AméricasEstados UnidosLas Vegas

Waking Up in Vegas: dicas de viagem a Las Vegas

Las Vegas - Nevada

Provavelmente você já ouviu falar que “o que acontece em Vegas fica em Vegas”, não ouviu? Será mesmo que é assim? Mas não se preocupe que eu não tenho intenção em deixar nada em Vegas não, pois faço questão de compartilhar com você como foram meus dias na cidade que mais parece um parque de diversões!

E para facilitar o planejamos da sua trip, vou fazer esse post no estilo “perguntas e respostas”, lembrando de quais foram minhas principais dúvidas quando programei meus dias na cidade das luzes, hotéis, cassinos, restaurantes, shows…

Qual a melhor época do ano para ir a Las Vegas?

Las Vegas está em uma região desértica (deserto de Nevada), então a amplitude térmica na cidade é grande. Os melhores meses para visitar Las Vegas são os meses de março a maio ou setembro a novembro, pois as temperaturas não são nem muito altas, nem tão baixas.

Todas as vezes que estive lá, era inverno (dezembro, janeiro, fevereiro) e peguei frio, mas não aquele frio insuportável, sabe?Quando anoitecia a temperatura caia uns bons graus e um casaco mais pesado era necessário para sair na rua (e aí fica aquele tira e põe casaco, porque todos os estabelecimentos fechados são aquecidos e, às vezes, até quente demais).

De qualquer forma, todos os hotéis e estabelecimentos possuem aquecimento, então frio mesmo é só na rua.

Outro ponto a ser analisado é em relação aos preços, pois sua viagem será mais barata ou mais cara a depender da época do ano que visitar a cidade.

Estivemos em Las Vegas para o réveillon de 2016/2017, e o maior problema foi o preço dos hotéis.

Se você procura por uma época na qual o preço dos hotéis são mais convidativos, então fuja dos feriados, pois é normal encontrar preços três vezes mais altos do que em outras épocas. Além dos preços elevados, Rodrigo e eu tivemos que fazer as reservas dos hotéis com muita antecedência e quase ficamos sem! Fizemos as reservas em setembro, e mesmo assim já não havia muita opção…

Nunca fui a Vegas durante o verão, mas é nessa época que as temperaturas chegam perto dos 40ºC, e aí caminhar pelas ruas com certeza será um mais difícil. Por outro lado, indo no verão, você poderá aproveitar muito a piscina do hotel (e as famosas pool parties) e ver uma Las Vegas ainda mais animada.

Independentemente da época que você escolher, o fato é que Las Vegas nunca dorme (sei que a frase é pra New York, mas acho que ela se aplica muito bem a Vegas também). Eventos e atrações para todos os gostos acontecem diariamente e durante todo o ano. Não se preocupe com falta do que fazer, pois isso com certeza não acontecerá em Las Vegas, seja qual for a estação.

O que fazer em Las Vegas?

Hum… Você pode fazer o que você quiser em Las Vegas (tirando o que for considerado ilícito, claro…). O que eu quero dizer é que em Vegas você pode passar seu dia todo dentro de um cassino tentando a sorte (se for o seu perfil) ou andando pela Strip (avenida principal da cidade) e se encantando com cada detalhe daquele universo de ostentações.

Se for sua primeira vez na cidade, um programa imperdível de fato é passear por toda a Strip e ir conhecendo todos os hotéis/cassinos que puder. Entre, caminhe pelas áreas dos hotéis, tire fotos, encante-se pelas lojas de grife, escolha um bom lugar para fazer sua refeição e, quando você se der conta, o dia já terá ido embora…

  1. Passear pela Strip e conhecer os principais hotéis-cassinos

A maior atração de Las Vegas são seus hotéis/cassinos, pois é dentro deles onde tudo acontece. Cada hotel é como se fosse um grande shopping, com lojas, bares e restaurantes, praças de alimentação, baladas, shows, sem contar a parte do cassino e a decoração temática de cada um, que já é uma atração por si só!

