Skip to main content
Sanbona

Safari no Sanbona: a maior reserva privada perto da Cidade do Cabo

O Sanbona Wildlife Reserve é a maior reserva privada da região de Western Cape (Cabo Ocidental). Se você quer uma opção de safari próximo a Cape Town e Garden Route, pronto! Acaba de encontrar uma reserva excelente, com “selo Blog Mala de Viagem de qualidade”.

Estivemos na África do Sul entre os meses de setembro e outubro de 2017 (passamos praticamente um mês no país. Já dá pra falar que moramos na África do Sul?).

O país é um mix das melhores coisas do mundo, isso é fato! Mas se tem uma coisa que faz com que turistas atravessem oceanos (a nado, se preciso for), são os animais e os safaris.

Se você já gosta de documentários sobre a vida selvagem, prepare-se: você voltará do safari ainda mais apaixonado(a).

Se você não se liga muito em Animal Planet e National Geographic, grandes chances de eles se tornarem seus canais de TV preferidos depois de um game-drive.

Obs. eu mesma estou assistindo um programa sobre safari na Nat Geo Wild enquanto escrevo esse post!

*Game-drive é o termo utilizado para designar o safari feito com o guia (denominado ranger) em um jipe aberto.

Game-drive, uma das melhores experiências da vida! O nosso ranger é o motorista ali no fundo.

A reserva está a 3 horas da Cidade do Cabo e a estrada até lá é lindíssima, até mais linda que a Garden Route (opinião pessoal).

Estrada de Cape Town até o Sanbona – saímos da Cidade do Cabo no final da tarde. Pegamos a estrada entre fim da tarde, começo da noite. Era noite de lua cheia, então a iluminação estava fantástica.

Optamos por sair de Cape Town no dia anterior ao check-in no Sanbona.

Obs. Tem um pedágio na estrada (e torno de R50).

Então reservamos uma guest house (que deixo de indicar aqui porque não gostei) na cidade de Montagu. Confira aqui a nossa rota.

Montagu é uma cidade bem pequena. Foi apenas um ponto de parada para pernoite e café da manhã.

Ao contrário da guest house, o local escolhido para o café da manhã eu faço questão de indicar:

Montagu – adoramos o café da manhã do local
Pausa pro café antes de seguir viagem
Salada de frutas com homemade granola
Omelete divino
E ainda achei esses chocolates fit pra levar comigo para todo o sempre (ou até acabar poucas horas depois…)

Hora de seguir viagem.

E essa parte da trip foi muito rápida, tanto que chegamos ao Sanbona bem adiantados. O transfer para nosso lodge seria apenas 2h depois, então decidimos nos aventurar e seguir até ele dirigindo nosso carrinho alugado mesmo.

Ah, antes que eu me esqueça: usamos o waze praticamente durante toda a rota. Quando chegou na estrada que dá acesso ao Sanbona, a internet se foi, mas a partir dali é fácil se guiar pelas placas, até chegar no portão de entrada da reserva, onde há um funcionário simpático que tem como língua nativa o Xhosa (com seus curiosos cliques feitos com a língua).

O Sanbona ocupa uma área semidesértica no coração do Little Karoo, na Rota 62 (rota de vinho mais longa do mundo) e ao pé das altas montanhas de Warmwaterberg. Possui 58 mil hectares de montanhas de Cape Fold esculpidas, planícies de Karoo abertas e alguns exemplos de arte de San Rock (alguns com mais de 3.500 anos).

Impossível não se encantar com as belezas desse lugar! Você pode até ir ao grandioso Kruger, mas é no Sanbona que você encontrará paisagens belíssimas em meio aos vales.

Não é “apenas” uma reserva de “Big 5”, mas também uma imensidão de paisagem exuberante. O safari em meio aos vales é uma lembrança pra guardar para toda a vida.

*Big 5: já foi o termo utilizado para designar o grupo dos 5 animais mais difíceis de serem caçados pelo homem. Atualmente a caça é proibida (tks God!), o que, infelizmente, não significa que ilegalmente não aconteça.

Hoje o termo ainda é muito comum nos safaris, pois são os animais que os turistas mais desejam ver:

  • Leão
  • Leopardo
  • Bufalo
  • Rinoceronte
  • Elefante

Dificilmente você verá um leopardo em um game-drive. Esses animais vivem em árvores e montanhas (resultado do período em que a caça era permitida – então eles procuram fugir da presença humana, por considerá-la hostil).

