Skip to main content
Fervedouro Parque Estadual do Jalapão

Parque Estadual do Jalapão – Parte II

Hoje vamos continuar falando sobre o roteiro que fizemos na nossa expedição de 5 dias pelo Parque Estadual do Jalapão.

No primeiro post, contei como foram os 3 primeiros dias de expedição no Parque Estadual do Jalapão. Então hoje vou começar a partir do nosso 4º dia de viagem, que foi o meu dia preferido!

Obs. para saber como foram os primeiros dias de expedição, clique aqui.

4º dia: visita ao Fervedouro Encontro das Águas pela manhã; almoço no Fervedouro do Buritizinho; visita à Cachoeira do Formiga no final da tarde.

Minha preferência pelo 4º dia de expedição se deu por dois motivos:

  1. Visitamos atrações maravilhosas;
  2. Foi o dia que ficamos menos tempo dentro do carro, pois os fervedouros e a cachoeira eram próximos um dos outros.

Fervedouro Encontro das Águas: acho que no quesito “beleza”, o Fervedouro Encontro das Águas perde para os demais, porém, é sem dúvida o fervedouro de maior pressão que visitamos.

É um fervedouro pequeno, com capacidade para 4 pessoas por vez. A sensação quando você entra no Fervedouro Encontro das Águas é a de que você está em uma banheira de areia flutuante. De fato tem areia por todos os lados, pois a pressão da água é muito forte e joga a toda aquela areia pra cima com muita força, que fica em suspensão na água. Nesse fervedouro, definitivamente, é impossível afundar!

Fervedouro Encontro das Águas - o menor que visitamos, porém, é o que tem maior pressão
Fervedouro Encontro das Águas – o menor que visitamos, porém, é o que tem maior pressão

 

Fervedouro Encontro das Águas - Jalapão
Fervedouro Encontro das Águas – Jalapão

 

Fervedouro Encontro das Águas - Jalapão
Fervedouro Encontro das Águas – Jalapão (o fervedouro de maior pressão)

*Fervedouros são nascentes onde a água brota com tanta pressão, que provoca o chamado fenômeno da ressurgência, e é esse fenômeno que te faz boiar e jamais afundar. Por mais que você se esforce para afundar, a água te “joga pra cima” e a areia fica em suspensão na água (às vezes chega a fazer leve cócega), fazendo você se sentir como se estivesse flutuando.

O nome Encontro das Águas vem do rio existente ali do lado: formado pelo encontro do Rio Soninho e do Rio Formiga.

O curioso desse rio, é que é possível ver nitidamente o encontro entre as águas dos dois rios, pois a tonalidade delas é diferente. Além disso, quando você entra, percebe que além da tonalidade, a temperatura da água também muda de um lado do rio para o outro. Aliás, depois de curtir o fervedouro, um banho no rio foi essencial para tentar tirar um pouco da areia do corpo.

Rio Encontro das Águas - Jalapão
Rio Encontro das Águas (Rio Soninho e Rio Formiga) – Jalapão

 

Rio Encontro das Águas - Jalapão
Rio Encontro das Águas – Jalapão

Fervedouro do Buritizinho e boia-cross: o próximo destino do dia foi o Fervedouro do Buritizinho, que fica em uma fazenda particular onde foi servido nosso almoço aquele dia.

O Fervedouro do Buritizinho não estava incluso no nosso pacote. Sendo um passeio opcional, pagamos R$ 15,00 para visitá-lo, e com certeza valeu à pena.

No quesito “beleza”, ele ocupa as primeiras posições, pois a cor da água, sua transparência, aliado à exuberante vegetação que o cerca, chegam a tirar o fôlego. Por outro lado, aqui não se tem a real experiência do que é um fervedouro, pois seu poço é fundo (não deu pé pra mim) e, em decorrência disso, você não flutua, pois não alcança a areia para te dar o suporte e flutuar.

Fervedouro do Buritizinho - Jalapão
Fervedouro do Buritizinho – Jalapão

 

Fingindo que sei boiar (afoguei no segundo seguinte) - Fervedouro do Buritizinho
Fingindo que sei boiar (afoguei no segundo seguinte) – Fervedouro do Buritizinho

 

Sem palavras para a cor dessa água - Fervedouro do Buritizinho - Jalapão
Sem palavras para a cor dessa água – Fervedouro do Buritizinho – Jalapão

Embora seja possível mergulhar (ainda que parcialmente) nesse fervedouro, a sensação é muito estranha, pois embora você não a sinta nos seus pés, a pressão da água está ali. Então, quando você mergulha, sente a água querendo entrar pelo seu nariz com força… Eu até achei que não sabia mais mergulhar, até que perguntei pro Rodrigo e ele me disse que estava tendo a mesma dificuldade.

