DicasPassagens aéreas

Milhas aéreas para iniciantes: como acumular milhas e viajar de graça

milhas-para-iniciantes

Você sempre quis saber como viajar de graça utilizando apenas milhas aéreas, mas nunca soube por onde começar? Você sempre viu seus amigos viajando com milhas, mas nunca conseguiu fazer como eles? Você acha que o mundo das milhas é complicado e por isso ainda não entendeu de vez como funciona? Então é com muita alegria que te digo: seus problemas acabaram! Nesse post você aprenderá de uma vez por todas o que precisa fazer para mergulhar no fantástico mundo das milhas aéreas!

Por que acumular milhas é tão importante?

A resposta mais simples e direta seria: acumular milhas é importante porque se você não acumula milhas, você está perdendo dinheiro.

Mas calma! A resposta vai além disso.

Para nós, viajantes de carteirinha, acumular milhas significa ganhar dinheiro e/ou viajar de graça. Eita, isso todo mundo quer, né?

Existem mil e uma estratégias e formas para acumular milhas e “fazer dinheiro” com milhas. Mas antes que você se desespere, já vou logo avisando: esse post é um guia sobre como acumular milhas para iniciantes!

Se você quer dar o primeiro passo nesse mundo e nunca mais ficar “boiando” quando alguém ao seu redor começar a falar sobre milhas, então aqui você encontrará a solução desse problema.

Como fazer para acumular milhas?

Existem diversas formas de como acumular milhas e quanto mais delas você conseguir fazer, melhor.

Vale pensar em estratégia e analisar custos. Talvez a melhor forma de acumular milhas para mim, não seja a melhor forma para você. O importante é conhecer cada uma delas e definir quais se encaixam melhor para o seu caso.

1.Voando

Quando você voa, você acumula milhas. A quantidade acumulada em cada voo varia de acordo com a distância voada, o valor da tarifa e a classe da passagem adquirida.

Porém, não basta voar, você precisa creditar esses pontos, informando o seu número de fidelidade no momento da compra e/ou do check-in. É possível creditar posteriormente também, mas dá um trabalhinho, então já faça logo na primeira oportunidade.

Cada companhia aérea ou aliança aérea (grupo de companhias aéreas) possuem seu próprio programa de milhagem/fidelidade.

Então, partindo desse pressuposto, quando você voa com determinada companhia, é imprescindível que você se cadastre no programa de milhagem (também chamado de programa de fidelidade) daquela companhia, pois assim você terá seu número de fidelidade para creditar os pontos provenientes dos voos que fizer.

A exemplo disso, tem-se a Gol com o programa Smiles, a Azul com o programa TudoAzul, a Latam com o Latam Pass (que veio em substituição ao programa Multiplus).

Então, em regra, quando você faz o seu check-in no voo, já informa o seu número de fidelidade do programa de milhagem da companhia para que os pontos sejam creditados.

E aqui temos uma dica bônus: quando você viaja com uma companhia aérea de uma determinada aliança, você tem a possibilidade de pedir que os seus pontos sejam creditados em outra companhia da mesma aliança.

Ficou confuso? Calma que eu explico claramente pra você:

Hoje temos 3 grandes alianças aéreas no mundo (exitem ainda outras 3 menores, mas vamos focar nas maiores, que nos interessam mais a nível Brasil):

OneWorld: Airberlin, American Airlines, British Airways, Cathay Pacific, Finnair, Iberia, Japan Airlines, LATAM, Malaysia Airlines, Qantas, Qatar Airways, Royal Jordanian, S7 Airlines e SriLankan Airlines.

Star Alliance: Adria Airways, Aegean Airlines, Air Canada, Air China CA, Air India, Air New Zealand, ANA, Asiana Airlines, Austrian, Avianca, Brussels Airlines, Copa Airlines, Croatia Airlines, EGYPTAIR, Ethiopian Airlines, EVA Air, LOT Polish Airlines, Lufthansa, Scandinavian Airlines, Shenzhen Airlines, Singapore Airlines, South African Airways, SWISS, TAP Portugal, THAI, Turkish Airlines e United.