Hotéis cassinos mais legais para conhecer (minha opinião):

Encore e Wynn: são super modernos e com uma decoração maravilhosa. O buffet do Wynn é imperdível (vou falar melhor sobre ele quando dar minhas sugestões de restaurantes).

Venetian: acho que é o mais bonito por dentro, principalmente a parte da praça de alimentação, o teto e o “rio” que passa em seu interior, onde é possível fazer passeios de gôndolas.

Cosmopolitan e Aria: são ultra-modernos e o buffet do Aria também não deixou a desejar.

Bellagio: já foi o ban-ban-ban, hoje não mais… Mas não deixa de ser um clássico! O buffet achei péssimo, mas o show das águas é atração imperdível.

Caesars Palace: tem um shopping cheio de lojas maravilhosas (não que os outros não tenham, mas o shopping do Caesars é enorme). Aos amantes de Cheesecake Factory, já informo que tem uma filial por lá.

Paris e New York New York: os dois me encantam pela decoração temática. Na mesma linha temática também tem o Luxor (embora seja mais simples).

MGM e Mirage: também incluo os dois na lista, mas não acho tão legais quanto os outros.

Stratosphere: não fica na Strip (se não quiser caminhar mais uns bons km, melhor pegar um bus, taxi ou Uber). O legal desse hotel é seu rooftop, onde há brinquedos (até que um tanto radicais). A altura é surreal, sendo possível ver toda Las Vegas lá de cima.

Como eu disse, dentro desses hotéis cassinos você encontrará uma série de atividades e com certeza passará horas e horas sem nem se dar conta que já anoiteceu (olhe para o teto e se lembre disso quando estiver dentro do Venetian ou do Caesars Palace).

Hotel Paris visto da Strip
Bellagio
Interior do Venetian
  1. Assistir um (ou vários) shows e ir a uma balada

O triste é escolher, porque boas opções de atrações e shows não faltam em Las Vegas. Cada hotel tem seus shows fixos que acontecem diariamente!

Sugiro que você assista pelo menos um dos espetáculos do Cirque Du Soleil (os mais caros são os melhores). Você também poderá ver show de mágica e ilusionismo, show de comédia, Blue Man Group e tantos outros…

Em relação às baladas, Vegas é onde você encontra simplesmente as melhores. Elas estão dentro dos hotéis cassinos e os preços variam bastante conforme o evento e principalmente a época do ano.

Mystere – um super e clássico espetáculo do Cirque du Soleil
  1. Tirar uma foto no letreiro Welcome To Fabulous Las Vegas

Fica na entrada da cidade, do lado do aeroporto (indo pro lado do Cassino Mandalay Bay). Será um passeio mais demorado para chegar lá do que a foto em si (mas quando eu fui havia fila para conseguir um click), mas todos (ou quase todos) queremos essa foto de recordação, certo?

Como não estávamos de carro, fomos de ônibus (vou falar sobre ele quando dar dicas sobre transporte em Las Vegas).

  1. Conhecer a Fremont Street

Essa região é conhecida como “Old Las Vegas”, pois é lá onde tudo começou. Se for possível, prefira visitar o lugar na parte da noite, pois a Fremont tem um teto de led bacana, que fica todo iluminado quando anoitece.

Os hotéis e os cassinos de lá são bem inferiores aos da Strip, mas acho que vale a pena conhecer a região e passear pela Fremont.

Entrada da Fremont
Na Freemont – durante a noite fica passando animações no teto de led
  1. Passear pelo The Linq

O The Linq é um complexo na Strip, onde você encontra lojas, restaurantes, bares e a atração principal: a maior roda gigante do mundo – a High Roller. Em janeiro/17 o ingresso para High Roller durante o dia custava 25 dólares, enquanto o ingresso noturno 35 dólares.

Complexo The Linq
  1. Visita ao Grand Canyon

Infelizmente não fui, mas tenho certeza que se você for, não irá se arrepender. Dá pra ir de carro (dirigindo você mesmo), com tour guiado ou até de helicóptero.