Meu medo de fazer um safari privado (e não em um parque nacional como o Kruger) era de me deparar com um “grande zoológico” (tem muitos nesse estilo na região perto de Cape Town), onde os animais eram alimentados pelo homem, por exemplo.

No Sanbona você pode ir sem medo de ser feliz, porque (além de ser zona livre de malária) o lugar em nada se compara a um zoológico. É sem dúvida em grande território de vida selvagem.

Fazer um game-drive é a melhor aula prática de biologia que você pode ter! Essa cobrinha passava lindamente na frente do nosso jipe, quando o ranger parou e se atirou em cima dela (com toda experiência e conhecimento, claro), para nos mostrar o animalzinho…

Mas você deve estar se perguntando: se eu não conhecia o Sanbona Safari e tinha um mês na África do Sul, então porque o Kruger Park não foi minha primeira opção? Explico:

Embora tivesse um mês na África do Sul, Rodrigo e eu fizemos 3 semana de curso de inglês em Cape Town, o que nos “prendeu” na cidade e na região.

Até daria para associar a viagem com uma ida ao Kruger no início ou no final, mas para isso teríamos que sacrificar outra parte do roteiro que queríamos muito fazer: a Garden Route.

Então a melhor solução foi pesquisar um bom safari próximo à Cidade do Cabo. Escolha certa.

No Sanbona Safari não é permitido fazer Self-Safari, ou seja, você só faz game-drive guiado e, para isso, precisa fazer uma reserva e se hospedar em um dos lodges.

O Sanbona possui 3 lodges de luxo e 1 acampamento.

Os lodges de luxo operam de forma independente, cada um com equipe própria.

São eles:

  • Dwyka Tented Lodge
  • Gondwana Family Lodge
  • Tilney Manor (onde nos hospedamos)

O acampamento é:

  • Sanbona Explorer Camp (que opera apenas no verão e proporciona walk-safaris e trilhas aos seus hóspedes)

Dwyka Tented Lodge:

Eu queria ter me hospedado nesse lodge, mas não consegui fazer reserva, pois estava lotado.

Parece ser o mais romântico de todos: situado numa curva e escondido entre as rochas, o isolado Dwyka Tented Lodge sintetiza uma atmosfera de luxo e privacidade.

Só aceita hóspedes maiores de 18 anos.

São tendas de luxo, com decks e jacuzzis aquecidas privativas.

É o lodge mais caro, mas a diferença não é exorbitante. Se for uma viagem romântica, acho que vale à pena investir (mas eu não cheguei a entrar na tenda para conferir. Apenas vi fotos e passei na frente do local).

Características da tenda: ar condicionado e aquecedor, chuveiros interno e externo (banho livre), deck privado com banheira de hidromassagem, mini-bar, Instalações para fazer chá e café, telefone, crofre eletrônico.

O lodge conta também com restaurante a céu aberto, lounge com televisão, wine cellar, lojinha e SPA.

Gondwana Family Lodge:

É o lodge para família, aceitando crianças de todas as idades (porém, para fazer o game-drive, a criança precisa ter mais que 4 anos).

Tem vista para a barragem de Bellair, e oferce conforto e modernidade. Possui restaurante a céu aberto, piscina, lounge com televisão, lojinha, SPA e espaço kids.

Para os pequenos há o programa Kids on Safari, que oferece experiências educacionais e recreativas para a vida selvagem.

Conta também com um retiro de relaxamento com extenso menu de terapias e tratamentos, incluindo uma sauna a vapor.

Características da suíte: a quantidade e estilo de camas (cama de solteiro, king-size, sofá-cama…) varia conforme a suíte, mas todas possuem ar condicionado, aquecimento, mini-bar, deck ou varanda privativa, instalações para fazer chá e café, cofre eletrônico, telefone e duchas para banho.

Sanbona Explorer Camp:

A verdadeira experiência de acampanhar você encontrará no Explorer Camp.

As barracas são confortáveis e essa forma de hospedagem lhe permitirá explorar o local a pé.

O acampamento está localizado ao longo de um leito de rio e os guias aprimoram as experiências de observação de pássaros, com chances de encontrar tamném os “big 5” (mas não sei dizer qual a probabilidade, já que você estará a pé, né?).