Sky Team: AeroflotAerolíneas ArgentinasAeromexicoAir EuropaAir FranceAlitaliaChina AirlinesChina EasternChina SouthernCzech AirlinesDelta Air LinesGaruda IndonesiaKenya AirwaysKLMKorean AirMiddle East AirlinesSaudiaTAROMVietnam Airlines e Xiamen Airlines.

Companhias aéreas parcerias da Smiles (Gol):

Companhias aéreas parcerias do programa TudoAzul (Azul):

A Azul não faz parte de nenhuma aliança aérea, mas tem acordos de interline com a Etihad, Copa (Star Alliance), Aerolíneas Argentinas (SkyTeam), Air Europa, Lufthansa, Hahn Ai, além de manter codeshare com a United (Star Alliance), TAP (Star Alliance), Ethiopian (Star Alliance), dentre outras. Ainda, o programa de fidelidade da Azul (TudoAzul), tem parcerias parecidas com as de uma aliança aérea com os programas da TAP e United.

As alianças (ou parceria, em lato sensu) são acordos que, normalmente, incluem o codeshare e integrações entre os programas de fidelidade das participantes.

Tendo em vista isso, quando você voar com com a American Airlines, por exemplo, você pode solicitar no momento do check-in, que os pontos oriundos daquele voo, sejam computados no seu Latam Pass.

O que não é possível fazer é transferir seus pontos Latam Pass para outra companhia da aliança OneWorld, mas voar com uma e computar pontos na outra é possível.

E qual a vantagem de fazer isso? Simples: quando mais você se fideliza a uma companhia, mais você acumula pontos e mais vantagens você consegue quando se torna fiel à companhia (e daí o termo “programas de fidelidade”).

Ainda, quando você adquire determinado status no programa de fidelidade da companhia “X”, que inclui benefícios como check-in prioritário, bagagem extra, acesso à sala vip, também terá esses privilégios quando voar em outras companhias da mesma aliança.

Então dessa explicação já tiramos um aprendizado: não fique pingando de companhia em companhia. Diante de condições semelhantes de ofertas (analise preços, conexões, tempo de voo…), opte por voar com a companhia (ou com a aliança) que você já é habituado.

Vai viajar? No site do Seguros Promo você pode fazer uma comparação detalhada de maneira rápida e fácil os preços de diferentes de seguros ofertados, analisando qual possui o melhor custo benefício para a sua viagem. Contrate AQUI seu seguro viagem com desconto utilizando o cupom MALADEVIAGEM5.

2.Aderindo clubes de milhas

Os clubes de milhas ou fidelidade viraram uma verdadeira “febre” e, hoje em dia, creio que exista até uma certa pressão da companhia aérea para que seus clientes adquiram algum dos clubes, visto que estes clientes recebem benefícios.

Basicamente, quando você faz adesão de um clube de milhas, você paga uma mensalidade e, em contrapartida, uma quantidade de milhas é creditado no seu programa/clube a cada mês.

Para conquistar mais clientes, os clubes fazem promoções exclusivas para os adeptos dos clubes, assim, você pode ter seu programa de fidelidade da companhia, mas apenas se aderir ao clube é que terá vantagens extras, como transferência de pontos do cartão de crédito com bonificações, pontos que não expiram, check-in prioritário, bagagem extra, up-grade (as vantagens variam conforme o clube e categoria).

Uma vez decidido pela adesão a algum clube de milhas ou fidelidade, é necessário estudar as condições e vantagens oferecidas para cada clube.

O problema é que essa decisão não é uma “receita de bolo”, pois os critérios a serem observados são, em sua maioria, critérios de ordem pessoal.

Se você está escolhendo um clube ao qual se fidelizar, é necessário verificar se a companhia aérea escolhida voa para os destinos que você pretende conhecer ou se ela é parceria de outras empresas que tenham voos para tais lugares, visto que com as alianças globais entres as companhias aéreas, é possível participar do programa de milhagem de uma e fazer o resgate de passagens em outra.

