AméricasEstados UnidosNapa Valley

Napa Valley de carro em 1 dia – “modo econômico”

DSC_0842

Está planejando ir pra Califórnia? San Francisco está no roteiro? Então que tal dar uma estendidinha na viagem até o Napa Valley?

Napa Valley é a região onde estão concentradas as vinícolas mais famosa da Califórnia.

O acesso é fácil, o passeio é uma delícia e você ainda tem a opção de fazer essa viagem no “modo econômico” como fizemos!

há 2 placas como essa – a primeira fica um pouquinho antes de chegar em Sta Helena

As principais cidades do Napa Valley são:

Napa

Primeira cidade do Napa Valley, que dá nome à região não por ser a cidade mais importante, mas devido ao rio Napa que passa por ali.

Yountville 

É a cidadezinha mais bonita da região, embora seja composta por praticamente uma única rua.

Oakville e Rutherford 

Para ser bem sincera, essas cidades são tão pequenas que  nem me lembro de ter passado por elas.

Santa Helena

Essa é a maior cidade, embora também seja pequena. Lá você encontra´rá mercado, restaurante, padarias, além de vinícolas, claro.

Calistoga 

É a última das cidades e tem um estilo “velho oeste” bem característico.

De Napa (primeira) até Calistoga (última) são somente 42 km, e nesses poucos quilômetros estão concentradas as centenas de vinícolas da região.

Tudo é muito pertinho: basta colocar no Waze que ele te dá o caminho certinho, inclusive mostrando o nome das vinícolas no próprio aplicativo, e se ela está do lado direito ou esquerdo da rodovia.

Quando se pensa em fazer um passeio em vinícolas norte-americanas, logo vem na nossa mente  programas como degustações caríssimas e vinhos mais caros ainda, certo? CERTO! PORÉM…

Não precisa ser exatamente assim se você não quiser ou não puder desembolsar muita grana. Por isso quero dividir como você a minha experiência no Napa Valley e te encorajar a conhecer a região também, ainda que seja no “modo econômico”.

Existem várias formas conhecer o Napa Valley:

Você pode comprar um tour em grupo saindo de San Francisco (mas nesse caso vai ficar vinculado ao passeio já pré-organizado pela agência), pode comprar um tour privado (com mais mobilidade de conhecer os lugares que você preferir), inclusive alugando uma limousine com motorista particular (vi algumas por lá), optar por comprar o romântico passeio de trem (Napa Valley Wine Train), ou alugar um carro em San Francisco, colocar no Waze o destino e chegar lá em mais ou menos uma hora e meia.

*No Napa Valley tem o passeio de balão também, mas ele está disponível apenas em determinadas épocas do ano, acredito que na alta temporada. Fomos no inverno e não vimos esse passeio sendo oferecido.

De todas as opções, ficamos com a de conhecer o Napa Valley de carro, partindo de San Francisco.

Ué Anna, mas se vocês estavam dirigindo, como fizeram para degustar os vinhos? Pois é, nem tudo são flores na viagem “modo econômico”. Sem contar que o slogan é sempre o mesmo em qualquer lugar: “Se dirigir, NÃO BEBA!” Ninguém quer ser preso nos EUA, certo?

Então, desse vez, nossa escolha foi visitar o Napa de carro, conhecer as vinícolas que queríamos, comprar os vinhos recomendados e deixar de lado as degustações e os tours guiados. Claro que ficou faltando toda essa parte, mas quem disse que não temos a intenção de voltar?

Óbvio que a parte da degustação deve ser incrível, inclusive tem vinícolas que você só entra com tour e horário previamente marcados, como é o caso  da a Opus One.

Porém, a maioria das vinícolas permite o acesso para que você possa conhecer o lugar (gratuitamente) e comprar vinhos e outras coisas na lojinha. Se você quiser fazer o tour para conhecer o cultivo das uvas, a fabricação dos vinhos e desfrutar de uma degustação ao final, será preciso pagar um valor pré-determinado, que varia conforme a vinícola, além de agendar com antecedência.

Entrada da Opus One

A vantagem de visitar as vinícolas sem tour ou degustação, é que com o valor que gastaríamos fazendo isso, compramos vários vinhos excelentes.

O preço dos tours variam bastante, mas se fosse para fazer uma média, acredito que seja em torno de 70, 80 dólares cada um.

Aí, com os nossos vinhos em mãos, fizemos nós mesmos nossa própria degustação no hotel (se é que pode se chamar de “degustação” tomar 1 garrafa inteira cada vinho).

Passamos no mercado Sunshine Foods (em Santa Helena), compramos queijos e mais alguns petiscos e pronto, sucesso total!

Não deixe de comprar pelo menos um vinho Zinfandel, ok? Os vinhos mais premiados do Napa Valley são dessa uva.

