Skip to main content

Japão, Uma Viagem do Passado ao Futuro

Templos magníficos e tecnologia avançada. A tradição do chá, as cerejeiras centenárias e a modernidade imersa em cada canto, em telas de led e eventos extravagantes. Bem-vindo à Terra do Sol Nascente – Japão: O Hotel Urbano em parceria com o Mala de Viagem te levam a uma viagem do passado ao futuro no Japão, pelas cidades de Kioto e Tóquio, entre outras.

Se você está planejando uma viagem ao Japão, uma das mais importantes – e desafiadoras! – etapas é decidir onde visitar. Por isso, para ajudá-lo a navegar pelas possibilidades e decidir onde visitar, preparamos nosso próprio guia para os melhores destinos do Japão.

Máscaras tradicionais japonesas
Máscaras tradicionais japonesas

Nunca se esquecendo que no Japão neva no inverno e as temperaturas são bastante amenas, mesmo no verão.

A beleza das cerejeiras orna todo o Japão, atenção para o período de floração – o Sakura – que vai do final de março às primeiras semanas de abril. Essa é a ocasião predileta dos japoneses, pois eles se reúnem nos parques para um piquenique em família, de forma a contemplar a natureza. Um sinal de prosperidade e alegria.

Sakura
Sakura

Assim, apesar do seu tamanho aparente, recomendamos “admitir a derrota” desde o início e aceitar que você não poderá “fazer” o Japão em apenas uma viagem  (quer tenha 2 semanas ou 2 meses).

Experiência de hospedagem Tradicional – Hospedar-se num Ryokan

No campo, fique em um belo ryokan e desfrute do onsen (hot springs) e da cozinha kaiseki. Para complementar os dois, recomendamos pelo menos uma viagem de 1 ou 2 noites no campo japonês (e uma experiência tradicional de ryokan) para completar o seu itinerário. Uma viagem que inclui Tóquio e Kyoto seria ótima, mas para complementar as duas cidades, muitas vezes recomendamos pelo menos uma viagem durante a noite ao Japão rural.

Onsen – Ryokan no inverno
Onsen – Ryokan no inverno

Felizmente, este tipo de experiência está disponível em inúmeras áreas em todo o Japão, incluindo Hakone e a Península de Izu.

Ficar em um ryokan – uma pousada tradicional de estilo japonês – é uma ótima maneira de mergulhar totalmente na cultura tradicional japonesa.

Entretanto, para não japoneses, pode haver muitas surpresas ao se hospedar em um ryokan, porque é muito diferente de ficar em um hotel.

Estas são algumas das principais diferenças entre ryokans e hotéis:

  • Seu quarto minimalista de tatame
  • Negociando seus sapatos e roupas “regulares” para o yukata – uma túnica de estilo japonês – e chinelos
  • Onsen (fontes termais) e cultura e etiqueta de banho japonesa
  • Seu jantar de kaiseki de vários pratos e café da manhã tradicional japonês
Tradicional cama japonesa Futon
Tradicional cama japonesa Futon

Lembre-se de que nem tudo o que descreveremos aplica-se a cada Ryokan. No entanto, esses elementos comuns lhe darão uma boa compreensão do que é ficar em um ryokan.

Kyoto

Kinkakuji Golden Pavilion em Kyoto, Japão (templo)
Kinkakuji Golden Pavilion em Kyoto, Japão (templo)

Uma das cidades mais ricas culturalmente do mundo, Kyoto é o que muitos viajantes desejam ao vislumbrar o Japão. Você poderia passar facilmente semanas vagando por suas ruas traseiras, lojas e restaurantes de artesanato de gerações, templos e jardins antigos.

Santuário de Fushimi Inari-taisha em Kyoto, Japão, com os famosos portões (torii) vermelho-laranja.
Santuário de Fushimi Inari-taisha em Kyoto, Japão, com os famosos portões (torii) vermelho-laranja.
O belo torii vermelho do Santuário Fushimi Inari, Kyoto
O belo torii vermelho do Santuário Fushimi Inari, Kyoto

KANAZAWA

Higashi Chaya, o distrito de chá de gueixa em Kanazawa, Japão
Higashi Chaya, o distrito de chá de gueixa em Kanazawa, Japão

A principal razão pela qual os visitantes acudem a Kanazawa é Kenrokuen Garden, considerado um dos Três Grandes Jardins do Japão. Adjacente a Kenrokuen é Kanazawa Castle. Nas proximidades você encontrará o Higashi Chaya-gai, maravilhosamente preservado, o casario histórico da cidade e da geisha da cidade. Kanazawa também abriga o Museu DT Suzuki de filosofia budista, o distrito de samurai Nagamachi Bukeyashiki, o movimentado Mercado Omicho, o Museu de Arte Contemporânea do século XXI e Myoryu-ji (o Templo de Ninja).

 

NAOSHIMA

Um dos melhores lugares do Japão para os amantes da arte, a arte da ilha de Naoshima é o lar de uma grande coleção de museus de arte contemporânea, galerias, exposições e instalações.

Benesse House (que também abriga o hotel mais notável de Naoshima) apresenta obras de uma impressionante coleção de artistas, incluindo Hiroshi Sugimoto, Gerhard Richter, Shinro Ohtake, Richard Long, David Hockney e muitos outros.

Mostra em Benesse House
Mostra em Benesse House

O maravilhoso Museu de Arte de Chichu foi projetado por Tadao Ando para permitir uma abundância de luz natural e apresenta uma pequena mas impressionante coleção de obras de artistas como Claude Monet, James Turrell e Walter De Maria.

O projeto Art House é uma coleção de casas e oficinas abandonadas – bem como um templo e um santuário – que foram convertidos em locais e instalações de arte para artistas do Japão e de todo o mundo.

Demaria
Demaria

Teshima

Se você tem tempo para uma visita a Teshima ao visitar Naoshima, vale a pena visitar! Localizado a apenas 30 minutos de ferry-boat, Teshima é uma pequena ilha com três locais de arte notáveis. Além da Teshima Yokoo House e “Les Archives du Cœur” de Christian Boltanski, o destaque da ilha é o impressionante Museu de Arte Teshima.

Teshima Museum art
Teshima Museum art

E essa foi a primeira parte do nosso post sobre o Japão!

Em breve será publicado a segunda parte, com dicas sobre as cidades de Osaka, Hiroshima, Miyajima, Onomichi, Monte Koya, Nara e Tóquio. Fique ligado!

Sobre o post: esse post foi escrito pelo nosso colaborador Hotel Urbano, revisado e postado por mim (Anna).

 

Post anterior – Essenza Hotel, Jericoacoara – será que vale à pena?

Próximo post – Onde se hospedar em Bonito – Bonito Ecotel, hotel ecologicamente correto