BrasilCapitólioMinas Gerais

O que fazer em Capitólio: Roteiro de 3 dias em Capitólio – Minas Gerais

Roteiro de 3 dias em Capitolio-min

Capitólio, o mega reconhecido destino ecológico de Minas Gerais, ganhou fama nos últimos anos, passando a ser conhecido como “Mar de Minas“. Posso ter demorado um pouquinho para conhecer o destino, mas assim que foi possível, tratei logo de incluí-lo na minha listinha e o resultado da viagem foi um sucesso.

Eu imagino que assim como acontece com a maioria das pessoas, foram as fotos da internet, principalmente do Instagram, que chamaram minha atenção para o destino e fizeram meus olhos brilhar para conhecer tamanha beleza.

Como não bastasse suas águas esverdeadas, o Lago de Furnas (com 1.440 km² de extensão) é emoldurado por cânions de até 20 metros de altura e cachoeiras de água cristalina. Depois te tanto ver vídeos e fotos por aí, pronto, eu precisava conferir de perto!

Então hoje venho compartilhar com você minhas dicas sobre Capitólio e também o meu roteiro de 3 dias. Sinta-se a vontade para se inspirar ou mesmo copiar, porque fiz passeios bem legais e recomendo todos eles.

Onde fica Capitólio?

Capitólio está a 281 quilômetros de Minas Gerais – cerca de 3 horas e meia a 4 horas de viagem pela rodovia MG-050, e 4 pedágios no trajeto.

A melhor forma de chegar até lá é de carro. Alugamos um carro em Belo Horizonte para fazer a viagem, pois assim seria mais fácil a locomoção em Capitólio, visto que as atrações são afastadas uma das outras e do centro da cidade.

Capitólio é banhada pelo Lago de Furnas, e daí que surgiu seu apelido carinhoso: “Mar de Minas”.

Prepare-se para ver muitas paisagens naturais belíssimas: cânions, riachos, piscinas naturais, montanhas, cachoeiras de águas transparentes é um pouco do que você encontrará em Capitólio.

Alguns dados sobre Capitólio:

  • População: 8.536 (IBGE 2015)
  • Área: 522 km
  • Temperatura média: 22º C
  • Clima: tropical temperado
  • Altitude: 745 metros
  • Gentílico: Capitolino

Obs. Parte do Município de Capitólio está dentro da área do Parque Nacional da Serra da Canastra. São 80 quilômetros de Capitólio até a nascente do Rio São Francisco e Cachoeira Casca Danta.

Quando ir a Capitólio?

Capitólio é um destino que pode ser visitado o ano todo.

Eu fui em setembro e peguei o tempo bom, mas as cachoeiras estavam com pouca água e o nível do lago já bem baixo.

Os dias estavam ensolarados e quentes, o que fez com que a temperatura da água das cachoeiras e do Lago de Furnas ficasse muito agradável! Sério mesmo: não achei nada gelado!

A melhor época para visitar o destino é entre maio e setembro, quando as chuvas são escassas.

Se você for a Capitólio logo após o período de chuvas (que acontecem com maior frequência no final do ano), as cachoeiras estão com maior volume de água e o Lago de Furnas em seu nível mais alto, permitindo acesso a lugares que não são acessíveis quando o nível da água está baixo.

Por outro lado, se visitar Capitólio na época das chuvas – entre novembro e dezembro – vai se deparar com o perigo de ocorrer trombas d’água.

Dica principal: evite (com força) feriados e finais de semana, a menos que você não se importe com lugares lotados.

Eu me conheço e sei que voltaria com outra ideia de Capitólio se tivesse viajado durante algum feriado ou final de semana, pois adoro fotografar os lugares e, para isso, preciso que não tenham “intrusos” nas fotos…

Sou chatinha mesmo pra isso, mas é uma questão profissional também, já que preciso de fotos e vídeos bem bonitos (e “vazios”) para divulgar os lugares para vocês, mostrando a real beleza de cada um deles!

Chegamos no domingo, e o primeiro passeio que fizemos foi o Mirante dos Cânions (era final de tarde) e fiquei assustada com o tanto de ônibus turísticos parados na rodovia.

Não sei afirmar com certeza se a concentração de turistas ocorre apenas nessa região do mirante, que possui atrativos gratuitos (mirante e cachoeiras), mas de uma forma geral, a informação que tivemos do pessoal da cidade é que de sexta até domingo a região fica lotada. 