Onde comprar ingressos para shows e atrações de Las Vegas?

Você pode comprar na bilheteria do próprio lugar onde a atração é realizada (mas faça isso com antecedência), pode comprar em alguns quiosques espalhados pela Strip (com descontos) ou pode comprar direto no site oficial da cidade.

Nós optamos por comprar pelo site: seguro, confiável e mais barato!

Onde se hospedar em Las Vegas?

Se você está priorizando localização, a melhor opção são os hotéis da Strip, como o Wynn-Encore (esse fica em uma das extremidades da avenida), Bellagio e Caesars Palace (muito bem localizados), Venetian, Cosmopolitan, Aria

Na Strip também estão hotéis como Excalibur, Luxor e Flamingos, que são hotéis mais antigos e não tão bons, mas estão na Strip.

Dividimos nossa estadia em dois hotéis: Palms e Trump.

Nenhum dos dois está na Strip, mas o Trump é ótimo! Ele não é hotel cassino, então não tem cheiro de cigarro em suas dependências. É um hotel 5 estrelas e embora não esteja no “burburinho” da cidade, o hotel oferece serviço de shuttle que te leva a dois pontos: até o Wynn ou até o Caesars Palace. Além disso, bem na frente do Trump há uma entrada para o maior shopping da cidade, então por tais fatores, ele acaba sendo uma ótima opção.

Já o Palms eu não recomendo. Não é um hotel ruim, pois tem um quarto amplo e confortável, mas a localização não é boa. Embora também ofereça serviço de shuttle, fica mais afastado que o Trump e comparando os dois, o Palms fica uns bons pontos atrás.

Sempre que você faz sua reserva de hospedagem pelos links que aparecem nos posts, banner da Booking.com na lateral direita do blog ou mesmo clicando aqui você me ajuda: não pagará nada a mais por isso, e eu recebo uma pequena comissão do site. Essa sua ajuda contribui para eu manter o blog MV cada vez mais completo e sempre cheio de novidades! Obrigada!

Relaxando no Hotel Trump depois de um dia cheio!

Como se locomover em Las Vegas?

É muito fácil se locomover por lá e alugar um carro não é uma necessidade.

Embora o preço do aluguel de carro seja mais barato em Vegas do que em outras cidades dos EUA, e você não precise pagar para estacionar nos hotéis, caso opte por alugar, vai ter que enfrentar o trânsito da Strip, que eu já acho uma coisa bem chata…

O legal de estar na Strip é caminhar por ela e ir conhecendo cada hotel, o que você não fará de carro. Se a ideia for ir a algum lugar fora dali, como na Fremont Street, no letreiro Welcome To Fabulous Las Vegas ou mesmo conhecer o hotel Stratosphere, você pode usar ônibus ou mesmo Uber.

Há dois ônibus que fazem um trajeto que passa pelos principais pontos turísticos da cidade (vai inclusive até os outlets). Você pode comprar um ticket que da direito a 24h de uso e o preço é bem acessível.

Esses ônibus são parecidos com micro-ônibus, possuem ar-condicionado, wi-fi e a única coisa ruim é que ele para muito, então você perde bastante tempo até chegar ao destino final.

Nós usamos esse ônibus e também usamos Uber, então carro não nos fez nenhuma falta. Agora, também devo fazer uma observação: a gente andou muito em Las Vegas, uma média de 15 a 20 quilômetros por dia! Não que você tenha que andar tudo isso pra ser feliz… mas tirando a dor no pé, as lembranças hoje são as melhores!

Onde comer em Las Vegas?

Só lamento por eu não ganhar em dólar, por não ter uns 10kg a menos e por a gula ser pecado, porque caso contrário meu amigo… eu passaria o dia todo indo de um restaurante pra outro.