O Explorer Camp só opera nos verão (outubro a abril), e as trilhas levam dois dias para serem completadas (partidas às sextas-feiras).

Há limite de idade para as trilhas: não é permitido para menores de 16 anos ou maiores de 60 anos.

Característica das tendas: o Explorer Camp oferece três tendas de lona que podem acomodar até duas pessoas.

Atenção: os animais selvagens podem se deslocar pelo campo a qualquer momento (eitaaa…).

Cada barraca inclui: cama/maca com lençóis, edredons e travesseiros, repelente de insetos, toalhas, sacos sanitários, bem como gel de banho e shampoo.

Definitivamente é uma opção para quem gosta de encarar altas aventuras! (minha mãe me proibiu).

No próprio site do Sanbona você encontra todas as informações sobre esse acampamento e como funciona o roteiro do safari.

TILNEY MANOR:

Foi o lodge que escolhemos.

São poucos quartos (apenas 6 suítes), e lá a privacidade e exclusividade imperam.

Não aceita crianças menores que 12 anos.

O quarto é imenso, muito confortável, com varanda privativa e até uma área de banho externa.

Quarto incrível
Conforto e muito espaço…
Hora de se sentir phyna, né mores?
Será que eu curti?
Banheira e chuveiros externos

Características da suíte: ar condicionado, telefone, chaleira, chuveiros ao ar livre, chuveiro interno, banheira, mini bar privado, cofre eletrônico, lareira, varanda privativa.

Varanda privativa – atenção: manter a porta da varanda trancada ao sair – risco de babuínos invasores!
Chuveiro externo
Tudo no capricho!
O quarto é arrumado 3 vezes por dia: quando você sai para o game-drive da manhã, é feita a primeira arrumação. Quando você retorna do game-drive da tarde, o quarto está novamente organizado. Por fim, quando retorna do jantar, a cama está pronta para você dormir (inclusive com água e chocolate no criado-mudo)!
O banheiro tem cubas separadas para não ter briga na hora de escovar os dentes…

A experiência dos hóspedes incluem a cozinha Karoo e uma piscina (que talvez você consiga usar no verão…).

Piscina do Tilney – a água não é aquecida. Sem chances de usar no frio que estava…

Há ainda um centro de relaxamento e SPA, além da sauna a vapor.

Na recepção do lodge tem uma lojinha (útil caso você queira comprar um binóculos, gorro, luvas…).

Obs. a internet só funciona na área comum do lodge (basicamente na área da recepção e restaurante).

Horários de check-in e check-out:

  • Check-in: 14h
  • Check-out: 11h

*Você pode chegar até o lodge dirigindo no seu próprio carro, ou solicitar o serviço de transfer (nesse caso seu carro fica na entrada e você precisa chegar a tempo para o horário do transfer – lembro que tinha um 12h30min e outro às 16h). Optamos por ir com nosso carro alugado, pois chegamos muito cedo para esperar pelo transfer.

O que está incluso na diária:

  • Transfer até o lodge (caso você não queira ir com seu carro), com parada no lodge de recepção para café, chá, biscoitos…
  • Refeições (sem bebida inclusa, exceto a bebida do game-drive da parte da tarde);
  • 2 safaris (game-drive) por dia.

*Ficamos 2 diárias e achamos suficiente!

Valor:

Pagamos em torno de R$ 3.200,00 a diária para o casal. Mas os valores podem variar ao longo do ano.

É possível fazer a reserva diretamente no site do Sanbona, ou mesmo no Booking.com ou hotéis.com, que às vezes são mais vantajosos (pagamento em real e possibilidade de parcelamento).

Se você gosta do conteúdo do Blog Mala de Viagem, gostaria de te pedir uma ajuda: faça sua reserva de hospedagem pelo Booking.com através do banner aqui na lateral direita do blog. Você não pagará nada a mais por isso, contribuirá para que façamos mais viagens, e sem dúvida novos posts sempre aparecerão por aqui! Muito obrigada!

Comodidades:

Achei muito bacana uma coisa: o Sanbona me encaminhou um e-mail com várias questões, visando conhecer o hóspede antes da chegada.

