Skip to main content

Como é fazer um self-safari no ADDO Elephant Park?

Já que o post anterior foi sobre o safari que fizemos no Sanbona Wildlife Reserve (recomendo que você leia ele primeiro), decidi manter a pauta e contar hoje como foi a nossa experiência no ADDO Elephant Park, um Parque Nacional pertinho de Port Elizabeth.

Ao contrário do Sanbona, que é uma reserva privada, o ADDO é um Parque Nacional, assim como o Kruger.

O ADDO fica em Eastern Cape (o Sanbona em Western Cape) e é zona livre de malária.

Como a Garden Route já estava nos planos, aproveitamos para dar uma esticadinha até o ADDO e ter mais uma experiência de safari.

Foi fantástico! Que bom que decidimos ir!

O ADDO Elephant Park te oferece várias opções de safari, isto é, você pode escolher como quer “desbravar” o parque:

  • Fazendo um safari no seu próprio carro (self-safari), que foi a nossa opção;
  • contratando um game-drive diretamente com o parque ADDO (pelo site, pois dificilmente conseguirá fazer reserva no dia – tentamos e não tinha mais lugar);
  • contratando um game-drive privado (são guias/rangers de empresas privadas que fazem safari dentro do parque);
  • ficando hospedado em uma reserva privada próxima, que inclua a opção de safari no ADDO (um exemplo é a reserva Schotia).

Estávamos meio perdidos em qual opção escolher.

Chegamos no ADDO pela manhã para tentar comprar o game-drive das 10 horas (ou algo próximo a isso), mas ao nos dirigirmos até o escritório para fazer a compra, a notícia: tudo lotado para o dia!

Então nos restou a opção de fazer um self-safari, que foi muito legal, pois foi diferente do estilo de safari que fizemos no Sanbona.

Dizem que se você for contratar o game-drive com guias do próprio ADDO, os mais recomendados são o do nascer e o do por do sol. Todavia, como o do nascer do sol começa antes de abrir os portões do parque, e o do sunset termina após fechamento dos portões, você só consegue fazer esses games se estiver hospedado dentro do ADDO.

Sobre horários de game-drives e opções de hospedagem no ADDO Elephant Park, consulte a página oficial do parque.

ENTRADA ADDO ELEPHANT PARK
Entrada do ADDO Elephant Park

A opção mais barata é fazer o safari com seu carro. O valor é por pessoa e não por veículo.

Se você optar por um game-drive dentro do park (com guias do park, feito em carro aberto), então, além da entrada, também paga o game.

Fazer um game-drive, com guia (ranger), em carro aberto é uma experiência que não pode faltar na sua lista. Como já tínhamos feito esse tipo de safari no Sanbona, o self-safari acabou sendo uma boa escolha, pois:

  • tivemos sorte e vimos vários animais;
  • o dia estava nublado e chuvoso (passaríamos frio no carro aberto);
  • opção mais econômica.

Dirigir dentro do parque ADDO é bem fácil, o importante é sempre ir devagar para não correr o risco de atropelar nenhum bichinho e também para não perder nenhum movimento deles!

Várias pessoas fazem self-safari, então a parte chata é que muitas vezes fica aquele conglomerado de carro no mesmo lugar para ver o mesmo animal.

Elefante ADDO
Elefante no ADDO – por mais estranho que possa parecer, esse foi o único elefante que vimos na parte da manhã dentro do parque.

Quando você entra, recebe um mapa do parque. O ADDO é bem grande, mas se você chegar cedo (perto do horário de abertura dos portões) e sair próximo ao horário de fechamento dos portões, será possível percorrer todo ele. Nós percorremos.

Pela manhã fizemos a parte norte, paramos para almoço e a tarde fomos para o sul do ADDO, e saímos pelo portão sul com rumo a Port Elizabeth, onde dormimos a última noite da viagem antes de pegar o voo de volta ao Brasil no dia seguinte.

ADDO ELEPHANT PARK ZEBRAS
Além da sorte de encontrar muitos animais, vimos bichos diferentes daqueles que tínhamos visto no Sanbona.
ADDO ELEPHANT PARK
Fazer um self-safari é mais “difícil” do que um game-drive, guiado por um ranger que estuda o comportamento dos animais, sabe onde encontrá-los e se comunica com outros guias para saber onde foram vistos pela última vez…
ADDO ELEPHANT PARK leoa
…Mas a sensação de se deparar com uma leoa atravessando a estrada bem na sua frente, é impagável quando se está fazendo um safari no próprio carro.