Assim, se você decide aderir ao clube Latam Pass, por exemplo, você acumula milhas na LATAM, mas consegue emitir passagem nas companhias da Oneworld, bem como nas que mantiveram acordo com a TAM (como é o caso da Lufthansa, Swiss, Turkish, South African, Singapore).

Ainda, se você tem o clube Smiles, da Gol, pode emitir passagem com Delta, Air France, KLM, Qatar e Iberia.

Além das opções de destino, você também deve levar em consideração valores mensais do plano/clube e quantos pontos precisa para emitir passagens para determinado destino.

Faça simulações, pois às vezes o clube “mais barato”, acaba saindo mais caro no final, pois exige mais milhas para emitir passagem para determinado destino.

Hoje, no Brasil, podemos destacar os seguintes clubes:

Os 3 primeiros (Latam Pass, Smiles e TudoAzul) vincula o aderente a viajar com a Latam, Gol e Azul, ou com as companhias parcerias a elas.

Os 2 primeiros são clubes amplos, que possibilitam que os pontos acumulados sejam convertidos em milhas para diversas companhias aéreas.

Uma vez escolhido o clube, caberá a você decidir qual plano fazer, pois cada um desses clubes apresentam mais de um plano, considerando o dinheiro que o cliente pretende investir e as vantagens que deseja obter. Em síntese, quanto mais caro for a mensalidade do plano, mais vantagens receberá o aderente.

Decidir entre aderir apenas um clube ou mais de um, também é uma decisão individual, que deve levar em conta a quantidade de milhas que você consegue acumular a cada mês e se esse total será ou não muito diluído se você tiver que dividir.

Para quem acumula poucas milhas por mês, estratégia mais interessante é aderir apenas um clube, pois dividir o que já é pouco, vai ter uma consequência: dificilmente você conseguirá acumular o bastante para auferir vantagens em mais de um clube/companhia.

Não é o objetivo desse post entrar no mérito de qual clube é melhor ou pior, mesmo porque, como eu disse, é uma análise conforme critérios pessoais. Todavia, diante da dúvida, o clube Livelo sai na frente, haja vista que ele não se vincula a apenas uma companhia ou aliança (os pontos Livelo podem ser transferidos para diversas companhias).

Para concluir, tenho que a grande vantagem dos clubes não é o tanto de milhas que você recebe a cada mês em si (o custo delas nem é tão bom assim), mas sim as vantagens:

  • Pontos que não expiram (analise isso na hora de aderir ao clube).;
  • Promoções exclusivas e restritas aos clientes de clubes;
  • Ofertas no momento da adesão (alguns clubes são bem generosos e bonificam muito o cliente no momento em que ele adere). Veja exemplo:

3.Comprando sempre no crédito

Cartão de crédito passará a ser o seu melhor aliado nessa empreitada pela conquista de milhas.

O primeiro passo é escolher o melhor cartão de crédito para acúmulo de milhas e vantagens relacionadas ao universo das viagens. Como a decisão pela escolha do melhor cartão é um papo muito interessante, fiz um post só sobre isso, vale a pena conferir: milhas e sala vip – descubra qual é o melhor cartão de crédito.

Com o melhor cartão (para você) em mãos, pronto, hora de comprar tudo no crédito. Para quem quer acumular milhas, comprar no crédito é essencial, pois débito não acumula pontos.

Agora que você já leu o post que eu recomendei sobre “cartões de crédito e sala vip”, você já está ciente das razões pela quais comprar tudo no cartão de crédito é a melhor estratégia para acumular milhas.

As compras no crédito se transformam em pontos e os pontos se transformam em milhas.

Muita gente tem dúvida sobre o procedimento de transformar pontos em milhas, mas é fácil, pois basta ligar para sua operadora de cartão (ou fazer esse procedimento pela internet) e dizer que quer efetuar a transferência dos seus pontos para determinado programa de milhagem (aquele de sua preferência). Geralmente entre 1 e 3 dias os pontos estarão creditados no seu programa de fidelidade e a quantidade mínima para transferência costuma ser a partir de 5.000 pontos (ou seja: precisa acumula pelo menos “5k” pontos para poder transferir).