Seguem a baixo as perguntas que me foram feitas por e-mail antes da nossa viagem:

  • All guest’s full names (nomes dos hóspedes)
  • Any dietary or medical requirements and who this is for (dieta especial ou recomendações médicas)
  • Any special occasions being celebrated and the date of the occasion (se o hóspede está celebrando /comemorando algo especial)
  • Estimated time and means of arrival and departure (hora estimada de chegada e saída)
  • Contact details (in case the lodge needs to contact you) – (contato do hóspede)
  • Do you require the 12:30 welcome lounge transfer or will you be self-driving to the lodge (se o hóspede quer fazer uso do transfer que o Sanbona disponibiliza ou se vai dirigindo o próprio carro até o lodge)
  • Is this your first time at Sanbona? (se é a primeira vez do hóspede no Sanbona).

Estávamos comemorando o aniversário do Rodrigo. Fiz essa observação e ganhamos um jantar romântico especial em nosso quarto, com direito à champanhe e bolo!

Jantar especial no nosso quarto – Tilney – Sanbona
…Com direito a bolo de aniversário…
…E lareira acesa!
Saudade dessa vida boa!

A culinária no Tilney – cozinha Karoo:

A diária inclui as seguintes refeições:

  • desjejum com chá, café e biscoitos antes do game-drive das 6h30min;
  • café da manhã com opções buffet e a la carte no retorno do game-drive (por volta das 9h30min);
  • almoço a la carte (entrada, prato principal e sobremesa) – geralmente há 3 opções no menu: uma com carne, outra com peixe ou frango e ainda uma terceira opção vegetariana;
  • bebida (alcoólica ou não) e snacks no game-drive da tarde;
  • jantar a la carte (entrada, prato principal e sobremesa) – as opções do jantar você escolhe depois do almoço.
  • bebidas não estão inclusas (exceto a do game-drive da tarde).
Omelete: minha escolha do menu a la carte (no café da manhã). Além disso ainda havia uma mesa com frutas, iogurte, pães, queijos, salmão defumado…
Entradinha do almoço…
Uma das opções do almoço no Tilney
E pra arrematar: minha parte preferida (da vida) da comilança!

Observação sincera sobre as refeições no Sanbona:

  • café da manhã: melhor refeição, realmente muito saboroso.
  • almoço e jantar: fraco comparado aos restaurantes sul-africanos que provamos em Cape Town e região das vinícolas, porém “bom” se consideramos que é muito difícil chegar comida fresca ali, em uma região isolada como é a reserva Sanbona Wildlife. Essa crítica não se aplica às sobremesas, que estavam todas deliciosas.
  • lanches/snacks: fracos (não sei como costuma ser nas outras reservas).

*Gostei muito de sempre ter garrafa de água nova no quarto, chá, bolachinhas, além de chocolate do lado da cama antes de dormir (a gente voltava do jantar e o quarto estava arrumado para dormir, com uma garrafa de água e chocolate no criado-mudo).

*Eu disse que tinha restrição com frituras (eles fazem esse tipo de perguntas), mas tive dois acompanhamentos fritos. Acho que não repassaram a informação para a cozinha…

Mas esse detalhe não atrapalhou a experiência fantástica que tivemos no Tilney/Sanbona Safari.

O que levar na mala para um safari no Sanbona?

  1. Roupas

Essa é uma dúvida muito comum. Inclusive eu, quando estava arrumando a mala, falei pro Rodrigo: Opa, como eu vou fazer um safari sem roupa de safari?

Acontece que as necessidades variam conforme o local do seu safari, e disso eu não me dei conta.

Eu só me lembrava de fotos das blogueiras vestidas lindamente em suas calças caqui ou bege e parkas verde militar… Estava frustada por não ter nenhuma parka verde militar para fazer meu game-drive (rsrs).

Tentei arrumar mais ou menos o “look do dia”, mas deu muito certo não, sabe por quê?

Pois é, fomos em outubro e ainda estava muito frio (exceto no primeiro dia, que teve uma tarde quente). Na minha cabeça inocente, em outubro já seria calor e eu não precisaria me esconder em baixo de 5kg de roupa… Pois é, errei feio!

Look of the day – na hora do vento frio, o que você mais deseja é uma bolha protetora para te aquecer! Sorte que a mantinha e bolsa térmica para por na perna, ajudam bastante.

O Sanbona fica em uma região de semideserto e é natural que faça bastante frio ao amanhecer e ao entardecer.

Os carros são abertos e venta bastante. Resumo da ópera: você vai sentir frio.