O que não pode faltar na sua lista é o buffet do Wynn! Funciona assim: vários (a maioria) dos hotéis possuem esse sistema de buffet. Você pode ir para tomar café da manhã, almoçar ou jantar (aos domingos tem o brunch ao invés de café da manhã e almoço). Você paga um preço único (fora a gorjeta) e come o que quiser, o quanto aguentar, até sair rolando… sim, porque por mais controlado (a) que você seja, é difícil resistir a tantas tentações!

Eu fiquei encantada com o Wynn – The Buffet. A decoração é linda, um luxo! Tem muita variedade de comida (para todos os gostos) e as sobremesas são melhores ainda.

Pra fechar a lista de elogios, achei o preço muito bom (de 20 a 40 dólares a depender do dia e do horário – jantares e finais de semana são mais caros).

The Buffet – Wynn

Também experimentamos o buffet do Aria, famoso pelas patas de caranguejo e o buffet do Bellagio. O do Aria é bom também (mas perde pro Wynn) e o do Bellagio achei péssimo e não recomendo!

Preços e horários (Aria)

Ouvi falar muito bem do buffet do Caesars Palace (chamado Bacchanal Buffet) e do Cosmopolitan (Wicked Spoon). Tentamos ir no Cosmopolitan (antes de ir no Aria), mas estava com uma fila imensa e desistimos.

Ah, verdade, a fila é um problema, então se programe para ir cedo. No Wynn chegamos bem cedo e não pegamos fila nenhuma. Já no Aria, pegamos uma fila de mais de 1h, então se programa para evitar esse desconforto.

Bom, superada a fase “comilança never ends” nos buffets, Las Vegas possui restaurantes muito famosos também, como é o caso do Joël Robuchon (no MGM), o Twist (no Mandarin Oriental), o Guy Savoy (no Caesars Palace), o Nobu (com duas unidades: uma no Caesars Palace e outra no Hotel Hard Rock Café) – são só alguns exemplos da alta gastronomia que você encontra por lá.

Um restaurante bacana que talvez você se interesse em conhecer é o Buddy V’s Ristorante, que fica no Venetian. Depois é só dar 5 passos que logo na frente estará a Carlo’s Bake Shop para provar o famoso cannoli (ou qualquer outro doce lindo da vitrine).

Buddy  V’s Ristorante
Carlo’s Bake Shop
Minha escolha no Carlo’s Bake Shop

Com exceção dos buffets, onde a regra é apenas evitar o horário de pico, faça reserva em todos os demais restaurantes que desejar conhecer, principalmente se estiver visitando a cidade num feriado ou durante o final de semana!

Cheesecake Factory sempre na minha lista
Canaletto

Vale a pena passar a virada em Las Vegas?

Não pense que porque você estará em meio a tanto luxo, que você estará isento do empurra-empurra dos lugares lotados. Pois é, descobri que não há tanto glamour assim em passar o réveillon em Vegas, e explico a razão:

Você tem várias opções de programas e passeios para fazer no dia 31 de dezembro em Vegas, mas você não terá muitas opções para fazer exatamente na virada do ano.

Se sua ideia for ir a um restaurante legal, brindar e provar um menu especial de ano novo, ok, da pra fazer isso, mas seu brinde provavelmente será lá pelas oito horas da noite. Isso porque os restaurantes trabalham com reservas e não achei nenhum que servisse uma ceia, mas sim jantares, que eram na véspera e não no réveillon propriamente dito. Talvez haja exceções e eu não tenha tido sucesso na minha busca, mas confesso que de tanto procurar, acabei desistindo.

Segunda opção é pegar uma balada! Nesse caso você terá a chance de assistir um show de um artista famoso, por exemplo. Cogitamos a opção, mas nesse caso passaríamos a virada do ano dentro da boate sem ver os fogos e acabamos desistindo. Outro motivo da desistência foi em razão da lotação desses shows (nos disseram que as boates ficam realmente lotadas no dia 31).