Praticamente todos os bancos que operam no Brasil têm convênio com a Latam Pass, Smiles e TudoAzul. Alguns brancos também possuem convênio com programas de fidelidade de companhias aéreas estrangeiras.

A dica importante aqui é esperar os dias exatos para efetuar a transferência. Em outras palavras, não transfira por transferir, mas sim quando o programa de milhagem escolhido estiver bonificando a transferência. Assim, você multiplica os seus pontos e eles geram ainda mais milhas!

Além disso, assinantes de clubes de fidelidade possuem bonificações extras – por isso é interessante transferir os seus pontos sempre para o mesmo lugar e esperando as melhores oportunidades de bonificação.

Todavia, se você consegue acumular muitos pontos nos seus cartões, então fique livre para aderir mais de um clube e transferir os pontos dos cartões para mais de um lugar.

Conclusão: concentre todas as suas contas no cartão de crédito. Use o débito apenas quando realmente necessário.

Porém, cuidado com as compras no exterior. Nesse caso, para fugir do IOF, prefira comprar em dinheiro em espécie.

Sobre compras no exterior indico muito a leitura do meu post: Melhor forma de pagamento das compras efetuadas no exterior.

E atenção: nunca troque seus pontos acumulados no cartão por produtos aleatórios como eletrodomésticos, ingressos e patifarias do tipo. Isso é perder dinheiro! Trocar por milhas vale muito mais e, ainda que você não tenha interesse em viajar (o que eu acho muito improvável), poderá então vender suas milhas e fazer dinheiro.

Vai viajar? Leitor do blog MV tem 10% na aquisição do chip de celular Simpremium ao utilizar o cupom “maladeviagem”. Clique aqui para pedir o seu!

4.Comprando e reservando em lojas/sites parceiros

Olha aqui mais uma maneira super bacana de acumular milhas!

Os programas de fidelidade fazem diversas parcerias com sites e e-commerces e isso beneficia os clientes.

Uma vez decidido qual programa de fidelidade você irá “apoiar” ou qual clube irá aderir, mergulhe de cabeça em seu site e analise quais são seus parceiros.

Você consegue acumular milhas efetuando reservas de hotéis, aderindo seguro viagem, comprando em e-commerces, farmácias, abastecendo o carro.

Tem uma parceria em especial que eu acho válido indicar aqui: a Smiles e Uber são parcerias. Logado com seu número de fidelidade na Smiles, compre um voucher da Uber (você também pode escolher o valor que deseja) e ganhe 2 milhas Smiles para cada real gasto. Efetuada a compra do voucher, você receberá no seu e-mail um código que deverá ser inserido no aplicativo da Uber. A etapa final é abrir o app, ir na opção “pagamento” e depois em “adicionar código promocional”.

E aqui, nas opções de compras e reservas com parceiros, vale a mesma dica que dei agora há pouco quando falei sobre transferência dos pontos acumulados no seu cartão de crédito: espere bonificações extras, elas sempre aparecem.

Eu já fiz compras em e-commerce que a cada 1 real gasto, acumulei 10 milhas na companhia. Veja bem: se você comprar um celular, um eletrodoméstico ou outra compra vultuosa, provavelmente vai ganhar uma passagem aérea internacional nessa brincadeira!

Tem que ficar ligado, pois essa é uma estratégia excelente para acumular milhas e viajar de graça!

Como cada programa de fidelidade tem seus parceiros, a dica é: definido seu programa de preferência, conheça todo o seu site, inscreva-se na newsletter para receber as novidades e aproveite as boas oportunidades de compra! Porque comprar e economizar é maravilhoso!

Outra dica: se o programa de fidelidade que você escolheu tem parceria com determinado posto de gasolina, então abasteça sempre no mesmo posto, marque ele como posto favorito (para pontuar dobrado) e peça para todos da família, quando abastecerem, informarem o seu CPF, assim vocês concentram os pontos numa mesma conta e conseguem mais vantagens!