Muita dificuldade para mergulhar mesmo no fervedouro fundo
Muita dificuldade para mergulhar mesmo no fervedouro fundo – Fervedouro do Buritizinho

Portanto, embora não seja uma “real experiência” de como funciona um fervedouro, recomendo a visita, pois é um lugar maravilhoso, com uma água que nunca vi igual de tão clara!

Outra opção de “coisas para fazer” ali na mesma fazenda, é o boia-cross no rio onde desemboca a nascente (fervedouro). Topamos a “aventura” (valor R$ 10,00), mas confesso que não teve graça. O rio não tinha correnteza suficiente para nos levar naturalmente, então tínhamos que ficar ajudando com as mãos. Embora sem graça, valeu a experiência para conhecer aquele rio também.

Boia Cross - Rio do Fervedouro do Buritizinho - Jalapão
Boia Cross – Rio do Fervedouro do Buritizinho – Jalapão

Cachoeira do Formiga: embora seja uma cachoeira com quedas pequenas, tem  bastante volume de água (sendo possível chegar até ela e receber uma massagem natural). O poço tem água cristalina, e é rodeado por vegetação (palmeiras, árvores e samambaias são comuns ali). O melhor é a temperatura da água, que é super agradável (definitivamente não curto água gelada).

A cachoeira fica a 36 km de Mateiros e a estrada, claro, é de chão (arenosa). O carro estaciona bem próximo à cachoeira e basta andar poucos metros para chegar no paraíso. O valor para ingressar na Cachoeira do Formiga é R$ 10,00 (já estava incluso no nosso pacote).

Dizem que por ser um dos lugares mais procurados no Parque Estadual do Jalapão, a Cachoeira do Formiga geralmente é um local cheio de turistas. Deixamos para fazer o passeio já no meio da tarde (por volta das 15:30-16h) e ficamos lá até o final da tarde. Novamente tivemos muita sorte e pegamos o lugar bem vazio (por alguns minutos só tinha a gente nadando naquele poço azul maravilhoso).

Cachoeira do Formiga - Jalapão
Cachoeira do Formiga – Jalapão

 

Cachoeira do Formiga - Jalapão
Cachoeira do Formiga – Jalapão

Dica: fique atento ao fluxo de pessoas e fuja dele. No decorrer da sua expedição você provavelmente encontrará as mesmas pessoas sempre nos lugares por onde passar (grupos de turistas que também estão fazendo expedições nos mesmos dias que você, porém, com agências de turismo diferente), a solução é inverter a ordem de alguns atrativos para conseguir aproveitá-los com menos gente. Invertemos a ordem de vários passeios e o resultado foi ótimo, pois conseguimos realmente “fugir da muvuca”.

Cachoeira do Formiga "só nossa"
Cachoeira do Formiga “só nossa”

5º dia: a única atração do dia foi a visita ao Fervedouro Bela Vista (almoçamos na fazenda onde o fervedouro está localizado), pois depois do almoço pegamos estrada sentido Palmas. No retorno fizemos duas paradas na estrada: uma na Serra da Catedral (onde foram feitas gravação de algumas cenas do filme Xingu) e a segunda no rio do Sono. Foram paradas para apreciação da paisagem apenas, e não duraram mais do que 5 ou 10 minutos. A volta foi cansativa e chegamos a Palmas já à noite.

Fervedouro Bela Vista: é um fervedouro grande, de água cristalina e vegetação exuberante. É o maior fervedouro que visitamos, e chegando lá entendi porque foi ele o escolhido para as gravações da novela Araguaia.

Com o fervedouro vazio, ficamos lá bastante tempo, curtimos muito o lugar e as fotos saíram fantásticas.

Uma característica desse fervedouro é que ele tem vários pontos de ressurgência, então você pode optar entre ficar do lado onde é possível ficar em pé normal, sem flutuar; ou nas nascentes propriamente ditas, onde você boia. Não tem tanta pressão como no Fervedouro Encontro das Águas ou Fervedouro do Ceiça, mas assume o topo da lista quando o assunto é “beleza e tamanho”.

O Fervedouro Bela Vista fica a apenas 3km da cidade São Félix e é de fácil acesso.