Ficamos com a terceira opção – a mais comum de todas (também eleita pela maioria das pessoas): passar a virada do ano na Strip e ver os fogos. No Brasil a gente vai pra praia, em Las Vegas eles vão pra avenida principal (que fica fechada para o trânsito de veículos desde a tarde do dia 31). Confesso que foi meio frustrante, pois o que eles chamam de “fogos de fim de ano”, não chega nem perto do que imaginamos quando pensamos em fogos de réveillon aqui no Brasil. Daquela infinidade de hotéis, apenas 5 soltam fogos de artifício.

A cultura é diferente e eles não têm o mesmo conceito que a gente: quando acabaram os 10 minutos de fogos, todo mundo voltou para os seus hotéis e pronto, acabou a festa (depois dos fogos os cassinos hotéis só liberam a entrada dos hóspedes). Imagino que os americanos adoram esse momento em Vegas porque é um dos únicos lugares no EUA que há fogos de réveillon e porque lá eles podem beber bebida alcoólica na rua.

Sem contar que depois de tudo, foi uma dificuldade imensa para conseguir voltar para o nosso hotel, pois não só a Strip, como as ruas paralelas e perpendiculares estavam todas fechadas. Todo mundo tentando chamar Uber, virou o caos… Nem sinal de celular eu tinha mais! O jeito foi ir embora a pé para o hotel.

Eu poderia falar só o lado bom da viagem e claro que tem muita gente que já passou o réveillon em Las Vegas e achou incrível, mas se você está em dúvida, fica aqui o registro da minha experiência para você avaliar melhor a opção.

Tirando esse “detalhe” da virada do ano, todos os outros momentos em Las Vegas foram ótimos e fizeram com que nossa viagem fosse incrível, mas réveillon daqui pra frente é de preferência no Brasil!

Apenas 5 hotéis fazem queima de fogos

Dá para viajar com crianças para Las Vegas?

Com certeza! Las Vegas tem opções para todos os gostos e idades. Os programas são diferentes com 5, 15, 21, 30, 40 anos… mas tenho certeza que tem diversão para todos. Caso esteja programando uma ida a Vegas com os pequenos, sugiro que prefira se hospedar em um hotel comum (hotel que não seja cassino), para evitar o cheiro de cigarro dos cassinos.

Vale a pena tentar a sorte nos cassinos de Las Vegas?

Opa, claro que sim! Eu ganhei e depois perdi tudo, mas valeu a brincadeira.

Quando ganha é bom né?
Tentando a sorte na roletinha…

Brincadeiras à parte, essa pergunta final é só para descontrair mesmo, pois sejam quais forem as suas preferências, tenho certeza que Las Vegas lhe oferecerá atrações que do seu agrado, pois como eu disse, aquilo é de fato um parque de diversões e opções de diversão não faltam!

Por fim, outro programa frequente e interessante em Vegas é fazer uma cerimônia de casamento (ou renovar os votos) em uma das charmosas capelinhas de casamento da cidade. O blog Família sem Fronteiras contou como foi a experiência, e deu dicas para quem quer fazer igual!

Você gosta das minhas dicas? Então aproveita e segue também o @maladeviagem no Instagram, assim você poderá acompanhar todas as minhas viagens em tempo real!
Agora o Mala de Viagem também está no TripAdvisor, com todas avaliações de cada experiência da viagem!
Já se inscreveu no nosso canal? Se ainda não, aproveita para se inscrever agora: Blog Mala de Viagem no Youtube.

Sempre que você faz sua reserva de hospedagem pelos links que aparecem nos posts, banner da Booking.com na lateral direita do blog ou mesmo clicando aqui você me ajuda: não pagará nada a mais por isso, e eu recebo uma pequena comissão do site. Essa sua ajuda contribui para eu manter o blog MV cada vez mais completo e sempre cheio de novidades! Obrigada!

Salve esse post no Pinterest:

Anna
Anna
Escorpiana assumida, Defensora Pública em MS e wanderlust por natureza. Está sempre programando uma nova aventura e em busca de experiências, porque acredita que a melhor viagem é sempre a próxima!