Na segunda o movimento diminuiu drasticamente (não vi mais nenhum ônibus estacionado em lugar nenhum) e ficamos com as cachoeiras praticamente só pra nós. Uma delícia!

Então a dica é ir entre segunda e quinta-feira. Sei que é difícil, mas tem lugares que precisamos programar para conhecer nas férias (e não em feriados).

Eu estava de férias, e por isso foi possível essa programação. Mas confesso que faz um ano que estou ensaiando para conhecer a Chapada dos Veadeiros – GO, por exemplo, e ainda não consegui justamente por só poder ir em feriados, quando a Chapada fica “impossível”.

Porém, se você não se importa com isso, pode ir qualquer dia!

Quanto tempo ficar em Capitólio?

Ficamos 3 dias e foi possível fazer vários passeios, mas não chegamos nem perto de zerar a infinidade de opções que Capitólio (e região) oferece.

Sugiro de 3 a 4 dias para um roteiro bem bacana, com opções variadas de passeios, incluindo os principais.

Onde se hospedar em Capitólio?

Ficamos em uma pousada muito boa chamada Pousada Kanto da Ilha Suítes.

A pousada tem um excelente café da manhã incluso, estacionamento grátis, piscina aquecida com hidromassagem e piscina climatizada, sauna, sala de jogos (bilhar, tênis de mesa, mesa de pebolim e de carteado), lounge bar, mini playground e quartos de 4 categorias diferentes.

Para quem está viajando com toda a família, tem a opção do chalé família, o maior de todos. Nós ficamos na suíte luxo com hidro, que foi excelente para relaxar depois dos dias cheios de passeio.

A pousada oferece ainda um ofurô interno privativo (legal para quem está em grupo) e spa com serviços de massagem, ambos com custo adicional.

Uma observação que devo fazer é que a Pousada Kanto da Ilha fica na cidade de Capitólio, então está um pouco afastada da Ponte do Rio Turvo, de onde saem os passeios de lancha, bem como dos demais atrativos da região. Porém, estando de carro, a locomoção fica fácil.

Apesar da distância dos atrativos, achei que valeu à pena a escolha, pois a qualidade da pousada é realmente alta.

Outras opções de hospedagem em Capitólio você encontra nessa lista.

Capitolio Pousada
Pousada Kanto da Ilha Suítes – Capitólio

Onde comer em Capitólio?

O melhor restaurante de Capitólio, pra mim, é o restaurante Kanto da Ilha, que fica de frente para o Lago de Furnas, com uma vista espetacular. Tem um estilo “Beach Club”.

Recomendo para almoço ou no final da tarde, para ver o por do sol. Se decidir ir para o por do sol, certifique-se antes sobre o horário de funcionamento, pois fomos para ver o por do sol e jantar, mas não conseguimos jantar, pois estavam servindo apenas porções. Voltamos com fome…

Tirando o problema com o jantar, o atendimento é bom e a culinária também, então ainda que das duas experiências no restaurante Kanto da Ilha, uma não tenha sido legal, acho que é a melhor opção em Capitólio, que não tem tantas opções de lugares legais assim para comer (esse é o único mais descolado).

O restaurante Kanto da Ilha tem um acesso pelo lago e outro por uma estrada de terra. Se você estiver com lancha (tem gente que aluga para passar o dia), melhor chegar lá utilizando a via aquática. A via terrestre é meio longe – demora uns 30 minutos pela estradinha de chão.

Chegamos no domingo na hora do almoço e fomos direto lá para almoçar. Pedimos um prato de peixe para duas pessoas que estava muito gostoso. Quanto aos valores, lembro que o prato que pedimos tinha um preço bom (em torno de R$ 70,00 um prato que serve 2 pessoas), mas as bebidas eram mais caras (quase R$ 30,00 um Moscow Mule).

Restaurante Kanto da Ilha - Capitólio
Restaurante Kanto da Ilha – Capitólio

Outra opção de restaurante em Capitólio é o Restaurante do Turvo, que fica do lado da Ponte do Rio Turvo, onde saem os passeios de lancha. Não é meu estilo preferido de restaurante (prefiro os menores, estilo “bistrô”), mas li boas referências sobre ele, principalmente se você quiser comer peixe (os pratos são bem servidos).