Fervedouro Bela Vista - Jalapão
Literalmente sozinha no Fervedouro Bela Vista –

 

Literalmente sozinha no Fervedouro Bela Vista
Fervedouro Bela Vista – Jalapão

Sem dúvida o grande diferencial do Parque Estadual do Jalapão são os seus fervedouros, e isso realmente me encantou, fazendo com que a viagem valesse à pena. Claro que lá você também encontra muitos outros lugares belíssimos, mas o que marca o Jalapão são essas ressurgências que só são encontradas lá.

Então minha dica é: se for ao Jalapão, visite o maior número de fervedouros que puder, pois nenhum é igual ao outro e todos têm suas características e belezas peculiares.

Jalapão e seus fervedouros de água cristalina
Jalapão e seus fervedouros de água cristalina

Dicas para se dar bem no Parque Estadual do Jalapão:

-use roupas leves, claras e coloque traje de banho por baixo (tem lugares que não tem banheiro para trocar de roupa);

-apenas no primeiro dia usei tênis (visita ao Cânion Sussuapara e Pedra Furada). No demais dias usei chinelo (não há trilhas para fazer nesses passeios);

-se optar por subir a Serra do Espírito Santo, vai precisar de lanterna (a do celular já da conta) e tênis;

-usei snorkel apenas na Cachoeira do Formiga;

-no período que fui (junho de 2017) não fez “nadica” de frio, nem mesmo durante a noite, então não usei agasalho, mas é bom ter um na mala para eventualidades;

-repelente e protetor solar são muito importantes, mas você terá que tirá-los para entrar nos fervedouros (são nascentes) – o resultado são muitas picadas mesmo (agora que as minhas estão sarando);

-leve uma mochila para o dia a dia (com repelente, protetor solar, óculos de sol, chapéu/boné, toalha, chinelo, máquina fotográfica, remédios de uso pessoal);

-importante ter dinheiro em espécie para compras extras (você não encontrará caixa eletrônico ou máquina de cartão de crédito por lá);

-importante ter suas vacinas em dia (principalmente a de febre amarela e a antitetânica);

-rafting, canoagem, rapel e trilhas a pé e de bicicleta também são passeios encontrados no Parque Estadual do Jalapão (mas o tour mais tradicional que fizemos não incluía nenhum deles), então certifique-se antes com sua agência se haverá tais opções no roteiro oferecido;

-o Parque Estadual do Jalapão é uma área de preservação e, por conseguinte, apresenta pouca infra  estrutura, as estradas são de difícil acesso, sem manutenção e sem sinalização. Caso tenha em mente fazer a viagem por conta, lembre dessas características. É comum ver grupos de motos e jipes se aventurando pelo Jalapão. Nesse caso, é interessante contratar um carro de apoio para proteger de eventuais problemas corriqueiros;

-as refeições são sempre com base na culinária local (comida caseira), geralmente é: carne, frango, peixe, arroz, mandioca/macaxeira, abóbora e saladas (confesso que comemos muito bem lá, pois as comidas eram sempre saborosas). Senti muita falta de comer doce (sou formiga), pois não encontrei chocolate pra comprar em nenhum lugar do Jalapão (atenção: se você for formiga igual eu, leve seus doces na mala);

-o Parque Estadual do Jalapão é uma viagem, em tese, para todas as idades, mas eu não levaria crianças para lá (aliás, durante os 5 dias que estivemos lá, não vimos nenhuma criança), pois os pequenos (até onde eu sei…) geralmente não toleram ficar tantas e tantas horas dentro do carro (ainda mais quando a estrada é ruim e não dá pra dormir em razão do “treme-treme” do carro);

-Existe uma opção de tour que chama “Jalapada”, que é a combinação do Parque Estadual do Jalapão com a Chapada das Mesas no Maranhão. Esse tipo de expedição acontece em datas especificas e pré-estabelecidas.

E aqui encerro os post sobre o Parque Estadual do Jalapão. Espero que tenha gostado.

Para mais fotos e informações: IG @maladeviagem e youtube.com/blogmaladeviagem

Para ver a primeira parte deste post, clique aqui!

 

  • Julia Salce

    Sem palavras para esses posts sobre o Japalão! Minha nossa, o que são esses Fervedouros? Um mais lindo que o outro. Essa água transparente, ia ficar doida com tanta beleza! Já quero conhecer! Obrigada por compartilhar conosco essas maravilhas da natureza!

    • blogmaladeviagem

      Juliaaa, os fervedouros são demais! Uma pena que só exista lá… por mim deveria ter um desse em cada cidade kkkkkk obrigada pela visita!