Esse foi sem dúvida o grande momento do safari!

Rodrigo já estava dirigindo há um bom tempo. O último animal visto havia ficado quilômetros e quilômetros para trás.

Estava eu cochilando, quando, de repente: “Amorrrrr, acorda, acorda, acordaaaaaa” – quando eu olho: PAH!

ADDO ELEPHANT PARK
Rodrigo encontrou os leões ao acaso! Foi o primeiro, inclusive… Depois de alguns minutos que outros carros perceberam que estávamos ali parados há algum tempo e vieram ver o que estava “acontecendo”.

Foi incrível!

ADDO ELEPHANT PARK
Quando Rodrigo os encontrou, eles estavam atravessando a estrada (muito perto de nós). Depois acharam um cantinho para relaxar e continuaram ali tranquilamente.

Eu fiquei tão chocada na hora que Rodrigo me acordou, que não consegui nem mesmo tirar fotos deles atravessando a estrada na minha frente (exceto a primeira foto, que infelizmente saiu meio tremida).

Em síntese, vimos bichos durante todo o dia.

Tem que ter paciência, pois às vezes você encontra vários na sequência, mas outras vezes dirige por horas sem encontrada nadica de nada!

Safari é imprevisível e exige paciência.

Mas a recompensa…

ADDO ELEPHANT PARK
Vimos vários “Pumbas” também, e eles são uns fofos!
ADDO ELEPHANT PARK
Eles dobram os joelhinhos para comer.
ADDO ELEPHANT PARK
Esse lobinho estava “caçando” uma tartaruga… Mas não deu pra saber se ela estava viva ainda.
ADDO ELEPHANT PARK
Avestruz também foi um exemplo de bicho que não vimos no Sanbona, mas encontramos vários no ADDO.
ADDO ELEPHANT PARK
Vimos muitos animais com filhotes…
ADDO ELEPHANT PARK
Muito amor por esse baby elephant!
ADDO ELEPHANT PARK
Um “cisco” de elefante!
Na parte da tarde (no sul do ADDO) encontramos muitos elefantes. Foi engraçado porque até então, até os leões já tínhamos visto, e nada dos elefantes…

Do lado do restaurante, tem um painel onde consta um mapa do ADDO. Neste mapa as pessoas fazem marcações dos animais que viram e onde (aproximadamente) foram vistos.

É bom para se orientar. Não significa que será fácil encontrar os bichos nas áreas marcadas, mas é possível ter uma noção.

Foi com base nesse mapa que vimos tantos animais na parte da tarde.

ADDO ELEPHANT PARK
Não sei se estavam brincando ou brigando, mas a cena foi lindíssima.

Outro big momento do dia, foi quando encontramos nosso quatro big 5: o búfalo!

ADDO ELEPHANT PARK
Sem dúvida foi o que deu mais trabalho para ser encontrado!
ADDO ELEPHANT PARK
Além dos animais, ainda há belezas naturais como essa dentro do ADDO!

Localização do ADDO: R335, Paterson Road, Addo, 6105 – fica a 75km de Port Elizabeth e 861km de Cape Town (fizemos a Garden Route sentido: Cape Town – Port Elizabeth, então o ADDO foi a última atração da viagem).

Hospedagem:

Chegamos na região do ADDO por volta das 17h da tarde.

Programamos dormir em uma guest-house fora do ADDO, mas bem próxima a entrada principal.

Como vínhamos da Rota Jardim e não estávamos com essa parte final da viagem muito cronometrada e organizada, deixamos para fazer a reserva da hospedagem de última hora (na verdade, foi no dia anterior da chegada).

Não estávamos esperando muito, e pensamos: “ah, só um lugar “ok” para dormir já está bom”.

Mas, para nossa agradável surpresa, acertamos em cheio na escolha da guest-house e, por isso, acho que vale muito à pena recomendá-la aqui no blog!

ADDO ELEPHANT PARK
Hopefield – na verdade não é uma guest-house, mas sim uma guest-farm…

A Hopefield fica bem pertinho da entrada principal do ADDO. Chegamos até ela com waze.