Minha experiência foi a seguinte: fazer um game-drive é uma das experiências mais fantásticas da vida (junto com saltar de paraquedas, bungee jump e conhecer as Maldivas, opa, ainda não conheço as Maldivas, mas deve ser fantástico também…), mas vá preparado, porque o frio/vento é de doer “as juntas”!

Então esqueça os looks “blogueirinha”. Recomendo casacos, luvas, gorros, cachecóis e tudo o que for necessário pra te ajudar a aquecer.

No game-drive da manhã o staff deixa uma bolsa térmica para cada um. A bolsa térmica é para por na perna (não vai sentar em cima, ok?) e ainda tem uma mantinha pra dar um toque final no seu look!

Geralmente os game-drives começam bem cedo, antes mesmo de clarear o dia e duram até apouco antes das 10h manhã.

O nosso game-drive da manhã tinha início às 6h30min (dependendo da época esse horário é antecipado para as 5h30min), então ainda está muito frio. Conforme o sol nasce, esquenta um pouco.

O game-drive da tarde se encerra com o por do sol, quando a temperatura cai também.

Por do sol encerrando com chave de ouro nosso game-drive – parece pintura, não parece?
Essa foi tirada no nosso segundo dia de safari, logo que chegamos no lodge Tilney

Ao longo do dia, com o sol, pode ser que esquente bastante (mas essa foi a realidade apenas do nosso primeiro dia).

Selfie Safari – e eu estava me achando só com esse lencinho no ombro… único momento de calor!

No verão dá pra trocar o gorro por um chapéu, mas independente de frio ou calor, por ser uma região semidesértica, o sol sempre aparece forte, então protetor solar é fundamental.

Use sempre sapatos (usei tênis) e roupas confortáveis e de cores neutras (o recomendado é o bege, caqui ou verde escuro), para não atrair muito a atenção dos animais. Mas isso não é regra não viu gente? É só sugestão. Rodrigo não se vestiu “a caráter” nenhum dia…

Se tiver certeza que sua viagem será em época mais quente, então invista em roupas leves, porém compridas, para não sofrer muito com a ação do sol (mas o casaco pode ir sempre na mochila).

Pausa para um vinho junto com o animais selvagens (mas o ponto de parada é “zona segura”)
  1. Acessórios

Para melhores fotos, é indicado câmera com lentes entre 300 – 600mm.

Usamos a lente Nikon 55-300mm (câmera Nikon D3400)
Com uma lente com zoom, o binóculos se torna menos essencial.

Binóculos é muito útil também. Não levamos (falta de espaço na mala), nem compramos binóculos (na lojinha do lodge o preço era “salgado”), mas usamos o do nosso guia (ranger) emprestado algumas vezes.

Também da pra usar a lente da câmera e ver os animais por trás do zoom.

Com a lente 55-300 dava pra ver os animais de pertinho (primeira vez que vimos os leões)

Não esqueça seus medicamentos pessoais caso faça uso de algum, pois será difícil conseguir comprar alguma coisa de farmácia por ali, já que a cidade mais próxima ficou a quilômetros para trás.

Protetor solar, protetor labial e repelente também são importantes. Não usei repelente porque não tinha insetos… Mas acho que isso depende da época.

Como é fazer um game-drive no Sanbona Safari?

Embora eu já tenha dito bastante coisa, agora vou criar alguns tópicos, que podem ser duas dúvidas sobre o game-drive. Bora lá?

  • Cada game-drive tem duração de 3h aproximadamente (e são muitas horas de deslocamento de um lado a outro da reserva);
  • sempre é o mesmo ranger que acompanha o grupo (nosso grupo era composto por 3 casais);
  • o game-drive é feito em um jipe todo aberto. É seguro e você se sente seguro, pois o ranger é uma pessoa especialista em comportamento animal;
os animais muitas vezes chegam bem próximo ao carro (por escolha deles e não do ranger, que nunca estaciona o jipe muito próximo), mas se você se sentir ameaçado, diga ao ranger.
  • não é permitido tirar nenhuma parte do corpo para fora do jipe;
  • não é permitido falar muito alto ou gritar quando os animais se aproximam;
  • não é permitido fazer movimentos muito bruscos quando os animais se aproximam;
  • não é permitido descer do jipe sem autorização do ranger;
Momento mais sensacional do safari: muitos animais apareceram para beber água enquanto ficamos paradinhos ali só admirando tudo… Foi uma verdadeira festa: elefantes, rinocerontes, girafas, hipopótamo, tudo no mesmo local.
Nesse momento o elefante se incomodou com a presença dos rinocerontes.
  • ranger explica muito sobre a vida selvagem, vegetação, animais e curiosidades;
  • os rangers se comunicam entre si para dizer onde os animais foram vistos pela última vez e garantir que você veja o maior número de animais possíveis em cada game-drive;
  • game-drive envolve sorte e às vezes você pode encontrar muitos bichos de uma só vez, outras não (tivemos muita sorte em todos eles);
  • os leões são monitorados (com um colar) – isso também acontece nas outras reservas, inclusive no Kruger, e garante a proteção e preservação da espécie;
Considerando que são monitorados, geralmente você verá os leões em todos os seus game-drives no Sanbona. Vimos eles nos 4 safaris que fizemos, mas cada uma foi uma experiência diferente. No primeiro dia eles estavam longe e dormindo. No segundo dia (foto) estavam ativos e próximos de nós.