Sunshine Foods – em Sta Helena

Onde nos hospedamos?

Ficamos na cidade de American Canion, no Holiday Inn Express & Suites Napa Valley – American Canyon, e pagamos muito mais barato do que qualquer outro hotel das cidades mais famosas do Napa (saiu R$ 300,00 a diária).

O hotel é bom e o preço justo! Tem um quarto amplo, cama confortável, uma academia pequena, estacionamento incluso e um café da manhã simples, mas com opções de algumas frutas, iogurtes e pães (nos EUA é coisa rara café da manhã incluso no valor da diária).

Mas ficar em American Canion só vale à pena se no dia seguinte você já for retornar a San Francisco, pois ela fica na entrada do Napa. Se sua ideia for visitar outras vinícolas, então considere se hospedar em uma das cidades que fazem parte da região do Napa Valley, pois assim não ficará fora de mão.

Quantos dias preciso para conhecer o Napa Valley?

Ixe, muitos dias! São mais de 300 vinícolas concentradas na pequena região.

O acesso é sempre simples e uma vinícola é perto da outra… Mas se você não mora em San Francisco, acho impossível conseguir conhecer tudo numa mesma viagem… Então escolha as vinícolas que mais te interessam, faça uma listinha de umas 5 ou 6 e essas você poderá visitar em 1 dia apenas.

Conseguimos conhecer as seguintes vinícolas:

Robert Mondavi Winery, Inglenook (vínicola do Copolla), Beringer, Castello di Amorosa, Chateau Montelena e Muun.

Interior da Robert Mondavi Winery
Inglenook
Castelinho da Beringer
Entrada da Castello di Amorosa (a vinícola mais cheia de visitantes)
Chateau Montelena

Outras vinícolas que gostaríamos de conhecer, mas não deu tempo:

Domaine Carneros by Taittinger, Domaine Chandon, V. Sattui, Cade Winery, B Cellars, ZD Wines.

Só lembrando que foi possível passar por todas essas em apenas um dia porque não fizemos nenhum tour-degustação (cada tour tem duração média de 1 a 2 horas).

Fique atento aos horários:

As vinícolas fecham cedo (principalmente durante o inverno) – entre 16:30 e 17:30, então programe bem seu tempo para não correr o risco de pegar sua vinícola preferida fechada.

Onde almoçar e jantar? 

Almoçamos na Dean & DeLuca Bakery, pois não queríamos perder muito tempo com almoço e conseguir visitar o máximo de vinícolas possível.

A padaria é bem grande e as opções mais comuns são lanches feitos na hora ou saladas. Vale à pena provar um dos doces da padaria também, pois além da cara apetitosa, o gosto é maravilhoso.

Se você quer investir um pouco mais no jantar, provavelmente vai adorar as opções da pequena Yountville. Aliás, só o passeio por Yountville já é uma atração a parte, principalmente se visitá-la em uma noite de dezembro, quando a rua principal da cidade fica toda decorada!

Algumas opções de restaurantes conhecidos em Yountville:

  • Ad Hoc
  • Bouchon
  • The French Laundry

Os três são do famoso Chef Thomas Keller. Independentemente de qual restaurante escolher, faça reserva com antecedência.

Se quiser comprar queijos, petiscos ou até mesmo comida para fazer sua própria degustação/jantar, recomendo o mercado Sunshine Foods, em Santa Helena (Endereço: 1115 Main St, St Helena, CA 94574, EUA).

Qual a melhor época para ir ao Napa Valley?

Durante a colheita – setembro/outubro.

Ponto positivo: ver a região verdinha e mais bonita.

Ponto negativo: esse período é a alta temporada, então a região estará cheia de turistas e os preços mais altos.

Fui em dezembro, não vi um verdinho sequer nos parreirais. Já tinha bastante gente transitando por lá mesmo na baixa temporada, então imagina como deve ser na alta estação?

Mas mesmo tendo sido uma viagem rápida, apenas para ter um panorama geral das vinícolas e da região, posso dizer que foi experiência fantástica e por isso recomendo que você vá, independentemente da época e duração da sua viagem!

O Napa Valley tem um estilo próprio, que não se assemelha ao esteriótipo americano. A estrutura da região te faz pensar que está num cantinho da europa!

Seja qual for a forma escolhida para conhecer o Napa, tenho certeza que irá adorar e querer voltar. Eu mesma quero voltar para conhecer mais algumas vinícolas e, da próxima vez, quem sabe fazer o romântico passeio de trem com o Napa Valley Wine Train!

Napa Valley
Até a próxima Napa Valley!

Abraço,

Anna.

Ps. Se você gosta de conhecer vinícolas e fazer turismo enogastronômico, não pode perder os posts sobre a Região Vinícola do Cabo, na África do Sul:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!