Provamos também uma pizzaria da cidade que agradou pelo sabor, chamada Skina Restaurante e Pizzaria.

O último lugar que fomos jantar foi no restaurante Hud’s Louge Escarpas do Lago, dentro do condomínio Escarpas do Lago, mas não gostamos: atendimento ruim e muito demorado (fora do normal – demorou 45 minutos para chegar o prato e o restaurante estava absolutamente vazio; acho que tinha apenas umas 2 ou 3 meses além da nossa), além do preço cobrado ser caro pela qualidade do prato. Não indico.

Para comprar queijos da Serra da Canastra e doce mineiro, recomendo Queijos Califórnia, que fica na MG-050, no caminho que vai para os atrativos mesmo… Toda vez que íamos para algum passeio, passávamos na frente.

Compramos queijos deliciosos, mas como a cabeça não anda muito boa, esquecemos tudo no frigobar do hotel (mas não quero falar sobre isso porque fico #chateada e me sinto mal).

Depois que voltei de viagem descobri que a Pousada Lagoa Azul tem um restaurante legal, chamado Empório Lagoa Azul. Fica como sugestão também!

O que fazer? Roteiro para 3 dias em Capitólio

A maior parte das atrações estão dentro de propriedades particulares, sendo necessário pagar entrada, que varia de R$ 30,00 a R$ 45,00 por pessoa (algumas oferecem opção de meia-entrada para estudantes).

Capitólio tem atrações para mais de uma viagem, então o jeito é escolher o que quer fazer, elegendo o que é prioridade pra você. Impossível fazer tudo, a menos que você tenha muitos dias de viagem.

Nosso roteiro foi o seguinte:

Dia 1:

  • Almoço no restaurante Kanto da Ilha
  • Mirante dos Cânions
  • Cachoeira Diquadinha e Cascatinha

Dia 2:

  • Cachoeira Lagoa Azul
  • Paraíso Perdido
  • Cascata Eco Parque

Dia 3:

  • Trilha do Sol
  • Passeio de lancha pelo Lago de Furnas

Passeios/atrativos um a um:

Passeio de Lancha pelo Lago de Furnas

O passeio de lancha pelo Lago de Furnas é o principal e mais famoso passeio em Capitólio.

O Lago de Furnas se formou a partir da construção da barragem da Usina Hidrelétrica de Furnas e hoje é um maiores lagos artificiais do Brasil. Só para se ter uma ideia, o Lago de Furnas tem 4 vezes o tamanho da Baía de Guanabara (RJ).

A área alagada formou lindos cenários, como cânions e cachoeiras que deságuam diretamente na represa de tonalidade esverdeada.

Os passeios de lancha saem da Ponte do Rio Turvo (cerca de 15 quilômetros da cidade de Capitólio). É bem fácil achar, pois as tendas das empresas ficam na frente do restaurante do Turvo.

Além do passeio de lancha, também são oferecidos passeios de escuna, catamarã e chalana, sendo o de lancha o mais tradicional (e um pouco mais caro também – cerca de R$ 90,00 por pessoa*).

*Pode haver variações para mais ou para menos, conforme a empresa contratada e o passeio oferecido (duração e pontos visitados).

Os passeios de chalana e Catamarã são mais baratos e mais lentos, acontecendo apenas aos finais de semana, e com roteiro mais enxuto (passa na Lagoa Azul e nos cânions apenas).

Fizemos o passeio de lancha com Gilson Passeios Náuticos (Instagram: @gilson_passeios_nauticos). O passeio tem duração de 3 horas.

Os passeios de lancha passam em mais lugares:

  • Lagoa Azul, Cascatinha
  • Vale dos Tucanos
  • Cânions

Porém, como em setembro o nível da água já estava bem baixo no Lago de Furnas, a lancha já não conseguia mais adentrar o Vale dos Tucanos (são cânions), tampouco chegar até a Cascatinha (é uma cachoeira).

Sendo assim, fomos até o ponto onde a lancha conseguia chegar para ter uma noção do lugar, mas no ponto final não foi possível.

A última parada no passeio foi num bar flutuante com vista para o lago, onde compramos espetinho e cerveja artesanal.