Os leões brancos são albinos (não se trata de espécie diferente, apenas gene recessivo). São raros e no Sanbona é um dos poucos lugares onde podem ser encontrados (onde são autossustentáveis).

  • o ranger sabe a distância segura que pode ficar dos animais e se afasta quando verifica algum perigo (aconteceu quando encontramos os elefantes – percebendo que um dos elefantes estava mais agitado, o gua preferiu dar ré com o jipe e manter uma distância maior);
  • dos “Big 5” vimos leões (brancos), elefantes e rinocerontes. Não vimos búfalos nem leopardo, embora eles também possam ser encontrados no Sanbona;
Sim, ele é o rei da selva e sabe se impor!
Muito emocionante ver esses bichos de pertinho.
Cada movimento era um flash
  • vimos muitos outros animais além dos 3 primeiros e fiquei encantada com todos;
Hipopótamo – um dos animais que mais me impressionou. Não está na lista dos “Big 5”, mas bem que merecia…
Adoro essa foto: um hipopótamo “desfaraçado” de rinoceronte!
  • 4 game-drives foi o suficiente (2 diárias);
Encontrar os elefantes foi tarefa difícil, pois eles estavam em uma jornada e não podiam parar…
  • beba água, mas não exagere, pois não tem banheiro durante o game-drive.
Aquela típica foto “safari africano”
Os babuínos também foram vistos várias vezes durante os game-drives e também nas redondezas no nosso lodge.
Olha o passo do elefantinho…

Bom pessoal, tentei concentrar tudo sobre o nosso safari no Sanbona aqui nesse post. Qualquer dúvida que tenha ficado, pode deixar aqui nos comentários que responderei o mais rápido possível!

Agora deixo o vídeo com todas as imagens que capturamos nessa aventura, espero que gostem:

Nosso canal do Youtube é esse aqui: Youtube.com/blogmaladeviagem – já se inscreveu?

Até a próxima amigos!

Se você gosta do conteúdo do Blog Mala de Viagem, gostaria de te pedir uma ajuda: faça sua reserva de hospedagem pelo Booking.com através do banner aqui na lateral direita do blog. Você não pagará nada a mais por isso, contribuirá para que façamos mais viagens, e sem dúvida novos posts sempre aparecerão por aqui! Muito obrigada!

 

Post anterior – E, com vocês, a Joia dos Incas: Peru

Próximo post – Como é fazer um self-safari no ADDO Elephant Park?

  • Jaqueline Caixeta

    Uau!! Esse é o post mais completo que já li sobre safáris, e vcs conseguiram responder varias perguntas que eu tinha! Não vejo a hora de fazer meu primeiro Safari ❤️

  • Manuela

    Achei super legal esse interesse do hotel em conhecer os hóspedes antes deles chegarem. É um cuidado que não se vê por aí. Um bom aendimento faz toda a diferença!

  • Aninha Lima

    Que incrível! Fica mais barato e toma menos tempo do que ir pra krueger, eu acho! Tá super anotada essa dica, pois até 2019 quero ir à região! Arrasaram!!!

    • Sim Aninha! Se você não fizer muita questão de ir até o Kruger, o Sanbona é uma excelente opção.

  • Flavia

    Não conhecemos esse mas parece ser incrivel também. Fizemos 4 em direção a Port Elizabeth e amamos. A Africa é linda demais!

    • É, realmente, a África do Sul é maravilhosa. E a gente tb adorou fazer safaris!