5.Comprando milhas

Parece estranho, mas comprar milhas também pode ser uma boa estratégia para acumular milhas.

É claro que você não deverá fazer isso “a torto e a direito”, mas sim em situações específicas:

  • Quando você precisar de um pouco de milhas para completar o necessário para emitir a passagem (e ainda assim com a cautela de analisar se o custo da compra realmente está valendo).
  • Quando o programa de fidelidade anunciar promoção.

Se o preço da milha custa X e o programa de fidelidade anuncia que no período anunciado a milha custará X/2, então pronto, é hora de aproveitar para renovar seu estoque.

Dúvidas comuns sobre milhas:

É possível transferir meus pontos para outra pessoa?

Geralmente sim, mas é cobrada uma taxa por esse serviço. Em geral não vale a pena.

O melhor a se fazer é: se você tem os pontos, mas outra pessoa que vai viajar, então emita você (utilizando a sua conta de fidelidade) a passagem para essa terceira pessoa. Isso é possível na maioria dos programas de fidelidade, sem nenhuma taxa extra.

Os pontos expiram?

A regra diz que sim: milhas/pontos expiram e a validade varia conforme cada programa.

No geral valem 2 anos, mas pontos Dotz valem 4 anos e milhas Smiles valem 3 anos (ou até 10 anos para cliente cartão Diamante ou Clube Smiles).

O ideal é consultar o vencimento das milhas nos sites dos programas de fidelidade.

A dica é aderir a um clube fidelidade que transforme seus pontos em vitalícios, assim você não precisa mais se preocupar com prazo de validade.

Como saber se vale a pena emitir a passagem com milhas ou comprar?

A rigor, dizem os estudiosos que raramente emitir uma passagem com milhas vale a pena. Todavia, esse é o raciocínio das pessoas que compram e vendem milhas, fazendo disso um negócio.

Como eu disse no início desse post, minha intenção aqui é oferecer um guia de milhas para iniciantes e não focar em quem busca estratégias de “trade de milhas”.

Apenas para não deixar uma porta aberta sem fechar, os experts no assunto dizem que geralmente vale mais a pena você vender suas milhas, mas, quando for emitir as suas próprias passagens, fazê-lo mediante pagamento. É claro que existem razões e fundamentos para isso que, com certeza, não caberiam nesse post, pois é assunto que rende produção de muito conteúdo comercializável em diversos cursos.

Assim, deixando de lado o mercado de “trade de milhas”, vamos pensar no caso do consumidor final – você, que quer acumular milhas para o próprio consumo.

Nesse caso, quando for emitir uma passagem aérea, sempre faça duas buscas: uma simulando a compra em milhas e outra simulando a compra em reais.

Feito isso, calcule quanto a milha está valendo para o trecho pesquisado e compare com o preço médio/regular da milha.

Para saber o preço médio da milha do seu programa de fidelidade, você pode: fazer uma simulação de compra de milhas, fazer uma média do que pagou pelas milhas que já comprou anteriormente, pesquisar no Google o preço da milha do programa desejado ou mesmo fazer um combinado entre todas essas opções.

E assim você saberá se está valendo a pena comprar ou emitir a passagem com milhas.

No geral, como meu objetivo é acumular milhas para meu próprio consumo, não fico tão obcecada comparando minimamente valores. Claro que analiso, pois não quero perder dinheiro, mas a ideia central é: acumule, use, acumule, use e assim sucessivamente.

Entretanto, se você gostou do assunto e enxergou ai um “mercado promissor”, recomendo que procure um curso aprofundado sobre compra e venda de milhas, pois é sim possível “fazer dinheiro” nesse nicho.

Sempre que você faz alguma reserva ou adquire algum produto/serviço utilizando um link aqui do blog, eu ganho uma pequena comissão do site. Você não paga nada a mais por isso e ainda me ajuda a manter o Mala de Viagem atualizado e sempre cheio de novidades!

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas baratas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!