  • Ah, estes fervedouros. Já me apaixono por eles desde então. Muito curioso isso de te jogar para cima.. Não havia parado pra pensar no efeito disso nas narinas, haha! A água desesperadamente QUERO ENTRAR DENTRO DO SEU NARIZ MWHAOHOAHAHAH. Tenso.

    Faria super o bóia cross também.

    Belo post!

    • blogmaladeviagem

      kkkkkk sim, a água queria me afogar pelo nariz, muito estranha a sensação! Os fervedouros são um encanto! queria ter um aqui no meio da minha casa hehehe

  • Livia Melo

    Como lidar com esses posts do Jalapão??? Cada vez com mais vontade de ir!! Qual a melhor época? Vc foi em Junho, mas algum outro mês é legal?? Parabéns pela série, muitas informações e dicas preciosas!!

    • Anna Claudia Rodrigues

      Lívia, junho é uma ótima época. Desde que seja época de seca, vai dar certo! Fuja da época de chuva. Vi fotos de um pessoal que foi na época de chuva (outubro em diante) e as fotos nem parecem no mesmo lugar… tudo barrento e escuro!

    • blogmaladeviagem

      Lívia, junho é uma ótima época. Desde que seja época de seca, vai dar certo! Fuja da época de chuva. Vi fotos de um pessoal que foi na época de chuva (outubro em diante) e as fotos nem parecem no mesmo lugar… tudo barrento e escuro!

  • Amei está indicação Anna!! Cada parada mais linda do que a outra. O que é aquele fervedouro de água azul quase listerine rs surreal. Muito bacana também seus vídeos. Tá aí um lugar que vale a pena conhecer!!

    • blogmaladeviagem

      Mayara, adorei o adjetivo “água azul quase listerine” e o ‘pior’ que é isso mesmo! coisa de outro mundo!!!

  • Aninha Lima

    Eu estava ansiosa para Ver o restante! Se eu tivesse um dia a menos Que Você, o que você indicaria não fazer??

    • blogmaladeviagem

      Aninha, com um dia a menos eu cortava as Dunas, o Canyon Sussuapara e a Pedra Furada! De cachoeira, eu faria questão da Cachu do Formiga e incluiria o maior número possível de fervedouros!

  • Jaqueline Caixeta

    Meu jesusssss!! Eu tô passada com a beleza desses fervedouros!! Quero muito ter essa experiência!! O Jalapão é incrível!!

    • blogmaladeviagem

      Jaque, esses fervedouros são a sua cara! Vc vai amar!

  • Estou apaixonada por esses fervedouros!! Sempre que ouvi falar de Jalapão, vem esses fervedouros na minha mente!! amei as dicas, quero muito conhecer!

    • blogmaladeviagem

      Pri, vale à pena, são lindos e a experiência e inigualável! bjs

  • Alexandre Nunes

    Ja me encantei com o primeiro post, e com esse então.. Uau. Os fervedouros sempre chamaram minha atenção! Sabe dizer se o período do carnaval é legal pra ir ? Tomara que sim. Parabens pelas fotos, estão lindas demais. Abraços

    • blogmaladeviagem

      Alexandre, carnaval não é bom não! Março a Dezembro é período de chuva, ai fica tudo barrento e escuro. Vi umas fotos de um pessoal que foi em época de chuva e não gostei não! Vale à pena se programar pra ir na seca e pegar a água assim!

  • Lorena Brito

    Olha, nem fui mas acho que também seria meu dia preferido porque esses fervedouros sao realmente sensacionais! Essa cor da agua, surreal! E a experiência, a sensação… impagável! Nao é?

    • blogmaladeviagem

      Sim… hoje vejo as fotos e sinto muita saudade daquela água morninha e azullll!

  • Marilisa Domingues

    Ana que lugar meu deusoo, estou apaixonada pelo Jalapão, acredita que não imaginava que tinha vários fervedouros, fiquei impressionada. Quando for quero conhecer todos rs.. como vc disse vale muito a pena! Adorando as dicas e conhecer um pouquinho mais do nosso Brasil ..bjsss

    • blogmaladeviagem

      Acho que vc super precisa conhecer! Isso mesmo, quanto mais fervedouros pra lista, melhor! bjs

  • blogmaladeviagem

    Dani, muito obrigada pelo elogio! Fico muito feliz que tenha curtido as dicas! bjooo

  • Thaísa

    Oie, com qual agência você foi??

    • Anna Claudia Rodrigues

      Olá Thaísa. Fomos com a NorteTur, pois estava com saída promocional na data que eu queria, então compensou financeiramente… Mas encontre a agência que tenha o roteiro que mais combina com você, que inclua vários fervedouros, e que o preço esteja legal! Bjs