Capitolio Lago de Furnas
Passeio de lancha com Gilson Passeios Náuticos – Capitólio
Passeio de lancha com Gilson Passeios Náuticos
Passeio de lancha com Gilson Passeios Náuticos

Mirante dos Cânions

O mirante é o cartão postal de Capitólio e foi exatamente esse lugar que tornou Capitólio um destino conhecido em todo país.

Chegar ao mirante é bem fácil: fica no Km 312 da MR-050. Foi simples encontrar, pois além da sinalização, esse foi um atrativo que visitamos no domingo, por volta das 16 horas, e havia muitos ônibus turísticos estacionados próximos ao mirante.

Depois de uma fila básica, conseguimos apreciar a vista e tirar nossas fotos. A ideia era voltar lá outro dia pela manhã, mas gostei das fotos e acabei decidindo que não seria necessário voltar.

Já li recomendações de pessoas que foram assistir o nascer do sol no mirante. Eu não fui nesse horário, mas fica como sugestão, principalmente se sua viagem a Capitólio for durante algum feriado ou final de semana, pois assim imagino que conseguira ver o mirante vazio.

Outra sugestão é ir próximo ao meio dia para ver os cânions com a luz do sol. O problema será o calor… Fui no final da tarde (antes do sol se por) e a iluminação estava bem sobre o mirante. Embora os cânions já estivessem sob a sombra, as fotos ficaram boas, porque a luz solar ficou sobre nós.

O acesso ao mirante é gratuito. Basta estacionar o carro por ali, no acostamento da estrada, e seguir a pé por 250 metros até os cânions.

É um passeio contemplativo e rápido, então não precisa reservar muito tempo para ele. Acho que 30 minutos é mais do que suficiente.

Cuidado com o local, pois não há proteção ou segurança. Não chegue muito perto da beirada, pois é literalmente um penhasco com grande risco de acidente (cuidado triplicado com crianças, certo?).

Mirante dos Cânions
Mirante dos Cânions
Mirante dos Cânions
Mirante dos Cânions – cartão postal de Capitólio

Cachoeira Diquadinha e Cascatinha

Bem próximo ao Mirante dos Cânions há duas cachoeiras na sequência, do outro lado da rodovia. Passamos por lá, mas como era domingo, tinha muita gente e optamos por não ficar.

Mas não para por aí: do mesmo lado da rodovia em que está o mirante, tem outra cachoeira cheia de piscinas naturais. Linda, linda… Não tenho certeza absoluta quanto ao nome, li algo que dizia que se chama Cascatinha… Mas o importante é saber chegar, então vou te explicar:

Se você sair do mirante e ir para direita (como se estivesse voltando a Capitólio), vai andar alguns metros e encontrar a entrada. Basta pegar a pequena trilha que logo você chegará nas piscinas naturais que se formam. Evite em período de chuva em virtude do risco de tromba d’água.

Por ter vários níveis e várias piscinas naturais, descemos até quase a última e o lugar estava vazio!

A entrada dessas cachoeiras é gratuita.

Cachoeira ao lado do Mirante dos Cânions
Cachoeira ao lado do Mirante dos Cânions

Cachoeira Lagoa Azul

A Cachoeira Lagoa Azul está a 28 quilômetros de Capitólio e pertence à Pousada Lagoa Azul.

A cachoeira não tem um lago azul, mas tem um poço com águas muito transparentes. Linda demais!

A entrada custa R$ 30,00 e muita gente opta por não visitar a cachoeira Lagoa Azul porque o passeio de lancha passa lá. Porém, o passeio de lancha só passa na parte de baixo, quando as águas da cachoeira desaguam no lado de Furnas.

No passeio, a embarcação atraca junto ao bar flutuante, onde há um acesso por uma escada, e as pessoas ficam ali nadando na represa mesmo, não na cachoeira (ela fica mais para cima).

Se quiser visitar o poço de águas transparentes que eu disse, tem que acessar pela rodovia MS-050, mesmo porque durante o passeio de lancha não da tempo de subir e aproveitar a parte superior da cachoeira como ela merece!

Parte superior da Cachoeira Lagoa Azul - Capitólio
Parte superior da Cachoeira Lagoa Azul – Capitólio
Cachoeira Lagoa Azul - Capitólio
Cachoeira Lagoa Azul – Capitólio

Paraíso Perdido

O Paraíso Perdido foi meu passeio preferido na região de Capitólio. Assim como o passeio de lancha, ele é absolutamente imperdível.