Os funcionários foram muito receptivos e nos passaram muitas informações sobre o ADDO e as opções de safari. O Hopefield não oferece safari, é apenas uma opção de hospedagem mesmo, mas eles te dão todo o suporte necessário se você quiser contratar alguma empresa privada para seu game-drive.

Recepção…
ADDO
Jardins…
ADDO
Piscina…
ADDO
Tudo muito lindo e bem cuidado!

O preço foi bom (em torno de R$ 300,00 a diária para o casal, com café da manhã incluído) e o lugar superou “real” nossas expectativas.

Não diria que é “quase” um lodge de luxo, mas sem dúvida o custo-benefício é fantástico.

O café da manhã tinha até um menu à la carte (além das opções de pães, frutas, cerais…).

ADDO
Café da manhã no Hopefield
ADDO Hopefield
Os quartos do Hopefield possuem ar-condicionado, decoração elegante e banheiro privativo. Todos incluem comodidades para fazer chá e café e uma varanda com vista para os jardins e para a piscina.
Quarto espaçoso…
Hopefield addo
Com banheira e cubas separadas
Hopefield – quarto casal
Hopefield addo
O Hopefield foi uma ótima escolha!

O hotel também oferece um jantar muito gostoso. É pago a parte, mas vale à pena.

Hopefield addo
O jantar incluir entrada, prato principal e sobremesa.
Hopefield addo
O menu inclui duas opções de cada prato e você escolhe o que mais te agrada.

O jantar é servido no mesmo local do café da manhã. Um ambiente romântico: nosso jantar foi à luz de velas e do ladinho da lareira. E foi assim que finalizamos nossa viagem com chave de ouro!

Observações finais:

  • Existem várias outras opções de hospedagem, tanto dentro, como fora do ADDO. Como eu disse, não programamos essa parte da viagem com antecedência, mesmo porque não tínhamos certeza se incluiríamos o parque no nosso roteiro;
  • Se você quiser se hospedar dentro do ADDO, as opções você encontra no próprio site oficial;
  • Um dia de safari no ADDO foi suficiente para nós, principalmente porque já tínhamos conhecido o Sanbona antes;
  • Tem gente que se hospeda em Port Elizabeth e dirige até o ADDO. Eu não faria isso, já que é possível encontrar várias opções legais de hospedagem ali perto;
  • Não é permitido sair do carro durante o safari, exceto nas áreas delimitadas (mas tem placa dizendo que é por sua conta e risco);
  • Em um self-safari só é permitido dirigir pelas estradas. Há placas informando onde os carros não podem entrar (áreas permitidas somente se você estiver fazendo um game-drive);
  • Entre o Sanbona e o ADDO eu gostei mais do Sanbona, mas é uma comparação desleal, já estão em patamar financeiro, categorias e estilos diferentes… Mas isso não significa que eu não tenha gostado do ADDO, na verdade eu adorei o ADDO e super recomendo que você o conheça – e desejo que você encontre muitos animais, assim como nós!

E tem vídeo sobre essa aventura também (na verdade são os stories que fiz para o IG @maladeviagem no dia do safari).

Aproveito e já coloco ele aqui pra você conferir, e também pra te pedir que se inscreva no nosso canal do Youtube (youtube.com/blogmaladeviagem), porque fazer vídeos dá um trabalhão… Então preciso de apoio emocional para continuar fazendo muitos, ok? – clique aqui para se inscrever!

Fique ligado aqui no blog porque os posts sobre África do Sul estão longe de acabar! Tenho certeza que se você ainda não está pensando em conhecer esse país fantástico, até o final dos meus relatos, você estará de passagens compradas.

Abraço,

Até a próxima!

Se você gosta do conteúdo do Blog Mala de Viagem, gostaria de te pedir uma ajuda: faça sua reserva de hospedagem pelo Booking.com através do banner aqui na lateral direita do blog. Você não pagará nada a mais por isso, contribuirá para que façamos mais viagens, e sem dúvida novos posts sempre aparecerão por aqui! Muito obrigada!

 

Post anterior – Safari no Sanbona: a maior reserva privada perto da Cidade do Cabo

Próximo post – Réveillon em Grande Estilo – Destinos para passar seu ano novo