assim como no bar de gelo que visitamos no shopping Catuaí Palladium, em Foz.

La Feirinha Iguazú: ótimo lugar para comprar vinhos, azeites, embutidos, doce de leite, alfajores…

– Cassino em Puerto Iguazu: o Casino Iguazú também é uma opção de atrativo para quem quiser tentar a sorte, ou apenas passear e conhecer o lugar. Ele fica logo na entrada, do lado direito, de Puerto Iguazú. Fui apenas uma vez para conhecer e apesar de pequeno, eis mais uma opção de passeio na região.

Quer mais dicas de Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú? Então dá uma conferida no post do Ígor do blog S2 Station. Além de posts super completos, ele tem um humor totalmente peculiar que te faz dar altas risadas enquanto garante tips valiosas!

Você gosta das minhas dicas? Então aproveita e segue também o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real!
Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.
Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem – aproveita e me segue lá também!

Salve esse post no Pinterest:

Se assim como eu você também ama o universo das viagens e quer aprender como viajar mais, gastando muito menos, quero te convidar para conhecer o Projeto Viaje o Dobro Gastando a Metade. No vídeo de abertura, além de entender como o projeto funciona, você terá acesso imediato a várias dicas de economia para por em prática já na sua próxima viagem!
Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!