O Paraíso é composto por 8 quedas de águas e 18 piscinas naturais de águas cristalinas (não contei para conferir se o número era esse mesmo, mas lembro que eram muitas sim).

A trilha é auto-guiada e basta seguir as pegadas vermelhas que estão gravadas no chão. Se seguir as pegadas, estará em segurança.

As cachoeiras e piscinas que se formam são sensacionais, e conforme você vai subindo, a paisagem vai ficando cada vez mais bonita.

Vale muito à pena fazer a trilha até o final, ou seja, até chegar no poço da juventude.

Conforme você sobe, a trilha fica um pouco mais difícil, com algumas partes que precisa segurar numa corda, fazer uma pequena escalada e passar por dentro da água (molhando o pé) em alguns trechos.

O segredo é ir devagar. Eu fiz a trilha toda de chinelo e foi super tranquilo. Mas, como eu disse, vá devagar.

A maioria das pessoas prefere ir de tênis ou sapatilhas (aquelas presas ao pé). Eu não tinha levado minha sapatilha e não gosto de ficar colocando e tirando tênis toda hora, então por isso fui de chinelo mesmo.

Quanto aos poços, tem para todos os gostos: rasos, fundos, pequenos, grandes, todos com cachoeiras ou pelo menos alguma pequena queda d’água. Entrei em todos e adorei cada um deles.

Ah… Só não curti muito os girinos! O lugar é cheio deles, alguns até já bem grandes. sei lá, não gosto de nadar com mini sapos, mas fingi que era de mentira e fui!

Essa foi a atração mais distante que visitamos: está a 40 quilômetros de Capitólio. O caminho é sempre o mesmo: 35 quilômetros pela MG-050 até chegar na entrada que da acesso ao atrativo. A partir daí são mais 4,5 quilômetros de estrada de terra até a recepção.

Para chegar nos passeios, utilizamos sempre o Waze, então foi super fácil e não erramos nenhuma vez.

O Paraíso Perdido fica em propriedade particular onde, além do passeio propriamente dito (trilha), há aérea para camping, cabanas, banheiros, estacionamento e restaurante* (que não funciona todos os dias – fomos na segunda e estava fechado).

*Depois eu perguntei e descobri que o restaurante só abre aos finais de semana e feriados.

O valor da entrada é R$ 40,00.

Abre às 9 e fecha às 17 horas.

Reserve pelo menos meio período para esse passeio. Nós ficamos cerca de 4 horas lá, curtindo o paraíso de águas cristalinas todo só para nós, porque não tinha praticamente ninguém lá na segunda-feira.

Paraíso Perdido - Capitólio
Paraíso Perdido – Capitólio
Paraíso Perdido - Capitólio
Paraíso Perdido – Capitólio

Cascata Eco Parque

A Cascata Eco Parque escorre entre vários níveis de pedras de tonalidades alaranjadas, formando diferentes níveis de cascatas e piscinas naturais.

Possui também um pequeno cânion que deságua no Lago de Furnas.

O diferencial do passeio é a Diana, uma cadela pastor alemã linda, que faz às vezes de guia turístico. Diana gostou da gente e nos acompanhou durante todo o passeio, mostrando-nos o caminho e até entrando na água conosco em alguns pontos. Queria trazer ela comigo!

O monitor nos disse que ela só acompanha os turistas que quer, e quando ela gosta da pessoa, fica junto o tempo que for, até o turista terminar o passeio. Foi incrível e senti que ela gostou mesmo de nós!

A Cascata Eco Parque também fica em propriedade privada, com área de camping, chalés e lanchonete.

A entrada custa de R$ 35,00 a R$ 40,00 por pessoa (dependendo se for alta ou baixa temporada).

Cascata Eco Parque - Capitólio
Cascata Eco Parque – Capitólio

Trilha do Sol

A trilha, no bioma de cerrado, tem cerca de 4 quilômetros de extensão, e lá você visitará a cachoeira no Limite, a cachoeira do Grito e o Poço Dourado, as duas últimas para banho e a primeira para contemplação (embora eu tenha visto algumas pessoas na água também).

A cachoeira do Grito é uma delícia para entrar na água e o Poço Dourado passa por um caminho dentro da água (água bate na canela, perto do joelho talvez), entre os paredões cheios de pedrinhas empilhadas pelos turistas! Sem dúvida é a parte mais bonita do passeio.

A trilha é auto-guiada e na recepção o monitor passa as orientações. Não tem segredo não: basta seguir as orientações e as placas no curso do caminho.

Para chegar até a Trilha do Sol pegue a rodovia MG-050. O acesso fica a 23 quilômetros de Capitólio (1 quilômetro antes da Ponte do Rio Turvo).

No local também há uma piscina e um restaurante. Tem gente que vai para passar o dia, mas com um roteiro de 3 dias, fizemos a trilha, entramos nas cachoeiras e depois fomos embora.

A Trilha do Sol está localizada em propriedade particular e a entrada custa R$ 45,00 por pessoa.

Reserve um período do dia (manhã ou tarde) para o passeio. Nosso passeio teve duração de 3 horas e meia.

Trilha do Sol - Capitólio
Trilha do Sol – Capitólio
Trilha do Sol - Capitólio
Caminho até o Poço Dourado
Trilha do Sol - Capitólio
Poço Dourado

Cachoeira do Filó

A Cachoeira do Filó fica a 38 quilômetros de Capitólio, na primeira curva logo após a entrada da barragem de Furnas.

Está localizada praticamente na beira da rodovia, e é uma cachoeira aberta ao público.

Paramos apenas para tirar foto, mas fica como sugestão para incluir no seu roteiro, mesmo porque o acesso é gratuito.

Cachoeira do Filó

Outros passeios em Capitólio e região:

  • Usina Hidrelétrica e Barragem de Furnas (a 38 quilômetros de Capitólio está a Usina de Furnas. A barragem é acessível através de um desvio de 2 quilômetros da MG-050 e tem um mirante de onde é possível ver uma boa parte da usina).
  • Cachoeira do Sabiá (acesso de barco).
  • Cachoeira Fecho da Serra.
  • Cachoeira do Grotão.
  • Cachoeira do Lobo.
  • Cachoeira da Capivara.
  • Morro do Chapéu (mirante com vista panorâmica – 12 km de Capitólio).
  • Passeio de 4×4 para visitar lugares que não dá pra ir com um carro comum, a exemplo da Cachoeira do Dourado e Mirante da Pedreira da Lagoa Azul.
  • Serra da Canastra (lá está a nascente do Rio São Francisco e muitas cachoeiras, com destaque para a cachoeira Casca D’Anta, a segunda maior de Minas Gerais e uma das maiores do Brasil, com 186 metros de altura).

O que levar para Capitólio?

  • Mochila de costas para facilitar nas trilhas.
  • Repelente e filtro solar.
  • Roupa de banho e roupas leves (sempre coloque a roupa de banho por baixo para facilitar na hora dos passeios).
  • Boné ou chapéu e óculos de sol.
  • Toalha (preferencialmente aquelas de trilha).
  • Água e lanches.
  • Tênis ou sapatilha de mergulho (como as trilhas de Capitólio são curtas e de dificuldade leve, eu prefiro ir de chinelo porque não gosto de ficar colocando e tirando tênis, mas se você não está acostumado, melhor usar tênis).
  • Câmera (usei muito a GoPro).
  • Dinheiro (alguns passeios não aceitam pagamento da entrada no cartão).
  • Nunca pise em pedras molhadas, pois são escorregadias e pode causar acidentes.
  • Eu gosto de entrar de chinelo nos poços cachoeiras, pois acho que escorrega menos.

Sempre que você faz alguma reserva ou adquire algum produto/serviço utilizando um link aqui do blog, eu ganho uma pequena comissão do site. Você não paga nada a mais por isso e ainda me ajuda a manter o Mala de Viagem atualizado e sempre cheio de novidades!

Aluguel de carro

Rent Cars

Seguro Viagem

Seguros Promo

Passagens aéreas baratas

Passagens Promo

Passeios e ingressos

Get Your Guide

Chip Internacional

SimPremium

 

Você gosta das minhas dicas? Então aproveita e segue também o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real!
Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem – aproveita e me segue lá também!
Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.

Salve esse post no Pinterest:

Roteiro de 3 dias em Capitólio

Leia também aqui no MV:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!